×

Aprenda a fazer a gestão interna de resíduos

Aprenda a fazer a gestão interna de resíduos
5 (100%) 3 votos

Os resíduos são gerados de várias formas, seja no escritório, no refeitório ou na produção, quando um material não pode ser aproveitado integralmente, este se torna um Rejeito ou um Resíduo.

A adequada gestão interna de resíduos permite que a empresa se organize e se torne mais competitiva no mercado de resíduos, atraindo mais Fornecedores interessados em coprodutos de qualidade. Vamos falar mais sobre isso?

 O  que significa gestão interna de resíduos?

Consiste em gerenciar internamente na empresa todos os resíduos gerados, dispondo de atividades como: coleta interna de materiais, segregação e disposição em espaços específicos para armazenamento temporário antes de ser destinado para fornecedores interessados, aterros e afins.

Qual sua importância?

Consolidar uma marca de sucesso com produtos e serviços de qualidade é uma tarefa árdua e também muito compensatória, certo? Para tal, com as inovações e dinamismo do mercado, além da qualidade, a questão ambiental é um fator primordial para empreendedores que almejam competitividade, diferenciais e destaque no mercado atual.

Fato é que empresas com ética nos negócios, uso responsável dos recursos naturais e que tem respeito com as pessoas, conquistam posições de destaque e ficam à frente da concorrência cada vez mais acirrada.

Não apenas por questões mercadológicas, mas também pelo fato de as empresas terem de cumprir obrigações legais inerentes às suas atividades, a gestão interna de resíduos faz parte do Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS), sendo que este último é item obrigatório para empresas públicas e privadas de determinados setores, exigido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), Lei 12.305/2010.

Como fazer a gestão interna de resíduos da minha empresa?

 

Tudo começa com a implementação de um Sistema de Gestão Ambiental nas empresas, elaboração de um PGRS e criação de espaços para armazenamento temporário dos resíduos.

O Sistema de Gestão Ambiental da norma ISO 14001 é conhecido e reconhecido em todo o mundo e aborda os principais requisitos para as empresas identificarem, controlarem e monitorarem questões ambientais. Possui benefícios como: aperfeiçoamento do SGA, crescimento eficaz, aumento da rentabilidade, melhoria da imagem da empresa, auxilia no cumprimento da legislação ambiental, incentiva ao cumprimento de ações voltadas para a gestão ambiental, traz competitividade internacional e satisfação do cliente.

Esta norma foi recentemente atualizada (ISO 14001:2015) e, além de possuir maior compatibilidade com as demais normas ISO, traz requisitos relacionados ao gerenciamento dos aspectos e impactos ambientais durante o Ciclo de Vida de produtos ou serviços da empresa.

É importante frisar que sendo assim, ao realizar corretamente a gestão interna dos resíduos, a empresa tem condições para obter e manter uma Certificação Ambiental. A demonstração da capacidade que a empresa possui para gerir de forma ambientalmente adequada todos os resíduos gerados é feita pelo PGRS.

Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – o que é e quais setores são obrigados a elaborar?

O PGRS é um documento que fala de toda a trajetória do resíduo internamente e externamente por meio de um memorial descritivo dos procedimentos implementados e operacionalizadas, bem como daqueles que ainda serão adotados (caso ainda não existam), envolvendo as etapas de segregação, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e destinação ou disposição final.

De acordo com o art. 20 da PNRS, os setores obrigados a elaborar o PGRS são:

  • Geradores de resíduos de serviços públicos de saneamento básico;
  • Geradores de resíduos industriais;
  • Geradores de resíduos de serviços de saúde;
  • Geradores de resíduos de mineração;
  • Estabelecimentos comerciais de prestação de serviços que gerem resíduos perigosos ou que sejam definidos como de responsabilidade privada por sua natureza, composição, natureza ou volume;
  • Empresas de construção civil;
  • Terminais ou outras instalações de serviços de transporte; e
  • Atividades agrossilvopastoris, conforme exigência do órgão ambiental ou de vigilância sanitária.

Fluxograma para uma boa Gestão de Resíduos Sólidos

Em outro texto publicado aqui no blog, conhecemos a Ordem Prioridade na Gestão de Resíduos Sólidos, agora veja um exemplo de fluxograma para visualizar melhor quais as etapas da gestão interna de resíduos:

Por que eu preciso fazer o armazenamento temporário dos resíduos?

 

A quantidade gerada de resíduos nas empresas não segue “um padrão internacional”, cada empresa, de acordo com seu processo produtivo, tem uma quantidade e qualidade de resíduos gerados, portanto muitas vezes é inviável haver coleta de resíduos diariamente.

Sendo assim, ao implementar a Gestão Interna dos Resíduos, é necessário que haja uma Central de Resíduos ou um Pátio de resíduos, que são locais destinados para segregação interna e destino temporário dos resíduos gerados.

Como devem ser estes locais?

Estes locais ambientes devem conter risco mínimo de contaminação, sinalização adequada, restrição de acesso, piso impermeabilizado e proteção dos resíduos contra intempéries (chuvas e ventos), dentre outros aspectos necessários a uma estruturação adequada e de acordo com as características dos resíduos que serão ali armazenados.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas possui norma relacionada às condições exigíveis para o armazenamento de resíduos sólidos perigosos de forma a proteger a saúde pública e o meio ambiente, por meio da norma da ABNT NBR 12.235 e, no caso de resíduos não perigosos, a ABNT NBR 11.174.

Vantagens da Gestão Interna de Resíduos

  • Permite o mapeamento do caminho dos resíduos que são gerados;
  • Avaliação do ciclo de vida do produto;
  • Criação de estratégias para o Mercado de Resíduos;
  • Cumprimento da legislação vigente;
  • Evita contaminação entre os resíduos gerados, devido à segregação;
  • Redução de custos;
  • Possibilita a redução/eliminação do passivo ambiental;
  • Geração de receita com a venda de Resíduos;
  • Aproveitamento integral dos resíduos;
  • Possibilita que a empresa adote o conceito Aterro Zero;
  • Manutenção adequada do certificado ambiental;
  • Possibilita uma economia circular;
  • Obtém diferencial competitivo;

Mercado e venda de Resíduos

Gerir os resíduos corretamente reduz custos, evita multas, notificações ambientais e demais custos desnecessários, além disso, gera receita e traz vantagens ambientais e competitivas frente a seus concorrentes.

Para te ajudar neste processo, a Verde Ghaia disponibiliza uma plataforma chamada  VG Resíduos. Trata-se de um software de gestão de resíduos totalmente on-line, que controla toda a geração de resíduos de qualquer tipo de organização, desde a sua geração até o destino final.

Por meio dessa plataforma inovadora no mercado, o empreendedor consegue realizar o controle dos resíduos alinhado aos sistemas da ISO, e ainda monitora toda gestão dos processos, da documentação, dos prestadores de serviço, no atendimento às legislações aplicáveis e no planejamento de resíduos.

Há também o módulo online chamado Mercado de Resíduos, que cria oportunidades e otimiza a gestão das organizações para um melhor aproveitamento e destinação dos resíduos. Neste módulo, é possível fazer oferta e busca de resíduos e serviços. Seu objetivo é agregar valor ao resíduo que é transformado em insumo para ser aproveitado no processo produtivo de outras empresas e ainda, estimular a destinação correta dos resíduos, minimizando impactos ambientais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2018