Ministério discute Acordo Setorial de logística reversa para embalagens

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

14/02/2018

Segunda fase do acordo setorial voltado para embalagens em geral terá início neste semestre. Entenda mais sobre o assunto

logistica reversa

 

Representantes da Coalizão Embalagem, responsável por representar centenas de empresas, reuniram-se em Brasília a pedido do Ministério do Meio Ambiente. A intenção do encontro foi discutir a segunda fase do Acordo Setorial de logística reversa.

O Acordo Setorial é um documento normativo para implantação do Sistema de Logística Reversa de embalagens em geral. O projeto foi assinado pelo Ministério do Meio Ambiente em novembro de 2015.

O objetivo do acordo é garantir a destinação final ambientalmente adequada das embalagens de papel e papelão, plástico, alumínio, aço, vidro, ou as embalagens cartonadas longa vida, por exemplo.

O Acordo Setorial para Logística Reversa das embalagens trouxe na sua primeira fase como resultado o aumento da capacidade de triagem, na capacitação e na formalização de várias cooperativas de catadores.

A segunda fase, com previsão para início no primeiro semestre de 2018, objetiva reforçar a comunicação com a sociedade sobre a importância de destinar as embalagens em postos de coleta, ou seja, realizarem a coleta seletiva nos próprios domicílios.

Também, pretende reforçar nos municípios a importância de implantarem programas de coleta seletiva para que o objetivo principal do acordo seja alcançado.

Logística Reversa com instrumento da gestão de resíduos

A logística Reversa é definida na Política Nacional de Resíduos Sólidos como um instrumento usado para gestão de resíduos que viabiliza a coleta e o reaproveitamento dos resíduos de embalagens em processos produtivos.

Através da logística reversa são desenvolvidas atitudes sociais através de cooperativas de catadores, cumprindo assim os objetivos do desenvolvimento sustentável.  Além disso, contribui para o desenvolvimento econômico a partir do momento que as empresas possam lucrar com a compra e a venda de resíduos.

A partir da logística reversa, fabricantes, importadores, comerciantes e distribuidores de embalagens e de produtos comercializados em embalagens garantem a destinação final ambientalmente correta das embalagens que colocam no mercado.

Primeira Fase do Acordo Setorial do Sistema de Logística Reversa

logistica reversa

A primeira fase de implementação do sistema de logística reversa iniciou em 2015 e teve duração de aproximadamente 24 meses.

Para o sucesso da primeira fase, o acordo contou com o apoio das cooperativas de catadores de materiais recicláveis e com comércios que instalavam em seu estabelecimento pontos de entrega voluntária.

Segunda Fase do Acordo Setorial de Logística Reversa

A segunda fase de implementação do Sistema de logística reversa inicia no primeiro semestre de 2018.

Para alcançar êxito da segunda fase e para que os objetivos da implantação da logística reversa sejam alcançados será necessário o apoio da sociedade e dos municípios.

Durante uma reunião realizada em 16 de janeiro de 2018 foi definido a formação de um grupo que terá como função principal estabelecer as estratégias para aproximar os municípios do programa.

A participação da Coalizão Embalagens na implementação da Logística Reversa

logistica reversa

A Coalizão Embalagens é um grupo formado por 22 entidades, entre elas produtores, importadores, usuários e comerciantes, que contribuem para o desenvolvimento da logística reversa.

O grupo conta com o apoio do CEMPRE, da Confederação Nacional das Indústrias (CNI) e da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Entenda um pouco melhor as ações da Coalizão Embalagens:

Para as cooperativas

  • Adequação e ampliação da capacidade produtiva das cooperativas de catadores de materiais recicláveis.
  • Viabilização das ações necessárias para a aquisição de máquinas e de equipamentos.
  • Viabilização das ações para a capacitação dos catadores, visando melhoria da qualidade de vida, da capacidade empreendedora, de gestão com visão de negócio e sustentabilidade.

Para os Pontos de Entrega Voluntária – PEV

  • Fortalecimento da parceria indústria/comércio para ampliar os Pontos de Entrega Voluntária – PEV.
  • Instalação de PEV em lojas do varejo.
  • Investimento em campanhas de conscientização com o objetivo de sensibilizar os consumidores para a correta separação e destinação das embalagens, podendo ser realizadas através de mídia, como rádio, cinema, televisão entre outras.

O papel do consumidor para o sucesso da Logística Reversa

O consumidor exerce um papel importante para que o sistema de logística reversa das embalagens em geral obtenha sucesso, pois caberá a ele devolver os produtos que não são mais usados em postos específicos, ou seja, as embalagens vazias.

Depois de disponibilizado as embalagens pelos consumidores, as indústrias deverão retirar esses produtos e encaminha-los para a reciclagem ou reutilização.

Conscientizar a população da importância em separar os resíduos recicláveis é um dos objetivos da segunda fase do acordo setorial.

Logística Reversa para as empresas

Empresas que almejam se certificarem no Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001) ou já são certificadas devem utilizar o sistema de logística reversa em suas atividades diárias, como por exemplo, o retorno das embalagens plásticas e metálicas para os fornecedores ou cooperativas de reciclagem.

Essa é uma das atitudes utilizadas por organizações que aspiram conquistar o conceito de sustentabilidade.

Muitas empresas contribuem para a preservação da natureza reutilizando as embalagens dentro da própria organização.

Em indústrias siderúrgicas o alumínio e o aço voltam à condição normal de matéria-prima.

Latinhas, o material mais reciclado

logistica reversa

A sucata de aço é 100% reciclável e podem ser transformadas infinitas vezes em um novo aço sem perder a qualidade.

O uso da sucata na fabricação de aço reduz os impactos ambientais e o consumo de energia chega a ser 80% menor.

Na reciclagem, o consumo de energia elétrica chega a ser 80% menor. Este setor mostrou ser uma excelente parceira para a implantação do sistema de logística reversa.

De que forma a VG Resíduos pode ajudar sua empresa no sistema de logística reversa?

Reduzir a geração de resíduos visando minimizar os custos e preservação do meio ambiente é um dos principais objetivos de empresas que desejam cumprir as exigências ambientais e exercer as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Para atender os requisitos que o Ministério do Meio Ambiente propõe referente a logística reversa das embalagens, as empresas terão que realizar várias ações para que o sistema de logística reverso implantado seja eficiente e prático.

A melhor opção para implantar o sistema é através de uma consultoria expert no setor.

A VG Resíduos é uma empresa especializada em consultoria em gestão de resíduos e pode auxiliar a sua empresa a atender todos os requisitos da Lei 12.305/2010, além de buscar soluções para redução de resíduos gerados pelo seu negócio.

A partir da plataforma VG Resíduos é apresentado ao seu empreendimento uma solução prática e funcional que permite à sua empresa realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios.

Entre em contato e conheça os benefícios de uma consultoria em gerenciamento de resíduos.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5