Quais melhores práticas para gestão de resíduos orgânicos?

As melhores práticas para gestão de resíduos orgânicos são a compostagem, que consiste na degradação dos resíduos com presença de oxigênio. A biodigestão, processo pelo qual ocorre a degradação dos resíduos com ausência de oxigênio. E a vermicompostagem que utiliza minhocas para a compostagem.

A gestão de resíduos orgânicos busca uma solução sustentável para as fontes geradoras, evitando os aterros sanitários e o incremento da poluição.

Confira mais detalhadamente as melhores práticas para gestão de resíduos!

Gestão de resíduos orgânicos

Antes da aprovação de leis ambientais, como a Política Nacional de Resíduos, os resíduos orgânicos era destinados a aterros sanitários. No entanto, surgiram maneiras mais ecoeficientes para a gestão desses resíduos e uma delas é a reciclagem por meio de tratamento biológico.

Conforme a PNRS os resíduos orgânicos não devem ser descartados indiscriminadamente. É necessário que os geradores se esforcem para promover uma gestão de resíduos eficiente.

A gestão de resíduos orgânicos contribui para o desenvolvimento sustentável aumentando a vida útil de aterros sanitários, reduzindo a geração dos resíduos e os destinando de forma ambientalmente correta. Além disso,  a gestão viabiliza as ações de triagem dos resíduos recicláveis e reutilizáveis, contribuindo assim para a redução dos níveis de poluição ambiental.

Fazer gestão de resíduos orgânicos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

Melhores práticas para gestão de resíduos orgânicos

A compostagem, biodigestão e vermicompostagem apresentam como melhores práticas para gestão de resíduos orgânicos. Além disso, são soluções para escapar de multas referentes ao descarte incorreto de resíduos orgânicos.

Conheça cada uma dessas práticas para gestão de resíduos orgânicos:

Compostagem

A compostagem do resíduo orgânico é um processo natural de decomposição que transformar os resíduos orgânicos em adubo de primeira qualidade.

Separar, reciclar e reutilizar o que é possível são soluções básicas que podemos tomar para reduzir os impactos que os resíduos orgânicos trazem ao meio ambiente. Por isso, o reaproveitamento do resíduo orgânico na compostagem é uma ótima saída para reduzir a quantidade de lixo que produzimos.

A compostagem pode ser realizada em escala doméstica, ou seja, reaproveitando os restos de alimentos de casa nas composteiras para consumo da própria população. Ou em escala industrial para a produção de fertilizante orgânico.

Muitas empresas perceberam que a compostagem é uma alternativa de realizar o gerenciamento dos seus resíduos orgânicos, como também, uma forma de lucrar através da venda do resto do seu resíduo orgânico para outras empresas que produzem fertilizantes orgânicos. Nesse método eficiente, empresas encontram soluções lucrativas para resolver a questão do lixo produzido pelo negócio.

O Mercado de Resíduos é uma ferramenta da VG Resíduos que promove o encontro entre as empresas geradoras e as que tratam esse tipo de resíduo.

Vermicompostagem

A vermicompostagem é um tipo de compostagem. Todavia, essa técnica utiliza minhocas para degradar a matéria orgânica presente no resíduo. Por utilizar minhocas, o processo é muito mais rápido que a compostagem tradicional, pois os vermes aceleram o processo de decomposição da matéria orgânica.

O substrato formado no tratamento do resíduo orgânico é o húmus de minhoca. Um fertilizante muito rico em nutrientes. O húmus é inodoro, leve, macio, solto, finamente granulado e rico em minerais que são absorvidos pelas plantas. O seu pH neutro permite que o adubo seja colocado diretamente sobre raízes das plantas sem causar danos a elas, como queimaduras.

As minhocas trituram os resíduos orgânicos, liberando um muco que facilita a decomposição por microorganismos decompositores. Assim o processo de humificação é acelerado. Além disso, promove o desenvolvimento de uma grande população de microorganismos. Assim sendo, o vermicomposto tem uma qualidade melhor do que o composto formado na compostagem tradicional.

A comercialização do húmus é muito lucrativa para as empresas. A preocupação com o meio ambiente e com o desenvolvimento sustentável aumenta a procura por produtos ecologicamente correto. As organizações que ofertam esses produtos estão se destacando no mercado.

Biodigestão

A biodigestão de resíduos orgânicos é um processo parecido com a compostagem, no entanto é realizado em um ambiente totalmente anaeróbio (sem presença de oxigênio).

Os subprodutos formados na biodigestão são o biogás composto basicamente por metano (CH4) e o gás carbônico (CO²). Assim é possível obter energia do resíduo e produzir energia, gerando lucro. E o biofertilizante, um produto muito rico em nutrientes e considerados um adubo natural, sem produtos químicos.

Como a VG Resíduos pode ajudar sua empresa?

A gestão de resíduos a principio pode parecer ser complicada, burocrática ou cansativa, principalmente na etapa de classificação e caracterização do resíduo. No entanto, é essencial para minimizar impactos ambientais e passivos, evitar prejuízos financeiros e preservar a imagem da empresa.

VG Resíduos é a solução para o negócio e permite realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios.

Com muitos anos de atuação, a VG Resíduos conta com profissionais  habilitados e experientes em fornecer orientações para o adequado gerenciamento de resíduos, com o melhor custo benefício.

Com objetivo de gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental, prestando serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos, além de desenvolver treinamentos e monitoramentos para acompanhar a eficiência das ações.

Mediante isso, conclui-se que as melhores práticas de gestão de resíduos orgânicos incentiva o reaproveitamento dos resíduos. Assim o material ao invés de ser apenas descartado passa a ser utilizado como fertilizante ou energia.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

 

 

Compostagem ou Reciclagem: diferenças e quais resíduos destinar?

compostagem ou reciclagem

Qual a importância compostagem ou reciclagem para a conservação ambiental? O Brasil produz cada vez mais resíduos, mas precisa avançar nas iniciativas de reaproveitamento do lixo. Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, Abrelpe, em 2017, foram gerados 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos, 1% a mais em relação a 2016. Um volume grande dessas sobras – 40,9% do que é coletado -, vai para os lixões ou aterros controlados, segundo a associação. Diante desse cenário, é cada vez mais importante adotar métodos que dão vida nova aos resíduos, como a compostagem ou a reciclagem.

Ambas as técnicas evitam o excesso de lixo e os impactos causados pelos resíduos no meio ambiente, como a poluição do solo, água e ar. Outra vantagem é que a transformação dos resíduos evita a retirada de matérias-primas da natureza que seriam usadas para a fabricação de novos produtos. Também colaboram com a limpeza, a saúde pública e geração de empregosAcompanhe!

Quais resíduos de alimentos podem ser colocados na composteira?

Saiba a diferença entre compostagem e reciclagem

compostagem ou reciclagem

A compostagem é uma técnica que transforma os restos orgânicos (sobras de frutas e legumes e alimentos em geral, podas de jardim, trapos de tecido, serragem, etc) em adubo. É um processo biológico que acelera a decomposição do material orgânico, originando o composto orgânico.

Por meio da compostagem são recuperados os nutrientes dos resíduos orgânicos, levando-os de volta ao ciclo natural, gerando um adubo rico para o solo de lavouras e jardins.

Já a reciclagem é ideal para os outros tipos de resíduos e resulta no reaproveitamento das sobras. É uma técnica que consiste na mudança do estado físico, físico-químico ou biológico do resíduo, de modo a atribuir características para que ele se torne novamente matéria-prima ou produto.

compostagem ou reciclagem

Conheça os resíduos ideais para compostagem ou reciclagem

compostagem ou reciclagem

Alguns resíduos funcionam muito bem para a compostagem. Entre eles, estão:

  • restos de alimentos: sobras, talos e casca de verduras e frutas (menos as cítricas), cascas de ovo;
  • resíduos frescos: podas de grama e folhas, que precisam secar antes de serem usadas;
  • serragem sem verniz e folhas secas: são ricos em carbono e evitam o aparecimento de animais indesejados e mau cheiro;
  • alimentos cozidos ou assados: podem ser usados, mas em pequenas quantidades porque possuem excesso de sal e conservantes. São resíduos que não podem estar úmidos, por isso, deve-se adicionar pó de serra sobre os restos.
  • estercos: podem ser de boi, de porco e de galinha, mas devem estar curtidos;
  • borra de café: inibe o aparecimento das formigas e é um excelente complemento nutricional para as minhocas. O filtro de papel do preparo do café também pode ser incluído na compostagem.

compostagem ou reciclagem

Já para a reciclagem, há diversos resíduos que podem ser destinados, entre eles:

  • plástico: pode ser transformado em embalagens, brinquedos, móveis, tecidos e na montagem de automóveis;
  • papel: pode ser transformado em produtos de papel sanitários (papel higiênico, toalhas de papel e toalhas de chá, dentre outros); papel não revestido; papel de cópia; papel de jornal; revistas; livros; cadernos;
  • alumínio: pode ser transformado em  alumínio líquido, que vira lingotes ou chapas de alumínio. Os materiais são vendidos para as indústrias que fabricam produtos e embalagens de alumínio, inclusive as latinhas de bebida. Assim, o material retorna à cadeia produtiva.
  • vidro: pode ser reciclado e usado nas embalagens de vidro.

Qual a diferença entre coleta seletiva e logística reversa?

Entenda as vantagens da compostagem e da reciclagem

compostagem ou reciclagem

Os maiores benefícios das técnicas de reaproveitamento de resíduos é que elas poupam o meio ambiente e a saúde humana.  Entre as vantagens da compostagem estão, por exemplo, o aumento da capacidade de infiltração da água e a redução da erosão do solo. O composto também aumenta a população de minhocas, insetos e microrganismos desejáveis, estabelecendo um equilíbrio entre as populações e a planta hospedeira.

Já a reciclagem é considerada pelo Ministério do Meio Ambiente como uma das formas mais vantajosas de tratamento de resíduos. Por meio dela, é reduzido o consumo de recursos naturais, poupa-se energia e água, diminui-se o volume de lixo e gera-se emprego para os coletores.

A reciclagem faz com que a geradora assuma uma postura ambientalmente responsável e, ainda, lucre.  Os resíduos reciclados podem voltar para as fábricas como matéria-prima ou novos produtos que podem ser comercializados.

Soluções de logística reversa: qual a melhor para a minha empresa?

VG Resíduos pode ser aliado no gerenciamento de resíduos

compostagem ou reciclagem

Para muitas geradoras, não é simples implantar as técnicas de reaproveitamento de resíduos. Por esse motivo, é bom contar com uma consultoria que oriente como fazer o gerenciamento das sobras adequadamente e conforme as leis ambientais. Pode, ainda, auxiliar na logística reversa, método que instala pontos de entrega voluntária para que os consumidores depositem os produtos pós-uso. Os materiais são recolhidos pelos fabricantes e voltam ao ciclo produtivo como matéria-prima.

Outro suporte interessante vem da VG Resíduos, que mantém a plataforma Mercado de Resíduos. Trata-se de um software por meio da qual as geradoras e tratadoras podem negociar seus materiais.

Por meio digital, as geradoras podem anunciar os resíduos que foram transformados. Basta um cadastro na plataforma, informando qual material está disponível. Da mesma forma, tratadoras cadastradas têm acesso aos materiais das geradoras, podendo se interessar por elas.  De maneira totalmente automatizada, a plataforma coloca gerador e tratador em contato, selecionando as melhores propostas para cada negócio.

Como funciona e como montar uma usina de compostagem?

A plataforma reúne milhares de empresas do Brasil e pode ser acessada 24 horas por dia, de qualquer lugar do mundo.

Como se vê, buscar alternativas de reaproveitamento dos resíduos é essencial para se poupar o meio ambiente. Tanto a compostagem quanto a reciclagem são técnicas que permitem às geradoras serem ambientalmente corretas e, ainda, lucrarem com a transformação dos resíduos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como montar uma empresa de reciclagem em 7 passos.

compostagem ou reciclagem

Como funciona e como montar uma usina de compostagem?

montar uma usina de compostagem

Vamos falar sobre como montar uma usina de compostagem?A compostagem é, de certa forma, um processo de reciclagem de matéria orgânica, uma vez que ela é transformada em um material que pode ser novamente aproveitado de forma comercial.

Há alguns anos, quando as indústrias começaram a descobrir a importância da reciclagem, os primeiros materiais a serem estudados para este tipo de atividade foram os metais.

Produtos de alumínio, cobre, ferro, estanho, etc. foram os que inauguraram o reaproveitamento em larga escala. Contudo, com o avanço da tecnologia, outros resíduos também puderam ser reciclados, como é o caso dos orgânicos. Acompanhe!

montar uma usina de compostagem

O que é uma usina de compostagem?

montar uma usina de compostagem

Uma usina de compostagem é uma instalação dentro da uma empresa tratadora de resíduos que possui a atribuição de realizar a neutralização da carga orgânica do material tratado.

A matéria orgânica como restos de comida, não pode ser lançada diretamente no solo ou nos corpos d’água porque sua carga orgânica é muito alta, o que produz muitos gases de decomposição e substâncias tóxicas.

As usinas de compostagem realizam o processo de neutralização desta carga e transformam o material em algo manuseável e inerte. Após a compostagem, a matéria orgânica não apresenta mal cheiro e nem potencial poluidor algum.

Pelo contrário, o material tem um aspecto bastante agradável e seu lançamento no solo o fertilizará.

Quais as vantagens de se montar uma usina de compostagem?

montar uma usina de compostagem

Os serviços de compostagem estão entrando em uma fase de alta demanda nos grandes centros urbanos, industriais e rurais ao redor do mundo e também no Brasil.

Por isso, os tratadores que investirem neste tipo de serviço acabarão sendo pioneiros em seus respectivos mercados de atuação. A oferta de serviços de compostagem pode agregar receitas consistentes a tais tratadores.

Outra vantagem da montagem de uma usina de compostagem é a possibilidade de diversificação dos serviços prestados e do faturamento por duas frentes, na recepção do material (cobrando do gerador) e em sua destinação (vendendo o fertilizante).

Neste sentido, a usina de compostagem se mostra como uma ótima ferramenta de estratégia comercial.

montar uma usina de compostagem

Como montar uma usina de compostagem?

montar uma usina de compostagem

Como todo tipo de instalação de tratamento de resíduos, a usina de compostagem precisará ser aprovada pelo órgão ambiental responsável no estado de atuação da empresa.

No caso de resíduos de importância ambiental, é necessário também o cadastro técnico federal e consequente, aprovação do IBAMA.

Uma vez cumprida a etapa legal, a usina pode começar a ser montada. A primeira questão a ser definida diz respeito ao processo utilizado na operação da planta.

Hoje existem dois processos básicos: compostagem por revolvimento e compostagem por aeração.

Na compostagem por aeração, o material é tratado em leiras estáticas, nas quais sopradores artificiais fazem o trabalho de aceleração da decomposição química.

Já no processo de revolvimento, o material revirado por máquinas que retiram as partes do fundo e as levam à superfície, de forma que a decomposição ocorra de maneira integral.

O processo escolhido deverá ser planejado de acordo com o volume projetado pela empresa e com o orçamento disponível.

Quais são as etapas do processo de compostagem?

montar uma usina de compostagem

As etapas dos processos de compostagem são bastante semelhantes para os dois métodos, tanto o revolvimento quanto a aeração utilizam as mesmas etapas até a fase de decomposição da matéria orgânica.

Após o fim desta etapa, as que se seguem também são semelhante. Abaixo, descreveremos de forma breve as etapas dos processos de compostagem convencionais.

Processo de compostagem por aeração

– Coleta do material

– Disposição do material coletado em leiras estáticas

– Aeração forçada por sopradores mecânicos

– Desprendimento de calor das reações químicas

– Peneiramento do material

– Ensacamento ou disponibilização para o consumidor final

Processo de compostagem por revolvimento

– Coleta do material

– Disposição do material coletado em leiras estáticas

– Aeração natural estimulada por revolvimento do material

– Desprendimento de calor das reações químicas

– Peneiramento do material

– Ensacamento ou disponibilização para o consumidor final

A principal diferença entre a aeração forçada e a natural está na velocidade do processo.

Enquanto no revolvimento o próprio ambiente realiza a transformação da matéria orgânica e desprende os gases de decomposição, o processo de aeração forçada acelera esta etapa, uma vez que aumenta muito a quantidade de oxigênio em contato com a superfície do material tratado.

Compostagem é algo lucrativo?

montar uma usina de compostagem

A lucratividade está relacionada a um conjunto de fatores ligados à operação de uma empresa e não pode ser definida como algo certo.

Contudo, pode-se dizer que a atividade de compostagem sim, é um procedimento potencialmente lucrativo, uma vez que a demanda é crescente e ainda há um grande espaço a ser ocupado no mercado de tratamento de resíduos orgânicos.

Além do mais, há duas formas de se lucrar com a compostagem, na aquisição e na venda do material já tratado. Diferentemente do que ocorre em outros resíduos, quando a empresa precisa comprar ou então recolhe o material gratuitamente.

Em muitos do casos de compostagem a coleta também é gratuita, mas nestas situações, o preço de venda do fertilizante acaba compensando.

Como obter clientes para o processo de compostagem?

Tratadores já operantes podem obter clientes para suas operações de compostagem através de sua própria participação no mercado. Contudo, há ferramentas específicas que podem ajudar tanto no funcionamento da empresa, quanto na captação do novos clientes.

Uma delas é o VG Resíduos, um software que oferece todo o suporte operacional e legal a empresas do setor de resíduos.

Outra ferramenta importante é o Mercado de Resíduos, uma espécie de leilão online, onde a empresa pode negociar a compra ou a venda de serviços e produtos para seus processos.

O sistema auxilia na localização das melhores oportunidades na região pesquisada e possui várias ferramentas de otimização de busca e melhora das condições de fornecimento.

As usinas de compostagem são uma ferramenta muito útil para empresas que já estão no mercado de tratamento de resíduos, mas também podem ser a porta de entrara para quem pensa em ingressar no ramo.

A demanda é crescente e a oferta de tratadores especializados ainda é reduzida, portanto, ainda há muito espaço a ser explorado.

montar uma usina de compostagem

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2019