Passivos ambientais: por que é importante conhecer, gerir e evitar?

Você sabe o que são passivos ambientais? E qual a sua relação com as finanças da empresa? De maneira bem objetiva, quando falamos em passivos ambientais nos referimos aos resíduos produzidos por meio da atuação empresarial e de todo o capital utilizado exclusivamente para minimização ou extinção dos impactos ambientais gerados por eles.

Os passivos ambientais são visto como algo negativo para a imagem da empresa, já que, na maioria das vezes, junto a eles vêm as multas e penalidades, além dos danos significativos ao meio ambiente.

Então, vamos aprofundar mais nesse conceito e saber como é importante conhecer, gerir e evitá-los. Confira!

Passivos ambientais

Os passivos ambientais são considerados como toda agressão praticada contra o meio ambiente, bem como de um valor de investimento para reabilitar ou recuperar esse meio ambiente. Geralmente, esse valor de investimento esta associado às multas e indenizações aplicadas. Por isso, falamos que os passivos ambientais são negativos para o negócio de uma empresa. E que é preciso evitá-los.

Resumidamente, passivo ambiental são danos causados ao meio ambiente por empresas no decorrer de suas atividades, principalmente com os resíduos gerados.  De acordo com a legislação, são partes integrantes da responsabilidade socioambiental das empresas que originaram os resíduos gerirem esses passivos.

Já financeiramente, os passivos ambientais são obrigações que exigem a entrega de ativos ou prestações de serviços, em decorrência das transações passadas ou presentes e que envolveram a empresa e o meio ambiente.

Os passivos ambientais podem se materializar de diferentes maneiras, como:

  • recuperação de áreas degradadas;
  • indenizações por danos ao meio ambiente;
  • reflorestamento;
  • destinação correta de resíduos;
  • criação e execução de projetos para amenizar danos;
  • pagamento de multas em razão de danos ambientais.

Por que é tão importante conhecer esse conceito?

Se preocupar como a atividade empresarial afeta o equilíbrio ambiental é necessário para evitar e minimizar ao máximo os impactos de sua atuação. Sendo assim, percebemos como é importante conhecer o conceito de passivo ambiental.

Preocupar com o passivo é imprescindível para a sobrevivência do negócio, bem como para o meio ambiente.

Quando você conhece os passivos ambientais automaticamente são adotadas atitudes ambientalmente corretas. Essas atitudes além de reduzir os prejuízos financeiros provocados preservam o meio ambiente e consolida a imagem da organização como consciente e responsável.

Como gerir os passivos ambientais?

Para evitar passivos ambientais na gestão de resíduos é necessário definir estratégias de redução da geração de resíduos, no reuso e reciclagem. Bem como nos meios de descarte, manejo e transporte. Além da avaliação e gestão dos fornecedores, buscando preços melhores.

Além disso, a empresa é persuadida a reduzir o descarte em aterros sanitários e aumentar a recuperação de materiais para otimizar o uso de recursos naturais.

Para gerir passivo ambiental a empresa deverá seguir o seguinte roteiro:

– realizar inspeção ambiental da empresa ou processo a ser analisado;

– realizar documentação fotográfica dos itens dos passivos encontrados;

– identificar os processos de transformação ambiental que deram origem aos itens de passivo identificados;

– caracterizar ambientalmente os itens dos passivos e seus processos causadores, colocando representatividade dos seus processos causadores.

– estabelecer as ações corretivas e preventivas para cada item de passivo identificado;

– orçar as ações propostas, considerando recursos humanos, técnicos e logísticos necessários, assim como eventuais serviços de terceiros.

Como a gestão de resíduos afasta os passivos ambientais?

A gestão de resíduos demonstra ser uma aliada das organizações para evitar passivos ambientais que os resíduos causam principalmente os associados à destinação final. Além disso, contribui para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável. Haja vista, que através da gestão serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

Fazer gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão de resíduos deve garantir o máximo de reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos. Praticas essas que reduz o consumo de recursos naturais.

Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Uma organização que não realiza a gestão dos seus resíduos perde muitas oportunidades, principalmente de realizar negócio com novos clientes.

Como a VG Resíduos auxilia no controle de passivos ambientais?

Um passivo ambiental poderá decorrer de uma má gestão de resíduos, por exemplo, que causou uma poluição de uma área.

Com a gestão dos resíduos a empresa estará amparada no que se referente à poluição ou degradação referente à má gestão dos resíduos sólidos.

Utilizando a plataforma VG Resíduos a empresa afasta os passivos ambientais, pois o software realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

A empresa possui um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, passivos ambientais são a somatório dos aspectos negativos causado pela atividade da empresa com custos para recuperar ou restaurar o meio ambiente. O passivo ambiental pode ser evitado com a gestão adequada de resíduos. Buscando alternativas ambientalmente corretas de destinação.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

O que dizem as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos?

As leis ambientais sobre fornecedor de resíduos dizem a respeito da segurança na armazenagem, transporte, destinação ambientalmente correta e a otimização das operações envolvidas na gestão de resíduos. Além disso, contribuem para a sustentabilidade do serviço e ou produto oferecido e determinam regras para evitar passivos ambientais.

Os fornecedores impactam diretamente na gestão de resíduos da sua empresa. Por isso é importante conhecer essas leis ambientais sobre fornecedor de resíduos. Confira!

Escolha o fornecedor adequado para gestão de resíduos

Encontrar fornecedor qualificado é ponto importante para as organizações que desejam ser reconhecidas pelo seu nível de excelência na gestão de resíduos. Além disso, evita que os impactos negativos da má gestão denigram sua imagem perante os clientes, uma vez que o mercado exige mais delas em relação à gestão ambiental e a sustentabilidade.

É importante certifica-se que o fornecedor cumpre as leis ambientais, como a emissão de documentos que comprovem a destinação dada aos resíduos e se possuem licença ambiental.

O fornecedor precisa seguir uma série de normas e regras para que o serviço ofertado seja realizado de forma adequada e segura, uma vez que muitos resíduos são perigosos, com altas concentrações de poluentes, que representam riscos à saúde das pessoas e ao meio ambiente.

Cumprir as leis ambientais é fator determinante para uma gestão de resíduos eficiente, além de se isentar da penalidade por negligenciar o cumprimento da lei.

A VG Resíduos, através da plataforma Mercado de Resíduos, permite que geradores tenham contato e acesso com os fornecedores de resíduos que garantam um serviço de confiança e legal.

Leis ambientais sobre fornecedor de resíduos

O fornecedor de resíduos precisa conhecer e praticar as leis que influenciam a gestão de resíduos. Ter domínio dessas diretrizes e aplicá-las corretamente evita punições.

É essencial conhecer as leis, pois cada uma influencia no processo de gestão dos resíduos. A seguir, veremos quais leis são essenciais, acompanhe!

Lei 12.305

A lei 12.305, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instaurada em 2010, é sem dúvida o marco da gestão ambiental.

A PNRS estabelece que todo resíduo deve receber destinação final adequada, postulando que eles devem reduzidos, reciclados e reutilizados.

Os fornecedores devem observar  tecnologias que devem ser utilizadas para neutralizar as características negativas dos resíduos. Essas tecnologias podem também transformar o resíduo em um produto que gere renda com a produção de uma matéria prima secundária.

A PNRS assinala que essas tecnologias de recuperação dos resíduos têm que ter sua viabilidade técnica e ambiental comprovadas e deve-se implantar um programa de monitoramento de emissão de gases tóxicos aprovado por órgão ambiental.

Lei 11.445

A Lei 11.445/2007 – Política Nacional de Saneamento Básico regulamenta o abastecimento de água, coleta, tratamento e disposição final de esgotos e drenagem pluvial. Aborda, também, sobre coleta, tratamento e disposição final de resíduos e efluentes líquidos industriais.

Lei 6.938

A Lei 6.938/1981 – Política Nacional do Meio Ambiente define que o poluidor é obrigado a indenizar pelos danos ambientais que os resíduos causar, independentemente da culpa. Além disso, permite que o Ministério Público proponha ações de responsabilidade civil por danos ao meio ambiente, como a obrigação de recuperar e/ou indenizar prejuízos causados.

Lei 9.605/1998

Lei de Crimes Ambientais que institui sanções penais e administrativas para condutas e atividades ilegais em relação ao meio ambiente.

As autuações podem variar de acordo com a intenção do autor — com culpa (sem intenção) ou dolosa (com intenção).  Logo, as pena serão:

1) reclusão de 1 a 4 anos se:

  • causar intencionalmente poluição de qualquer natureza;
  • transportar, armazenar, guardar, ter em depósito ou abandonar resíduos tóxicos, perigosos ou nocivos à saúde humana ou ao meio ambiente em desacordo com a lei;
  • manipular, acondicionar, armazenar, coletar, transportar, reutilizar, reciclar ou dá destinação final a resíduos perigosos de forma diversa da estabelecida em lei ou regulamento;

2) detenção de 6 meses a 1 ano se causar sem intenção (com culpa) poluição de qualquer natureza;

3) reclusão de 1 a 5 anos se causar poluição atmosférica ou hídrica ou lançar resíduos em desacordo com a lei ou deixar de adotar medidas de precaução, exigidas legalmente, para evitar dano ambiental grave ou irreversível;

4) as penas são aumentadas:

  • de um sexto a um terço: se o produto ou a substância for nuclear ou radioativa;

5) as penas são aumentadas nos crimes dolosos:

  • de um sexto a um terço, se resulta dano irreversível à flora ou ao meio ambiente em geral;
  • de um terço até a metade, se resulta lesão corporal de natureza grave;
  • até o dobro, se resultar a morte.

Gestão de resíduos consoantes às leis ambientais

A sua gestão de resíduos é eficiente quando ela reduz os impactos ambientais produzidos pelos resíduos, considera sua relação com a saúde humana e o meio ambiente e garante maior e melhor aproveitamento deles. Além disso, segue todas as diretrizes das leis ambientais.

Após a instituição da Lei 12.305/2010 a gestão de resíduos tornou-se obrigatória tanto para o poder público, como para iniciativa privada e o consumidor, ou seja, a responsabilidade pelo ciclo de vida dos resíduos é compartilhada por todos.

A organização que não realizar o gerenciamento estará cometendo crime ambiental, com pena de reclusão de um a cinco anos.

Seguir o que determina as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos permite que a empresa reduza os custos, uma vez que evita as punições pelo pagamento de multas. Além de buscar alternativas corretas de destinação de resíduos, que muitas vez são mais baratas que o descarte em aterros.

A geradora pode terceirizar algumas etapas do processo de gestão, como o transporte e o tratamento. Contudo, cabe a ela realizar uma gestão eficaz sobre seus fornecedores. O intuito é evitar que eles cometam crimes ambientais, uma vez que a lei determina a responsabilidade compartilhada pela destinação de resíduos.

Para melhorar a gestão de fornecedores dentro das organizações, o uso de softwares pode ser o ideal. Com eles é possível o controle total de todos os processos de gerenciamento de resíduos, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF, documentos em Word. Com o software a organização realiza a gestão completa em uma única plataforma, totalmente online.

As empresas têm aderido ao VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, conclui que é de suma importância conhecer as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos. Essas leis determinam diretrizes para a correta gestão de resíduos. O seu cumprimento evita sanções as empresas. A VG Resíduos pode auxiliar no cumprimento das leis, uma vez que a plataforma incentiva destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

Sete práticas sustentáveis que podem melhorar a imagem da sua empresa

As práticas sustentáveis podem melhorar a imagem da sua empresa, pois buscam diminuir os impactos ambientais das suas atividades, reduzir os custos de produção e do produto final.

As práticas possibilitam a recuperação de matérias primas, o aproveitamento dos resíduos em seu processo de fabricação ou até mesmo a comercialização deles para terceiros.

Adotar práticas sustentáveis não é só uma decisão de proteger o meio ambiente. É uma estratégia dos empreendedores que viram que a cada dia aumenta o número de consumidores conscientes que optam por produtos que garantem a sustentabilidade. Confira sete dicas de práticas sustentáveis para melhorar a imagem da sua empresa!

Práticas sustentáveis para melhorar a imagem da sua empresa

Adotar práticas sustentáveis consiste no estabelecimento de ações que proteja o meio ambiente e que promova o lucro. Além disso, essas práticas devem proporcionar, de forma ética, o desenvolvimento de toda a comunidade.

Logo, as práticas apresentam resultados positivos tanto para a empresa quanto para a sociedade. E o mais importante, essas ações positivas cooperam para melhorar a imagem da sua empresa.

Conheça sete práticas sustentáveis para desenvolver uma política sustentável:

1 – Tenha um sistema de gestão de resíduos

Uma das ações mais importantes para se tornar uma empresa sustentável é estabelecer um gerenciamento de resíduos eficiente e efetivo. Para isso a VG Resíduos pode auxiliar, uma vez que a plataforma incentiva destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos, o que também contribui para melhorar a imagem de uma empresa.

Fazer gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

Através da gestão de resíduos o uso de recursos naturais é reduzido. Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Uma organização que não realiza a gestão dos seus resíduos perde muitas oportunidades, principalmente de realizar negócio com novos clientes.

2- Realize a coleta seletiva dos resíduos

A coleta seletiva é um método de coletar e separar os resíduos de acordo com suas características. Ou seja, se os resíduos possuem características similares são segregados e coletados juntos.

Essa separação facilita a reciclagem tornando-a mais fácil e viável economicamente, pois cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem.

Para implantar a coleta seletiva dentro da empresa a equipe deve se sentir parte atuante na implementação.

Essa é uma oportunidade única de melhorar o relacionamento entre todos e promover educação e engajamento dos colaboradores.

3 – Reduza o consumo de papel

Para o funcionamento de uma organização é exigido pelos órgãos ambientais várias licenças e documentos que comprovam cumprimento das leis de proteção ambiental. Consequentemente, são gerados vários papéis com as informações pertinentes.

O grande empecilho é o que fazer com esses papéis após o fim de sua legalidade. Se a organização quer se tornar uma empresa sustentável o primeiro passo é eliminar essa papelada.

Ao adotar um sistema online de controle de documentos, é possível, reduzir o consumo de papel, economizar espaço de arquivamento, aumentar a segurança de documentos importantes e confidenciais, agilizar a busca economizando tempo.

O software da VG Resíduos permite o controle necessário para uma gestão eficiente.

4 – Recicle e reutilize resíduos em seus processos

A reciclagem é definida como um processo de transformação dos resíduos em insumos ou novos produtos. No gerenciamento e gestão de resíduos é a quarta prioridade, conforme Lei 12.305/2010.

Aplicando um conjunto de técnicas esses resíduos dão origem a um novo produto ou a uma nova matéria-prima com o objetivo de diminuir a produção de rejeitos e o seu acúmulo na natureza, reduzindo o impacto ambiental.

A reciclagem de resíduos contribui muito para a diminuição da quantidade de resíduo e dos impactos causados por eles no meio ambiente, como a poluição do solo, água e ar. Além disso, reduz a retirada de matérias primas da natureza que seriam usadas para a produção de novos produtos, colabora com a limpeza e saúde pública e gera empregos.

5 – Elimine desperdícios de matéria prima e energia

Verifique os desperdícios de matéria prima na empresa. Se há existência de perdas em algum processo produtivo, desenvolva métodos e processos para eliminar esses desperdícios.

Um exemplo são sobras na produção de embalagens plásticas. Essas sobras voltam para o processo em forma de moídos. Além disso, é possível controlar o tamanho das rebarbas para evitar a perda de matéria prima.

Em fabricas de papel os refiles que sobram no acabamento das bobinas voltam para o processo. A quantidade pode ser controlada diminuindo o formato da folha na formação.

Além disso, podem ser empregadas atitudes simples, tais como: pintar as paredes de branco para refletir melhor a luz; trocar as lâmpadas fluorescentes por modelos de LED; instalar sensores de presença em locais com pouca circulação de pessoas; e fazer a manutenção ou a substituição de equipamentos. Substituição de arquivos físicos por planilhas eletrônicas.

6 – Implemente a logística reversa

A logística reversa tem como objetivo principal o recolhimento e a reutilização de produtos e materiais que tiveram o seu ciclo produtivo encerrado. Ela utiliza-se dos canais de distribuição reversos.

O que as organizações buscam ao implantar a logística reversa são os benefícios financeiros e a sustentabilidade, além de atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Os benefícios financeiros estão relacionados com o reaproveitamento dos resíduos em seus processos, diminuindo assim o custo com a aquisição de matéria prima virgem. Além disso, esses resíduos podem ser negociados com outras empresas.

7 – Substitua as embalagens descartáveis de seus produtos

Substitua as embalagens descartáveis de seus produtos por refis recicláveis. Dessa forma a quantidade de resíduos gerados será menor. Além disso, a empresa economiza com a aquisição de embalagens.

Um exemplo de empresa que lucra com a substituição das embalagens em seus produtos é a Natura. Que permite que o seu consumidor compre refil do produto desejado.

Sendo assim, as práticas sustentáveis podem melhorar a imagem da sua empresa demonstrando que essas preocupam com a preservação ambiental e o desenvolvimento da sociedade. Com essas sete práticas sustentáveis a organização alcançará resultados positivos e desenvolverá uma imagem positiva perante seus clientes.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

 

 

 

Sete vantagens de ter um software para controle de licenças ambientais

É muito importante ter um software para controle de licenças ambientais, uma vez que existem regras estabelecidas de medidas de controle ambiental. O controle de licenças ambientais através de softwares de gestão previne a perda de prazo, multas, interdições, paralisações das atividades, evita a diminuição no tempo da licença, etc.

Confira sete vantagens de utilizar um software para esse controle!

1ª Vantagem: Previne a perda de prazo

As licenças ambientais existentes são: licença prévia, licença de instalação e licença de operação.

A licença prévia é destinada á aprovação do projeto. Para isso são considerada a localização e viabilidade. O prazo desta licença é de no máximo 05 anos.

Após conseguir a licença previa, a empresa deve buscar a licença de instalação. Esta autoriza a instalação do empreendimento conforme o projeto previamente aprovado. O prazo desta licença é de no máximo de 06 anos.

Por fim, vem à licença de operação que permite a operação da organização, desde que as condições estabelecidas nas licenças anteriores tenham sido cumpridas. Esta licença terá prazo mínimo de 04 anos e máximo de 10 anos.

A empresa dever ter controle de licenças ambientais, principalmente desta ultima. Se o prazo da licença se encerrar a organização não pode realizar a atividade sobre risco de sanções legais. Dentre o controle esta o controle sobre as licenças de seus fornecedores de transporte e destinação de resíduos.

Com softwares de gestão esse controle dos prazos é facilitado. Pois o sistema emite alerta dos prazos, evitando assim que a empresa descumpra a lei.

2ª Vantagem: Organiza a documentação da licença ambiental

Para qualquer empresa, ter arquivos organizados é fundamental para garantir a segurança das operações e conseguir bons resultados nos negócios.

No controle de licenças ambientais, o controle de documentos é muito importante por causa da imensa gama de obrigações ambientais e das normas estabelecidas pela legislação ambiental.

Manter tudo atualizado e acessível é importante uma vez que a organização deve comprovar o transporte e destinação final dos resíduos.

A melhor maneira de gerir todos os documentos comprobatórios necessários é com o uso de ferramentas que auxiliem no arquivamento de documentos, como softwares de gestão.

Na plataforma VG Resíduos é possível realizar a gestão completa dos documentos necessários para o licenciamento ambiental. Inclusive documentos de seus fornecedores.

3ª Vantagem: Controla as condicionantes

As condicionantes são compromissos que a organização assume com o Órgão Ambiental para a obtenção das licenças prévias, de instalação e de operação. Esta documentação é parte importante para a garantia da conformidade e sustentabilidade do empreendimento.

Os softwares fazem o controle das condicionantes através de alerta sobre prazos das condicionantes de cada licença, a fim de assegurar a sua devida execução. Além disso, é possível monitorar seus status.

4ª Vantagem: Controla as licenças dos fornecedores

Para prevenir às multas e penalizações por não cumprimento das leis ambientais as empresas têm a cada dia pensando em formas de gerenciar os resíduos e ter controle sobre os seus fornecedores de serviços de tratamento e destinação final de resíduos.

A gestão de licenças dos fornecedores nada mais é que:

  • qualificar e avaliar um fornecedor que esteja devidamente cadastrado junto aos órgãos competentes, com credenciamento em dia e contratos adequados para as atividades relacionadas aos resíduos;
  • controlar e emitir dentro do prazo os certificados para destinação de resíduos com possível impacto ambiental. Garantindo, assim, a autorização para realizar o transporte para tratamento dos resíduos;
  • controlar as licenças e condicionantes referente ao gerenciamento de resíduos.

Os softwares de gestão torna esse processo mais fácil. Com o auxilio dessa ferramenta o seu negócio passa a contar com ferramentas de contagem de prazos para controle de condicionantes e licenças; a automatização dos processos de comunicação; a emissão de alertas para coleta; registro e conferência de comprovantes e todos os tradicionais documentos referentes ao tratamento e disposição/destinação final de resíduos.

5ª Vantagem: Emite relatórios ambientais

Os relatórios ambientais apresentam estatísticas relacionadas às condicionantes, atividades, programas ambientais e cronogramas de projetos.

Através das informações inseridas nos softwares de controle de licenças ambientais é possível emitir esses relatórios que auxiliam nas tomas de decisões.

6ª Vantagem: Controla as informações complementares.

Para obter a licença ambiental as empresas devem apresentar uma série de documentos, relatórios e estudos. Os documentos variam de acordo com o tipo de empreendimento e licença a ser concedida. Todavia, a organização deve ter controle sobre essas informações.

Veja a seguir alguns dos documentos e relatórios exigidos:

  1. a) Memorial descritivo do projeto
  2. b) Avaliação ambiental inicial ou estudo preliminar
  3. c) Plano de fechamento
  4. d) Cadastros Técnicos junto ao O IBAMA
  5. e) Anotação de Responsabilidade Técnica – ART
  6. f) Plano de Controle Ambiental (PCA)
  7. g) Relatório de Controle Ambiental (RCA)
  8. h) Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRA)
  9. i) Estudo de Impacto Ambiental (EIA)
  10. j) Relatório de Impacto Ambiental (RIMA)

Os softwares controlam essas informações complementares, que são os possíveis documentos solicitados pelo órgão, após a empresa protocolar no mesmo.

7ª Vantagem: Evita multas, interdições e paralisações das atividades

Evitar sanções ambientais é uma grande preocupação das empresas.  O controle de licenças ambientais é um dos passos necessários para se evitar sérios impactos ambientais e se alcançar o comprometimento sustentável, inclusive por determinação da legislação ambiental brasileira.

OS softwares de controle de licenças ambientais evita que as empresas sofram sanções como: multas, interdições e paralisações das atividades.

Sendo assim, ter controle de licenças ambientais é importante para que a empresa evite problemas com os órgãos ambientais. Com o software da VG Resíduos esse controle é facilitado. Haja vista que através dele é possível manter todos os dados relativos à destinação de resíduos armazenados na plataforma, permitindo a manutenção em um ambiente único e confiável, além de disponibilizar automaticamente os mais diversos documentos, inclusive licenças ambientais, de acordo com as exigências dos órgãos ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

Coleta e destinação de resíduos: que documentos são importantes?

Na gestão de resíduos é fundamental conhecer quais os documentos importantes na coleta e destinação de resíduos. Os documentos como MTR, CADRI, CDF e o Certificado de Coleta comprovam que a empresa adota um conjunto de ações adequadas no gerenciamento.

A melhor maneira de gerir esses documentos é com o uso de ferramentas que auxiliem no arquivamento deles. Com o software de gestão da VG Resíduos esses documentos são gerados automaticamente e armazenados.

Saiba quais documentos são importantes na coleta e destinação de resíduos!

Documentos importantes para coleta e destinação de resíduos

Após a publicação da PNRS (Política Nacional de Resíduos sólidos), as empresas se viram obrigadas a comprovar a coleta e destinação correta dos seus resíduos. Para isso, os órgãos ambientais exigem que sejam emitidos documentos que comprovam a gestão dos resíduos. Saiba quais são esses documentos.

Certificado de Destinação Final de Resíduos

O certificado de destinação final – CDF é um documento que comprova o recebimento do resíduo. E, também, comprova que a empresa geradora teve o devido cuidado com a destinação final dos resíduos. Uma vez, que ela é responsável pelo seu resíduo geradora e deve buscar fornecedores qualificados e licenciados para receberem o resíduo.

Em síntese, o CDF, consiste em uma declaração formal de que o resíduo foi tratado e destinado ao fim mais adequado – por exemplo, resíduos químicos: aterro industrial, coprocessamento ou incineração; resíduos biológico-infectantes: autoclavagem ou micro-ondas; resíduos comuns: aterros sanitários.

O certificado de destinação final deverá ter as seguintes informações:

– cabeçalho com dados cadastrais do tratador;

– informações do gerador;

– tabela com informações dos resíduos enviados ao tratador, bem como as quantidades individuais, a unidade de medida de cada um e a forma de destinação aplicada a cada resíduo (reciclagem, incineração, aterro, etc.);

– dados do licenciamento ambiental do destinador;

– declaração em texto indicando que os materiais foram entregues ao tratador e em qual data.

Uma nota importante! Caso a própria empresa geradora trate seus resíduos, o certificado também deve ser preenchido. No entanto, com os dados da própria empresa ou área de destinação.

No software da VG Resíduos, o CDF não precisa ser alimentado pela empresa geradora, pois o sistema coleta automaticamente todos os dados dos materiais que estão sendo enviados. Além disso, atualiza em tempo real as informações dos transportadores e tratadores de resíduos.

Assim, basta um clique para que o certificado fique pronto, além do mais, o tratador recebe o documento para que possa de imediato providenciar a assinatura e devolução à empresa geradora do resíduo. Tudo muito simples e rápido.

CADRI

O CADRI é um certificado de movimentação de resíduos de interesse ambiental. É uma ferramenta que demonstra que o resíduo está sendo transportado para um local de reprocessamento, armazenamento, tratamento ou disposição final.

É um documento emitido pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Trata-se de um instrumento de fiscalização exclusivo do estado de São Paulo.

Os tipos de resíduos que exigem o CADRI encontram-se divididos em duas classes:

  • resíduos Classe I – Perigosos
  • resíduos Classe II A – Não Inertes

Abaixo seguem exemplos de Resíduos de Interesse Ambiental:

  • resíduos industriais perigosos;
  • resíduo sólido domiciliar;
  • lodo de sistema de tratamento de efluentes líquidos industriais ou de sanitários;
  • EPI contaminado e embalagens contendo PCB;
  • resíduos de curtume não caracterizados como Classe I;
  • resíduos de indústria de fundição não caracterizados como Classe I;
  • resíduos de portos e aeroportos;
  • resíduos de serviços de saúde, dos Grupos A, B e E;
  • resíduos de agrotóxicos e suas embalagens.

O software da VG Resíduos coleta automaticamente todas as informações e registros de destinação do resíduo, bem como os dados dos transportadores e tratadores dos resíduos.

Após coletar as informações é gerado um documento em arquivo PDF que pode ser enviado ao órgão fiscalizador. O documento também fica disponível para impressão. O gerador de relatórios do sistema é sincronizado ao banco de dados. Esse banco de dados possui todas as informações referentes à geração de resíduos ao longo do ano. Bem como as informações pertinentes de quem tratou, qual a destinação dada ao resíduos, quanto custou e etc.

MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos

A emissão do MTR é obrigatória para conhecer e monitorar a destinação do resíduo gerado e tratado. Além disso, através dele é possível controlar a forma adequada do transporte entre gerador e receptor e o encaminhamento para locais licenciados.

Com o MTR é possível diminuir os riscos do manejo e transporte inadequado e ilegal dos resíduos por parte dos transportadores e receptores de resíduos.

Esse documento tem quatro vias, sendo que:

– uma via vai para o gerador do resíduo;

– a segunda via vai para o transportador;

– a terceira para o receptor/destinador do resíduo;

– a quarta via retorna ao gerador com todas as assinaturas de transporte e recebimento. A quarta via deverá ser apresentada posteriormente ao órgão ambiental.

O documento deve ser guardado por cinco anos pelo gerador e receptor, e por três anos pela empresa transportadora.

Com a VG Resíduos a empresa consegue emitir o MTR online através de uma plataforma desenvolvida exclusivamente para emissão do documento. O documento é gerado de forma fácil e automatizado.

Relatório CONAMA 313

O Relatório CONAMA 313 ou inventário é uma listagem de todos os resíduos gerados pela empresa em um determinado período, sendo assim uma importante ferramenta de gestão de resíduos. Ele deve contemplar os tipos de resíduos produzidos, a origem, a quantidade e a destinação de cada tipo de resíduo gerado.

O inventário serve como um instrumento que quantifica e diagnostica as informações de uma empresa sobre a geração, características, armazenamento, transporte, tratamento, reutilização, reciclagem, recuperação e disposição final dos resíduos gerados. Assim, as notas fiscais de transporte e comprovantes de destinação deverão ser mantidas na empresa.

Para elaborar o CONAMA 313 é necessário conhecer o resíduo gerado, sua quantidade e origem. Neste sentido as normas regulamentadoras NBR 10.004, NBR 10.005, NBR 10.006 e NBR 10.007 constituem como significativas ferramentas para classificar os resíduos gerados.

O software da VG Resíduos permite a geração do Relatório Conama 313 já nos moldes exigidos pela legislação e com toda a informação atualizada. Além disso, o sistema avisa sobre os prazos de envio do documento.

Sendo assim, os documentos importantes que comprovam a coleta e destinação de resíduos são o CADRI, MTR, CONAMA 313 e CDF.  Esses documentos podem ser emitidos pelo software da VG Resíduos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

Como nosso software ajuda na disponibilização de informações para órgãos ambientais?

A disponibilização de informações para órgãos ambientais de documentos e relatórios que comprovam a destinação final de resíduos de forma segura e confiável serve para afastar sanções ambientais.

A empresa que não destinar os resíduos gerados em seus processos pode sofrer varias sanções ambientais. A legislação brasileira determina penalidades para quem descumprir a lei, pagamento de multas e até penas de reclusão de até 3 anos. Além disso, mancha a imagem da empresa afastando os clientes. Uma vez, que o mercado exige das empresas uma produção limpa e sustentável. Saiba mais como o nosso software ajuda na gestão eficiente de seus resíduos!

Destinação final ambientalmente adequada de resíduos

destinação final ambientalmente adequada é um dos passos necessários para se evitar sérios impactos ambientais e se alcançar o comprometimento sustentável, inclusive por determinação da legislação ambiental brasileira.

A destinação final ambientalmente adequada é definida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS, Lei Nº 12.305), como sendo a destinação de resíduos para a reciclagem, a compostagem, a recuperação, o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos ambientais. Também inclui a disposição final dos resíduos em aterros, que seguem normas operacionais específicas com intuito de minimizar os impactos ambientais.

Para se cumprir o proposto pela lei são necessárias algumas etapas, como: avaliação do inventário dos resíduos, informações sobre as principais fontes geradoras, classificação dos resíduos, definição do acondicionamento, da coleta, do transporte e do tratamento final.

Como disponibilizar informações para órgãos ambientais?

O primeiro passo para disponibilizar informações para órgão ambientais sobre a destinação de resíduos de maneira ordenada e confiável é eliminando as planilhas da gestão de resíduos, substituindo-as por software de gestão. Sendo assim o processo de gerenciamento será simplificado e otimizado.

O software de gestão de resíduos da VG Resíduos é uma oportunidade de reduzir custos, ter maior eficiência na coleta, gerenciamento, interpretação de dados e no atendimento as legislações ambientais reduzindo o risco de multas.

Os dados de destinação de resíduos podem ser mantidos no software de gestão, desenvolvido especialmente para simplificar todo o processo.

As principais vantagens dos softwares são:

  • facilidade no uso : nem todas as pessoas que estão envolvidas no processo de gestão de resíduos tem facilidade em manusear as planilhas em excel, pois possuem fórmulas complexas. Contudo os softwares são mais simplificados e tem vários tutoriais de uso;
  • agilidade: alimentar as informações referente aos resíduos gerados e destinados levam muito menos tempo. São mantidos históricos referentes aos resíduos gerados, facilitando a atualização de dados;
  • facilidade para analisar dos dados: a quantidade de informações que são alimentadas referente a destinação de resíduos são elevadas. Porém, o software da VG Resíduos permite uma coleta de dados simplificada evitando assim, o risco de interpretação equivocada;
  • manutenção de informações importantes: com os software de gestão de resíduos a o risco de se perder informações sobre a destinação de resíduos são eliminados;
  • manutenção de dados claros: caso a empresa receba alguma fiscalização, é necessário apresentar as informações solicitadas de forma ágil e clara. O software de gestão trazem os dados de forma clara e objetiva para a interpretação de um fiscal.

Documentos da destinação de resíduos necessários

Abaixo listamos os documentos obrigatórios que devem ser gerados para comprovar a destinação final adequada dos resíduos.

CADRI

CADRI é um certificado de movimentação de resíduos de interesse ambiental. É uma ferramenta que demonstra que o resíduo está sendo transportado para um local de reprocessamento, armazenamento, tratamento ou disposição final.

É um documento emitido pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Trata-se de um instrumento de fiscalização exclusivo do estado de São Paulo.

Os tipos de resíduos que exigem o CADRI encontram-se divididos em duas classes:

  • resíduos Classe I – Perigosos
  • resíduos Classe II A – Não Inertes

Abaixo seguem exemplos de Resíduos de Interesse Ambiental:

  • resíduos industriais perigosos;
  • resíduo sólido domiciliar;
  • lodo de sistema de tratamento de efluentes líquidos industriais ou de sanitários;
  • EPI contaminado e embalagens contendo PCB;
  • resíduos de curtume não caracterizados como Classe I;
  • resíduos de indústria de fundição não caracterizados como Classe I;
  • resíduos de portos e aeroportos;
  • resíduos de serviços de saúde, dos Grupos A, B e E;
  • resíduos de agrotóxicos e suas embalagens.

O software da VG Resíduos coleta automaticamente todas as informações e registros de destinação do resíduo, bem como os dados dos transportadores e tratadores dos resíduos.

Após coletar as informações é gerado um documento em arquivo PDF que pode ser enviado ao órgão fiscalizador. O documento também fica disponível para impressão. O gerador de relatórios do sistema é sincronizado ao banco de dados. Esse banco de dados possui todas as informações referentes à geração de resíduos ao longo do ano. Bem como as informações pertinentes de quem tratou, qual a destinação dada ao resíduos, quanto custou e etc.

MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos

A emissão do MTR é obrigatória para conhecer e monitorar a destinação do resíduo gerado e tratado. Além disso, através dele é possível controlar a forma adequada do transporte entre gerador e receptor e o encaminhamento para locais licenciados.

Com o MTR é possível diminuir os riscos do manejo e transporte inadequado e ilegal dos resíduos por parte dos transportadores e receptores de resíduos.

Esse documento tem quatro vias, sendo que:

– uma via vai para o gerador do resíduo;

– a segunda via vai para o transportador;

– a terceira para o receptor/destinador do resíduo;

– a quarta via retorna ao gerador com todas as assinaturas de transporte e recebimento. A quarta via deverá ser apresentada posteriormente ao órgão ambiental.

O documento deve ser guardado por cinco anos pelo gerador e receptor, e por três anos pela empresa transportadora.

Com a VG Resíduos a empresa consegue emitir o MTR online através de uma plataforma desenvolvida exclusivamente para emissão do documento. O documento é gerado de forma fácil e automatizado.

Veja algumas vantagens do MTR Online da VG Resíduos:

  • totalmente integrado com os Sistemas de MTR online obrigatórios pelos governos: ou seja, para os Estados que exige a emissão em seus sites a plataforma da VG Resíduos consegue exportar as informações necessárias;
  • a plataforma é totalmente gratuita;
  • altamente customizável: a geradora configura todos os campos do MTR como quiser.

Certificado de Destinação Final de Resíduos

O certificado de destinação final – CDF é um documento emitido pela empresa receptora dos resíduos, e que comprova o seu recebimento. Com ele a empresa geradora comprova que tiveram o devido cuidado com a destinação final dos resíduos.

No software da VG Resíduos, o CDF não precisa ser alimentado pela empresa geradora, pois o sistema coleta automaticamente todos os dados dos materiais que estão sendo enviados. Além disso, atualiza em tempo real as informações dos transportadores e tratadores de resíduos.

Assim, basta um clique para que o certificado fique pronto, além do mais, o tratador recebe o documento para que possa de imediato providenciar a assinatura e devolução à empresa geradora do resíduo. Tudo muito simples e rápido.

Inventário de Resíduos – CONAMA 313

O inventário de resíduos é documento que contém a listagem de todos os resíduos gerados pela empresa em um determinado período, sendo assim uma importante ferramenta de gestão de resíduos.

Nele são contemplados os tipos de resíduos produzidos, a origem, a quantidade e a destinação de cada tipo gerado nos processos da indústria. Através dele são quantificadas e diagnosticadas as informações sobre a geração, características, armazenamento, transporte, tratamento, reutilização, reciclagem, recuperação e disposição final dos resíduos gerados. Sendo assim, as notas fiscais de transporte e comprovantes de destinação deverão ser mantidas na empresa.

O inventário deverá ser entregue anualmente. No caso de fiscalização, a empresa deverá demonstrar através de documentos, que as informações contidas no relatório são verdadeiras.

A precisão das informações repassadas no inventário é essencial para que o Estado tenha condições de elaborar as diretrizes para o controle e gerenciamento de resíduos.

Sendo assim, o software da VG Resíduos, através de suas funcionalidades consegue disponibilizar informações para órgão ambientais. O software da VG Resíduos permite ao gerador registrar as saídas de resíduos, gerar e anexar todos os documentos necessários que comprovam a destinação, de forma segura e confiável.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Quais documentos de gestão de resíduos podem ser gerados com o nosso software?

dados de destinação de resíduos ordenados e confiáveis

 

O que é o compliance na gestão de fornecedores de resíduos?

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos assegura que os parceiros sigam uma série de regras para a integridade do processo de gestão de resíduos.

Com o aumento dos índices de corrupção nos últimos anos, as organizações buscam cada vez mais transparência em relação aos seus processos e nos de seus fornecedores. Pense como ficaria a reputação da organização caso o seu fornecedor descumprisse a legislação ambiental? É aí que entra a compliance na gestão de fornecedores de resíduos, garantindo que o parceiro cumpre as regras e normas ambientais.

Os fornecedores (sejam eles transportadores, tratadores, entre outros) devem seguir várias leis ambientais. O descumprimento de qualquer uma das leis pode levar a multas e outras sanções legais para a empresa contratante, uma vez que ela é corresponsável pelos resíduos. Por isso, a importância da compliance. Saiba mais!

Mas antes… o que é compliance?

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

Para começarmos a entender a importância da compliance para a gestão de fornecedores de resíduos temos que compreender o seu significado.

Compliance é um substantivo em inglês, originado do verbo to comply with, que significa agir de acordo com, ou seja, agir de acordo com as regras, normas e procedimentos existentes.

A compliance busca o cumprimento de todas as normas, regras e regulamentações as quais uma empresa está sujeita em sua atividade. Do ponto de vista mais amplo, adotar a compliance na gestão de fornecedores de resíduos envolve garantir o cumprimento das várias regras, normas e resoluções ambientais, com o objetivo de alcançar melhores resultados e garantir a segurança em inúmeros aspectos relacionados ao manejo, transporte, tratamento ou disposição final dos resíduos.

A gestão de fornecedores de resíduos

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

Sabemos que fornecedores que prestam serviço de coleta, armazenamento, transporte, tratamento e disposição final de resíduos podem gerar diversos impactos na empresa, sejam negativos ou positivos.

A qualificação destes fornecedores são pontos importantes para as organizações que desejam ser reconhecidas pelo seu nível de excelência. Além disso, evita que os impactos negativos de uma má gestão de resíduos denigram sua imagem perante os clientes. Haja vista que o mercado exige mais das empresas um pensamento voltado para gestão ambiental.

É importante que os fornecedores estejam alinhados com as normas e leis relacionadas à gestão de resíduos, principalmente com a política voltada para preservação ambiental.

A gestão de fornecedores é a melhor forma de manter sob controle possíveis riscos de que terceiros possam afetar a qualidade do seu produto ou serviço, promover passivos ambientais e comprometer a reputação da sua marca.

A VG Resíduos torna a gestão de fornecedores da empresa um processo mais fácil. Com o auxilio da VG Resíduos o seu negócio passa a contar com ferramentas de contagem de prazos para controle de condicionantes e licenças; a automatização dos processos de comunicação; a emissão de alertas para coleta; registro e conferência de comprovantes e todos os tradicionais documentos referentes ao tratamento e disposição/destinação final de resíduos.

Automatizar o processo de gestão de fornecedores de resíduos por meio da tecnologia traz diversos benefícios para a empresa. Um deles são a padronização e reunião das informações em uma base única de dados, a integração com outros sistemas. Também, a emissão de relatórios gerenciais e redução do tempo investido na contração e gestão do fornecedor.

A importância da compliance na gestão de fornecedores

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

A premissa para a empresa ter uma reputação positiva, além de manter um compromisso de ética e respeito às normas e leis, e se relacionar apenas com outras instituições íntegras.

Sendo assim o grande desafio das organizações é garantir se o seu fornecedor é íntegro. Porém, como demonstrar isso? São necessárias evidências comprovando a atitude prática do fornecedor na prevenção a atitudes ilícitas, comprometimento de seus funcionários com os princípios éticos e mais uma série de outros indicativos.

Para auxiliar isso o uso da compliance na gestão de fornecedores de resíduos é a forma adequada de prevenção, detecção e correção de eventuais irregularidades.

Prêmio Compliance Brasil 2019

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

Para incentivar as boas práticas e o controle legal adotados pelas organizações em todo o Brasil a Verde Ghaia criou o Prêmio Compliance Brasil. E neste ano chega a sua 4ª edição.

O premio é destinados às empresas que estão em busca da excelência em sua gestão através de certificações internacionais, do cumprimento da legislação aplicável ao seu negócio e da implementação de ações para a melhoria contínua de seus processos, produtos e serviços.

O premio Compliance Brasil é um incentivo para que as empresas adotem práticas sustentáveis em seus processos.

A premiação ocorrerá no dia 27 de junho de 2019, das 16h00min às 22h30min, na Sicepot – MG.

No total, oito categorias são destacadas em cada edição: meio ambiente; saúde e segurança; segurança de alimentos; energia; qualidade; responsabilidade social e gestão integrada.

O IV Prêmio Compliance Brasil neste ano terá a presença de grandes nomes da gestão, inovação, risco e compliance. Esta confirmada a presença de José Claudio Securatto, da San Paul, trazendo conteúdo sobre inovação e gestão. Também, será ministrada pela Daniela Pedroza da Verde Ghaia e por Carlos Pitanga da BSI uma palestra sobre riscos. Além disso, teremos o CEO do Grupo Verde Ghaia, Deivison Pedroza, Paulo Mancio da Accor hotéis e Alexandre Biagi, CEO da Uberlândia Refrescos.

Conheça as Finalistas do Prêmio Compliance Brasil 2019 da Verde Ghaia.

Para resumir, na gestão de fornecedores de resíduos é vital para ter controle dos riscos que os parceiros podem causar a empresa. Isso significa que uma gestão de fornecedores eficiente é fundamental para o sucesso da organização.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Qual importância da Compliance ambiental para a gestão de resíduos?

Compliance na gestão de fornecedores de resíduos

 

 

Qual importância da Compliance ambiental para a gestão de resíduos?

compliance ambiental

A importância da compliance ambiental para a gestão de resíduos se dá em razão das várias leis ambientais nas quais as as empresas devem seguir. Inclusive, o descumprimento de qualquer uma das leis pode levar a multas e sanções legais.

Assim, a compliance ambiental para a gestão de resíduos visa adequar às práticas do gerenciamento para que a empresa não seja responsabilizada por eventuais danos causados ao meio ambiente. Saiba mais!

O que é compliance ambiental?

compliance ambiental

No atual momento, pela busca do desenvolvimento sustentável, não se admite mais processos produtivos desconectadas das exigências legais relacionadas ao gerenciamento de resíduos. E, nesse sentido, a compliance ambiental se torna de suma importância.

Mas afinal, o que é compliance ambiental? Para começarmos a entender a importância da compliance ambiental para a gestão de resíduos temos que compreender o seu significado.

Compliance é um substantivo em inglês, originado do verbo to comply with, que significa agir de acordo com, ou seja, agir de acordo com as regras, normas e procedimentos existentes.

As empresas que estão alinhadas com a ideia da compliance ambiental são aquelas que se preocupam, em seguir de forma pontual a legislação ambiental que lhe é aplicável, principalmente as que se referem à gestão de resíduos.  Além disso, essas organizações se preocupam em utilizar princípios éticos para a tomada de suas decisões e para o desenvolvimento de suas atividades.

Assim, a compliance ambiental cabe à adoção de ações sustentáveis, visando à destinação ambientalmente correta de resíduos cumprindo com a legislação específica. Além disso, tem como fim específico prevenir multas ambientais, infrações e processos administrativos.

Compliance ambiental para a gestão de resíduos

compliance ambiental

Ao adotar a compliance ambiental para a gestão de resíduos, a empresa fica por dentro de todos os requisitos legais para o correto manejo e disposição dos resíduos. Além disso, ela centraliza as informações e define prioridades com mais facilidade. Com essa centralização a organização obtém auxílio na tomada de decisões essenciais para a correta gestão de resíduos.

Uma excelente maneira de centralizar as informações pertinentes à gestão de resíduos de forma segura é através do software de gestão. A VG Resíduos possui um software totalmente seguro para as empresas. Através dele a organização mantém todas as suas licenças, bem como documentos que comprovam a destinação ambiental dos resíduos.

A compliance ambiental pode representar uma alternativa viável na prevenção de delitos ambientais relacionados ao não cumprimento dos requisitos para uma gestão adequada de resíduos.

Nos últimos anos há uma crescente onda de escândalos de corrupção envolvendo grandes corporações. As consequências dessas corrupções são gravíssimas e leva às empresas a perderem mercados, tendo sua reputação questionada e podendo chegar até a falência ou recuperação judicial.

Por não compreenderem a importância da adequada gestão de resíduos, principalmente na destinação final ambientalmente adequada, muitas empresas têm a sua reputação questionada. Dessa forma, empresas que investem na compliance ambiental, reafirmam ao mercado competitivo que tem diferencial, que é de confiança e que tem credibilidade para fazer o que faz. Ou seja, essa empresa segue a legislação ambiental destinando corretamente os seus resíduos gerados.

A organização afirma que seus processos são monitorados e que ela possui um sistema de gestão de resíduos bem estruturados. Bem como o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Quais os benefícios da compliance ambiental?

compliance ambiental

A compliance ambiental traz benefícios para empresas que desejam manter a competitividade e diferenciais no mercado com suas obrigações em dia. Veja outros benefícios associados:

  • maior credibilidade por parte de clientes, fornecedores e Steakholders – uma vez que confiam que a empresa cumpre todos os requisitos legais e não cometem fraudes;
  • mitigação de riscos de operação – eliminando assim perdas, reduzindo a geração de resíduos e destinando corretamente;
  • evita-se a ocorrência de fraudes – não permite que processos legais do gerenciamento de resíduos sejam fraudulentos ;
  • redução de custos;
  • ajuda no cumprimento das obrigações legais;
  • gerenciar os controles internos;
  • analisa e previne fraudes;
  • desenvolve programas de melhoria contínua através de ações sustentáveis;
  • estabelece normas técnicas;
  • realiza auditorias periódicas;
  • monitora as medidas adotadas na segurança da informação;
  • dissemina a cultura organizacional entre os colaboradores.

compliance ambiental

Prêmio Compliance Brasil 2019

compliance ambiental

A VG Resíduos, em parceria com a Verde Ghaia, está lançando o Prêmio VG Resíduos de Sustentabilidade. O prêmio tem como objetivo valorizar as empresas que buscam uma maior sustentabilidade através de formas de destinação mais limpas.

Os vencedores serão conhecidos e premiados no IV Prêmio Compliance Brasil, evento que será realizado no dia 27/06/19.

O premio é destinados às empresas que estão em busca da excelência em sua gestão através de certificações internacionais, do cumprimento da legislação aplicável ao seu negócio e da implementação de ações para a melhoria contínua de seus processos, produtos e serviços.

O premio Compliance Brasil é um incentivo para que as empresas adotem práticas sustentáveis em seus processos.

No total, oito categorias são destacadas em cada edição: meio ambiente; saúde e segurança; segurança de alimentos; energia; qualidade; responsabilidade social e gestão integrada.

O IV Prêmio Compliance Brasil neste ano terá a presença de grandes nomes da gestão, inovação, risco e compliance. Esta confirmada a presença de José Claudio Securatto, da San Paul, trazendo conteúdo sobre inovação e gestão. Também, será ministrada pela Daniela Pedroza da Verde Ghaia e por Carlos Pitanga da BSI uma palestra sobre riscos. Além disso, teremos o CEO do Grupo Verde Ghaia, Deivison Pedroza, Paulo Mancio da Accor hotéis e Alexandre Biagi, CEO da Uberlândia Refrescos.

Sendo assim, a importância da compliance para a gestão de resíduos é vista como um meio da empresa evidenciar e avaliar os riscos. Haja vista que antecipará eventuais irregularidades que a destinação de resíduos poderá acarretar.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Qual importância da auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos?

compliance ambiental

 

 

 

Qual importância da auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos?

A auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos é uma importante ferramenta para à verificação e avaliação da situação do gerenciamento dos resíduos gerados na empresa. Além disso, confronta se a organização segue as normas e legislações pertinentes à gestão de resíduos.

A auditoria ambiental consiste em um conjunto de atividades organizadas, que tem o intuito verificar e avaliar a relação entre os processos de produção e os aspectos ambientais. Incluindo avaliar se a instituição desenvolve práticas ambientalmente adequadas referentes ao gerenciamento dos resíduos, tais como: a compostagem, a reutilização, a reciclagem e a logística reversa. Confira!

Evitar o impacto ambiental

Auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

A auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos é responsável por avaliar o grau de conformidade de uma empresa com a legislação ambiental e com a sua política na gestão de resíduos.

Necessariamente, a auditoria é um instrumento que possibilita fazer uma avaliação sistemática, periódica, documentada e objetiva da gestão de resíduos. É uma ferramenta muito utilizada para identificar falhas e problemas ambientais no gerenciamento de resíduos para, então, buscar a adequação.

Com a auditoria a empresa consegue identificar as fontes de geração de resíduos, sua quantidade e composição. Também, estima à redução na geração, o seu reuso, reciclagem ou compostagem. Bem como, estimar o local de disposição e meios de minimizar os custos que a organização tem com os resíduos.

As normas da série ISO 14000 – Sistema de Gestão Ambiental – SGA, é que rege a auditoria ambiental. A premissa do SGA é a minimização dos efeitos nocivos ao ambiente proveniente das atividades da empresa. Além disso, a norma avalia as consequências ambientais das atividades, produtos e serviços da organização.

Em relação ao gerenciamento de resíduos, a aplicação das normas da séria ISO 14000, especialmente a ISO 14001:2015, é de fundamental importância para identificar e avaliar os procedimentos adotados tanto em relação ao acondicionamento, quanto a destinação final ambientalmente correta dos resíduos gerados.

Já em relação às normas e legislações pertinentes a gestão de resíduos, a auditoria diagnostica e avalia se a organização as cumpre. São verificados os cumprimentos da: Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei n° 12.305, de 02 de Agosto de 2010); NBR 10.004: Resíduos Sólidos – Classificação; a implantação da logística reversa; dentre outras.

Vantagens da auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

Destacam-se como vantagens da auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos para as empresas as seguintes:

  • identificação e registro das conformidades e não conformidades com as normas e legislação pertinentes;
  • prevenção de acidentes ambientais e dos consequentes custos e prejuízos para a imagem da organização caso não seja realizado a destinação correta dos resíduos;
  • fornecimento de informações importantes à administração para a implementação da qualidade ambiental e para a alocação de recursos (financeiros, tecnológicos e humanos) para a minimização da geração de resíduos, destinação e disposição final;
  • avaliação, controle e redução do impacto ambiental da atividade;
  • minimização dos resíduos gerados e dos recursos utilizados pela empresa na sua destinação e disposição;
  • informações ambientais consistentes e atualizadas sobre o desempenho ambiental da empresa. Essas informações podem ser utilizadas para a organização captar investidores. Além disso, podem ser utilizadas para informar órgãos de fiscalização sobre a gestão de resíduos.

Como é feita a Auditoria Ambiental?

auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

 A auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos pode ser realizada em três fases. São elas:

Auditoria ambiental de pré-avaliação:

Nesta fase engloba-se a preparação da auditoria. São obtidas informações sobre o processo. Essas informações são importantes para identificar cada etapa do processo e quais os resíduos gerados. Após isso, é elaborado o fluxograma das áreas que serão auditadas.

Auditoria ambiental de inspeção:

Depois de identificado cada etapa dos processos da empresa e com o fluxograma em mãos é realizado uma verificação visual, de amostragem e classificação dos resíduos. Além disso, é avaliado o balanço de massa (ou seja, as verificações de entradas e saídas).

Durante a auditoria ambiental de inspeção é verificado se a empresa cumpre os requisitos exigidos pelas leis de gestão de resíduos, tais como: possibilidade de não geração, redução, reciclagem, tratamento e disposição final.

Também, são avaliadas forma de acondicionamento, armazenamento, tratamento e transporte dos resíduos. Se são cumpridos as normas pertinentes a cada uma delas de acordo com o tipo de resíduo gerado. Bem com se os fornecedores contratados cumprem com a legislação e possuem licenças.

A organização deve comprovar se possuem um sistema de logística reversa bem implementado, caso a lei exija dela o sistema.

Síntese:

Na terceira fase do processo de auditoria ambiental é realizado o relatório final com as informações obtidas.

Todos os processos de Auditoria Interna Ambiental devem ser realizados cerca de um mês antes da Auditoria Externa. Essa auditoria interna deve ser feita por um órgão regulador. Em conformidade, a organização recebe o certificado de conformidade legal.

A auditoria ambiental pode ser realizada por consultores da Verde Ghaia. Todos os auditores são capacitados para tal, pois passam por vários tipos de treinamentos e cursos de capacitação, como Curso de Auditoria Interno e Curso de Auditor Líder.

Os auditores da Verde Ghaia conferem as documentações referentes ao gerenciamento de resíduo. Após a auditoria, os auditores geram um relatório informando à empresa como está sua conformidade em relação à gestão de resíduos. Em caso de necessidade apontam observações de melhorias e não conformidades que precisam ser tratadas.

Como está em conformidade para auditoria ambiental?

auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

A partir de um gerenciamento de resíduos efetivo, ou seja, se cada etapa do gerenciamento estiver em conformidade com as normas e legislações pertinentes é possível alcançar a prevenção e minimização dos resíduos.

Mas como gerenciar os resíduos gerados?  Para isso, contar com um software de gestão de resíduos que monitora, diagnostica e controla as licenças é a melhor estratégia para a organização se manter em conformidade.

Com o software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa estará em dia com os prazos de licenças e a documentação dos prestadores de serviço.

O software auxilia a monitorar o volume de geração e qual a destinação dada a cada tipo de resíduo. Além disso, a plataforma possui diversas funcionalidades inteligentes para empresa, como:

  • auxilio através de big data e inteligência artificial que ajuda a otimizar processos e reduzir custos;
  • controle de prestadores de serviços, documentos e licenças ambientais exigidas. Afastando assim, os impactos ambientais e preservando a imagem da empresa;
  • geração de relatórios anuais automaticamente.

Sendo assim, a auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos busca verificar e avaliar a situação do gerenciamento dos resíduos gerados na empresa. Confrontando se a organização segue as normas e legislações pertinentes à gestão de resíduos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como a gestão de resíduos contribui para o desenvolvimento sustentável?

auditoria ambiental no gerenciamento de resíduos

 

Logística Reversa: quais Estados já regulamentaram e como instituir?

sistemas de logística reversa

Os sistemas de logística reversa estão revolucionando as cadeias produtivas ao redor do mundo. Antes, a maior parte dos materiais era simplesmente descartada ou enviada a lixões e aterros, mas agora, após a implementação de logística reversa, várias cadeias de produtos estão sendo novamente integradas ao ciclo produtivo, de forma sustentável e permanente.

Aqui no Brasil, já existe uma regulamentação para tratar do tema e dispor sobre a forma correta de se reinserir resíduos no ciclo produtivo.

Neste artigo, vamos verificar quais estados brasileiros á regulamentaram e tornaram obrigatória a logística reversa, vamos explicar também, como um programa deste tipo pode ser implementado em sua empresa.

Qual relação entre responsabilidade compartilhada e logística reversa?

O que é logística reversa?

A logística reversa é o movimento de retirar resíduos dos pontos finais de consumo, já ao fim de sua vida útil e reinseri-los na cadeia produtiva.

Até agora o ciclo comum dos produtos tem sido o descarte após sua inutilização, em geral, os destinos dos materiais são aterros ou até mesmo lixões. Este tipo de tratamento eleva o passivo ambiental da população como um todo.

Com a logística reversa, as empresas tentam imitar em algum grau, o trabalho realizado pela natureza, que promove a reutilização de 100% da matéria orgânica produzida pelos seres vivos.

Obviamente que a tecnologia não nos permite eliminar completamente os resíduos, mas estamos chegando cada vez mais perto da eficiência máxima em várias categorias de produtos.

A logística reversa atua na coleta dos materiais após o descarte e promove a reinserção destes na cadeia produtiva. Um bom exemplo são os pneus, estes materiais, após descartados são triturados, tem sua carga metálica removida e posteriormente podem servir como parte do processo de combustão nos fornos de indústrias de cimento.

Saiba mais: Inventário Conama 313: como elaborar facilmente para afastar sanções?

A logística reversa é obrigatória no Brasil?

sistemas de logística reversaAtualmente a logística reversa é obrigatória no Brasil apenas para alguns produtos considerados de alta relevância ambiental. Dentre eles estão:

  • Pilhas e baterias
  • Pneus
  • Embalagens de agrotóxicos e químicos
  • Lubrificantes
  • Produtos radioativos

No âmbito nacional, a legislação exige que os fabricantes retirem do mercado uma quantidade determinada de produtos para compensar sua produção. Para exemplificar, digamos que a proporção de pneus tratados deva ser de 0,8, isso significa que a cada 10 pneus produzidos, a fabrica se obriga a retirar 8 de circulação.

A quantidade varia de produto para produto, mas em geral, não há a necessidade de se retirar os produtos fabricados pela própria empresa. Até porque em algumas categorias tal obrigação seria impossível de ser executada. Desta forma, um fabricante de lubrificantes precisa coletar uma determinada quantidade de óleo, não importando a sua origem.

Existe uma expectativa de que a logística reversa obrigatória seja instituída sobre outros produtos em breve, mas não se sabe quando isso ocorrera.

Apesar da não obrigatoriedade, já são muitas as empresas que praticam a logística reversa sem nenhum tipo de dever legal para tal. Elas fazem isso porque em muitos casos tal prática é viável economicamente e vantajosa comercialmente.

Os estados brasileiros possuem a premissa de regulamentar a logística reversa, ou seja, de criar as leis antes mesmo de qualquer regulação a nível federal.

Existe também a possibilidade de se regulamentar asa leis já instituídas a nível federal, podendo inserir regras e novas obrigatoriedades. Alguns estados brasileiros já começaram a regulamentar a logística reversa.

sistemas de logística reversa

Quais estados já instituíram a logística reversa?

sistemas de logística reversa

Os estados que já instituíram a prática da logística reversa como obrigatoriedade para as empresas instalados são Rio de Janeiro e São Paulo. Contudo, nem todos os produtos precisam passar pelo processo, assim como é exigido pela legislação federal, os itens que relevância ambiental é que se enquadram na obrigatoriedade deste tipo de processo.

No caso de São Paulo, ficam obrigados a apresentar o plano de logística reversa, os fabricantes de lubrificantes de carros, baterias automotivas, pilhas e baterias portáteis, lâmpadas fluorescentes, pneus, agrotóxicos, tintas imobiliárias, óleos comestíveis, produtos alimentícios, bebidas, produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, produtos de limpeza, produtos eletroeletrônicos de uso domésticos e medicamentos domiciliares.

No Rio de Janeiro a obrigatoriedade se entende aos fabricantes de embalagem, visto que o estado de certa forma declarou guerra ao plástico. As empresas deverão elaborar e executar um plano de logística reversa.

Durante uma fiscalização o plano será exigido, bem como as evidências de que suas diretrizes estão sendo cumpridas pela organização.

Cinco dicas para instituir a logística reversa de lâmpadas fluorescentes

Como implementar um sistema de logística reversa?

sistemas de logística reversa

O ideal é que se implemente sistemas de logística reversa através de empresas especializadas neste tipo de atividade. Softwares específicos também são bem-vindos, principalmente na hora de executar a destinação e gerar os comprovantes adequados.

A VG Resíduos é uma ferramenta que tem ajudado centenas de indústrias no Brasil a executarem seus planos de logística reversa. Ela auxilia na criação do plano, rotas de coleta e controla toda a entrada e saída de resíduos, bem como os indicadores que serão uteis no caso de uma fiscalização e também para fins de gestão interna da empresa.

Aliado ao VG Resíduos, há uma outra ferramenta, no caso o Mercado de Resíduos, que funciona como uma espécie de marketplace do lixo. No sistema, empresas podem fazer ofertas de compra e venda de resíduos e/ou serviços de tratamento destes materiais.

A plataforma gera leilões e liga os melhores tratadores aos geradores de resíduos. Desta forma, pode-se até mesmo ganhar dinheiro utilizando os resíduos da empresa.

sistemas de logística reversa

Praticar logística reversa custa caro?

sistemas de logística reversa

Até pouco tempo atrás a logística reversa era uma prática permitida apenas às grandes empresas, dado o grande investimento que era exigido. Contudo, nos últimos tempos, as tecnologias se tornaram mais acessíveis e os softwares específicos tem feito o trabalho que antes era custoso e volumoso.

Assim, pequenas e médias empresas podem ter programas de LR a custos baixíssimos.

Os sistemas de logística reversa vieram para ficar. Empresas que não se adequarem serão punidas, ou pelo mercado, ou pelo governo, que tem apertado cada vez mais o cerco da regulamentação e da fiscalização.

Por isso é importantíssimo que as empresas se adequem e entendam que é possível ser sustentável e ao mesmo tempo lucrativa.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: O que diz a lei ambiental sobre a obrigação da logística reversa?

sistemas de logística reversa

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2019