Sete ações sustentáveis para a gestão de resíduos da sua empresa

Adotar ações sustentáveis para a gestão de resíduos maximiza a contribuição para o desenvolvimento sustentável. A gestão adequada de resíduos por si só já pode ser considerada como uma ação sustentável, haja vista que viabiliza as ações de triagem dos resíduos recicláveis e reutilizáveis, contribui para a redução dos níveis de poluição ambiental, reduz a utilização dos recursos naturais através da economia de energia e matérias-primas, etc.

Fazer gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

Confira sete ações sustentáveis para a gestão de resíduos da sua empresa!

Ações sustentáveis para a gestão de resíduos

Para sua empresa ser sustentável é necessário que ela adote um processo de transformação e incorporação de ações sustentáveis em suas atividades. Essas soluções permitem manter uma relação de equilíbrio com o meio ambiente e ao mesmo tempo gera riquezas econômicas e benéficas para a sociedade.

Na gestão de resíduos essas ações sustentáveis permite o alcance dos objetivos do desenvolvimento sustentável. Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios.

Confira abaixo sete ações sustentáveis para você incorporar na gestão de resíduos de sua empresa:

Realize a coleta seletiva dos resíduos

A coleta seletiva é um método de coletar e separar os resíduos de acordo com suas características. Ou seja, se os resíduos possuem características similares são segregados e coletados juntos (papel, plástico, vidro, metal e resíduo orgânico).

A coleta seletiva facilita a reciclagem tornando-a mais fácil e viável economicamente, pois cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem.

Para implantar a coleta seletiva dentro da empresa a equipe deve se sentir parte atuante na implementação. Essa é uma oportunidade única de melhorar o relacionamento entre todos e promover educação e engajamento dos colaboradores.

Além disso, os resíduos separados para a reciclagem podem gerar lucro a sua empresa. Esses resíduos podem ser comercializados as cooperativas de reciclagem.

Reduza o consumo de papel

Para o funcionamento de uma organização é exigido pelos órgãos ambientais várias licenças e documentos que comprovam cumprimento das leis de proteção ambiental. Consequentemente, são gerados vários papéis com as informações pertinentes.

O grande empecilho é o que fazer com esses papéis após o fim de sua legalidade. Se a organização quer se tornar uma empresa sustentável o primeiro passo é eliminar essa papelada.

Ao adotar um sistema online de controle de documentos, é possível, reduzir o consumo de papel, economizar espaço de arquivamento, aumentar a segurança de documentos importantes e confidenciais, agilizar a busca economizando tempo.

O software da VG Resíduos permite o controle necessário para uma gestão eficiente.

Recicle e reutilize resíduos em seus processos

A reciclagem é definida como um processo de transformação dos resíduos em insumos ou novos produtos. No gerenciamento e gestão de resíduos é a quarta prioridade, conforme Lei 12.305/2010.

Aplicando um conjunto de técnicas esses resíduos dão origem a um novo produto ou a uma nova matéria-prima com o objetivo de diminuir a produção de rejeitos e o seu acúmulo na natureza, reduzindo o impacto ambiental.

A reciclagem de resíduos contribui muito para a diminuição da quantidade de resíduo e dos impactos causados por eles no meio ambiente, como a poluição do solo, água e ar. Além disso, reduz a retirada de matérias primas da natureza que seriam usadas para a produção de novos produtos, colabora com a limpeza e saúde pública e gera empregos.

Elimine desperdícios de matéria prima e energia

Verifique os desperdícios de matéria prima na empresa. Se há existência de perdas em algum processo produtivo, desenvolva métodos e processos para eliminar esses desperdícios.

Um exemplo são sobras na produção de embalagens plásticas. Essas sobras voltam para o processo em forma de moídos. Além disso, é possível controlar o tamanho das rebarbas para evitar a perda de matéria prima.

Em fabricas de papel os refiles que sobram no acabamento das bobinas voltam para o processo. A quantidade pode ser controlada diminuindo o formato da folha na formação.

Além disso, podem ser empregadas atitudes simples, tais como: pintar as paredes de branco para refletir melhor a luz; trocar as lâmpadas fluorescentes por modelos de LED; instalar sensores de presença em locais com pouca circulação de pessoas; e fazer a manutenção ou a substituição de equipamentos. Substituição de arquivos físicos por planilhas eletrônicas.

Para eliminar os desperdícios é necessário fazer o mapeamento de geração de resíduos por fonte geradora. Quando é elaborado, implantado, executado e monitorado de maneira correta, o mapeamento é uma ferramenta importantíssima na gestão, organização e redução de custos no seu processo produtivo, pois através dele é possível avaliar quais as fontes que desperdiçam matéria prima, qual a melhor forma de dispor os resíduos gerados e quais alternativas para a redução na geração de resíduos.

Implemente a logística reversa

A logística reversa tem como objetivo principal o recolhimento e a reutilização de produtos e materiais que tiveram o seu ciclo produtivo encerrado. Ela utiliza-se dos canais de distribuição reversos.

A logística reversa é uma ferramenta para sustentabilidade, pois é um instrumento de desenvolvimento econômico e social que viabiliza a coleta e a restituição dos resíduos ao setor empresarial.

O que as organizações buscam ao implantar a logística reversa são os benefícios financeiros e a sustentabilidade, além de atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Os benefícios financeiros estão relacionados com o reaproveitamento dos resíduos em seus processos, diminuindo assim o custo com a aquisição de matéria prima virgem. Além disso, esses resíduos podem ser negociados com outras empresas.

Substitua as embalagens descartáveis de seus produtos

Substitua as embalagens descartáveis de seus produtos por refis recicláveis. Dessa forma a quantidade de resíduos gerados será menor. Além disso, a empresa economiza com a aquisição de embalagens.

Um exemplo de empresa que lucra com a substituição das embalagens em seus produtos é a Natura. Que permite que o seu consumidor compre refil do produto desejado.

Adote um software de gestão de resíduos

Uma das ações mais importantes para se tornar uma empresa sustentável é estabelecer um gerenciamento de resíduos eficiente e efetivo. Para isso a VG Resíduos pode auxiliar, uma vez que a plataforma incentiva destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

O VG Resíduos é uma solução prática e funcional que permite à sua empresa realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios.

As empresas têm aderido ao VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

Os benefícios em ter o software da VG Resíduos são inúmeros, entre eles:

  • auxilia no cumprimento da Política Nacional de Resíduos;
  • facilita a gestão de informações e evita perdas e falhas no processo;
  • padroniza a comunicação com fornecedores;
  • minimiza a possibilidade de passivos ambientais e prejuízos para a empresa;
  • permite o controle completo de documentação e licenças;
  • otimiza a elaboração de relatórios e inventários;
  • auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento;
  • sistematiza as informações em gráficos para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Sendo assim, as sete ações sustentáveis para a gestão de resíduos trás diversos benefícios para a busca da sustentabilidade empresarial. Além disso, podem melhorar a imagem da sua empresa demonstrando que essas preocupam com a preservação ambiental e o desenvolvimento da sociedade. Com essas sete ações sustentáveis a organização alcançará resultados positivos e desenvolverá uma imagem positiva perante seus clientes.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

 

 

 

O que é o princípio da prevenção e como afeta a gestão de resíduos?

O princípio da prevenção é um dos princípios da Política Nacional de Resíduos Sólidos, Lei 12.305/10. Esse termo é inserido no contexto de preocupação com o meio ambiente. E tem como objetivo prevenir os danos ao meio ambiente que os resíduos destinados incorretamente podem provocar.

A PNRS contém instrumentos importantes para o desenvolvimento de ações necessárias para enfrentar os principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos. Esses instrumentos são baseados em seus princípios, entre eles a prevenção.

Confira como o princípio da prevenção afeta a gestão de resíduos!

Princípios da Política Nacional de Resíduos

A existência de uma política destinada à regulamentação do gerenciamento de resíduos é essencial para o desenvolvimento sustentável.

Através do desenvolvimento dessa política foram inseridos princípios objetivando a preservação ambiental. Entre esses, o princípio da prevenção.

A PNRS trouxe ao todo 11 princípios em seu Art. 6o:

I – a prevenção e a precaução;

II – o poluidor-pagador e o protetor-recebedor;

III – a visão sistêmica, na gestão dos resíduos sólidos, que considere as variáveis ambiental, social, cultural, econômica, tecnológica e de saúde pública;

IV – o desenvolvimento sustentável;

V – a ecoeficiência, mediante a compatibilização entre o fornecimento, a preços competitivos, de bens e serviços qualificados que satisfaçam as necessidades humanas e tragam qualidade de vida e a redução do impacto ambiental e do consumo de recursos naturais a um nível, no mínimo, equivalente à capacidade de sustentação estimada do planeta;

VI – a cooperação entre as diferentes esferas do poder público, o setor empresarial e demais segmentos da sociedade;

VII – a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos;

VIII – o reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor de cidadania;

IX – o respeito às diversidades locais e regionais;

X – o direito da sociedade à informação e ao controle social;

XI – a razoabilidade e a proporcionalidade.

Esses princípios norteiam para o alcance dos objetivos da PNRS. O intuito da política é proteger a saúde pública e qualidade ambiental, reduzir e tratar os resíduos sólidos, estimular a busca por processos de fabricação esteáveis, difundir a utilização de tecnologias limpas para produção de bens e tratamento de resíduos.

A PNRS tem a finalidade de reduzir os impactos ambientais, reduzir o volume de resíduos e sua periculosidade e incentivar a reciclagem.

Princípio da prevenção

O significado da palavra prevenção dentro da gestão de resíduos nos dá ideia de cautela, de cuidado, ou seja, de uma conduta tomada no sentido de evitar o dano ambiental. Logo, o princípio da prevenção na gestão de resíduos é aplicado para evitar diretamente o dano que os resíduos podem causar. Ou seja, é aplicado para impedir que sejam praticadas atividades que são causadoras de danos para o meio ambiente.

Para isso são adotadas ações para evitar os impactos, como a aplicação da logística reversa, a reciclagem, práticas sustentáveis de fabricação, entre outros. O princípio da prevenção afeta a gestão de resíduos ao determinar que medidas sejam adotadas para evitar que o resíduo cause danos.

Em suma, podemos resumir que, uma vez que se sabe que dada atividade apresenta riscos de dano ao meio ambiente, essa atividade não poderá ser desenvolvida. Justamente porque, caso ocorra qualquer dano ambiental, sua reparação é praticamente impossível. O que quer dizer que as ações de destinação de resíduos devem ser adotadas objetivando prever que não ocorram danos.

O princípio da prevenção está disposto na Lei 6938/1981 em seu artigo 4º, III, IV e V. Nesta lei são estabelecidos os critérios e padrões da qualidade ambiental, além de normas relativas ao uso e manejo de recursos ambientais, o desenvolvimento de pesquisas e de tecnologias orientadas para o uso racional de recursos ambientais e a difusão de tecnologias de manejo do meio ambiente.

Aplicabilidade do principio na gestão de resíduos

A aplicabilidade do principio da prevenção na gestão de resíduos busca evitar o aumento desproporcionado da produção de resíduos. Para isso são adotadas medidas como a inserção de atividades com tecnologias mais adequadas de produção que evita ou diminua a geração de resíduos.

Também, são desenvolvidos meios que permitem um aumento da longevidade dos produtos evitando-se ao máximo a sua conversão em resíduos. Já para os resíduos, o principio da prevenção busca evitar a existência de danos ambientais.

A empresa deve buscar a inovação para o seu negócio, de modo que a geração de resíduo diminua. Aplicar o sistema de logística reversa e a reciclagem. A coleta e o transporte sustentável.

Assim, o princípio da prevenção quando aplicado adequadamente, garante uma proteção ambiental. Além disso, aumenta a lucratividade das empresas através da economia circular.

Como a VG Resíduos auxilia no principio da prevenção?

Com a gestão dos resíduos a empresa estará amparada no que se referente à poluição ou degradação referente à má gestão dos resíduos sólidos, aplicando o principio da prevenção.

Utilizando a plataforma VG Resíduos a empresa afasta os passivos ambientais, pois o software realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

A empresa possui um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, conclui-se que o principio da prevenção é um dos princípios da PNRS e tem como objetivo prevenir os danos ao meio ambiente que os resíduos destinados incorretamente podem provocar. Para aplicar esse conceito a empresa deve investir em uma gestão de resíduos eficientes.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

 

 

Como a logística reversa de resíduos perigosos afasta danos ambientais?

A logística reversa de resíduos perigosos é uma forma das empresas conseguirem o retorno de produtos perigosos para que possam ser destinados de forma segura ou reinseridos em novos ciclos produtivos, afastando assim os danos ambientais que esses resíduos possam causar.

Foi somente com a promulgação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que determina o manejo de resíduos perigosos, que as empresas foram obrigadas a serem responsáveis pela logística reversa. Ou seja, terem a responsabilidade compartilhada sobre o manejo e retorno de resíduos perigosos.

Saiba como um sistema eficiente de logística reversa de resíduos perigosos afasta danos ambientais!

Logística reversa de resíduos perigosos

Logística reversa de resíduos perigosos é o processo de gerenciamento dos produtos perigosos após o fim do seu ciclo de vida. O objetivo é neutralizar seu impacto ambiental. Geralmente este processo é feito a partir da coleta dos produtos inutilizáveis por parte da empresa que os produziu.

No Brasil, a prática da logística reversa ainda não e obrigatória para todas as empresas. Contudo, algumas organizações possuem a obrigatoriedade de implementar o sistema para seus produtos, principalmente os que causam significativo impacto ambiental.

A logística reversa deve ser cumprida para fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes. Para cumprir a lei, são feitos acordos setoriais entre eles e o poder público para implantar um sistema de logística reversa.

De acordo com a lei 12.305/2010, a logística reversa de resíduos perigosos é obrigatória para empresas que trabalham com:

  • agrotóxicos, seus resíduos e embalagens;
  • pilhas e baterias;
  • óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;
  • lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista.

Além de:

  • produtos eletroeletrônicos e seus componentes;
  • pneus;
  • produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro.

Afastando danos ambientais

A logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta que viabiliza a coleta e a restituição dos resíduos ao setor empresarial. Esses resíduos são reaproveitados em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou são enviados para outra destinação final ambientalmente adequada.

A logística reversa demonstra ser uma aliada das organizações para eliminar os impactos negativos que os resíduos causam. Além disso, contribui para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável. Haja vista, que através dela serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

A gestão inadequada dos resíduos perigosos pode contaminar o meio ambiente, trazendo impactos muitas vezes irreversíveis. Quando os resíduos perigosos não são destinados corretamente eles agem negativamente na saúde e no meio ambiente.

A logística reversa contribui para afastar esses danos, pois através do sistema é garantido que os resíduos perigosos estão bem alocados e geridos. Sendo assim, contribuirá para a preservação do meio ambiente, evitando os impactos socioambientais e à saúde pública.

Os resíduos perigosos eu não são restituídos através da logística reversa tem grande chances de serem descartados em qualquer lugar causando poluição do solo, do ar e do lençol freático.

Portanto, um sistema de logística reversa eficiente pode parecer complicado, burocrático e até cansativo. Mas é fundamental para garantir o máximo reaproveitamento de todos os resíduos perigosos, mesmo os que possuem pouca viabilidade técnica ou econômica para a reciclagem.

Ainda é possível considerar que a logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta essencial para evitar prejuízos financeiros, como o pagamento de multas ou paralisação das atividades por não realizarem o descarte correto de seus resíduos. Além disso, preserva a imagem da organização, uma vez que o mercado consumidor exige a cada dia mais que as empresas adotem práticas sustentáveis.

Saiba quais estados já regulamenta a logística reversa

Os estados que já instituíram a prática da logística reversa como obrigatoriedade são Rio de Janeiro e São Paulo. Contudo, nem todos os produtos precisam passar pelo processo, assim como é exigido pela legislação federal, os itens que relevância ambiental é que se enquadram na obrigatoriedade deste tipo de processo.

No caso de São Paulo, ficam obrigados a apresentar o plano de logística reversa, os fabricantes de lubrificantes automotivos, baterias automotivas, pilhas e baterias portáteis, lâmpadas fluorescentes, pneus, agrotóxicos, tintas imobiliárias, óleos comestíveis, produtos alimentícios, bebidas, produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, produtos de limpeza, produtos eletroeletrônicos de uso domésticos e medicamentos domiciliares.

No Rio de Janeiro a obrigatoriedade se entende aos fabricantes de embalagem.

As empresas deverão elaborar e executar um plano de logística reversa. Durante uma fiscalização o plano será exigido, bem como as evidências de que suas diretrizes estão sendo cumpridas pela organização.

Como operacionalizar a logística reversa?

A operação do sistema de logística reversa de resíduos perigosos pode ser realizada por meio de um software de gestão de resíduo ou mesmo por uma empresa especializada neste tipo de serviço.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o sistema de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Já na plataforma Mercado de Resíduos o gerador encontrar empresas que tem interesse em adquirir o resíduo coletado através da logística reversa. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

A VG Resíduos é um software que pode auxiliar a gestão de resíduos e no descarte correto dos mesmos, auxiliando a empresa crescer adotando práticas sustentáveis.

Assim sendo, conclui-se que a logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta para sustentabilidade, pois viabiliza o desenvolvimento econômico e social ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente. Através da logística reversa são desenvolvidos meios de inserir no ciclo produtivo os resíduos perigosos que seriam descartados, evitando assim os danos ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Patente verde: o que é, vantagens e qual relação com a gestão de resíduos?

Patente verde é um título expedido pelo INPI para inventos tecnológicos e inovações destinadas a energias alternativas, transporte, conservação, gerenciamento de resíduos e agricultura. É uma forma pela qual se busca fomentar a criação, o desenvolvimento e a implantação de ações criativas e inovadoras para a preservação do meio ambiente.

A patente verde é fundamental para o desenvolvimento de modelos produtivos mais sustentáveis.  Esses buscam assegurar a diminuição ou eliminação dos impactos ambientais das organizações. Saiba mais sobre esse assunto!

Patente verde

Patente verde é um documento formal, expedido pelo INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial). Por meio desse documento são conferidos e reconhecidos direitos de propriedade e uso exclusivo para uma invenção tecnológica voltada para o meio ambiente.

A patente trata-se de um privilégio concedido pelo Estado aos inventores que são os detentores do direito de invenção de produtos e processos de fabricação, ou aperfeiçoamento de algum já existente. Surgiu no ano de 2009, e pela sua importância tem prioridade sobre as demais patentes.

A patente verde contempla tecnologias para energia alternativa, transporte, conservação de energia, gerenciamento de resíduos e agricultura.

Patentes verdes para gestão de resíduos

Conforme o INPI, as tecnologias verdes voltadas para gestão de resíduos, que são contemplados para obter patente verde são:

  • eliminação de resíduos;
  • tratamento de resíduos;
  • destruição de resíduos por combustão;
  • reutilização de materiais usados;
  • utilização de restos ou refugos de borracha na fabricação de calçados;
  • manufatura de artigos de sucata ou de refugo de partículas metálicas;
  • produção de cimento hidráulico a partir de resíduos;
  • utilização de resíduos como material de enchimento para argamassas ou concreto;
  • utilização de resíduos para a produção de fertilizantes;
  • recuperação ou aproveitamento de resíduos;
  • controle de poluição;
  • sequestro e armazenamento de carbono;
  • gestão da qualidade do ar;
  • tratamento de gases residuais;
  • separação de partículas dispersas em gases ou vapores;
  • aplicação de aditivos em combustíveis ou nas chamas para redução de fumaça e facilitar a remoção de fuligem;
  • disposição dos dispositivos para tratamento de fumaça ou de emanações aparelhos combustores;
  • materiais para captação ou absorção de poeira;
  • alarmes de poluição;
  • controle da poluição da água;
  • tratamento de águas residuais ou esgoto;
  • materiais para tratamento de líquidos poluentes ;
  • remoção de poluentes de águas a céu aberto;
  • instalações de encanamentos para águas residuais;
  • gerenciamento de esgotos;
  • meios para prevenir contaminação radioativa em caso de vazamento no reator .

Vantagens da patente verde

As patentes verdes vieram trazer importantes contribuições para o desenvolvimento sustentável, uma vez que elas incentivam a criação de tecnologias que buscam eliminar os impactos ambientais.

Além disso, por terem prioridade sobre as demais patentes são mais rapidamente comercializadas, o que permite que o invento seja difundido e implantando por outros mais rápido também. Ou seja, estarão funcionando e impactando positivamente a sociedade em muito menos tempo.

A patente verde impulsiona a concorrência. Haja vista, que as outras empresas concorrentes buscarão tecnologias igualmente sustentáveis para estarem à frente no mercado.

Além do mais, uma empresa que desenvolve uma tecnologia que busca a preservação ambiental, o uso racional de recursos e a eliminação dos impactos ambientais provocados pelos seus processos torna-se uma marca reconhecida como sustentável.

Nos últimos anos muito se tem falado sobre a sustentabilidade no mundo corporativo. Para alcançá-la é preciso que a organização adote atitudes e estratégias sustentáveis. Essas ações sustentáveis é que consegue garantir a manutenção das empresas e da própria natureza.

Patente verde e o desenvolvimento sustentável

As tecnologias verdes contribuem para o desenvolvimento sustentável, pois englobam os seus três pilares, que são: o ambiental, social e econômico.

As tecnologias patenteadas protegem o meio ambiente, usam de todos os recursos de forma mais sustentável, reciclam e tratam mais os seus resíduos, de maneira mais aceitável do que as tecnologias anteriores.

Para o melhor entendimento de como a patente verde é uma ferramenta para sustentabilidade, é necessário abordar sobre o que venha a ser desenvolvimento sustentável.

O conceito surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Essa comissão foi criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de desenvolver a economia ao mesmo tempo em que conserva o meio ambiente.

Desenvolvimento sustentável é definido como sendo:

“o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.”

Sendo assim, a patente verde contribuiu para o desenvolvimento sustentável, pois integra as dimensões social e econômica, pois é uma forma de criar oportunidades de trabalho para as pessoas e fonte de renda. Incentiva a inserção de novas empresas no mercado e a concorrência.

Na dimensão ambiental, a patente verde permite a inserção de novas tecnologias que minimiza e/ou elimina o descarte dos resíduos em locais inadequados que causam fortes impactos no ambiente.

Patente verde e a gestão de resíduos

Quando a empresa realiza a gestão de seus resíduos identifica processos que poderiam ser melhorados para reduzir, eliminar, reaproveitar, ou até mesmo, tratar os resíduos gerados em seus processos.

Essa gestão pode ser realizada por meio de um software. No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o gerenciamento de forma simples, eficiente, automatizado e otimizado.

A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Além do software, a empresa pode utilizar a plataforma Mercado de Resíduos . Nessa plataforma o gerador encontrar empresas que possuem alguma tecnologia verde para dá uma solução ecologicamente correta ais seus resíduos. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

A VG Resíduos é um software que pode auxiliar a gestão de resíduos e no descarte correto dos mesmos, auxiliando a empresa crescer adotando práticas sustentáveis.

Assim sendo, conclui-se que a patente verde é uma ferramenta para sustentabilidade, pois viabiliza o desenvolvimento econômico e social ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente. Através da patente são desenvolvidos meios de inserir no ciclo produtivo tecnologias que buscam proteger o meio ambiente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2019