×

7 soluções inovadoras em logística reversa que você precisa saber

Soluções inovadoras em logística reversa

Soluções inovadoras em logística reversa é importante para que a organização escolha a melhor opção para o seu negócio. Os benefícios de implantar a logística reversa além de envolver questões socioambientais, podem reduzir custos dentro da empresa e atender melhor os consumidores. Além disso, é um importante diferencial competitivo.

Sempre quando falamos em logística reversa pensamos em mecanismos de desenvolvê-la dentro de uma empresa.  As empresas devem lidar com os seus resíduos desde que foi aprovada a Política Nacional de Resíduos Sólidos. E um dos caminhos para cumprir a lei de gestão de resíduos é através da logística reversa. Confira!

Leia: Reversa: quais Estados já regulamentaram e como instituir?

Conceituando Logística Reversa

Soluções inovadoras em logística reversa

Hoje os consumidores exigem mais que as empresas apliquem práticas sustentáveis em seus processos. Para tanto, implantar um sistema de logística reversa demonstra que a empresa se preocupa com a preservação ambiental. Através da logística reversa os resíduos serão destinados de forma ambientalmente correta.

A logística reversa para muitos ainda é um conceito que está em construção. No entanto, é um meio para implementar uma gestão de recuperação, reciclagem e reutilização.

A logística reversa cria obrigações e responsabilidades para que as empresas coletem e deem a destinação final adequada dos resíduos.

Na prática, a logística reversa funciona da seguinte forma:

1) Consumidores levam os resíduos ao posto de coleta indicado pela empresa;

2) Os resíduos coletados podem ser encaminhados para a industria ou comercializados;

3) Após serem entregues aos fabricantes, os matérias são encaminhados a destinação mais apropriada. Podem ser enviados para reutilização, reciclagem, tratamento e descarte final.

A decisão de quais as melhores soluções inovadoras em logística reversa é definida de acordo com o tipo de resíduo e tecnologias disponíveis para o seu tratamento. Observando sempre o ciclo de vida do produto.

A conscientização dos consumidores de como proceder com os resíduos é fator determinante para o sucesso da logística reversa. Além disso, é necessário informar a eles que a empresa realiza a logística reversa, pois todos os materiais que não servem mais ao consumo primário devem ser descartados da forma correta para evitar a contaminação ambiental.

Saiba qual relação entre responsabilidade compartilhada e logística reversa.

Soluções inovadoras em logística reversa

Soluções inovadoras em logística reversa

Existem algumas soluções inovadoras em logística reversa que podem ser usados por uma organização para cumprir a lei. A escolha da melhor solução é estratégica. A ideia é fomenta a cadeia de reciclagem, contribuindo, assim, para a preservação ambiental e o desenvolvimento econômico da empresa. Confira!

1. Retorno de mercadorias

Este tipo de logística reversa consiste na devolução de mercadorias por parte do cliente. Essas mercadorias podem ser devolvidas devido a problemas de garantia, validade, prazo de arrependimento, entre outros. Assim, evita que essa mercadoria se torne um resíduos e seja descartado de forma inapropriada.

Soluções inovadoras em logística reversa

2. Retorno evasivo

Esse processo minimiza o descarte de resíduos e até o retorno dele para empresa. São feitos parcerias com outras empresas para reparo de mercadorias com problemas. Após reparo o produto retorna ao cliente ou pode ser revendido.

Também é uma solução que evita a quantidade de resíduos gerados e descartados.

3. Remanufatura

Soluções inovadoras em logística reversa

As partes reutilizáveis dos resíduos são enviadas para produção de novos produtos. A empresa pode desenvolver parcerias para que outras organizações coletem os resíduos e o recicle.

4. Remodelação

Alguns produtos podem se tornar obsoleto ou precisar substituir algumas partes. Para evitar que esses produtos sejam descartados são feitos recondicionamentos.

Muitos revendem essa mercadoria e a empresa as recondiciona. Posteriormente, esse produto recondicionado e vendido a interessados.

5. Embalagem

Essa solução em logística reversa inclui as embalagens duráveis, na qual é possível retorna para a empresa e essa a reutiliza. Um exemplo são as garrafas retornáveis de refrigerante.

Quando a indústria de bebida entrega ao distribuidor a mercadoria, ela já recolhe as garrafas que os clientes devolveram. Essa solução em logística reversa é boa tanto para empresa como para o consumidor, pois muitas das vezes a mercadoria sai mais barata. Uma vez que a organização economizara com embalagens novas.

6. Bens não vendidos

Essa solução consiste no retorno do produto não consumido e que esta parada nas gôndolas do parceiro de distribuição. Esse produto pode ser vendido a outro cliente. Desta forma, evita que um produto bom vire resíduos e seja descartado de forma incorreta.

7. Arrendamento

Essa solução inovadora em logística reversa permite que os clientes retornem produtos emprestados para seu fornecedor. Normalmente é feita com equipamentos.

Soluções inovadoras em logística reversa

Operação do sistema de logística reversa

Soluções inovadoras em logística reversa

A operação do sistema de logística reversa para nas empresas pode ser realizada por meio de um software de gestão de resíduo ou mesmo por uma empresa especializada neste tipo de serviço.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o sistema de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Já na plataforma Mercado de Resíduos o gerador encontrar empresas especializadas neste tipo de serviço. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

Sendo assim, um sistema de logística reversa nas empresas trata-se de um instrumento que estimula a reflexão tanto das organizações como também dos consumidores sobre a importância do descarte correto dos resíduos. O sistema tem a finalidade de reduzir o consumo de recursos naturais, diminuir a geração de resíduos e incentivar o consumo sustentável.  Além disso, tem impacto positivo aos negócios da empresa, tornando a marca conhecida como uma organização ambientalmente responsável. Portanto, a empresa deve buscar informações sobre soluções inovadoras em logística reversa para alavancar seu negócio.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Que resíduos de impacto ambiental são atingidos pela lei de Logística reversa?

Soluções inovadoras em logística reversa

 

Como lucrar ao montar uma empresa de reciclagem de pet?

montar uma empresa de reciclagem de petÉ possível lucrar ao montar uma empresa de reciclagem de pet, uma vez que, além de ser cada vez maior o número de empresas que buscam produtos reciclados, a tecnologia e a qualidade dos reciclados têm evoluído ao longo dos anos.  O Brasil perde mais de R$ 3 bilhões por ano por não reciclar resíduos sólidos.  Apesar do desperdício o setor de reciclagem ainda consegue movimentar R$ 12 bilhões por ano. Ou seja, é um negócio muito rentável e promissor e que ainda auxilia a prevenir danos à natureza.

Há leis que incentivam as empresas a usar resíduos em seus processos produtivos, como a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Além disso, a PNRS determina a responsabilidade das organizações em buscarem alternativas sustentáveis para diminuir o descarte de resíduos. Esses fatores são preponderantes para montar uma empresa de reciclagem de pet. Confira!

montar uma empresa de reciclagem de pet

Como montar uma empresa de reciclagem de pet?

montar uma empresa de reciclagem de pet

O sucesso de um negócio é o planejamento para evitar riscos que impeçam obter o lucro desejado.

Para montar uma empresa de reciclagem de pet o empreendedor deve ter um plano de negócio que serve como base para gerenciar a organização. Nesse plano será possível encontrar informações detalhadas do negócio, do produto que irá oferecer, futuros clientes, fornecedores, concorrentes. Além disso, devem ser definidos os objetivos que devem ser alcançados e como será alcançado o sucesso.

Confira dicas para montar uma empresa de reciclagem de pet:

1. Buscar por matéria prima e ótima localização

Antes de montar uma empresa de reciclagem de pet o empreendedor tem que verificar se há matéria prima suficiente para manter três fatores importantes: giro de estoque, cobertura dos estoques e nível de serviço ao cliente. E se o local que será montando essa empresa de reciclagem esta situada em um local onde a oferta de matéria prima é abundante.

A melhor escolha é sempre a mais próxima da matéria prima escolhida. É importantíssimo, o empreendedor avaliar se a oferta de matéria prima vai oferecer a possibilidade de manter um estoque mínimo para atender os seus clientes.em contrapartida a matéria prima não pode ficar por muito tempo no estoque. Portanto, o estoque de matéria prima deve ser mínimo, com intuito de gerar o menor impacto no capital de giro.

Para conseguir matéria prima para manter o seu negócio, a empresa pode buscar parcerias com outras organizações geradoras de pet ou associações de catadores. Existe a possibilidade também de implantarem pontos de entrega voluntária, aonde a população voluntariamente entregarão as pet para a reciclagem.

Vale ressaltar que, antes de decidir onde montar uma empresa de reciclagem de pet o empresário deve verificar as regulamentações do município para abrir um negócio e observar os seguintes detalhes: verifique se o imóvel que será montado à empresa atende as suas necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação e característica da região.

Como realizar a reciclagem de plástico passo a passo

2. Verificar exigências legais

montar uma empresa de reciclagem de pet

Para montar uma empresa de reciclagem de pet o empresário deve realizar uma consulta comercial junto à prefeitura onde será aberta a empresa. A consulta serve para verificar se é permitido no local escolhido montar uma empresa de reciclagem de reciclagem de pet.

Além disso, antes de registrar o nome e marca da empresa o empresário deve verificar junto a Junta Comercial ou Cartório e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) se o nome pretendido já é utilizado.

Para montar a empresa também são necessários:

  • solicitação do CNPJ;
  • solicitação da inscrição estadual;
  • alvará de licença;
  • matricula no INSS;

Além do mais, é preciso consultar a legislação para verificar quais leis e normas devem ser seguidas para a atividade exercida.

Saiba quais prejuízos pode ter o tratador sem licença ambiental.

3. A estrutura de uma empresa de reciclagem de pet

montar uma empresa de reciclagem de pet

A estrutura de uma empresa de reciclagem depende da matéria prima, quantidade e oferta, como também, do giro de estoque.

A decisão do tamanho do galpão é única e exclusiva do empresário. Para melhor tomada de decisão a SEBRAE sugere uma área mínima de 1.500m² para reciclagem de plástico filme e pet.

Além da estrutura física, a recicladora precisará de pessoal para trabalhar na empresa. Montar uma empresa de reciclagem exige a contratação de diversos profissionais.

Será necessário: administrador, encarregado de produção, operador de máquina, auxiliar de produção, motorista, vigia, ajudante de carga e descarga e representante comercial.

Os equipamentos são essenciais para realizar o processo de reciclagem. Para reciclar plásticos é necessário a aquisição de prensa, moinho, extrusora, triturador, aglutinador, centrifuga e batedor.

O investimento ao montar uma empresa de reciclagem de pet depende de decisões do empreendedor, como: se o local será próprio ou alugado; se os equipamentos serão novos ou usados; a quantidade de funcionários; etc..

montar uma empresa de reciclagem de pet

Como a VG Resíduos auxilia?

montar uma empresa de reciclagem de pet

VG Resíduos por meio de uma plataforma online de compra e venda de resíduos oferece um serviço de qualidade. O Mercado de Resíduos trás soluções para empresas que lucram com a reciclagem de pet.

Com o sistema que conta com módulos ideais para o seu segmento, todo o processo de venda e compra passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

As vantagens do software da VG Resíduos são: auxilia a empresa a cumprir a Política Nacional de Resíduos; facilita a gestão passivos de informações e evita perdas e falhas no processo; padroniza a comunicação com fornecedores e clientes; minimiza a possibilidade de prejuízos para a empresa; permite o controle completo de documentação e licenças; otimiza a elaboração de relatórios e inventários; auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento; sistematiza as informações em gráficos e dashboards para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Assim sendo, concluímos que montar uma empresa de reciclagem de pet é muito lucrativo já que o tema sustentabilidade é o maior incentivador, juntamente com leis especificas sobre a destinação ambientalmente correta de resíduos. A conscientização e a preocupação com o destino de resíduos aumentam e, consequentemente, crescem as oportunidades para trabalhar nesse ramo. O investimento depende da amplitude do negócio e do objetivo traçado, porém o lucro é considerável.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: 7 Dicas Para Você Montar Uma Empresa de Reciclagem de Sucatas

montar uma empresa de reciclagem de pet

Quais são os principais tipos de plásticos recicláveis?

Os principais tipos de plásticos recicláveis são aqueles que podem ser transformados em altas temperaturas, o que não ocorre com todos. É por isso que é tão importante realizar uma triagem do material plástico antes do processo de reciclagem. Os plásticos são divididos em dois grupos, conforme suas características de fusão ou derretimento: termoplásticos e termorrígidos. Os termoplásticos são recicláveis em altas temperaturas, já os termorrígidos não são recicláveis. 

A reciclagem do plástico é fundamental para a preservação ambiental, uma vez que esse material leva anos para se decompor na natureza por ser produzido a partir de derivados do petróleo.

A reciclagem do plástico no Brasil ainda é muito baixa. A maioria das taxas encontradas giram em torno de 20%. Esse índice baixo esta associado há vários motivos, mas o principal é a falta de conhecimento dos brasileiros sobre coleta e reciclagem. Cofira os tipos de plástico recicláveis!

Saiba como montar uma empresa de reciclagem em 7 passos.

Tipos de plásticos recicláveis

 

Os principais consumidores do resíduo plástico são as recicladoras, que viram no plástico uma boa alternativa de aumentar sua lucratividade através da venda. O plástico reprocessado volta como matéria-prima para a fabricação de artefatos plásticos, como conduítes, sacos de lixo, baldes, cabides, garrafas de água sanitária, e acessórios para automóveis, por exemplos.

Porém o lucro só é possível através da reciclagem do tipo de plástico que permite o seu reaproveitamento. Os tipos de plásticos mais fáceis de negociar venda são os termoplásticos, pois podem ser processados várias vezes pelo mesmo ou por outro processo de transformação.

Os termoplásticos são os tipos de plásticos mais consumidos. Esses plásticos amolecem quando são aquecidos, podendo ser moldados. Essa característica é o que o torna um material reciclado bom para ser vendido.

Montar uma empresa de reciclagem de sucatas

Já os plásticos termorrígidos ou termofixos são aqueles que não derretem quando aquecidos. Essa característica impossibilita sua reutilização por meio dos processos convencionais de reciclagem.

Abaixo listamos os tipos de plásticos recicláveis mais comuns vendidos:

O que o tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem?

PET: poli (tereftalato de etileno)

Polietileno tereftalato, ou PET, é um plástico formado pela reação entre o ácido tereftálico e o etileno glicol. É um tipo de plástico que pode ser reciclado.

Esse tipo de plástico compõem frascos e garrafas para uso alimentício e farmacêutico, cosméticos, bandejas para micro-ondas, filmes para áudio e vídeo e fibras têxteis.

PEAD: polietileno de alta densidade

Este tipo de plástico está presente em embalagens de detergente e óleos automotivos, sacolas de supermercados, garrafeiras, tampas, tambores para tintas, potes, utilidades domésticas, entre outros.

É um material resistente à baixa temperatura, leve, impermeável, rígido e com resistência química.

PVC: policloreto de polivinila

Esse plástico é muito encontrado em embalagens para água mineral, para óleos comestíveis, maioneses, sucos, perfis para janelas, tubulações de água e esgoto, mangueiras, embalagens para remédios, brinquedos, bolsas de sangue, material hospitalar, entre outros.

É um tipo de plástico muito utilizado por ser rígido, transparente, impermeável, resistente à temperatura e inquebrável.

PEBD ou PELBD: polietileno de baixa densidade

Esse plástico é utilizado na fabricação de sacolas para supermercado e boutiques, filmes para embalar leite e outros alimentos, filmes para fraldas descartáveis, bolsa para soro medicinal, sacos de lixo, entre outros.

É um material plástico muito utilizado por ser flexível, leve, transparente e impermeável.

PP: polipropileno

É um plástico inquebrável, transparente, brilhante, rígido e resistente a mudanças de temperatura. São muito utilizados em filmes para embalagens e alimentos, embalagens industriais, cordas, tubos para água quente, fios e cabos, frascos, caixas de bebidas, autopeças, fibras para tapetes e utilidades domésticas, potes, fraldas e seringas descartáveis, etc.

Esse plástico possui uma variação chamada de BOPP que é um material metalizado, porém de difícil reciclagem. É mais usado em embalagens de salgadinhos e biscoitos.

PS: poliestireno

Esse plástico é utilizado em potes para iogurtes, sorvetes, doces, frascos, bandejas de supermercados, geladeiras (parte interna da porta), pratos, tampas, copos descartáveis, aparelhos de barbear descartáveis e brinquedos.

As características principais deste plástico são leveza, capacidade de isolamento térmico e a flexibilidade.

PLA: poli (ácido lático)

Esse plástico é obtido a partir da fermentação do amido contido na beterraba, mandioca, entre outros vegetais.

É um material biodegradável. É mais utilizado em copos, recipientes, embalagens de alimentos, sacolas, pratos descartáveis, garrafas, canetas, bandejas, filamentos de impressora 3D e outros.

Reciclagem do plástico

A reciclagem do plástico começa quando o consumidor separa e entrega as embalagens ou produtos plásticos para a coleta seletiva ou aos Pontos de Entrega Voluntária – PEVs.

Nesses locais, o material que é recolhido pelos catadores e cooperativas e levado para os Centros de Triagem, onde cada produto é separado pelo tipo de resina (PET, PEAD, PVC, PEBD, PP, PS, outros).

Depois da triagem, cada grupo de material é levado para as Recicladoras.

A reciclagem mecânica é a mais comum. Nesse processo os resíduos passam por quatro etapas:

  1. Fragmentação (moagem)– os resíduos são levados para um moinho que reduzem o seu tamanho.
  2. Lavagem e Separação– os fragmentos (comumente chamados de flakes) são lavados com água e a separação é feita pela diferença de densidades. O u seja, os materiais mais densos afundam e os menos densos ficam na superfície da água.
  3. Secagem– os flakes separados são secos em grandes secadores com circulação de ar quente.
  4. Extrusão– os flakes secos são alimentados em uma máquina extrusora onde são fundidos por aquecimento e levados por uma rosca sem fim a uma matriz. Nessa matriz são formados os filamentos contínuos (comumente chamados de “espaguetes”). Esses são resfriados em uma banheira com água a temperatura ambiente e são cortados em uma granuladora, formando os grânulos de material plástico reciclado que são embalados.

Outro método de reciclagem é a química onde os resíduos plásticos são transformados em substâncias químicas ou matérias-primas, quase sempre envolvendo processos de despolimerização.

Confira: 7 Dicas Para Você Montar Uma Empresa de Reciclagem de Sucatas

Como a VG Resíduos auxilia a recicladora

A  VG Resíduos por meio de uma plataforma online de compra e venda de resíduos oferece um serviço de qualidade. O Mercado de Resíduos trás soluções para empresas que lucram com a reciclagem de resíduos plásticos.

Com o sistema que conta com módulos ideais para o seu segmento, todo o processo de venda e compra passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

As vantagens do software da VG Resíduos são: auxilia a empresa a cumprir a Política Nacional de Resíduos; facilita a gestão passivos de informações e evita perdas e falhas no processo; padroniza a comunicação com fornecedores e clientes; minimiza a possibilidade de prejuízos para a empresa; permite o controle completo de documentação e licenças; otimiza a elaboração de relatórios e inventários; auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento; sistematiza as informações em gráficos e dashboards para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Sendo assim, conclui-se que os tipos de plásticos melhores para serem reciclados e os mais lucrativos são os termoplásticos. É muito importante saber diferenciar os plásticos recicláveis dos não recicláveis para não haver desperdício de recursos no processo de reciclagem.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como realizar a reciclagem de plástico passo a passo

Montar uma empresa de reciclagem de sucatas

 

 

 

Como gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição?

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição tem sido uma demanda crescente de várias organizações. Muitas empresas estão tornando isso possível e, além de contribuir para a diminuição da quantidade de lixo e dos impactos causados ao meio ambiente, estão reduzindo custo e aumentando a margem de lucro. Reciclar resíduos de construção civil e demolição não só reduz a retirada de matérias primas da natureza, que seriam usadas para a produção de novos produtos, como colabora com a limpeza e saúde pública e ainda gera empregos. 

O conceito de reciclagem é simples e bem conhecido por todas as empresas. Além dos benefícios e a reciclagem ocupa o quarto lugar na ordem de prioridade da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS. Tornado assim uma obrigação a ser cumprida para cumprir a lei. Confira como ganhar dinheiro com a reciclagem de resíduos da construção civil e demolição!

Saiba o que fazer com os entulhos gerados na construção civil.

Lucro ou lixo!

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Muito se fala em sustentabilidade e como devemos agir para alcançá-la. No entanto, não é só proteger a biodiversidade, mas também oferecer soluções práticas que atendam necessidades. E, reciclar o resíduo de construção civil e demolição é uma solução prática para reduzir a quantidade do resíduo enviado para aterros ou evitar o descarte incorreto. Além disso, se apresenta como alternativa para gerar renda para as empresas e reduzir custos.

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Hoje, a Política Nacional de Resíduos Sólidos exige que as empresas reciclem ou crie soluções para reduzir ou não gerar resíduos de construção civil e demolição. Dessa maneira, as empresas geradoras passam a ser responsáveis pela destinação final do resíduo quando não há possibilidade de reuso ou reciclagem na própria obra. Sendo assim, são responsáveis por todos os resíduos que são retirados e manuseados. Em caso de deposição e descarte irregular, podem ser aplicadas multas.

O descarte incorreto desses resíduos além de gerar um problema ambiental e um desperdício de dinheiro. Algumas cidades do país utilizam os resíduos da construção civil e demolição para aterrar os resíduos domésticos nos aterros sanitários, um exemplo, a cidade de Belém. Economizando assim recursos públicos e contribuindo para solucionar o problema do descarte incorreto.

Outras reutilizam os resíduos em obras, como: base para asfalto, para a manutenção de estradas rurais, piso que não empoça água, ou na construção de praças, parques e jardins. A economia que o resíduo de construção civil e demolição reutilizado geram é de até 80% mais baratas caso tivesse utilizando material novo na obra.

Descubra soluções eficientes para reaproveitamento dos resíduos da construção civil.

Como gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição?

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Resíduos de construção civil e demolição são formados por um conjunto de fragmentos ou restos de tijolos, concreto, pedregulhos, areia, argamassa, e materiais inúteis resultantes da reforma e/ou demolição de estruturas, como prédios, residências e pontes.

Esse resíduo tem sido muito reaproveitado para aterrar, nivelar depressão de terreno, vala e etc.. Porém, há outras formas de destinação final ambientalmente correta, contribuindo assim para minimizar ou eliminar os impactos ambientais provocados pela incorreta destinação.

O setor de reciclagem de resíduos de construção civil de demolição apresenta como um potencial mercado, gerando lucros para as empresas. O modelo de negócio mais simples é o processamento dos resíduos para a produção de produtos como areia, brita, pedrisco, rachão ou bica corrida.

Conheça abaixo os tipos de resíduos da construção civil que podem gerar renda para a empresa.

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Tipos de resíduos da construção civil e demolição

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Os procedimentos necessários para gestão de resíduos da construção civil foram estabelecidos pela Resolução CONAMA nº 307/2002. De acordo com a resolução existem quatro diferentes classes possíveis de classificação do resíduo. São elas:

  • Classe A: resíduos recicláveis e passíveis de reutilização tais como: tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento, argamassa e concreto;
  • Classe B: resíduos recicláveis formados por plásticos, papéis, metais, vidros e madeiras em geral, incluindo gesso;
  • Classe C: resíduos que não são passiveis de reciclagem ou recuperação por não possuir tecnologia desenvolvida para isso;
  • Classe D: resíduos perigosos, tais como: tintas, solventes, óleos, amianto, produtos de demolições, reformas e reparos em clínicas radiológicas, instalações industriais e outras.

Para gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição é importante que as empresas já realizem a separação de acordo com as classes na fonte geradora. Depois de separados os resíduos podem ser negociados com outras organizações interessados no resíduo.

Saiba qual a melhor solução para sobras de madeira da construção civil

Como a VG Resíduos auxilia?

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

VG Resíduos por meio de uma plataforma online de compra e venda de resíduos oferece um serviço de qualidade. O Mercado de Resíduos trás soluções para empresas que almejam gerar renda reciclando resíduos de construção e demolição.

Com o sistema que conta com módulos ideais para o seu segmento, todo o processo de venda e compra passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

As vantagens do software da VG Resíduos são: auxilia a empresa a cumprir a Política Nacional de Resíduos; facilita a gestão passivos de informações e evita perdas e falhas no processo; padroniza a comunicação com fornecedores e clientes; minimiza a possibilidade de prejuízos para a empresa; permite o controle completo de documentação e licenças; otimiza a elaboração de relatórios e inventários; auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento; sistematiza as informações em gráficos e dashboards para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Assim sendo, as empresas deve ter a consciência que eles devem buscar alternativas sustentáveis para a destinação final ambientalmente correta de seus resíduos. Destinar a reciclagem além de ser uma pratica sustentável e legal, possibilita à empresa gerar renda reciclando resíduos da construção civil e demolição. Isso pode ser comprovado com algumas vantagens que a reciclagem trás as empresas, como: a simpatia dos clientes; melhor reputação no mercado; geração de receitas; e diminuição da poluição.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como os resíduos da construção civil podem alavancar seu negócio?

Gerar renda reciclando resíduos de construção civil e demolição

Como realizar a reciclagem de plástico passo a passo

 

reciclagem de plástico passo a passo

 

Realizar a reciclagem de plástico passo a passo é o ponto inicial para o sucesso das empresas do setor de reciclagem. A capacidade de reutilização e reciclagem do plástico é um excelente negócio, contudo, o desafio é estruturar o modelo de negócio transformando o plástico em soluções lucrativas. A tarefa de tornar a reciclagem do plástico em bons negócios para as empresas passa pela valorização dos resíduos plásticos e do avanço tecnológico.

Grande parte dos produtos que consumismos atualmente são feitos de plástico. O uso do material revolucionou a indústria, mas também gerou um grande desafio para o planeta: o acúmulo de lixoNo Brasil é gerado anualmente o equivalente a 10,5 milhões de toneladas, e somente 26% é reciclado. Portanto, confira o passo a passo da reciclagem do plástico!

Conhecendo o Plástico

reciclagem de plástico passo a passo

Plástico significa adequado á moldagem, sendo um material flexível. São formados por moléculas orgânicas poliméricas, derivadas do petróleo. O mais simples deles são o polietileno. Mas também existe o PVC poli (cloreto de vinila), o polipropileno, o poliestireno e o PET – poli (etileno tereftalato).

Esses plásticos podem ser divididos em três grupos:

  • 1º grupo: as embalagens de PVC para alimentos;
  • 2º grupo: os plásticos PET e poliestireno que apresentam características tóxicas, porém mais brandas que os plásticos do 1º grupo;
  • 3º grupo: são os plásticos que apresentam características pouco tóxicas como o polietileno e o polipropileno.

A reciclagem do plástico é possível devido a algumas características que os tornam atrativos para o processo. São elas: força e resistência, durabilidade e longa vida, baixo peso, excelente barreira contra água e gases, resistência à maioria dos agentes químicos, excelente processabilidade e baixo custo.

reciclagem de plástico passo a passo

Reciclagem de plástico passo a passo

reciclagem de plástico passo a passo

Os produtos plásticos normalmente apresentam um símbolo que indica se eles são recicláveis ou não. A simbologia é dada de acordo com o tipo de plástico do qual são feitos. Mas, como é realizada a reciclagem de plástico passo a passo? Confira:

Tipo de processo de reciclagem

Existem três tipos de reciclagem, que geram diferentes tipos de produtos e benefícios. São elas: a reciclagem química, mecânica e energética. A mais empregada é a mecânica. A escolha depende do modelo de negócio de cada empresa.

A reciclagem mecânica consiste em transformar os plásticos em pequenos grânulos, que podem ser utilizados na produção de novos materiais, tais como: sacos de lixo, pisos, mangueiras, embalagens não alimentícias, peças de automóveis, entre outros.

A reciclagem química reprocessa os plásticos transformando-o em materiais petroquímicos básicos, que servem de matéria-prima para a criação de outros produtos. Essa reciclagem é mais tolerante a impurezas. Todavia, é mais caro e necessita de enormes quantidades de plástico para ser economicamente viável.

A reciclagem energética transforma o plástico em energia térmica e elétrica através da incineração. Ou seja, nesse processo, é reaproveitado o poder calorífico armazenado nos plásticos. Porém, o método de implantação é mais caro.

Saiba os tipos e formas de reciclagem de resíduos plásticos.

Etapas da reciclagem

reciclagem de plástico passo a passo

A reciclagem mecânica é a mais empregada e a mais lucrativa. Nesse processo os materiais reciclados passam por um processo de alteração física.

A reciclagem mecânica de plástico passo a passo passa por quatro etapas:

  1. Fragmentação (moagem)– os resíduos são levados para um moinho que reduzem o seu tamanho.
  2. Lavagem e Separação– os fragmentos (comumente chamados de flakes) são lavados com água e a separação é feita pela diferença de densidades, ou seja, os materiais mais densos afundam e os menos densos ficam na superfície da água.
  3. Secagem– os flakes separados são secos em grandes secadores com circulação de ar quente.
  4. Extrusão– os flakes secos são alimentados em uma máquina extrusora onde são fundidos por aquecimento e levados por uma rosca sem fim a uma matriz onde são formados os filamentos contínuos (comumente chamados de “espaguetes”). Esses são resfriados em uma banheira com água a temperatura ambiente e são cortados em uma granuladora, formando os grânulos de material plástico reciclado que são embalados.

Saiba como montar uma empresa de reciclagem em 7 passos.

O lucro que vem do lixo

reciclagem de plástico passo a passo

A reciclagem de plástico passo a passo começa quando o consumidor separa e entrega as embalagens ou produtos plásticos para a coleta seletiva ou aos Pontos de Entrega Voluntária – PEVs.

Nesses locais, o material que é recolhido pelos catadores e cooperativas e levado para os Centros de Triagem, onde cada produto é separado pelo tipo de resina (PET, PEAD, PVC, PEBD, PP, PS, outros). Depois da triagem, cada grupo de material é levado para as Recicladoras.

Empregar a reciclagem de plástico é lucrativo para as empresas que acreditam que um desenvolvimento sustentável é possível, buscando o equilíbrio entre o crescimento econômico e o respeito ao meio ambiente. O faturamento de micro empresas do setor de reciclagem de plástico pode chegar a R$120 mil por ano.

Para alcançar esse faturamento é necessário ter bons fornecedores do resíduo e compradores do reciclado. Hoje a internet facilita o contato com esses geradores e compradores. Haja vista que há vários canais que os conecta com a empresa de reciclagem.

A VG Resíduos possui uma plataforma, o Mercado de Resíduos que conecta as geradoras, transportadoras e compradoras de plástico. Através do Mercado de Resíduos as empresas terão a chance de negociar os resíduos de plástico ou o plástico já reciclado obtendo vantagens financeiras com a compra/venda de resíduo.

Esta plataforma trata-se de um ambiente virtual idealizado para oferecer comodidade, praticidade e segurança as empresas que buscam lucratividade, sem perder de vista o cumprimento das legislações ambientais.

Além do Mercado de Resíduos, a VG Resíduos possui um software para gestão de resíduos. Ferramenta ideal para empresas, pois todo o processo de gestão dos resíduos passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

Saiba como ganhar dinheiro com a reciclagem de resíduos.

Assim, concluímos que conhecer a reciclagem de plástico passo a passo é importante para que a indústria de reciclagem obtenha o lucro desejado através da economia circular. A reciclagem de plástico está em consonância com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), uma vez que se baseia no princípio da precaução. Além disso, a PNRS incentiva as empresas de reciclagem.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Tudo que você precisa saber sobre reciclagem de plásticos

reciclagem de plástico passo a passo

 

 

 

Como sua empresa pode lucrar com logística reversa de resíduos de vidros?

logística reversa de resíduos de vidros

Lucrar com logística reversa de resíduos de vidros é possível, uma vez que, dentre os resíduos recicláveis, o vidro possui maior potencial de retorno à cadeia produtiva e, portanto, seria uma boa oportunidade de negócios. Nesse caso, a  logística reversa  envolve a reintrodução do resíduo de vidro ao ciclo de produção como matéria-prima, o que prolonga o ciclo de vida do produto,  permitindo descarte só em último caso.

A logística reversa de resíduos de vidro implementa sistemas de fluxo reverso. Através do sistema o manejo e a destinação final dos resíduos de vidro são operacionalizados e administrados.  Confira!

Como a coleta seletiva contribui para a logística reversa?

O que é a logística reversa dos resíduos de vidro?

logística reversa de resíduos de vidros

O conceito de logística reversa tem sido muito difundido e recomendado desde a instituição da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS. Esse é um tema ambientalmente correto e usado como ferramenta para desenvolver uma economia sustentável dentro de uma organização.

Além disso, o processo de logística reversa dos resíduos de vidro abrange desde a etapa de recolhimento do consumidor final até sua reutilização. Logo, o sistema tem a função de coletar e processar os resíduos a fim de assegurar uma recuperação sustentável dos seus componentes.

A logística reversa de resíduos vidros é utilizada há muito tempo nas indústrias de bebidas, principalmente nas que utilizam as garrafas de vidro retornáveis, como a Coca Cola.

Atualmente, as empresas que investem em logística reversa de resíduos de vidros podem ter um faturamento bruto mensal do negócio de R$ 1,5 milhão. Essas empresas lucram revendendo o material reciclado para outras indústrias que utilizam o resíduo como matéria prima.

Saiba quais os tipos de logística reversa existente no Brasil.

Quais tipos de vidros recicláveis?

logística reversa de resíduos de vidros

O vidro é um material que permite que seja reciclado inúmeras vezes sem perder a qualidade. Portanto, ele pode ser usado para fabricar diversas embalagens e produtos. Dessa maneira, ele é mais empregado na fabricação de embalagens. Veja os tipos de vidros mais reciclados no Brasil:

  • garrafas de sucos, refrigerantes, cervejas e outros tipos de bebidas;
  • potes de alimentos;
  • cacos de vidros;
  • frascos de remédios;
  • frascos de perfumes;
  • vidros planos e lisos;
  • para-brisas;
  • vidros de janelas;
  • Pratos, tigelas e copos.

Conheça sete dicas para vender resíduos e lucrar no Mercado de Resíduos.

O que é a reciclagem de resíduos de vidros?

logística reversa de resíduos de vidros

O processo de logística reversa pode envolver a reciclagem, que consiste no derretimento de resíduos de vidro. Nesse caso, os reciclados são utilizados para a fabricação de novos produtos, na maior parte das vezes, embalagens.

logística reversa de resíduos de vidros

Mais adiante, o reciclado é misturado com a matéria-prima nova. A exemplo, a porcentagem de reciclado de vidro em garrafas é em média 60%. Porém, dependendo da cor, esse percentual ainda pode chegar a 90%.

A reciclagem de embalagens de vidro ganhou grande destaque com a logística reversa de embalagens. Principalmente depois que algumas empresas começaram a utilizar as garrafas retornáveis. Mas, há um fator de empecilho: conscientização da população para realizar a coleta seletiva ou o encaminhamento das embalagens para os pontos de coleta.

Ainda assim, as vantagens de utilizar o reciclado de vidro ao invés de fabricar as embalagens sem a incorporação do reciclado são inúmeras. Como poupar uma boa parte dos recursos naturais. Também consome menor quantidade de energia e emite menos material particulado.

Outra vantagem é que a reciclagem dos resíduos de vidros diminui a geração e descarte de resíduos sólidos urbanos, reduz os custos de coleta urbana e o aumenta da vida útil dos aterros sanitários.

Cabe enfatizar que, para lucrar com a reciclagem do vidro, é preciso tomar alguns cuidados. Dessa forma, o tratador deve separar o material para garantir a pureza do reciclado. Nesse processo, impurezas devem ser eliminadas, como restos de outros materiais que não seja vidro.

Saiba quais técnicas de tratamento do lixo mais lucrativas no Brasil.

Como lucrar com os resíduos de vidros?

logística reversa de resíduos de vidros

Para lucrar com os resíduos de vidros, algumas plataformas podem auxiliar negociar os resíduos recuperados através da logística reversa. Assim, podemos citar como exemplo plataforma Mercado de Resíduos da VG Resíduos. Nela é possível encontrar um lugar seguro para negociação de compra e venda de resíduos de vidros.

logística reversa de resíduos de vidros

Além disso, outros pontos a serem considerados que garantiram a eficiência do sistema de logística reversa são a necessidade de rastreamento e inventário de todos os materiais recolhidos. É possível realizar o diagnóstico completo dos resíduos através do software de gestão da VG Resíduos.

Portanto, por esse software a gestão se torna mais fácil e ágil. Assim, a empresa consegue identificar a quantidade, possibilitando a tomada de decisões correta sobre o quer fazer com o resíduo coletado através da logística reversa.

Sendo assim, a logística reversa dos resíduos de vidros pode ser lucrativa, uma vez que esses resíduos podem ser totalmente reaproveitadas no ciclo produtivo, sem nenhuma perda material. Dessa forma, permite às empresas ampliarem seu negócio ao invés de enviar para aterros sanitários. Ainda assim, além do lucro gerado, a empresa contribui para a redução dos custos de produção e minimiza os impactos ambientais com descartes inadequados. E ainda pode melhorar a sua imagem.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como a reciclagem de embalagens de vidro pode ampliar seu negócio?

logística reversa de resíduos de vidros

 

 

O que o tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

O tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem, pois, em razão da pressão regulatória, o mercado tem valorizado muito as companhias que se mostram mais eficientes do ponto de vista ambiental. E, sendo assim, as empresas estão ambicionando para si, metas cada vez mais agressivas quando o assunto é reciclagem. 

Muitos resíduos que ficam de fora da meta, podem ser inclusos caso sejam tratados previamente para, posteriormente serem enviados até a destinação final. Conheça. 

Saiba mais: como montar uma empresa de reciclagem em 7 passos.

Como a meta de reciclagem de uma empresa é definida?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagemToda empresa ativa gera resíduos. Desde o empresário individual que trabalha no escritório de sua casa até a grande indústria de alta complexidade, todos geram algum tipo de resíduo em maior ou menor grau.

Antes de ser uma decisão de mercado, a opção pela reciclagem é um posicionamento humano de cada gestor, uma vez que sua atividade gera, de uma forma ou de outra, algum impacto ambiental.

A meta de reciclagem nas empresas maiores geralmente é definida por setor, já que há itens com tratamento obrigatório e outros que apresentam bastante valor agregado.

Já nos empreendimentos menores, a meta de reciclagem é feita de forma mais arbitrária, de acordo com a capacidade dos gestores em encontrar soluções efetivas para os resíduos produzidos.

Uma forma interessante de se definir a meta de reciclagem da empresa é através dos benchmarks, assim, é possível utilizar resultados e números já obtidos por outras empresas como padrões.

A partir daí é só subir a meta cada vez mais, tendo como alvo a eficiência total. Para obter um benchmark, procure os números de reciclagem de empresas que atuem no mesmo setor que a sua.

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

Por que é importante que a empresa tenha uma meta de reciclagem?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

A maior parte das empresas pode ter seu programa de sustentabilidade ambiental reduzido a três fatores: eficiência energética, baixa emissão de poluentes e reciclagem dos resíduos produzidos.

Quem controla estes três fatores está no caminho certo para um programa de sustentabilidade de alto nível.

A meta de reciclagem é portanto, o fator de gestão que permite à empresa a mensuração de sua eficiência em relação à produção e destinação adequada dos resíduos (um dos três fatores chave).

Sem uma meta de reciclagem, o desempenho da empresa neste quesito ficará à mercê da percepção individual dos gestores, o que certamente resultará em ingerência.

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

Qual atribuição legal para as metas de reciclagem das empresas?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

De acordo com a legislação brasileira, alguns produtos não podem ser descartados ou enviados a aterros, sendo assim (ainda que de forma indireta), sua meta de reciclagem acaba sendo de 100% para as empresas.

Um exemplo é o caso dos pneus, as indústrias deste tipo de produto precisam praticar a logística reversa, reinserindo o material na cadeia produtiva. Também é o caso das baterias, que não podem ser descartadas ou enviadas a aterros sanitários.

Não existe uma meta de reciclagem legal para as empresas, mas como dissemos, alguns produtos acabam exigindo a meta de 100%. Há também o caso dos materiais que, por terem elevado valor de mercado exigem altas metas de reciclagem, como é o caso dos metais, que são enviados a indústrias para reinserção na cadeia produtiva.

Quais resíduos de alimentos podem ser colocados na composteira?

Em que o tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem?

As metas de reciclagem são mais facilmente alcançadas quando há o tratamento de resíduos na empresa. Neste sentido, o tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem quando ele permite que menos materiais sejam descartados dentro do mesmo processo.

Um tipo de tratamento que agrega bastante valor à meta de reciclagem é a separação e identificação dos resíduos.

Quando a empresa separa corretamente, identifica e trata de forma superficial seus resíduos, ela viabiliza seu acúmulo e venda para organizações recicladoras.

Já as organizações que não separam os materiais, depreciam seu valor de mercado e em muitos dos casos, inviabilizam a reciclagem, já que o contato com gorduras e matéria orgânica acaba levando ao descarte no lixo comum.

Como as ferramentas modernas podem auxiliar na meta de reciclagem?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

Hoje existem ferramentas modernas que podem auxiliar as empresas no alcance de suas metas de reciclagem. Uma delas é o VG Resíduos, software desenhado especificamente para empresas que precisam realizar o gerenciamento dos resíduos produzidos por sua operação.

O software administra a geração por áreas, por processos e por operações. Ele permite a instauração de dezenas de indicadores e fornece relatórios de gestão para o acompanhamento das metas, além de certificados de destinação final que serão apresentados aos órgãos de fiscalização ambiental.

De forma geral, o software automatiza o processo de gestão de resíduos da empresa, dando ao gestor as informações necessárias para suas intervenções.

Qual a diferença entre coleta seletiva e logística reversa?

Como encontrar parceiros que auxiliem a bater metas de reciclagem?

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

Outro ponto que precisa ser tratado é a obtenção de parceiros para a reciclagem dos resíduos produzidos pela empresa. Afinal de contas, não adianta tratar os resíduos internamente, se não há ninguém para recicla-los com eficiência.

Uma ferramenta que se propõe a resolver o problema da localização de parceiros é o Mercado de Resíduos. O software que funciona em nuvem integra geradores a tratadores de resíduos.

Na plataforma é possível cadastrar os resíduos que se planeja vender, daí pra frente basta aguardar os lances dos tratadores e realizar a venda àquele que tiver a melhor oferta.

Uma vantagem da plataforma é que ela avalia antes as licenças de cada tratador, de forma que só podem dar lances, as empresas habilitadas a tratar o resíduo ofertado.

O tratamento de resíduos certamente agrega valor à meta de reciclagem, já que ele permite que ela seja mais facilmente alcançada e que os resultados financeiros da venda de resíduos sejam aumentados pela empresa.

É importante no entanto, que seja feita uma gestão acurada e responsável desta atividade, já que a destinação executada de forma inadequada pode trazer riscos à empresa, pois se o material for enviado à centros de reciclagem não habilitados e houver algum tipo de problema, a firma poderá ser responsabilizada solidariamente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Sete bons motivos para incluir a logística reversa de resíduos

tratamento de resíduos agrega à meta de reciclagem

Compostagem ou Reciclagem: diferenças e quais resíduos destinar?

compostagem ou reciclagem

Qual a importância compostagem ou reciclagem para a conservação ambiental? O Brasil produz cada vez mais resíduos, mas precisa avançar nas iniciativas de reaproveitamento do lixo. Segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, Abrelpe, em 2017, foram gerados 78,4 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos, 1% a mais em relação a 2016. Um volume grande dessas sobras – 40,9% do que é coletado -, vai para os lixões ou aterros controlados, segundo a associação. Diante desse cenário, é cada vez mais importante adotar métodos que dão vida nova aos resíduos, como a compostagem ou a reciclagem.

Ambas as técnicas evitam o excesso de lixo e os impactos causados pelos resíduos no meio ambiente, como a poluição do solo, água e ar. Outra vantagem é que a transformação dos resíduos evita a retirada de matérias-primas da natureza que seriam usadas para a fabricação de novos produtos. Também colaboram com a limpeza, a saúde pública e geração de empregosAcompanhe!

Quais resíduos de alimentos podem ser colocados na composteira?

Saiba a diferença entre compostagem e reciclagem

compostagem ou reciclagem

A compostagem é uma técnica que transforma os restos orgânicos (sobras de frutas e legumes e alimentos em geral, podas de jardim, trapos de tecido, serragem, etc) em adubo. É um processo biológico que acelera a decomposição do material orgânico, originando o composto orgânico.

Por meio da compostagem são recuperados os nutrientes dos resíduos orgânicos, levando-os de volta ao ciclo natural, gerando um adubo rico para o solo de lavouras e jardins.

Já a reciclagem é ideal para os outros tipos de resíduos e resulta no reaproveitamento das sobras. É uma técnica que consiste na mudança do estado físico, físico-químico ou biológico do resíduo, de modo a atribuir características para que ele se torne novamente matéria-prima ou produto.

compostagem ou reciclagem

Conheça os resíduos ideais para compostagem ou reciclagem

compostagem ou reciclagem

Alguns resíduos funcionam muito bem para a compostagem. Entre eles, estão:

  • restos de alimentos: sobras, talos e casca de verduras e frutas (menos as cítricas), cascas de ovo;
  • resíduos frescos: podas de grama e folhas, que precisam secar antes de serem usadas;
  • serragem sem verniz e folhas secas: são ricos em carbono e evitam o aparecimento de animais indesejados e mau cheiro;
  • alimentos cozidos ou assados: podem ser usados, mas em pequenas quantidades porque possuem excesso de sal e conservantes. São resíduos que não podem estar úmidos, por isso, deve-se adicionar pó de serra sobre os restos.
  • estercos: podem ser de boi, de porco e de galinha, mas devem estar curtidos;
  • borra de café: inibe o aparecimento das formigas e é um excelente complemento nutricional para as minhocas. O filtro de papel do preparo do café também pode ser incluído na compostagem.

compostagem ou reciclagem

Já para a reciclagem, há diversos resíduos que podem ser destinados, entre eles:

  • plástico: pode ser transformado em embalagens, brinquedos, móveis, tecidos e na montagem de automóveis;
  • papel: pode ser transformado em produtos de papel sanitários (papel higiênico, toalhas de papel e toalhas de chá, dentre outros); papel não revestido; papel de cópia; papel de jornal; revistas; livros; cadernos;
  • alumínio: pode ser transformado em  alumínio líquido, que vira lingotes ou chapas de alumínio. Os materiais são vendidos para as indústrias que fabricam produtos e embalagens de alumínio, inclusive as latinhas de bebida. Assim, o material retorna à cadeia produtiva.
  • vidro: pode ser reciclado e usado nas embalagens de vidro.

Qual a diferença entre coleta seletiva e logística reversa?

Entenda as vantagens da compostagem e da reciclagem

compostagem ou reciclagem

Os maiores benefícios das técnicas de reaproveitamento de resíduos é que elas poupam o meio ambiente e a saúde humana.  Entre as vantagens da compostagem estão, por exemplo, o aumento da capacidade de infiltração da água e a redução da erosão do solo. O composto também aumenta a população de minhocas, insetos e microrganismos desejáveis, estabelecendo um equilíbrio entre as populações e a planta hospedeira.

Já a reciclagem é considerada pelo Ministério do Meio Ambiente como uma das formas mais vantajosas de tratamento de resíduos. Por meio dela, é reduzido o consumo de recursos naturais, poupa-se energia e água, diminui-se o volume de lixo e gera-se emprego para os coletores.

A reciclagem faz com que a geradora assuma uma postura ambientalmente responsável e, ainda, lucre.  Os resíduos reciclados podem voltar para as fábricas como matéria-prima ou novos produtos que podem ser comercializados.

Soluções de logística reversa: qual a melhor para a minha empresa?

VG Resíduos pode ser aliado no gerenciamento de resíduos

compostagem ou reciclagem

Para muitas geradoras, não é simples implantar as técnicas de reaproveitamento de resíduos. Por esse motivo, é bom contar com uma consultoria que oriente como fazer o gerenciamento das sobras adequadamente e conforme as leis ambientais. Pode, ainda, auxiliar na logística reversa, método que instala pontos de entrega voluntária para que os consumidores depositem os produtos pós-uso. Os materiais são recolhidos pelos fabricantes e voltam ao ciclo produtivo como matéria-prima.

Outro suporte interessante vem da VG Resíduos, que mantém a plataforma Mercado de Resíduos. Trata-se de um software por meio da qual as geradoras e tratadoras podem negociar seus materiais.

Por meio digital, as geradoras podem anunciar os resíduos que foram transformados. Basta um cadastro na plataforma, informando qual material está disponível. Da mesma forma, tratadoras cadastradas têm acesso aos materiais das geradoras, podendo se interessar por elas.  De maneira totalmente automatizada, a plataforma coloca gerador e tratador em contato, selecionando as melhores propostas para cada negócio.

Como funciona e como montar uma usina de compostagem?

A plataforma reúne milhares de empresas do Brasil e pode ser acessada 24 horas por dia, de qualquer lugar do mundo.

Como se vê, buscar alternativas de reaproveitamento dos resíduos é essencial para se poupar o meio ambiente. Tanto a compostagem quanto a reciclagem são técnicas que permitem às geradoras serem ambientalmente corretas e, ainda, lucrarem com a transformação dos resíduos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como montar uma empresa de reciclagem em 7 passos.

compostagem ou reciclagem

Como sua empresa pode lucrar ao transformar o biogás em energia elétrica?

transformação do biogás em energia elétrica

Investir na transformação do biogás em energia elétrica, além de ser uma prática ecologicamente correta e lucrativa, pode ser uma ótima ideia. As tratadoras de resíduos são empresas fundamentais para o bom funcionamento da gestão de lixo, especialmente quando investem em técnicas de reciclagem. No campo da reciclagem elétrica, porém, ainda há muito o que avançar. 

O biogás é produzido a partir da decomposição da matéria orgânica (resíduos orgânicos) por bactérias. Em seguida, pode gerar energia elétrica local, por meio de   combustão em um motogerador ou em uma microturbina.  No Brasil, ainda são tímidas as iniciativas de reciclagem do biogás, mas Caieiras, no município de São Paulo, se destaca.

A cidade possui a maior fábrica de biogás do país, a partir do tratamento de oito mil toneladas de resíduos tratados por dia.  Possui uma capacidade instalada de 29,5MW, suficiente para fornecer eletricidade a uma cidade de 300 mil habitantes.

A seguir, você entende como transformar o biogás em energia elétrica. Compreende a reciclagem elétrica e como as tratadoras podem lucrar com ela. Acompanhe!

Veja o que o Brasil perde ao desperdiçar o biogás

transformação do biogás em energia elétrica

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Biogás e de Biometano (Abiogás) aponta que o Brasil perde muito não transformando o biogás. O estudo afirma que o país desperdiça por ano por ano mais de uma Itaipu e meia em energia que poderia ser obtida com o biogás. Deixa de gerar 115 mil gigawatts-hora de energia com o não aproveitamento dos rejeitos urbanos, da pecuária e da agroindústria. Esse volume poderia abastecer quase 25% de toda energia elétrica consumida em no Brasil durante um ano.

Diferentemente do Brasil, a reciclagem energética é bem desenvolvida em países  como Japão, Estados Unidos e Alemanha. Nesse último país, a reciclagem energética foi capaz, inclusive, de eliminar os aterros sanitários.  Os Estados Unidos fornecem energia elétrica a 2,3 milhões de residências, ao aproveitar resíduos em suas 98 usinas. A União Europeia conta com 420 usinas de reciclagem energética, no Japão são 249 e na Suíça são 27.

transformação do biogás em energia elétrica

Conheça as vantagens de transformar o biogás

transformação do biogás em energia elétrica

A possibilidade de transformar o biogás em energia elétrica seria altamente benéfica para o Brasil, já que o país sofre com o excesso de lixo gerado. Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, o Brasil gera 800 milhões de toneladas de resíduos orgânicos. E a grande preocupação atual é como destinar as sobras corretamente, já que os aterros sanitários estão saturados e não dão conta de absorver o volume.

Além de uma solução para o excesso de resíduos, existem outros benefícios na transformação do biogás, entre eles estão:  

  • a captura e utilização do biogás são relativamente simples;
  • trata-se de um recurso energético que, se não aproveitado, seria desperdiçado;
  • contribui na redução das emissões de poluentes para a atmosfera;
  • a reciclagem energética tem total amparo da ONU, sendo a organização uma das principais incentivadoras desse tipo de processo;
  • o terreno exigido para a instalação de uma usina de reciclagem energética é bem menor do que os espaços ocupados pelos aterros.

Poupe o meio ambiente transformando o biogás

transformação do biogás em energia elétrica

Segundo este estudo, a energia gerada no aproveitamento do biogás é uma prática altamente sustentável. Cada megawatt de energia gerada ou a utilização direta média de 615 m³/h é equivalente:

  • um plantio anual de 4.900 hectares de árvores;
  • redução anual das emissões de gás carbônico de nove mil automóveis;
  • prevenção anual do uso de 99 mil barris de petróleo;
  • prevenção anual do uso de 200 vagões de carvão;
  • fornecimento de eletricidade a 650 casas por ano.

Saiba como o biogás vira energia elétrica

O biogás  surge da decomposição da matéria orgânica (resíduos orgânicos) por bactérias. Para a produção de energia, ocorre a conversão da energia química do gás em energia mecânica por meio de um processo controlado de combustão. Essa energia mecânica ativa um gerador que produz energia elétrica. O biogás também pode ser usado em caldeiras por meio de sua queima direta para a cogeração de energia.

 Na combustão, é essencial que os gases nocivos não se propaguem pela atmosfera.  A queima pode causar emissão de dioxina e de outros poluentes comprovadamente perigosos para a saúde pública. Essas descargas são potencialmente cancerígenas e de alto nível de toxicidade.

Por isso, é imprescindível que a tratadora cumpra todas as leis ambientais. Antes de implantar a reciclagem do biogás, é preciso que o método seja comprovado e tenha sua viabilidade técnica e ambiental aprovadas por órgãos especializados. Tudo isso com um programa que monitore os riscos de emissão dos gases tóxicos.

Para não haver equívocos na transformação do biogás, é viável contar com uma consultoria. O Grupo Verde Ghaia possui uma equipe especializada em gerenciamento de resíduos. Seus profissionais podem assessorar a tratadora tanto em relação à legislação quanto à melhor forma de implantar a reciclagem energética.

transformação do biogás em energia elétrica

Mercado de Resíduos dá visibilidade às sobras

transformação do biogás em energia elétrica

Outra maneira de ser bem sucedido na transformação do biogás é fazer parte do Mercado de Resíduos. Para encontrar clientes, que queiram transformar suas sobras em energia, as tratadoras podem contar com uma plataforma que facilita as negociações.

Criada pela startup VG Resíduos, o Mercado de Resíduos é um site que aproxima compradores e geradores de resíduos. A plataforma reúne milhares de empresas do Brasil e pode ser acessada 24 horas por dia, de qualquer lugar do mundo. Os geradores cadastrados na plataforma informam qual resíduo produzem, já os tratadores podem fazer ofertas para manejo ou compra dessas sobras. De forma totalmente automatizada, a plataforma seleciona qual a oferta ganhadora do leilão, colocando gerador e tratador em contato.

As tratadoras de resíduos são empresas fundamentais para o gerenciamento adequado das sobras, especialmente quando apostam na reciclagem. Há um grande potencial a ser explorado na reciclagem elétrica. As tratadoras podem adotar métodos capazes de transformar biogás em energia elétrica, mostrando-se sustentáveis e obtendo lucros.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: 7 dicas para ampliar seu negócio reciclando o lixo orgânico

transformação do biogás em energia elétrica

 

Como funciona a logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes?

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

A logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes é um tema de importância crescente que vem alterando a dinâmica do mercado.  Diversos motivos impulsionam este tema, como o fato das lâmpadas serem consideradas resíduos perigosos que necessitam de destinação ambientalmente correta após o consumo. No entanto, a aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, foi um dos motivos que mais incentivam as empresas a lidar com esse resíduo.

Quando as lâmpadas fluorescentes são descartadas em locais inadequados podem contaminar o meio ambiente, intoxicar os seres humanos causando problemas físicos e neurológicos.

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

A logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes é um processo que planeja, opera e controla o fluxo e as informações logísticas referentes ao retorno das lâmpadas após o consumo. Confira mais sobre o tema neste artigo!

Leia: Qual a diferença entre coleta seletiva e logística reversa?

Logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

Os resíduos de lâmpadas fluorescentes se caracterizam por lâmpadas adquiridas, utilizadas e descartadas pelo consumidor. Normalmente, essas lâmpadas fluorescentes podem retornar ao seu ciclo produtivo, através canais reversos de pós-consumo como de reciclagem e de reuso.

Com a logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescente é possível retornar o resíduo descartado ao ciclo de negócios ou ao ciclo produtivo.

A logística reversa já é um instrumento utilizado por diversos países como uma alternativa eficiente para o adequado gerenciamento de resíduos. No Brasil foi a PNRS que implantou este sistema. O objetivo é fazer retornar todos os produtos pós-consumo ao setor empresarial. Este retorno garante a recuperação dos materiais recicláveis que farão parte de um novo ciclo produtivo.

A PNRS obrigou inicialmente a implantação da logística reversa às cadeias de:

Saiba mais: quais os principais tipos de logística reversa no Brasil.

Como realizar a logística reversa das lâmpadas?

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

O processo de logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes inclui o gerenciamento das seguintes etapas: coleta, armazenagem, manuseio e movimentação ainda no gerador de resíduos. Além da coleta e transporte, movimentação e armazenagem na indústria de reciclagem.

As lâmpadas fluorescentes pós-consumo devem ser colocadas, na posição vertical e dentro das embalagens originais quando possível. Caso não seja possível, deverá ser acondicionada utilizando materiais como: papelão, papel ou jornal e fitas autocolantes. Os materiais utilizados para embalar as lâmpadas usadas devem garantir a proteção contra choques mecânicos.

Após estarem embaladas as lâmpadas devem ser colocadas em recipiente portátil ou caixa para o transporte até as empresas de reciclagem licenciadas pelos órgãos ambientais.

Já as lâmpadas quebradas devem ser acondicionadas separadamente das demais lâmpadas. E, em herméticos, como tambores de aço devidamente vedados para evitar a contaminação pelas substâncias perigosas das lâmpadas.

Os consumidores domésticos podem procurar por postos de coleta para entregar as lâmpadas usadas. Esses pontos de coleta podem ser das prefeituras ou de algumas empresas particulares, como shoppings e lojas de materiais de construção. Normalmente esses postos de coleta não cobram para receber esses resíduos. Após coletado certa quantidade esses postos encaminham para os fabricantes ou para as recicladoras.

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

Já empresas privadas devem procurar por outras empresas especializadas para realizar o descarte das lâmpadas. Essas tratadoras realizam o tratamento das lâmpadas através da reciclagem e neutralização dos seus riscos. Porém este serviço envolve um custo para a geradora.

Ainda no Brasil, o custo para se reciclar lâmpadas fluorescentes é de responsabilidade do gerador de resíduos.

Leia também: Soluções de logística reversa: qual a melhor para a minha empresa?

Por que implantar a logística reversa na empresa?

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

A PNRS estabeleceu a responsabilidade compartilhada na gestão dos resíduos. Pela lei todas as empresas estão obrigadas a organizarem um sistema de logística reversa de resíduos.

Várias organizações buscam entidades que lhes deem suporte operacional para atender o que a lei determinou quanto à implantação do sistema de logística reversa pós-consumo das lâmpadas fluorescentes. Para tanto, a VG Resíduos conta com software que auxilia a empresa a realizar toda a gestão dos resíduos gerados. Desde a segregação até a destinação final.

É possível implantar o sistema por meio de contratação de transportadoras, criação de centros de coletas de resíduos, parcerias com recicladoras, cooperativas e unidades gestoras de resíduos. Além de criação de um ponto de coleta para que o consumidor comum saiba onde deve levar as lâmpadas usadas para o descarte.

Benefícios da logística reversa pós-consumo

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

A logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes vai muito além da obrigação legal. Investir no sistema significa um importante diferencial competitivo para a empresa. Com o sistema a empresa melhora sua imagem perante os seus clientes, além de conseguir gerar lucro vendendo o coletado. Ou mesmo reutilizando em seus processos.

Veja quais são os benefícios da logística reversa de resíduos não industriais:

  • criar uma imagem sólida perante os consumidores;
  • explorar ações de marketing vinculadas à logística reversa;
  • melhorar o processo de produção já que os resíduos retornam à cadeia produtiva, o que diminui o consumo e os custos de matérias-primas;
  • gerar produtos mais eficientes já que as empresas passam a adotar tecnologias mais limpas. Isto simplifica a reutilização e a criação de embalagens e produtos que podem ser reciclados com maior facilidade;
  • criar consumidores mais conscientes.

Porém, o maior desafio da logística reversa pós-consumo das lâmpadas fluorescente é a conscientização da sociedade na questão da educação ambiental. Muitos não têm orientação para o coreto descarte das lâmpadas usadas. Na maioria das vezes, esses resíduos são destinados aos aterros.

A logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes deve ser vista como uma grande alternativa para o reaproveitamento dos resíduos em um novo ciclo de vida. A logística reversa impede o aumento da poluição e da extração continuadas de recursos naturais que, em sua grande maioria, já se encontram em extinção. Além de evitar danos a natureza e a saúde do homem.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Sete bons motivos para incluir a logística reversa de resíduos

logística reversa pós-consumo de lâmpadas fluorescentes

 

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2018