Como a coleta seletiva pode trazer benefícios para sua empresa?

Como a coleta seletiva pode trazer benefícios para sua empresa?
1.5 (30%) 30 votos

coleta seletiva

A coleta seletiva consiste em uma coleta diferenciada de resíduos com características similares. O gerador do resíduo separa previamente o resíduo segundo a sua constituição ou composição e disponibiliza-os para a coleta separadamente. Essa separação facilita a reciclagem tornando-a mais fácil e viável economicamente, pois cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos estabeleceu que os municípios brasileiros devam implementar a coleta seletiva. No entanto, essa não é uma obrigação somente das prefeituras, as empresas com responsabilidade ambiental devem adotar essa medida sustentável no seu negócio.

Os benefícios com a implantação da coleta seletiva na organização são inúmeros. Neste artigo vamos saber como implantar a coleta seletiva para trazer esses benefícios para sua empresa. Confira!

Afinal, como funciona a coleta seletiva?

Nem todos os municípios brasileiros possuem coleta seletiva, mas os que possuem oferecem duas formas mais comum, a coleta porta-a-porta e a por Pontos de Entrega Voluntária (PEVs).

A coleta porta-a-porta pode ser realizada tanto pelo prestador do serviço público de limpeza e manejo dos resíduos sólidos ou quanto por associações ou cooperativas de catadores de materiais recicláveis.

Os pontos de entrega voluntária estão situados estrategicamente próximos de um conjunto de residências ou instituições para entrega dos resíduos segregados e posterior coleta pelo poder público.

Já as empresas podem realizar a coleta seletiva e destinar os resíduos para terceiros que compram o material segregado. Como isso a organização lucra com a venda do resíduo gerado, exemplos têm a venda de papel, plástico, sucata metálico e resíduo orgânico.

Leia também: Como lucrar com a logística reversa de embalagens?

Principais etapas para implementação da Coleta Seletiva

 

coleta seletiva

Um projeto de coleta seletiva é a melhor forma de destinar os resíduos adequadamente dentro de uma organização. Além disso, é uma forma de aumentar seus rendimentos ao invés de somente ter custo para o descarte correto.

A implantação de um projeto de coleta seletiva envolve o desenvolvimento de três etapas: planejamento, implantação e manutenção.

1. Planejamento

coleta seletiva

A fase de planejamento se divide em quatro passos:

Primeiro Passo: Envolvimento das pessoas

Para o sucesso da coleta seletiva é importante sensibilizar os colaboradores para a realização desse trabalho. Somente uma pessoa preocupando com projeto não conseguirá o mesmo sucesso, mas se todos tiverem envolvidos o objetivo será alcançado.

O envolvimento deve ser desde a alta direção.

Confira: Quatro dicas para empreender com reciclagem de óleo de cozinha

Segundo Passo: Classificação e caracterização dos resíduos

Para realizar a coleta seletiva corretamente é importante conhecer os resíduos gerados dentro da empresa. Além disso, saber quanto à quantidade e o tipo de resíduo gerado vai contribuir para definir o que será feito com ele.

É importante saber:

  • número de colaboradores – para delinear a quantidade gerada;
  • quantidade diária de resíduo gerada;
  • quais tipos de resíduos e porcentagens de cada um (papel, alumínio, plástico, vidro, orgânicos, perigosos, etc.);
  • desde onde é gerado até onde é armazenado para a coleta;
  • se alguns resíduos já são coletados separadamente e para onde são encaminhados;
  • os pontos necessários para a disposição adequada dos coletores;
  • os procedimentos de limpeza e coleta.

Conheça também se a empresa possui todos os recursos necessários para implementar a coleta seletiva, como:

  • recursos materiais existentes (tambores, latões e outros que possam ser reutilizados);
  • quantidade de pessoas que realizam a limpeza e a coleta normal do resíduo;
  • em quais horários e a frequência da limpeza;
  • quais os locais para armazenagem;

Terceiro passo: saber para quem enviar o resíduo

Não adianta realizar a coleta se não souber o que será feito do resíduo separado. Imagina o trabalho em implantar a coleta seletiva e no final tudo que foi separado será enviado para o mesmo lugar, ou seja, para os aterros.

O resíduo reciclável coletado pode ser enviado para cooperativas de reciclagem ou vendidos para outras empresas ou para tratadoras.

Quarto passo: decisões estratégicas

Sim, até na implementação da coleta seletiva a organização deve realizar o planejamento estratégico.

Sabendo sobre as quantidades geradas de resíduo por tipo, as necessidades de estocagem no local e o número de colaboradores existentes é necessário tomar certas decisões, como:

  • quais materiais recicláveis serão coletados;
  • quem fará a coleta;
  • onde será estocado o material;
  • para quem será doado ou vendido;
  • qual a logística a ser adotada, desde a origem até o local da estocagem;
  • quem fará o recolhimento do coletado, como e em que frequência e horário.

2. Implantação

coleta seletiva

Na fase da implantação da coleta seletiva a organização deve se adequar para o funcionamento do projeto.

Compra de equipamentos e materiais necessários para a coleta e separação dos resíduos, tais como: lixeiras, fragmentadoras, balanças, adesivo, sacos plásticos e outros materiais planejados.

Esta é a fase em que ocorre o treinamento dos funcionários de como devem ser feito a separação. Papel deve ser destinado no local próprio para papel, plástico com plástico, vidro com vidro, metal com metal, resíduos orgânicos e etc.

3. Manutenção

Nesta fase será importante que a empresa tenha formado um grupo para monitorar a coleta seletiva. Será necessário verificar se o projeto esta sendo desenvolvido continuamente, como também observar oportunidades de melhoria.

É importante que sempre a organização divulgue os resultados positivos que a coleta seletiva trouxe e os benéficos de manter o programa.

Saiba mais: Como usar a economia circular para sua empresa gerar renda?

Empresas que implantaram a coleta seletiva

coleta seletiva

Algumas empresas possuem um projeto bem estruturado de coleta seletiva e apoiam a implantação do programa para o desenvolvimento sustentável. Como por exemplo:

Sabemos que a coleta seletiva é o método de destinação adequada do resíduo. A principal importância da coleta seletiva é a redução dos impactos ambientais do consumo. Concluímos que quando implantamos um programa de coleta seletiva dentro da organização, facilitamos muito o seu tratamento e diminuímos as chances de impactos nocivos para o ambiente e para a saúde do homem. Praticar a coleta seletiva é um dos pilares do consumo sustentável.

Gostou desse conteúdo ou achou o artigo relevante? Comente abaixo ou compartilhe nas redes sociais.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: 6 dicas para sua empresa lucrar com a compostagem de resíduos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019