Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

05/06/2018

trata corretamente resíduos hospitalares

Devido ao risco desse tipo de resíduo, o fornecedor deve demonstrar que trata corretamente resíduos hospitalares a fim de comprovar ao cliente a destinação correta.

O resíduo hospitalar é gerado por hospitais, clínicas, necrotérios e etc. e, possuem um alto teor de contaminação para o ser humano e para o meio ambiente se não for descartado corretamente. Alguns tipos de resíduos hospitalares podem ser enviados para aterros sanitários, já outros devem passar por um tratamento anterior devido ao seu risco de contaminação.

São muitas as tecnologias para tratamento de resíduos hospitalares, mas todas devem assegurar que os impactos serão minimizados. As tratadoras devem seguir todas as determinações imposta pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Então, vamos descobrir como demonstrar para o cliente que a empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

Leia também: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

Premissas para o tratamento de resíduos hospitalares

trata corretamente resíduos hospitalares

Qualquer que seja a tecnologia de tratamento a ser adotada pela empresa tratadora, terá que atender às seguintes premissas para demonstrar que trata corretamente resíduos hospitalares:

  • promover a redução da carga biológica dos resíduos, de acordo com os padrões exigidos: eliminação do bacillus stearothermophilus no caso de esterilização, e do bacillus subtyllis, no caso de desinfecção;
  • atender aos padrões estabelecidos pelo órgão de controle ambiental do estado para emissões dos efluentes líquidos e gasosos;
  • descaracterizar os resíduos.

Os processos disponíveis que atendem a estas premissas fundamentais são:

  • incineração;
  • pirólise;
  • autoclavagem;
  • microondas;
  • radiação ionizante;
  • desativação eletrotérmica;
  • tratamento químico.

Como demonstrar que trata corretamente resíduos hospitalares

trata corretamente resíduos hospitalares

O tratamento dos resíduos envolve um conjunto de atividades e processos. Esse conjunto de processos e atividades necessita passar pelo processo de Licenciamento Ambiental conforme Resolução CONAMA no 237/97. Através do licenciamento a tratadora demonstra que trata corretamente resíduos hospitalares.

No licenciamento serão apresentadas características do empreendimento, aonde serão realizados o tratamento, além dos aspectos ambientais relevantes das áreas que sofrem influência do mesmo.

Essas informações serão utilizadas para avaliação dos impactos ambientais possíveis em decorrência da instalação e operação desses empreendimentos, demonstrando o atendimento à Legislação Ambiental.

Sem o licenciamento a empresa tratadora não estará cadastrada nos órgãos ambientais e seu cliente não conseguirá emitir documentos que comprovem que o resíduo hospitalar foi destinado de forma ambientalmente correta.

A ANVISA e o CONAMA orientam, definem regras e regulam a conduta dos diferentes agentes (gerador e tratador), no que se refere à geração e ao tratamento dos resíduos hospitalares, com o objetivo de preservar a saúde e o meio ambiente, garantindo a sua sustentabilidade.

As empresas que tratam os resíduos hospitalares devem possuir a licença de operação (LO) e os documentos de monitoramento ambiental previstos no licenciamento.

Saiba mais: Como implementar a produção mais limpa na minha empresa?

Acondicionamento, coleta e transporte dos resíduos hospitalares

trata corretamente resíduos hospitalares

A tratadora que trata corretamente resíduos hospitalares deve garantir que os resíduos serão acondicionados em recipientes compatíveis com a quantidade de cada tipo de resíduo. Os sacos de acondicionamento devem ser constituídos de material resistente à ruptura e vazamento, impermeável, respeitando os limites de peso de cada saco, sendo proibido o seu esvaziamento ou reaproveitamento.

A coleta deve ser feita separadamente, de acordo com o grupo de resíduos e em recipientes específicos a cada grupo de resíduos.

No transporte dos resíduos hospitalares podem ser utilizados diferentes tipos de veículos, de pequeno até grande porte, dependendo das definições técnicas no município que será coletado o resíduo.

A tratadora pode utilizar dois tipos de carrocerias para transporte: montadas sobre chassi de veículos e do tipo furgão, ambas sem ou com baixa compactação, para evitar que os sacos se rompam.

Devem constar em local visível no veiculo de transporte o nome do município, o nome da empresa coletora (endereço e telefone), a especificação dos resíduos transportáveis, com o numero ou código estabelecido na NBR 10004, e o número do veículo coletor.

Além disso, deve portar documentos de inspeção e capacitação, em validade, atestando a sua adequação, emitidos pelo INMETRO ou entidade por ele credenciada.

Leia também: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Armazenamento dos resíduos a serem tratados

O armazenamento deve seguir uma serie de recomendações como:

  • abrigo deve ser dimensionado de acordo com o volume de resíduos a serem tratados, com capacidade de armazenamento compatível com a periodicidade de coleta;
  • construído de forma que garanta um ambiente separado para o armazenamento de resíduos do grupo A juntamente com o grupo E. E um ambiente para o grupo D;
  • o ambiente deve garantir condições físicas estruturais adequadas, impedindo a ação do sol, chuva, ventos etc. e que pessoas não autorizadas ou animais tenham acesso ao local;
  • possuir símbolo de identificação, em local de fácil visualização, de acordo com a natureza do resíduo;
  • o armazenamento de resíduos deve ser construído em alvenaria, fechado, com aberturas somente para ventilação, ser revestido internamente (piso e paredes) com material liso, lavável e impermeável.

Tratamento dos resíduos hospitalares

trata corretamente resíduos hospitalares

Para demonstrar como trata corretamente resíduos hospitalares a tratadora deve empregar métodos de tratamento apropriados para cada grupo de resíduos.

Abaixo são apresentados os métodos de tratamento recomendáveis a cada grupo:

GRUPOS DE RESÍDUOS HOSPITALARES

DESCRIÇÃO

MÉTODOS DE TRATAMENTO

Grupo A

Resíduos que apresentam risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente devido à presença de agentes biológicos.

Incinerador, Esterilização por plasma, Desinfecção química, Esterilização por microondas, Esterilização a vapor, Esterilização por radiações ionizantes e Esterilização a seco ou inativação térmica.

Grupo B

Resíduos que apresentam risco potencial à saúde pública e ao meio ambiente devido às suas características químicas.

Incineração

Grupo C

Rejeitos radioativos.

Seguir normas da Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN

Grupo D

Resíduos que não apresentam risco biológico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente.

Incinerador e reciclagem

Grupo E

Resíduos perfurocortante.

zases e Desinfecção química.

Os resíduos hospitalares torna-se a cada dia um desafio maior. Seu poder de infecção, como sua toxicidade, exigem um tratamento adequado que reduza os riscos provocados por inúmeros materiais que constituem esses resíduos. As tecnologias para o tratamento estão à disposição, cada uma com sua característica em particular. Mediante isso, as tratadoras devem garantir aos seus clientes que trata corretamente resíduos hospitalares. Ter um sistema de gestão ambiental estruturado é um diferencial que a empresa pode apresentar aos seus clientes, pois através da ISO 14001 é possível garantir o cumprimento da legislação ambiental.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!