Como mapear o que minha empresa gasta com gerenciamento de resíduos?

Como mapear o que minha empresa gasta com gerenciamento de resíduos?
5 (100%) 1 voto

Um bom sistema de gerenciamento de resíduos deve andar de mãos dadas com um bom sistema de monitoramento de gastos gerados por estes materiais

Nas últimas décadas experimentamos um crescimento elevado em relação a preocupação das empresas com as questões ambientais. Aliada à essa preocupação, a legislação para a área de meio ambiente cresceu muito, forçando ainda mais as organizações à uma cultura operacional mais verde.

Um dos temas mais importantes (senão o mais importante) das empresas quando o assunto é meio ambiente, é a geração de resíduos. Boa parte do impacto ambiental causado pela maioria das empresas está relacionada à destinação dos resíduos de sua operação, em especial os resíduos sólidos, uma vez que o percentual destinado a reciclagem ainda é muito pequeno e uma quantidade muito grande destes materiais ainda é descartada em lixões e aterros.

Além do problema ambiental, existe o problema dos custos, pois uma vez que a empresa se vê obrigada a dar uma destinação adequada aos resíduos, ela acaba incorrendo no pagamento de diversas despesas de transporte e tratamento dos materiais descartados.

Este artigo explicará como fazer o mapeamento dos custos gerados pelo processo de gerenciamento de resíduos.

Etapa 1 -Elaboração de um plano de gerenciamento de resíduos

A primeira etapa a ser executada é a elaboração de um plano de gerenciamento de resíduos. No plano serão definidos os meios de acondicionamento, transporte e tratamento de cada resíduo, bem como a forma como estes materiais deixarão a empresa.

É necessário também levantar toda a documentação necessária que será entregue aos órgãos estaduais e federais de fiscalização. Existem documentos genéricos que devem ser entregues por todas as empresas como o MTR, mas existem também documentos específicos para alguns casos especiais como o das indústrias que manipulam produtos perigosos, elas precisam gerar alguns documentos específicos para comprovar a destinação dos resíduos.

Etapa 2 – Mapeando as áreas geradoras

Uma vez gerado o plano de gerenciamento de resíduos, a próxima etapa será o mapeamento das áreas geradoras. Todas as áreas da empresa que geram algum tipo de resíduo (ainda que sejam resíduos de escritório ou refeitório) deverão ser listadas e seus respectivos rejeitos devem ser cadastrados, assim será possível saber o que sai de cada área.

Após o cadastramento, serão levantados métodos de coleta dos dados de geração de resíduos, a atualização deverá ser constante para que os indicadores sejam sempre monitorados.

Etapa 3 – Padronizando os resíduos gerados

Todos os resíduos cadastrados deverão ser padronizados no sistema de gerenciamento. Eles deverão ser organizados por tipos e formas de destinação. Por exemplo, papéis são resíduos de escritório e podem ser destinados à reciclagem.

Tendo as formas de destinação cadastradas, a empresa poderá levantar o custo total no fim do processo, pois poderá ser observado o quanto foi gasto em cada forma de destinação, sendo necessário apenas fazer o rateio para cada área em função de sua quantidade gerada.

É importante que o cadastro de formas de geração seja aberto, para que elas possam ser alteradas e novas formas de destinação possam ser adicionadas ao longo do tempo.

Etapa 4 – Estabelecendo um programa de monitoramento de custos

Um bom programa de monitoramento de custos consistirá basicamente num cadastro genérico de todas as receitas e despesas geradas pelos resíduos.

A empresa deverá ter o cadastro de todas as notas fiscais de entrada e saída e também ter uma forma de atrelar os valores aos vários tipos de resíduos, pois quando o caminhão do transportador chega para carregar os materiais, ele levará uma infinidade de materiais gerados por diversas áreas e de vários tipos diferentes, então a nota fiscal será de um valor global.

O ideal é que a empresa possa destacar o quanto cada resíduo está impactando no valor pago pelo transporte e tratamento, mas caso não seja possível, o rateio baseado nos dados internos será a melhor opção para mapear os custos de cada área da empresa.

Etapa 5 – Gerando o relatório de custos mapeados

Uma vez estabelecido o programa de monitoramento de custos dos resíduos, é a hora de gerar o relatório que será usado para a avaliação de cada área.

O ideal é que o relatório venha com diversas segmentações, mostrando não só o quanto de resíduo foi gerado, mas o quanto foi gerado de cada resíduo por cada área e quanto isso custou.

O relatório deve ser de fácil entendimento, mostrando para onde estão indo os resíduos e o quanto eles têm gerado de despesas para a empresa.

O relatório servirá para orientar a gestão de resíduos da organização, pois com ele em mãos, é possível estabelecer indicadores e colocar metas de economia, bem como integrar a destinação de diferentes áreas para economizar através de ganhos de escala.

Fazendo o mapeamento via software

O controle de gastos com resíduos pode ser feito através de um sistema interno ou até mesmo com planilhas, contudo, a integração dos dados é bastante complicada, pois a medida em que informações vão sendo lançadas e atualizações são inseridas, a complexidade da gestão vai crescendo.

O ideal é que seja adotado um software que automatiza e faz todo o gerenciamento e organização separadamente.

O VG Resíduos realiza todo o gerenciamento de custos de maneira automática, que que haja necessidade de constantes atualizações e inserção de informações. Uma vez que a destinação é gerada no sistema, todo o resto é feito automaticamente e relatórios com informações financeiras minuciosamente segmentadas são gerados automaticamente com gráficos explicativos e detalhamento numérico.

Gerando Receitas a partir dos resíduos

É possível gerar receitas a partir de resíduos, muitas empresas já o fazem, contudo, muitas outras sequer sabem que seu lixo pode virar dinheiro. Para gerar essas receitas, o ideal é que se tenha um portal onde os materiais sejam negociáveis.

O VG Resíduos possui um módulo chamado de Mercado de Resíduos, através dele, as empresas geradoras podem fazer ofertas dos resíduos gerados, bem como procurar por empresas que queiram tratar estes materiais. As empresas que são tratadoras ou transportadoras também podem fazer ofertas de compra ou de serviços nos resíduos cadastrados.

O sistema faz um leilão online e escolhe automaticamente o melhor preço para o ofertante, assim há uma redução contínua de custos e em muitos casos, geração de receitas através do sistema.

Estima-se que as empresas que utilizam o software acabam obtendo anualmente, uma economia de 20% em média no orçamento de gerenciamento de resíduos. Além é claro, dos ganhos na venda destes materiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019