COVID-19: quais cuidados com armazenamento e descarte dos resíduos

Com a pandemia causada pelo COVI-19 é necessário que as empresas tomem algumas precauções com o armazenamento e descarte dos resíduos. Os resíduos contaminados ou com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus devem ser colocados em sacos resistentes e descartáveis devidamente fechados. E devem ser depositados em contentores de resíduos. Essas medidas controlam os fatores de risco para prevenir a disseminação da doença e a redução de risco de contaminação e contágio do COVID-19.

O COVID-19 é uma doença que causa infecções respiratórias.  É leve em 80% dos casos. A maior taxa de mortalidade está entre as pessoas com mais de 80 anos (14,8% dos infectados) e pacientes com outras doenças, principalmente as cardiovasculares. Saiba mais quais cuidados com armazenamento e descarte dos resíduos!

COVID-19: o novo coronavírus

O caso de contaminados com o COVID-19 aumenta a cada dia no Brasil. Até o dia 22 de março de 2020 o último balanço oficial do Ministério da Saúde apontava 1.546 casos.

As medidas adotadas para combater a contaminação pelo vírus é o isolamento social, além da higienização das mãos e objetos. Contudo, as empresas devem tomar cuidado com os seus resíduos. Devem ser feito o armazenamento e o descarte seguro.

O novo Coronavírus, ou COVID-19, é um agente biológico da família dos coronavírus capaz de causar infecção respiratória. Foi descoberto em dezembro de 2019 na China, após o vírus infectar moradores de Wuhan. Acreditam que a contaminação pelo vírus tenha vindo de animais vendidos no mercado central dessa província.

Resíduos contaminados com COVID-19

Para combater a proliferação da doença a Organização Mundial de Saúde sugere medidas como higienização das mãos com sabão e álcool gel, o uso de lenço de papel para limpar secreções, além de evitar o contato com as pessoas. Com isso, haverá um aumento significativo de descarte de papel toalha e embalagens, além do consumo exacerbado de água.

Por isso a importância em se realizar a gestão de resíduos adequadamente para evitar a transmissão pelo contato com resíduos contaminados.

O tempo de permanência do coronavírus em resíduos, conforme divulgação da ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, é:

Resíduos plásticos 5 dias
Resíduos de papel 4 a 5 dias
Resíduos de vidro 4 dias
Alumínio 2 a 8 horas
Aço 48 horas
Madeira 4 dias
Luvas cirúrgicas 8 horas

É importante que os resíduos sejam acondicionados e destinados de maneira segura e ambientalmente correta para evitar os impactos ambientais. Para isso, deve haver uma gestão de resíduos adequada.

Os resíduos contaminados com coronavírus devem ser classificados segundo a RDC 222/2018 e Resolução CONAMA 358 como resíduos de serviços de saúde do Grupo A (sub grupo A1), IN 13 Ibama no 180102, ABNT 12808, risco biológico, resíduos com presença de agentes biológicos que, por suas características, podem apresentar risco de infecção.

Cuidado com armazenamento e descarte

O COVID-19 tem causado vários contágios e mortes em todo mundo. Para evitar que essa doença atinja mais pessoas é necessário adotar medidas de contenção. O Ministério da Saúde adverte que o isolamento social e a higienização são medidas eficientes no controle da doença. Contudo as empresas também devem realizar medidas que contribuam para o controle do vírus.

A gestão adequada dos resíduos é um importante passo de mitigação dos riscos. Para isso é necessário separar corretamente os resíduos contaminados com COVID-19 para evitar riscos à saúde do homem e a contaminação do solo e das águas.

Os resíduos contaminados com COVID-19 devem ser manejados de acordo com as determinações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)

Todo resíduo deve ser acondicionado em sacos de cor branco leitosa, impermeáveis, de material resistente à ruptura e vazamento contidos no seu interior. O limite de peso dos sacos também deve ser respeitado, ou seja, devem ser substituídos quando atingirem 2/3 de sua capacidade ou pelo menos 1 vez a cada 48 horas.

Esses sacos devem ser identificados pelo símbolo de substância infectante, com rótulos de fundo branco, desenho e contornos pretos.

Durante toda etapa de gerenciamento os sacos devem permanecer dentro de recipientes de acondicionamento tampados. O material desses contentores devem ser do tipo lavável, resistente à ruptura, vazamento e tombamento.

Além disso, a empresa deve estabelecer um local para armazenamento temporária dos resíduos até o seu recolhimento, conforme especificado na RDC/ANVISA nº 222/2018.

Antes do descarte esses resíduos deverão receber tratamento prévio que assegure a eliminação das características de periculosidade do resíduo, a preservação dos recursos naturais e, o atendimento aos padrões de qualidade ambiental e de saúde pública.

Cuidado! Para evitar sanções é necessário que o seu tratador seja licenciado pelos órgãos ambientais.

Após tratamento, os resíduos passarão a ser considerados resíduos do grupo D, para fins de disposição final.

O auxilio da VG Resíduos para um gestão de resíduos adequada

Para facilitar a gestão de resíduos contaminados por agente infectocontagiosos a VG Resíduos desenvolveu uma plataforma eficiente de gestão de resíduos.

Essa plataforma auxilia na gestão de resíduos, gerenciamento, destinação, logística reversa e na coleta e transporte de resíduos de forma sustentável. Você consegue ter total controle sobre a quantidade de resíduos gerados e qual a destinação dada eles.

Pelo software da VG Resíduos o gerador tem um histórico de geração, facilitando assim a definição da capacidade do recipiente.

Uma ferramenta que ajuda as empresas geradoras a encontrarem os tratadores adequados é chamada de Mercado de Resíduos.

Através dela, os geradores podem cadastrar seus materiais e os tratadores darão seus lances, de forma que o software pode eleger a melhor condição na menor distância possível.

O sistema possui milhares de tratadores cadastrados em todo o território brasileiro, fornecendo soluções de tratamento e destinação de resíduos para empresas de todos os portes e segmentos.

Sendo assim, a empresa deve tomar vários cuidados para o armazenamento e descarte dos resíduos com a pandemia de COVID-19. Os resíduos durante essa pandemia devem ser coletados, acondicionados, armazenados, transportado e destinado de forma que evite a proliferação da doença. E, somente, com VG Resíduos a sua empresa é capaz de fazer a gestão eficiente desses resíduos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Guilherme Arruda

Posts recentes

Conheça sete ações simples para sua empresa ser mais sustentável

Ações simples em seus processos fazem a sua empresa ser mais sustentável. Adotar, no seu dia a dia, ações como…

% dias atrás

Como garantir a gestão de resíduos eficiente em momentos de crise?

Uma boa alternativa para garantir à gestão de resíduos eficiente em momentos de crise é utilizar a automatização do processo…

% dias atrás

Quais possíveis efeitos do coronavírus sobre o meio ambiente?

Com a pandemia, os efeitos do coronavírus sobre o meio ambiente tem se mostrado positivo em relação à redução dos…

% dias atrás

Como controlar os tipos de resíduos gerados pela empresa de maneira eficaz?

Uma das ações aconselhadas para controlar os tipos de resíduos gerados pela empresa de maneira eficaz é que haja o…

% dias atrás

Crise do coronavírus e resíduos: como reduzir impactos ambientais

Qual a relação entre a crise do coronavírus e resíduos? Essa é uma análise que se deve fazer a fim…

% dias atrás

Sete dicas para aumentar a consciência ambiental na sua empresa

Você sabe como aumentar a consciência ambiental na sua empresa? Para aumentar a consciência ambiental, primeiramente, é necessário ter uma…

% dias atrás