Descubra como diminuir a geração de resíduos com mercúrio do seu negócio

18/12/2017

O mercúrio é um metal muito perigoso e quando entra em contato com o organismo do ser humano, seja pela via aérea, cutânea ou por ingestão, causa danos graves e em grande parte dos casos provoca lesões permanentes.

Devido a seu potencial tóxico, o mercúrio foi uma das primeiras substâncias químicas a ser submetida a uma legislação para controle da exposição do trabalhador.

A legislação brasileira permite apenas a instalação ou expansão de fábricas que usem tecnologias sem o metal tóxico.

Por determinação legal até 2020, o mercúrio deverá ser eliminado de baterias, pilhas, lâmpadas, cosméticos, pesticidas e outros materiais.

Neste período as empresas deverão reduzir as emissões atmosféricas do metal estabelecendo metas de diminuição e fazendo planos para implantar medidas de adaptação.

No Brasil as principais atividades ocupacionais com risco de exposição ao mercúrio são o garimpo do ouro, a indústria de produtos químicos, elétricos, automotores, de construção e a odontologia.

No artigo Efeitos adversos dos resíduos com mercúrio explicamos os riscos quando não é realizado o gerenciamento adequado dos resíduos contendo mercúrio.

Por que a minha empresa precisa controlar a geração de resíduos contendo mercúrio?

Os controles da geração de resíduos contendo mercúrio despertaram um interesse aos ambientalistas, estudiosos e a sociedade incentivada pelas ondas ambientalistas.

Como sabemos o mercúrio é um metal altamente tóxico que ocorre naturalmente no meio ambiente.

Estudos toxicológicos demonstram que o armazenamento, manuseio e os descartes inadequados dos resíduos contendo mercúrio contribuem para a contaminação do solo, ar e água no qual ele se retém nos sedimentos sendo incorporados na cadeia alimentar.

A pressão que a Política Nacional de Resíduos trouxe as empresas para realizarem controle efetivo da geração, armazenamento, tratamento, reciclagem e reutilização, transporte, recuperação e depósito de resíduos perigosos fez várias organizações a passarem a implementar o  Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14001:2015).

Essas medidas são importantes para a saúde pública, a proteção do meio ambiente, manejo dos recursos naturais e desenvolvimento sustentável do negócio além do cumprimento da legislação que responsabiliza o gerador por todo o seu resíduo produzido.

Convenção Minamata e o Inventário Nacional de Fontes e Emissões de Mercúrio

A Convenção de Minamata sobre Mercúrio estabelece critérios rigorosos para eliminação do uso do mercúrio.

Os principais pontos de controle que a Convenção Minamata determina incluem a proibição de novas minas de mercúrio, a eliminação progressiva das já existentes, medidas de controle sobre as emissões atmosféricas e o incentivo para formalização das atividades de mineração artesanal e de ouro em pequena escala, bem como para que a mesma ocorra de forma a diminuir os impactos ambientais e à saúde.

Para que as medidas de eliminação de mercúrio sejam atingidas como determina a Convenção o Brasil deve realizar o inventário sobre as fontes e emissões de mercúrio no Brasil.

Para realização desse inventário é importante que as empresas passem aos órgãos ambientais informações concretas sobre a gestão de resíduos contendo mercúrio e ou uso dele em seus processos.

Para garantir isso serão realizados diversos cursos de treinamento para o Inventário Nacional de Mercúrio.

O primeiro curso foi realizado no dia 13 de dezembro de 2017 no Auditório 1 do Edifício-sede do Ibama.

Neste curso foi apresentada a ferramenta que será utilizada para construção do Inventário - “Toolkit para a Identificação e Quantificação das Liberações de Mercúrio”.

A ferramenta foi desenvolvida pela ONU.

Como diminuir os resíduos de mercúrio na sua empresa?

No Brasil as principais atividades ocupacionais com risco de exposição ao mercúrio são o garimpo do ouro, a indústria de produtos químicos, elétricos, automotores, de construção e a odontologia.

Mercúrio utilizado na mineração

Algumas empresas de mineração estão substituindo o mercúrio que é utilizado no garimpo de ouro por uma mistura de água e seiva de plantas. Uma alternativa ecologicamente correta.

O Decreto nº 97.507/89 veda o uso de mercúrio na atividade de extração de ouro, exceto em atividade licenciada pelo órgão ambiental competente.

O órgão responsável por controlar e fiscalizar o exercício das atividades de mineração em todo o território nacional é o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).

Mercúrio presente nas amálgamas dentárias

O amálgama de prata é um material restaurador amplamente utilizado na Odontologia devido a algumas de suas propriedades físicas e mecânicas, ao fácil manuseio e baixo custo. Um dos aspectos negativos é a presença de mercúrio em sua composição.

As amálgamas têm sido substituídas pelas resinas fotopolimerizáveis.

Lâmpadas contendo mercúrio

No Brasil as empresas são obrigadas a tratarem seus resíduos de lâmpadas fluorescente de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista.

As empresas que tratam resíduos de lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista ou que fabricam ou importam essas lâmpadas também devem fazer o Cadastro Técnico Federal de Atividades Potencialmente Poluidoras e Utilizadoras de Recursos Ambientais (CTF/APP).

Uma alternativa para substituir esse tipo de lâmpadas e a utilização de lâmpadas de LED.

Legislação brasileira referente ao controle dos resíduos com mercúrio

Os efeitos adversos que o manejado inadequado de resíduos com mercúrio provoca são vários.

As manifestações clínicas causadas pela intoxicação por mercúrio abrangem: dor intensa, vômitos, coloração acinzentada da boca e faringe, sangramento das gengivas, sabor metálico na boca, ardência no trato digestivo, diarreia severa ou sanguinolenta, estomatite, glossite, nefrose, graves problemas hepáticos, problemas nervosos, caquexia, anemia, hipertensão e até possibilidade de alteração cromossômica.

Para controle foram estabelecidas algumas leis/portarias para evitar essa intoxicação.

A Resolução nº 257 de 30 de junho de 1999 dispõe sobre resíduos sólidos perigosos e estabelece que pilhas e baterias que contenham em suas composições chumbo, cádmio, mercúrio e seus compostos, tenham os procedimentos de reutilização, reciclagem, tratamento ou disposição final ambientalmente adequado.

Gerenciamento de Resíduos Perigosos

A disposição final adequada dos resíduos contendo mercúrio é um dos principais desafios que enfrentamos atualmente. Onde dispor esse resíduo de forma que o meio ambiente e a saúde humana não sejam agredidas?

A  Verde Ghaia por meio de uma consultoria online oferece um serviço de qualidade com soluções para sua empresa no gerenciamento de resíduo.

Entre em contato e veja quais as soluções temos para controle sobre os resíduos contendo mercúrio.

A Verde Ghaia irá orientar sua empresa sobre as legislações que deve seguir e a melhor forma de tratar esse resíduo. Como, também, orientações sobre as medidas brasileiras para diminuir as contaminações por mercúrio.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!