É possível reaproveitar resíduos perigosos?

É possível reaproveitar resíduos perigosos?
5 (99.39%) 132 votos

Embora muita gente não saiba, os resíduos perigosos estão presentes em vários materiais que utilizamos no nosso dia a dia. As lâmpadas fluorescentes, baterias, pilhas, remédios vencidos, cartuchos de tinta, latas de tinta, tonners, pneus, são alguns dos exemplos de resíduos perigosos que contêm significativa quantidade de substâncias químicas nocivas ao meio ambiente.

Esses resíduos são gerados diariamente dentro das empresas, nas residências e nos edifícios comerciais.

Há várias formas práticas para diminuir ou eliminar a geração de resíduos perigosos através do reaproveitamento, seja pela reutilização ou reciclagem são mais que importante para a preservação ambiental.

A dúvida que muitos possuem é se este tipo de resíduo permite o reaproveitamento?

Vamos descobrir!

O que é resíduo perigoso?

 O Ministério do Meio Ambiente classifica resíduo perigoso como àqueles que, em razão de suas características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade, patogenicidade e carcinogenicidade apresentam significativo risco à saúde pública ou ao meio ambiente.

A classificação do MMA se baseia na norma 10004/2004 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Segundo a norma 1004/20014 os resíduos sólidos  são classificados como perigosos quando apresentam periculosidade, ou seja, uma característica do resíduo, que em função de suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas, pode apresentar risco à saúde pública, provocando mortalidade, incidência de doenças ou riscos ao meio ambiente. Isso, claro, quando o resíduo é gerenciado de forma inadequada.

Por que o reaproveitamento de resíduos perigosos é importante?

Muitos dos resíduos perigosos contêm metais pesados, como mercúrio, chumbo, cádmio e níquel, que podem se acumular nos tecidos vivos, até atingir níveis perigosos para a saúde.

O reaproveitamento do resíduo perigoso pode ajudar a evitar que tais características causem impactos negativos a saúde do homem e ao meio ambiente, uma vez que as substâncias perigosas não serão descartadas.

Abaixo listamos as cinco características de um resíduo perigoso que demonstra a necessidade do seu gerenciamento adequado.

  •  Inflamabilidade: os resíduos que possuem essa característica podem entrar em combustão facilmente ou até de forma espontânea;
  • Corrosividade: devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos;
  • Reatividade: reagem com outras substâncias de forma violenta e imediata, podendo liberar calor e energia;
  • Toxicidade: agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros.
  • Patogenicidade: apresentam características biológicas infecciosas, contendo microorganismos ou suas toxinas, capazes de produzir doenças em homem e animais.

Conheça os tipos mais comuns de resíduos perigosos e como reaproveitá-los

Identificar quais os tipos de resíduos perigosos que a empresa produz é o ponto inicial para gestão de resíduos eficiente das organizações.

É importante ressaltar que empresas que possuem o pensamento voltado à preservação ambiental e, por isso, são certificadas na ISO 14001 se destacam no mercado tanto pela confiabilidade quanto pela imagem positiva junto aos clientes.

A gestão de resíduos além de ser uma obrigação para atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) é também uma prática que demonstra que essa empresa possui é ambientalmente correta.

A Consultoria Verde Ghaia auxilia sua empresa a identificar quais os tipos de resíduos que são gerados durante seus processos. E se entre eles, há algum classificado como perigoso.

Buscar empresas especializadas em consultoria em gerenciamento de resíduos é a melhor opção para que seu empreendimento cumpra todas as leis ambientais.

A Verde Ghaia também conta como uma plataforma volta para compra de resíduos, o Mercado de Resíduos. Através dessa plataforma a sua empresa pode encontrar opções variadas para vender seu resíduo perigoso ou comprar outros para o seu processo. Uma ótima opção para a crise econômica que vivemos hoje no Brasil.

Abaixo listamos os principais resíduos perigosos e quais as formas de reaproveitamento:

Pilhas e Baterias

A maioria das pilhas e baterias que encontramos são as que contêm em suas composições chumbo, cádmio, mercúrio. Essas substâncias apresentam sérios riscos à saúde pública e ao meio ambiente, se descartadas incorretamente, pois envolvem metais tóxicos.

No Brasil a Resolução CONAMA 401, de 2008, estabelece os limites máximo que deve conter dessas substâncias nas pilhas e baterias e os critérios e padrões para o seu gerenciamento ambientalmente adequado.

Como alternativa de reaproveitamento de resíduos, existem os processos de reciclagem dos metais e outros materiais presentes nas pilhas e baterias.

São três as tecnologias aplicadas na reciclagem de pilhas e baterias:

·  a mineralúrgica, baseada em operações de tratamento de minérios;

·  a hidrometalúrgica que consiste na dissolução ácida ou básica dos metais existentes nas pilhas e baterias, previamente moídas; e

·  a pirometalúrgica que consiste na aplicação de altas temperaturas para a recuperação dos metais das pilhas e baterias.

Lâmpadas fluorescentes

Na composição das lâmpadas fluorescentes encontramos o mercúrio, um metal pesado altamente tóxico.

Esse resíduo só oferece perigo quando é quebrado, queimado ou descartado em aterros sanitários, devido à liberação de vapor de mercúrio, poluente imediato do meio ambiente.

A reciclagem de lâmpadas é o caminho mais seguro, pois no processo de reciclagem é feito a separação dos componentes e substâncias para que estes possam ser utilizados como matéria prima na fabricação de outros produtos como, por exemplo, outras lâmpadas.

Existem diversos tipos de tecnologias de reciclagem de lâmpadas: processo de separação centrífuga, separação Kapp, de lavagem de vidros quebrados, o processo Shredder e de extração do mercúrio.

Pneus inservíveis

Os pneus inservíveis são aqueles que apresentam danos irreparáveis em sua estrutura.

Existem vários formas de reaproveitamento desse resíduo: reutilizando em jardins, parques, construção civil e etc. ou reciclando aproveitando seus componentes.

Podemos contar com quatro processos de processamentos de pneus velhos.

A reciclagem por ultrassom deixa a borracha mais macia e pronta para ser utilizada na fabricação de novas peças.

A pirólise derrete a matéria-prima até o seu estado natural.

O uso de micro-ondas consegue produzir outras substâncias de mesma origem do pneu, como combustíveis e gás.

O processo mecânico-químico tritura o resíduo e serve como princípio para produção de outras peças.

Embalagens de Agrotóxicos

A destinação inadequada das embalagens vazias de agrotóxicos e dos resíduos nelas existentes causam sérios danos ao meio ambiente e à saúde humana.

No Brasil as embalagens de agrotóxicos são recicladas. Grande parte delas se transforma em recipientes para substâncias químicas ou em produtos que não têm contato contínuo com pessoas.

Vimos neste artigo quais as principais opções de reaproveitamento de resíduos perigosos.

Ficou na dúvida se é possível reaproveitar o resíduo perigoso que sua empresa produz? Entre em contato com a Verde Ghaia e descubra como os benefícios de uma consultoria em Gerenciamento de resíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019