Em quais condições o resíduo é considerado patogênico?

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

16/10/2017

A resposta para essa pergunta não é tão complicada como você imagina. Um resíduo é considerado patogênico quando em uma amostra representativa contiver microrganismos patogênicos ou toxinas que podem resultar em doença em humanos, animais e vegetais.

O que é um agente patogênico?

Agente patogênico, também conhecido como agente infeccioso, é um organismo capaz de produzir doenças infecciosas aos seus hospedeiros sempre que estejam em circunstâncias favoráveis, inclusive do meio ambiente. Podem ser bactérias, vírus, protozoários, fungos ou helmintos.

O agente patogênico pode se multiplicar no organismo do seu hospedeiro, podendo causar infecções ou outras complicações.

Os resíduos hospitalares são os mais propensos à terem resíduos patogênicos. Qualquer resíduo proveniente de hospitais e serviços de saúde como pronto socorro, enfermarias, laboratórios, farmácias, que são geralmente constituídos de seringas, agulhas, curativos e outros materiais que podem apresentar algum tipo de contaminação por gente causadores de doenças.

Os resíduos patogênicos que em sua maioria são gerados por serviços de saúde, devem ser coletados e destinados por sua própria responsabilidade.

Classificação dos resíduos patogênicos

De acordo com a norma NBR 10004/2004, esses resíduos que tem patogenicidade, são considerados resíduos perigosos, pois apresentam riscos para a sociedade e para o meio ambiente.

Os resíduos que recebem esta classificação requerem cuidados especiais de destinação final.

Para serem classificados, devem seguir as seguintes normas:

ABNT NBR10004/2007 – Resíduos Sólidos – Classificação

ABNT NBR10005:2004 – Procedimento para obtenção de extrato lixiviado de resíduos sólidos

ABNT NBR10006:2004 – Procedimento para obtenção de extrato solubilizado de resíduos sólidos

ABNT NBR10007:2004 – Amostragem de resíduos sólidos

ABNT NBR12808:1993 – Resíduos de Serviços de Saúde – Classificação

ABNT NBR14598:2000 – Produtos de petróleo – Determinação do ponto de fulgor pelo aparelho de vaso fechado Pensky-Martens

USEPA – SW846 – Test methods for evaluating solid waste – Physical/chemical methods

Para ser considerado resíduos perigosos patogênicos, de acordo com a ABNT NBR 10004/2004, o material precisa ter ou houver suspeita de:

- microorganismos patogênicos;

- proteínas virais;

- ácido desoxirribonucleico (ADN);

- ácido ribonucleico (ARN) recombinante;

- plasmídeos;

- cloroplastos;

- mitocôndrias ou;

- toxinas.

Todos os resíduos capazes de produzir doenças para a sociedade ou meio ambiente, são classificados como resíduos patogênicos.

Período de sobrevivência dos organismos nos resíduos

É importante compreender o tempo de sobrevivência de alguns microorganismos em resíduos sólidos, veja abaixo:

Organismos

Tempo de sobrevivência

Bactérias

Mycobacterium tuberculosis

Salmonella sp.

Lepstopira interrogans

Coliformes fecais

 

150 – 180 dias

29 – 70 dias

15 – 43 dias

35 dias

Virus

Virus da Hepatite B (HBV)

Pólio vírus – pólio tipo I

Enterovírus

Virus da imunodeficiência humana (HIV)

 

Algumas semanas

20 – 170 dias

20 – 70 dias

3 – 7 dias

Os resíduos do serviço de saúde ocupam um lugar de destaque pois merecem atenção especial em todas as suas fases de manejo (segregação, condicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento e disposição final) em decorrência dos imediatos e graves riscos que podem oferecer, por apresentarem componentes químicos, biológicos e radioativos.

Para a comunidade científica e entre os órgãos federais responsáveis pela definição das políticas públicas pelos resíduos de serviços saúde (ANVISA e CONAMA) esses resíduos representam um potencial de risco em duas situações:

  1. a) para a saúde ocupacional de quem manipula esse tipo de resíduo, seja o pessoal ligado à assistência médica ou médico-veterinária, seja o pessoal ligado ao setor de limpeza e manutenção;
  2. b) para o meio ambiente, como decorrência da destinação inadequada de qualquer tipo de resíduo, alterando as características do meio.”

O risco no manejo dos resíduos sólidos está principalmente vinculado aos acidentes que ocorrem devido às falhas no acondicionamento e segregação dos materiais perfuro-cortantes sem utilização de proteção mecânica.

Quanto aos riscos ao meio ambiente destaca-se o potencial de contaminação do solo, das águas superficiais e subterrâneas pelo lançamento de resíduos sólidos em lixões ou aterros controlados que também proporciona riscos aos catadores, principalmente por meio de lesões provocadas por materiais cortantes e/ou perfurantes, e por ingestão de alimentos contaminados, ou aspiração de material particulado contaminado em suspensão.

E, finalmente, há o risco de contaminação do ar. Isso ocorre quando esses resíduos são tratados pelo processo de incineração descontrolado que emite poluentes para a atmosfera contendo, por exemplo, dioxinas e furanos.

Geradores de resíduos patogênicos

Resíduos sólidos, líquidos, ou semi-sólidos são gerados por estabelecimentos de assistência à saúde humana ou animal diversos.

A RDC ANVISA no 306/04 e a Resolução CONAMA nº. 358/05 definem como tal os seguintes estabelecimentos:

  • Os serviços de assistência domiciliar e de trabalhos de campo;
  • Laboratórios analíticos de produtos para saúde;
  • Necrotérios, funerárias e serviços onde se realizam atividades de Embalsamamento (tanatopraxia e somatoconservação);
  • Serviços de medicina legal;
  • Drogarias e farmácias inclusive as de manipulação;
  • Estabelecimentos de ensino e pesquisa na área de saúde;
  • Centros de controle de zoonoses;
  • Distribuidores de produtos farmacêuticos, importadores, distribuidores e produtores de materiais e controles para diagnóstico in vitro;
  • Unidades móveis de atendimento à saúde;
  • Serviços de acupuntura e;
  • Serviços de tatuagem, dentre outros similares.

Material perfurocortantes em caixas de papelão reaproveitadas e adaptadas para esta finalidade, demais resíduos em sacos plásticos brancos identificados com a simbologia de material infectante. O destino seria esterilização a vapor (através desse sistema o lixo pode ser desprezado após no lixo comum), ou a incineração e/ou aterro sanitário através de sistema de coleta especial.

Como realizar o gerenciamento de resíduos patogênicos?

A ISO 14001 auxilia as organizações no estabelecimento do Sistema de Gestão Ambiental como um todo. Portanto no que diz respeito as boas práticas, sua empresa terá padrão internacional em gestão ambiental.

A norma traz ainda soluções para manter sua empresa alinhada as legislações referentes ao campo de atuação, oferecendo um eficiente Sistema de Gestão Ambiental, e consequentemente de Gestão dos Resíduos Sólidos.

Para o gerenciamento de resíduos patogênicos, existe a VG Resíduos do grupo Verde Ghaia. A organização propõe soluções inteligentes e práticas que ajudam o processo como um todo, para saber mais informações, basta entrar em contato pelo telefone (31) 3656-5538.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5