ESG e desenvolvimento sustentável: entenda a relação entre eles

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

15/09/2021

ESG e desenvolvimento sustentável

ESG e desenvolvimento sustentável existem algumas diferenças importantes que você deve conhecer entre essas duas iniciativas - especialmente se você for responsável por implementá-las em sua organização.

Muitas pessoas usam os termos sustentabilidade e ESG alternadamente, incluindo líderes de negócios e especialistas ambientais, para tratarem de um mesmo assunto.

Isso faz sentido, de certa forma, já que ambos compartilham o mesmo objetivo de melhorar as práticas de negócios de uma empresa para aumentar os lucros e ganhar o favor de investidores, clientes e reguladores.

Veja o que veremos neste artigo:

Então, como esses dois conceitos são iguais e diferentes? Onde eles se sobrepõem? E isso importa? É exatamente isso que veremos neste post. Acompanhe!

Agende uma demonstração Online

ESG: conceito e importância

ESG e desenvolvimento sustentável

ESG refere-se a sigla em inglês para Environmental (Meio Ambiente), Social (Social), e Governance (Governança). Cada um dos três elementos de investimento ESG - ambiental, social e governança corporativa - compreende uma série de critérios que podem ser considerados, seja por investidores socialmente responsáveis ​​ou por empresas que pretendem adotar uma postura operacional mais favorável a ESG.

  • Meio ambiente: os critérios ambientais incluem o uso de fontes de energia renováveis ​​pela empresa; gerenciamento de resíduos; gestão de problemas relacionados a poluição do ar ou da água decorrentes de suas operações; questões de desmatamento (se aplicável); e sua atitude e ações em relação às questões de mudança climática.
  • Social: os critérios sociais cobrem uma vasta gama de problemas potenciais. Existem muitos aspectos sociais separados de ESG, mas todos eles são essencialmente sobre relações sociais. Os critérios incluem: relacionamento de funcionários; gestão de conflitos; diversidade; comunidades locais; saúde e segurança etc;
  • Governança corporativa: a governança é essencialmente sobre como uma empresa é administrada por aqueles que ocupam os escritórios executivos do último andar. Quão bem a gestão executiva e o conselho de administração atendem aos interesses das várias partes interessadas da empresa - funcionários, fornecedores, acionistas e clientes. Seus critérios podem incluir: remuneração, índices de corrupção e suborno; lobbys e políticas internas; estratégias tributárias etc.

O investimento ESG, apesar das críticas, está se tornando cada vez mais popular e é mais provável que seja uma abordagem de investimento usada pela geração do milênio. Pesquisas recentes indicam que quase 90% dos investidores da geração Y estão interessados ​​em buscar investimentos que reflitam mais de perto os valores que detêm.

Embora as métricas ESG não sejam atualmente uma parte obrigatória dos relatórios financeiros para empresas de capital aberto, um número crescente de empresas está orgulhosamente incluindo-as em seus relatórios ou documentos emitidos separadamente. Cada vez mais existe um consenso entre muitos reguladores de que alguma forma de divulgação ESG padronizada será exigida das empresas de capital aberto na maioria das principais bolsas de valores globais.

Qual a relação entre ESG e desenvolvimento sustentável?

ESG e desenvolvimento sustentável

À medida que o mundo corporativo se torna mais consciente da necessidade de incorporar critérios ESG ao planejamento de negócios, é importante estabelecer as diferenças entre as práticas ESG e desenvolvimento sustentável. A sustentabilidade é uma parte central da política ESG: um negócio sustentável terá uma política ESG, mas os fatores ESG vão muito além dos limites da sustentabilidade.

O prefixo ‘verde’ tornou-se uma abreviatura para qualquer ação, produto ou programa com o bem do meio ambiente em seu coração. Posteriormente, tornou-se tão usado que quase não faz sentido. Na mesma linha, ‘sustentabilidade’ tornou-se um termo muito usado e generalizado, sem um significado claro.

Para resumir, em um contexto ambiental, sustentabilidade consiste em evitar o esgotamento dos recursos naturais para manter um equilíbrio ecológico. Porém, ao longo do tempo, essa definição passou a abranger toda e qualquer prática de negócios que possa ser classificada como ‘fazer bem fazendo o bem’.

Sustentabilidade tornou-se intercambiável não apenas com atividade ‘verde’, mas com outras frases bem-intencionadas, incluindo responsabilidade social corporativa (RSC) e resultado financeiro triplo. Este último requer que a empresa inclua as pessoas e o Planeta, bem como a linha de lucro, em seu balanço patrimonial.

ESG e Sustentabilidade têm algumas semelhanças no sentido de que abordam os aspectos ambientais e sociais. No entanto, existem algumas diferenças; embora a sustentabilidade possa significar coisas diferentes para diferentes entidades, ESG trata de um conjunto específico de critérios que denotam ambiente, social e governança.

Comparando o escopo de cada um, fica evidente que há uma diferença entre ESG e desenvolvimento sustentável. A distinção entre os dois é bem marcada e indiscutivelmente relevante na esfera do investimento.

O investimento sustentável é baseado na seleção de projetos ou programas que tenham um impacto positivo nos aspectos sociais e ambientais, onde uma entidade está disposta a sacrificar lucros por um ambiente limpo. Por outro lado, o ESG baseia as decisões de investimento em um nível mais amplo onde, além da promoção de práticas socialmente e ambientalmente conscientes, elimina os investimentos com base em determinados critérios, como tratamento de trabalhadores, testes em animais, trabalho infantil, entre outros.

Em linhas gerais, o ESG busca a identificação e classificação dos empreendimentos que apresentam características desejáveis. Essas características são mais amplas do que se considera em sustentabilidade, estendem-se à remuneração de diretores, diversidade de partes interessadas, tratamento dos trabalhadores, engajamento da comunidade e questões de saúde e segurança, entre outros.

Como interferem na Gestão ambiental e Gestão dos Resíduos?

ESG e desenvolvimento sustentável

O foco principal do ESG tem sido em relação a finanças verdes e investimentos ESG, bem como às indústrias de combustíveis fósseis, mineração, alimentos e roupas. Porém, a gestão de resíduos, por sua própria natureza, sempre esteve próximo das questões ESG, e principalmente, da sustentabilidade.

As operações de gerenciamento de resíduos não estão imunes ao crescente escrutínio do desempenho ESG, visto hoje, mais do que nunca, como um fator crítico para a obtenção de capital e talento. A eliminação de resíduos claramente tem um grande impacto ambiental. A conformidade com a regulamentação ambiental - de autorizações e licenças ao dever de cuidado - está no cerne da maioria dos negócios de resíduos.

A legislação potencial futura, como aquela sobre o imposto sobre embalagens de plástico e esquemas de devolução de depósito, também pode representar encargos adicionais para as empresas de resíduos. Por isso, incorporar práticas sustentáveis e estratégias ESG podem contribuir no enfretamento de novos desafios que se aproximam.

A legislação no Brasil que rege a gestão adequada de resíduos é a Política Nacional de Resíduos Sólidos, através da Lei nº 12.305/2010. Conforme estabelecido na PNRS a gestão de resíduos deve garantir o máximo de reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos.

Os benefícios de incorporar o ESG e gestão de resíduos vão desde o início e ao longo de todo um de gerenciamento, e podem ter um grande impacto. Aplicar um aspecto de sustentabilidade no gerenciamento do resíduo pode resultar em reduções de custos, aumento do lucro, aumento do interesse do investidor e, mais importante, apoio público das partes interessadas.

Trabalhar com especialistas ESG e desenvolvimento sustentável que sabem como projetar, monitorar, medir e relatar pode ajudar as instalações de gerenciamento de resíduos a maximizar seu potencial de criação de valor.

Como VGR, como um software automatizado de gestão ambiental, pode auxiliar?

ESG e desenvolvimento sustentável

O uso de um Software de Gestão Ambiental pode ser o ideal para reduzir impacto ambiental que as empresas geram, e controlar o cumprimento de suas responsabilidades ESG e desenvolvimento sustentável

Com o software é possível o controle total de todos os processos de gestão ambiental, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF e documentos em Word. Com o software, você consegue ainda:

  • Atender todas legislações ambientais pertentes, evitando assim, sofrer sanções, como multas e embargos;
  • Facilitar o gerenciamento de informações no processo, reduzindo tempo e custos, por exemplo, com a aquisição de matéria prima e com a destinação dos resíduos;
  • Estabelecer o mesmo canal de comunicação com os fornecedores; e
  • Otimizar a elaboração de relatórios ambientais.

Caso você, gestor, ainda esteja confuso sobre a posição de sua organização em relação à ESG e desenvolvimento sustentável, não precisa se preocupar. Os profissionais da VGR Resíduos podem ajudá-lo a tornar sua organização mais competitiva através de Indicadores ESG e desenvolvimento sustentável para o alto desempenho do seu negócio.

A comparação de ESG e sustentabilidade pode parecer uma questão de semântica, mas em um mundo em constante evolução, é crucial entender os dois termos e se concentrar no que é importante. Sustentabilidade é um termo geral para um negócio que visa fazer melhor, enquanto o ESG destaca os pilares que são importantes para os negócios hoje.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Gestão ambiental

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5