Impactos da má gestão dos resíduos sólidos

20/10/2020

Impactos da má gestão dos resíduos sólidos

A má gestão dos resíduos sólidos (ou seja, a destinação, transporte, descarte e o armazenamento incorreto dos resíduos) causam sérios impactos ambientais e danos à saúde humana. Os impactos da má gestão dos resíduos sólidos causam poluição atmosférica, poluição hídrica, poluição do solo e poluição visual, e, além disso, dependendo do tipo de resíduos, podem causar doenças para população, ocasionando o dano a saúde das pessoas. Outro impacto significativo é o risco de sofrer penalidades pela gestão inadequada. Neste artigo você saberá quais são os impactos da má gestão dos resíduos sólidos. Confira!

Todos já ouvimos a máxima que diz: “na natureza nada se perde, tudo se cria, tudo se transforma”. Se respeitarmos esses mesmos princípios da natureza, teremos êxito no gerenciamento dos resíduos sólidos produzidos pelas empresas.

Quando a organização mantém uma condição sustentável, ela estará seguindo os mesmos passos da natureza: reaproveitando, reciclando, criando processos de troca de energia entre a empresa e o meio ambiente.

É sempre bom falar do regulamento que rege os resíduos sólidos, a Lei 12.305/2010, Política Nacional de Resíduos Sólidos. Essa lei estabelece as diretrizes para a correta destinação dos resíduos, e também sobre a destinação e coleta pelos órgãos públicos, encaminhando para a coleta seletiva e aterros sanitários.

Veja abaixo o que abordaremos neste artigo:

  • dados brasileiros sobre os resíduos sólidos
  • impactos da má gestão de resíduos sólidos para meio ambiente
  • quais são os impactos ambientais de uma má gestão de resíduos
  • como implementar a gestão de resíduos corretamente

Dados brasileiros sobre os resíduos sólidos

No Brasil estima-se que cerca de 6,3 milhões de toneladas de resíduos sólidos tem destinação final inadequada, evidenciando assim que o país ainda tem muito que caminhar para a melhoria da questão dos resíduos.

Conforme indica o Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019 estima-se que o país alcançará uma geração anual de 100 milhões de toneladas por volta de 2030. Portanto, é crescente a preocupação quanto à má gestão dos resíduos sólidos por parte das empresas.

Uma das maiores causas dessa questão se deve ao fato dos consumidores estarem mais exigentes quanto aos produtos ecologicamente corretores, ou seja, que degradam menos o meio ambiente. Não apenas o público, como também a legislação ambiental, que tem sido cada vez mais rigorosa às organizações.

Uma empresa que apresenta uma boa gestão ambiental tem maior potencial competitivo, além de alinhar a lucratividade e a proteção ambiental no mesmo sentido.

Impactos da má gestão de resíduos sólidos para meio ambiente

Impactos da má gestão dos resíduos sólidos

A má gestão de resíduos sólidos de uma empresa pode contaminar o meio ambiente, trazendo impactos significativos para um grande grupo de pessoas e para o ecossistema. Na verdade a má gestão dos resíduos pode agir negativamente na saúde de todos, mesmo que seja no bairro, na rua ou na empresa.

É importante saber que os resíduos estando bem protegidos e geridos, contribuirão para a preservação do meio ambiente, evitando assim os impactos socioambientais e à saúde pública.

Os resíduos sólidos sendo mal geridos causam poluição visual, poluição do solo, do ar e do lençol freático. Além disso, prejudica a saúde da população. Também, para as empresas que fazem uma gestão inadequada há o risco de sofrerem penalidades, por exemplo, multas ou paralisação de suas atividades.

A Lei nº 12.305/2010 estabelece a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que dá ênfase às responsabilidades as empresas pela correta gestão dos resíduos. A lei os auxiliam na implantação das diretrizes de gestão integrada, na qual, os elementos presentes possibilitam estratégias e procedimentos que busquem uma gestão responsável.

Conforme os critérios básicos estabelecidos pela Resolução 001/86-CONAMA, onde constam definições e diretrizes gerais de medidas administrativas, o conceito de impacto ambiental, mencionado no art. 1.º da referida resolução, é classificado como:

“Impacto ambiental é qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante de atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetem: a saúde, segurança e o bem-estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biota; as condições estéticas e sanitárias e o meio ambiente e a qualidade dos recursos ambientais”.

Gestão ambiental

Quais são os impactos ambientais de uma má gestão de resíduos?

Poluição hídrica

A poluição ambiental é um das principais consequências de má gestão de resíduos sólidos. Um potencial risco pela destinação irregular de resíduos é a poluição hídrica.

A poluição hídrica, por sua vez, é caracterizada pela introdução de qualquer resíduo que altere as propriedades físico-químicas de um determinado corpo de água.

Os principais causadores desse tipo de poluição são os efluentes industriais (produtos químicos, metais pesados), agrícolas (fertilizantes outros tipos de agrotóxico), o esgoto doméstico e o chorume oriundo da decomposição de resíduos.

O contato ou ingestão de uma água contaminada pode provar sérios danos à saúde tanto humana como da fauna próxima a esses corpos d’água. Sem contar que o odor torna o ambiente bem desagradável e a proliferação de microorganismo na água reduz ou até impede qualquer ser a sobreviver nesse ambiente.

Poluição visual

Outro impacto é a poluição visual. Os resíduos descartados em locais inadequados, como lixões a céu aberto, vias publicas, matagais ou em encostas formam um cenário desagradável. Esses resíduos são responsáveis pela degradação das cidades.

Contaminação do solo

A poluição do solo é outra consequência da má gestão de resíduo.

Consiste em qualquer mudança na natureza ou na composição da terra decorrente do seu contato com produtos químicos e resíduos. Esse tipo de contaminação é perigoso porque pode tornar a solo inútil e infértil, além de gerar riscos à saúde dos humanos, dos animais e das plantas.

A contaminação se dá principalmente pelo acúmulo de resíduos em áreas irregulares de descarte.

Alagamentos e inundações em períodos de chuva

As empresas que não realizam a gestão adequada dos resíduos pode descarta-los incorretamente, provocando o entupimento das galerias de águas pluviais, que servem para escoar a água da chuva até córregos e riachos. Uma vez obstruídas por acúmulo do resíduo descartado nas ruas, elas impedem a passagem da água que retorna e provoca alagamentos e inundações.

Diminuição da vida útil do aterro sanitário

Quando resíduos que poderiam ser reciclados ou reutilizados em outros processos são destinados a aterros sanitários, esses encurtam a sua vida útil, já que muito resíduo é enviado para lá.

Proliferação de endemias

O acúmulo de resíduo descartado de forma irregular podem gerar a proliferação de pragas e vetores de endemias e colocar em risco a saúde pública.

Multas, embargos e paralisação das atividades

Esses impactos não são considerados ambientais, mas sim sobre o financeiro e a reputação da organização.

A empresa que realizar a gestão adequada dos resíduos gerados em seus processos pode sofrer varias sanções ambientais. A legislação brasileira determina penalidades para quem descumprir a lei.

Os geradores que não realizarem a gestão poderão pagar multas e até penas de reclusão de até 3 anos. Além disso, mancha a imagem da empresa afastando os clientes. Uma vez, que o mercado exige das empresas uma produção limpa e sustentável.

A lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos mostra o caminho para levar uma empresa não sofre essas penalidades:

Art. 52 - “A observância do disposto no caput do art. 23 e no § 2o do art. 39 desta Lei é considerada obrigação de relevante interesse ambiental para efeitos do art. 68 da Lei nº 9.605, de 1998, sem prejuízo da aplicação de outras sanções cabíveis nas esferas penal e administrativa.”

Art. 23 - Os responsáveis por plano de gerenciamento de resíduos sólidos deverão manter atualizadas e disponíveis ao órgão municipal competente, ao órgão licenciador do Sisnama e a outras autoridades, informações completas sobre a implementação e a operacionalização da gestão dos resíduos sólidos.

1° Para a consecução do disposto no caput, sem prejuízo de outras exigências cabíveis por parte das autoridades, será implementado sistema declaratório com periodicidade, no mínimo, anual, na forma do regulamento.

2° As informações referidas no caput serão repassadas pelos órgãos públicos ao Sinir, na forma do regulamento.

A Lei 9.605, do ano de 1998, no seu artigo 68 diz: Deixar, aquele que tiver o dever legal ou contratual de fazê-lo, de cumprir obrigação de relevante interesse ambiental:

Em vista das leis e normas vigentes relativas aos resíduos sólidos, conclui-se que todos os responsáveis pelos planos de gerenciamento de resíduos sólidos que não cumprirem suas obrigações conforme as leis citadas pagarão multa e poderão pegar de 1 a 3 anos de prisão.

Como implementar a gestão de resíduos corretamente?

Os impactos da má gestão dos resíduos sólidos, conforme apresentado acima, não são os únicos problemas. Há também as perdas econômicas, já que uma gestão incorreta pode levar a empresa a perder dinheiro em situações que ela poderia estar lucrando.

A gestão inadequada de resíduos deve ser atacada e extinta. Não só porque traz sérias consequências à saúde pública e ao meio ambiente, mas também por estar associado aos custos elevados com a destinação de resíduos.

ebook passo a passo para encontrar fornecedor qualificado

Portanto, desenvolver uma gestão de resíduos eficiente pode parecer complicado, burocrático e até cansativo. Mas é fundamental para garantir o máximo reaproveitamento de todos os rejeitos, ainda aqueles com pouca viabilidade técnica ou econômica para a reciclagem (como os resíduos hospitalar, por exemplo).

Para as organizações, a gestão é essencial para evitar prejuízos financeiros, preservar a imagem e principalmente minimizar os impactos ambientais, sociais e econômicos que suas atividades podem causar.

As empresas têm aderido ao software VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de fazer a gestão eficiente de resíduos. O software centraliza as informações e possibilita uma gestão mais estratégica do processo.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, os impactos da má gestão dos resíduos causam sérios danos ao meio ambiente, à saúde e, também, sobre as finanças da empresa. Para diminuir os impactos causados pelos resíduos sólidos o mínimo a fazer é investir em treinamentos e capacitações, assim como aquisição de equipamentos e custeio do sistema de manejo dos resíduos sólidos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Gestão ambiental

Compartilhe!