MTR obrigatório para resíduos da construção Civil: o que muda?

As mudanças para o registro MTR obrigatório para resíduos da construção civil estão previstas na Deliberação Normativa COPAM n° 232/2019. A partir de 9 de abril de 2020 geradores, transportadores e destinadores de resíduos da construção civil terão a obrigatoriedade de registrar toda a movimentação desses produtos no sistema online de Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR).

O MTR obrigatório para resíduos da construção civil vai permitir maior controle dos resíduos gerados e/ou destinados em Minas Gerais. Saiba mais!

Deliberação Normativa COPAM nº 232

A Deliberação Normativa COPAM 232 instituiu o Sistema MTR Online no estado de Minas Gerais em 27 de fevereiro de 2019. Essa deliberação estabelece procedimentos para o controle de movimentação e destinação de resíduos no estado de Minas Gerais.

Entende-se que para o cadastro no Sistema MTR-MG as geradoras, transportadores e destinadores devem estar sediados em Minas Gerais ou estarem sediadas em outros estados, porém recebem resíduo de MG.

A COPAM 232 não se aplica para todos os resíduos. Mas para aqueles que necessitam do MTR as empresas tem a obrigatoriedade do registro desde 9 de outubro de 2019. Já para resíduos da construção civil as obrigações serão exigidas somente a partir de 09 de abril de 2020.

O Sistema MTR Online tem o objetivo de controlar o fluxo de resíduos desde a sua geração até a destinação final ambientalmente correta. Todas as informações contidas no MTR servirão de instrumento de gestão e de fiscalização para os órgãos e entidades integrantes do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Sisema.

A emissão do MTR será feito exclusivamente pela internet, através da Plataforma Digital para Manifesto de Transporte de Resíduos, disponível na página eletrônica da Feam.

O que muda com MTR obrigatório para resíduos da construção civil?

Todo gerador de resíduo da construção civil a ser transportado em território mineiro deverá emitir o MTR obrigatório através do sistema online a partir de 9 de abril de 2020. Já o receptor, armazenador temporário ou destinador deverá atestar no sistema o recebimento do resíduo em até 60 dias após da data de geração do MTR.

Não é exigido o MTR obrigatório aos resíduos da construção civil, gerados em obras de implantação de rodovias, ferrovias, dutos e tubulações para fins diversos, desde que as áreas de disposição tenham sido abrangidas pelo processo de licenciamento ambiental.

E aos resíduos da construção civil classe A gerados em obras de implantação de vias, quando destinados diretamente do local de geração para o local de reaproveitamento como base ou sub-base de pavimentação.

A emissão do MTR – MG será realizado por meio digital, através da Plataforma Digital para Manifesto de Transporte de Resíduos disponível na página eletrônica da Feam.

Durante o cadastro é necessário que o usuário indique o seu perfil, de acordo com as atividades que realiza (se gerador, transportador, armazenador temporário ou destinador). Há também a opção de cadastrar o perfil composto caso a empresa realize mais de uma atividade.

As empresas que possuem mais de uma unidade, mesmo que possuam Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ – único deverá cadastrar cada uma delas no Sistema MTR-MG.

A empresa deverá preencher e assinar duas vias do formulário de MTR. Esse formulário é provisório e deverá ser aguardado para posterior regularização no Sistema. Se não regularizado o destinatário não conseguirá atestar o recebimento o MTR. A outra via deve ser enviada junto com a carga a ser transportada, para ser entregue ao receptor.

Confira abaixo os resíduos abrangidos pelo Sistema MTR

Os resíduos abrangidos pelo MTR obrigatório são:

– industriais,

– da mineração,

– de serviços de saúde,

– da construção civil,

– de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços,

– dos serviços públicos de saneamento básico,

– de serviços de transportes.

Já os resíduos não abrangidos pelo Sistema MTR:

– resíduos sólidos urbanos coletados pela administração pública municipal,

– resíduos sólidos agrossilvipastoris,

– resíduos sólidos que não foram gerados em Minas Gerais nem serão destinados no Estado, estando apenas em trânsito em território mineiro.

– resíduos constituídos por solo proveniente de obras de terraplanagem;

– resíduos e rejeitos provenientes de manutenção in loco de estruturas e equipamentos de sistemas públicos de saneamento ou de rede de distribuição de energia elétrica,

– resíduos submetidos ao sistema de logística reversa formalmente instituída, quando gerados por pessoa física, na etapa compreendida pelo transporte a partir do local de geração até o ponto ou local de entrega oficial do sistema, ou até a central de recebimento desses resíduos.

Como emitir o MTR de forma fácil e automatizada?

Com a VG Resíduos a empresa consegue emitir o MTR obrigatório para resíduos da construção civil de forma fácil através de uma plataforma desenvolvida exclusivamente para emissão do documento.

A plataforma é totalmente integrada com o Sistema MTR-MG online da FEAM.

O software da VG Resíduos coleta automaticamente todas as informações e registros de destinação do resíduo, bem como os dados dos transportadores e tratadores dos resíduos.

O gerador de relatórios do sistema é sincronizado ao banco de dados. Esse banco de dados possui todas as informações referentes à geração de resíduos ao longo do ano. Bem como as informações pertinentes de quem tratou, qual a destinação dada ao resíduos, quanto custou e etc.

A plataforma integra a geração automática obrigatória com os órgãos ambientais, inclusive para afastar as sanções ambientais.

Além da integração com os sistemas dos órgãos ambientais para geração automática dos MTRs, o usuário tem todas as vantagens adicionais que a plataforma da VG Resíduos pode fornecer como: relatórios gerenciais, mercado de resíduos (pesquisa de fornecedores ideais e redução de custos), inventários anuais, entre outros.

Sendo assim, conclui-se que para emitir o MTR obrigatório para resíduos da construção civil de forma fácil você pode aderir o sistema que simplifica o processo, a plataforma da VG Resíduos. Com o software da VG Resíduo é possível elencar as informações exigidas para emissão do MTR com os sites dos órgãos ambientais. Essa obrigatoriedade passa a ser exigida a partir de 9 de abril de 2020.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Guilherme Arruda

Posts recentes

Conheça sete ações simples para sua empresa ser mais sustentável

Ações simples em seus processos fazem a sua empresa ser mais sustentável. Adotar, no seu dia a dia, ações como…

% dias atrás

Como garantir a gestão de resíduos eficiente em momentos de crise?

Uma boa alternativa para garantir à gestão de resíduos eficiente em momentos de crise é utilizar a automatização do processo…

% dias atrás

Quais possíveis efeitos do coronavírus sobre o meio ambiente?

Com a pandemia, os efeitos do coronavírus sobre o meio ambiente tem se mostrado positivo em relação à redução dos…

% dias atrás

Como controlar os tipos de resíduos gerados pela empresa de maneira eficaz?

Uma das ações aconselhadas para controlar os tipos de resíduos gerados pela empresa de maneira eficaz é que haja o…

% dias atrás

COVID-19: quais cuidados com armazenamento e descarte dos resíduos

Com a pandemia causada pelo COVI-19 é necessário que as empresas tomem algumas precauções com o armazenamento e descarte dos…

% dias atrás

Crise do coronavírus e resíduos: como reduzir impactos ambientais

Qual a relação entre a crise do coronavírus e resíduos? Essa é uma análise que se deve fazer a fim…

% dias atrás