Padrões de produção e consumo em direção ao desenvolvimento sustentável

Padrões de produção e consumo em direção ao desenvolvimento sustentável
5 (100%) 1 voto

O termo desenvolvimento sustentável surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento criada pelas Nações Unidas. O objetivo do encontro foi discutir e propor meios de viabilizar o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental.

Resumidamente, o desenvolvimento sustentável sugere mais qualidade ao invés da quantidade, estimulando assim a redução do uso de matérias-primas, produtos/insumos e aumentando a reutilização e reciclagem.

Com o aumento da demanda de consumo e produção em larga escala, estamos diante de uma explosão global de crescimento das cidades, indústrias, veículos, produtos eletrônicos, entre outros. Por esses motivos associados a falta de controle ambiental, gera-se inúmeros prejuízos para o ar, solo e água.

O desenvolvimento econômico é necessário, porém o ideal para todos e para o meio ambiente, é que ele ocorra com respeito e consciência ambiental.

Há muitas formas de promover o desenvolvimento sustentável

 

É possível conciliar desenvolvimento econômico, preservação do meio ambiente, responsabilidade social (acesso aos serviços públicos de qualidade), a qualidade de vida e o uso racional dos recursos da natureza (água, ar e solo).

Vejamos algumas possibilidades de promover o desenvolvimento sustentável:

  • Reciclagem de materiais: papel, alumínio, plástico, vidro, ferro, borracha, etc.;
  • Segregação do lixo;
  • Coleta seletiva;
  • Tratamento dos esgotos industriais e sanitário antes de serem ecoados nos rios e lagos;
  • Descarte correto de baterias e equipamentos eletrônicos em locias especializados;
  • Geração de energia através de fontes não poluentes como: eólica, solar e geotérmica;
  • Utilização de sacolas de papel nos mercados e farmácias;
  • Utilização racional dos recursos da natureza, principalmente água;
  • Diminuição da utilização de combustíveis fósseis (gasolina), substituindo por biocombustível;
  • Utilização de técnicas agrícolas que não prejudicam o meio ambiente;
  • Incentivo de utilização de meios de transportes coletivos;
  • Incentivo ao transporte solidário (veículo com várias pessoas);
  • Combate ao desmatamento ilegal de matas e florestas;
  • Combate às ocupações irregulares em regiões de mananciais;
  • Incentivo à educação ambiental nas empresas e escolas;
  • Criação de áreas verdes nos centros urbanos;
  • Manutenção e preservação dos ecossistemas;
  • Incentivo da implantação dos telhados verdes, nos centros urbanos;
  • Respeito e cumprimento das leis trabalhistas;
  • Valorização da produção e consumo de alimentos orgânicos;
  • Utilização de Gestão ambiental nas indústrias, empresas e órgãos públicos.

Estratégia eficiente para o desenvolvimento sustentável das empresas

É de consenso geral que a ferramenta-chave para uma empresa ser sustentável são os indicadores e parâmetros presentes na ISO 14000. Eles são úteis para refletir sobre as condições do sistema de uma empresa, através de médias aritméticas simples e porcentagens.

Os indicadores para verificação e acompanhamento do desempenho gerencial, referem-se a:

Política ambiental Número de objetivos e metas atingidos;

Grau de implementação de práticas de operação;

Número de iniciativas implementadas para prevenção da poluição;

Número de fornecedores e prestadores de serviço consultados sobre questões ambientais;

Número de fornecedores certificados com a norma ambiental;

Índice de percentual de clientes satisfeitos com o desempenho ambiental;

Percentual de atuação em responsabilidade ambiental;

Frequência de relacionamento com o sindicato e com a comunidade vizinha;

Percentual de resultado total investido em ações ambientais.

Requisitos legais e outros Número de multas e penalidades ou os custos a elas atribuídos;

Cumprimento da legislação;

Número de queixas relatadas do meio ambiente;

Número de não conformidades legais registradas;

Total de infrações e multas ambientais;

Total do passivo ambiental da organização em sua comunidade;

Certificações ambientais obtidas;

Extensão de áreas da organização em áreas legalmente protegidas;

 

Objetivos e metas Número de empregados que participam de programas ambientais;

Número de empregados treinados x número de empregados que necessitam treinamento;

Número de tecnologias limpas;

Consumo de energia por empregado ou por valor adicionado;

Total de resíduos por tonelada produzida;

Recursos, funções, responsabilidades e autoridades Investimentos em equipamentos de controle ambiental;

Investimentos relacionados ao meio ambiente;

Gerentes com responsabilidade ambiental;

Retorno sobre o investimento para projetos de melhoria contínua;

Economia obtida através da redução do uso dos recursos, da prevenção de poluição ou da reciclagem de resíduos;

Investimento em educação e treinamento ambiental;

Investimento em reciclagem e reutilização;

Competência, treinamento e conscientização Progresso nas atividades de remediação local;

Número de iniciativas locais de reciclagem patrocinadas;

Treinamento ambiental;

Atividades e treinamento desenvolvidos no campo ambiental

Comunicação Número de consultas ou comentários sobre questões relacionadas ao meio ambiente;

Número de locais com relatório ambientais;

Numero de reclamações da comunidade;

Percentual de reclamações relacionadas a algum fator ambiental.

Preparação e resposta a emergências Número de simulados de emergências realizados;

Percentagem de simulados de preparação e resposta às emergências.

Avaliação dos requisitos legais e outros Tempo para responder ou corrigir os incidentes ambientais;

Grau de atendimento a regulamentos;

Número de relatório impressos positivos e negativos das atividades ambientais da companhia;

Número de iniciativas do meio ambiente externo relatadas para suportar a companhia

Não conformidade, ação corretiva e ação preventiva Número de ações corretivas identificadas que foram encerradas ou não;

Número e tipo de incidências de não cumprimento dos padrões nacionais ou internacionais vigentes;

Número de penalidades em caso de não conformidades com questões ambientais

Aspectos ambientais Quantidade de materiais usados por unidade de produto;

Quantidade de materiais processados ou reciclados;

Quantidade de água reutilizada;

Quantidade de cada tipo de energia utilizada;

Quantidade de resíduos para disposição;

Quantidade de resíduos contratados por licenças;

Quantidade de emissões específicas por ano;

Quantidade de efluentes por serviço;

Quantidade de materiais perigosos usados por prestadores de serviços contratados;

Consumo de materiais e embalagens;

Volume total de efluentes líquidos;

Volume de eletricidade adquirida;

Consumo total de água; consumo total de combustíveis.

Controle operacional Área total de solo usada para fins de produção;

Consumo médio de combustível da frota de veículos;

Número de viagens a negócios por modo de transporte;

Consumo de água mensal por pessoa;

Consumo de energia elétrica por pessoa

Consumo específico de água e recirculação da água;

Monitoramento e medição Número de produtos introduzidos no mercado com propriedades perigosas reduzidas;

Índice de produtos defeituosos;

Duração do uso do produto;

Quantidade de combustível consumido;

Quantidade de materiais usados durante os serviços de pós-venda dos produtos;

Investimento em gás natural

 

Na nova versão da ISO 14001 é possível verificar as alterações dos indicadores acima descritos, lembrando que foram apresentados apenas alguns, sendo que a norma tem cerca de 200 indicadores.

Com a Certificação do Sistema de Gestão Ambiental, o empreendedor consegue garantir e manter os padrões sustentáveis da sua produção e consumo, avaliando os impactos ambientais, e também sociais e econômicos ao longo de todo seu ciclo de vida, garantindo um produto de qualidade ao consumidor.

Vale lembrar de um importante padrão sustentável de produção e consumo que é a logística reversa. Trata-se de uma ferramenta de desenvolvimento econômico e social com procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e restituição dos resíduos no setor empresarial para reaproveitamento no seu ciclo de produção em outros ciclos produtivos dentro da cadeia operacional, definido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

Nova versão da ISO 14001

A nova versão da ISO 14001 foi publicada no final do ano de 2015. A Verde Ghaia já está preparada para te dar todo suporte e assistência para a implantação e atualização da Certificação ISO 14001 2015 pela startup Consultoria Online

Entre em contato com os consultores da Verde Ghaia e inicie sua Certificação já! Conheça também a plataforma para Gerenciamento de resíduos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019