Reciclagem Química: como mostrar seus diferenciais para tratar esses resíduos? - VG Resíduos

Reciclagem Química: como mostrar seus diferenciais para tratar esses resíduos?

Reciclagem Química: como mostrar seus diferenciais para tratar esses resíduos?
1 (20%) 1 voto

 

Reciclagem química

 

Reciclagem química consiste basicamente na transformação química do resíduo de maneira que este se torne utilizável em outros processos.

Esta reciclagem é muito empregada em resíduos plásticos, onde os polímeros são quebrados se transformando em monômeros ou misturas de hidrocarbonetos. Servindo como matéria-prima, em refinarias ou centrais petroquímicas, para a obtenção de produtos nobres de elevada qualidade.

A reciclagem química permite tratar resíduos, reduzindo custos de pré-tratamento, custos de coleta e seleção. Além disso, permite produzir produtos novos com a mesma qualidade de um original. Confira mais sobre o assunto!

Reciclagem: formas de utilização do resíduo como matéria prima

Reciclagem química

Reciclagem química

A reciclagem química é um processo em que os resíduos são alterados e transformados em matéria prima para produção de novos produtos. Nesse processo é feita a separação das moléculas que compõem o material.

O principal objetivo de aplicar a reciclagem química é impedir que resíduos que não se decompõem naturalmente sejam jogados na natureza e causem danos à fauna, flora e aos rios.

Este tipo de tratamento é muito empregado para resíduos plásticos, uma vez que boa parte pode ser reciclada, resultando em ganhos ambientais, econômicos e sociais. Na reciclagem química os resíduos plásticos são reprocessados, transformando-os em petroquímicos básicos que servem como matéria-prima em refinarias ou centrais petroquímicas.

Reciclagem química

Na reciclagem são recuperados os componentes químicos individuais para reutilizá-los como produtos químicos ou para a produção de novos plásticos.

O processo permite a reciclagem de misturas de plásticos diferentes. O tratador pode reciclar qualquer tipo de plástico. Também, é um processo que aceita um determinado grau de contaminantes como, por exemplo, tintas, papéis, entre outros materiais.

Confira as seis dicas para sua empresa lucrar reciclando canudos plásticos.

Tipos de plástico que pode ser reciclado

Reciclagem química

O Brasil perde por ano, aproximadamente R$5,7 bilhões quando deixa de reciclar resíduos plásticos. Em média são gerados 10,5 milhões de toneladas deste resíduo.

O plástico é um composto sintético ou natural que tem como ingrediente principal uma substância orgânica de elevado peso molecular.

Existem dois tipos de plásticos que podem ser reciclados: os termoplásticos e os termorrígidos.

Os termoplásticos são substâncias que mudam de forma sob a ação o calor. Exemplos têm: polietileno; resinas acrílicas; vinil; poliestireno; polímeros de formaldeído; cloreto de polivinila; formaldeídos polimerizados; policarbonatos; poliamidas.

Os plásticos termorrígidos se moldam por aquecimento, mas endurecem rapidamente e se convertem em materiais rígidos. Exemplos têm: poliuretanos; aminoplásticos; plásticos fenólicos; poliésteres; silicones.

Saiba quais os tipos e formas de reciclagem de resíduos plásticos.

Processo de reciclagem química

Reciclagem química

A reciclagem química é também conhecida como reciclagem terciária. Existem diferentes processos de transformação do resíduo plástico através da reciclagem química. São eles:

Reciclagem química

Hidrogenação

Neste método de reciclagem química as cadeias poliméricas do resíduo plástico são quebradas. Essa quebra inicialmente é feita termicamente. Os resultados são radicais livres altamente reativos.

Os radicais livres são posteriormente saturados com hidrogênio, obtendo-se hidrocarbonetos leves (como o metano, etano, propano) e mistura de hidrocarbonetos na faixa de gasolina e diesel.

Este método é utilizado muito para reciclar resinas fenólicas, resinas melanínicas e poliéster insaturado.

A reciclagem do resíduo através da hidrogenação permite que o reciclado seja usado como matéria prima em refinarias.

Gaseificação

Nessa reciclagem química é inserido oxigênio para que ocorra a combustão do carbono contido na matéria. Ou seja, o processo ocorre na presença limitada de oxigênio (na forma de ar, vapor ou oxigênio puro).

O resíduo é submetido à queima em elevadas temperaturas (de 800 °C a 1000 °C).

São recuperados durante a gaseificação CO e H2, pequenas quantidades de CH4, CO2, H2O e alguns gases inertes. O gás produzido encontra muitas aplicações práticas, incluindo a combustão em motores ou turbinas para a geração de energia elétrica. Ou o uso em bombas de irrigação, geração direta de calor e produção de matéria-prima para a síntese química.

Pirólise

Na reciclagem química por pirólise ocorre a quebra das moléculas pela ação do calor na ausência de oxigênio. Pode ocorrer de duas formas:

  • a baixa temperatura: o resíduo é degradado em alta temperatura na ausência de ar ou deficiência de oxigênio. Neste método, ocorre a despolimerização e formação de pequenas quantidades de compostos aromáticos e gases leves, como o metano.
  • a alta temperatura: o resíduo é decomposto através do calor na ausência de ar ou deficiência de oxigênio. Neste processo são formados óleos e gases que, posteriormente, serão purificados por métodos petroquímicos padrões.

Na pirólise obtém-se uma grande variedade de produtos de decomposição que são de difícil separação e, além disso, possuem um valor comercial menor que os produtos obtidos por hidrólise.

Quimólise

Na reciclagem química por quimólise são usados substâncias como metano, água e glicol para quebra parcial ou total dos plásticos em monômeros.

Reciclagem química

Segurança na reciclagem química

Reciclagem química

A economia circular enxerga a reciclagem dos resíduos plásticos como uma fonte sustentável de matéria prima para vários segmentos.

A reciclagem química trás uma solução para os problemas dos resíduos plásticos, pois apresenta melhor desempenho ambiental em comparação aos demais cenários.

Na reciclagem química são evitados impactos ambientais que o resíduo provoca, como: ecotoxicidade terrestre, oxidação fotoquímica, acidificação e eutroficação.

O tratador deve seguir os processos corretamente para não haver perda de material e contaminação ambiental.

Para garantir a segurança na reciclagem o tratador precisa realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios. Através da plataforma VG Resíduos, o tratador consegue monitorar seus processo e evitar passivos ambientais.

Para conseguir o lucro com o tratamento dos resíduos através da reciclagem química o tratador pode oferecer seu serviço no Mercado de Resíduos. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

Diante disso concluímos que a reciclagem química de resíduos, principalmente entre do plástico, é uma forma de destinação satisfatória. Este processo permite que o material reciclado seja vendido como matéria prima para outros processos. Isso permite que os negócios da empresa ampliem

Gostou desse assunto ou acha relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Saiba como ganhar dinheiro com a reciclagem de resíduos

Reciclagem química

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019