Sete dicas para montar um plano de gestão de resíduos industriais - VG Resíduos

Sete dicas para montar um plano de gestão de resíduos industriais

Sete dicas para montar um plano de gestão de resíduos industriais
1 (20%) 1 voto

gestão de resíduos industriais

Com o aumento do consumo de produtos e do ritmo de fabricação industrial muitas empresas têm se preocupado com a gestão de resíduos industriais. Há um acúmulo de resíduos industriais, que muitas vezes são despejados no meio ambiente colocando em risco a saúde humana e a conservação da natureza.

Diante disso, as indústrias precisam ser ambientalmente responsáveis, adotando medidas para evitar os impactos ao homem e ao meio ambiente. Uma das formas de se alinhar a favor da saúde humana e da natureza é adotar um plano de gestão de resíduos.

Implantar esse plano demonstra que a indústria está empenhada em eliminar os impactos negativos dos resíduos. A seguir, você entende como montar um plano de gestão de resíduos industriais. Por meio de sete dicas, informa-se como esse plano colabora para que a organização atenue os problemas ambientais e seja ecologicamente responsável.

gestão de resíduos industriais

Dica 1: Faça um estudo dos resíduos gerados

gestão de resíduos industriais

Tudo começa com um diagnóstico dos resíduos industriais gerados. Para elaborar o Plano de Gestão de Resíduos Industriais, PGRI, é necessário que a organização faça um amplo estudo sobre os resíduos que gera

Por meio desse estudo é possível identificar os pontos fortes e o mais deficientes. O diagnóstico também apontará onde são necessárias as implantações de melhorias no gerenciamento de resíduos industriais.

Para realização de um diagnóstico representativo, a empresa deverá levantar dados em relação a:

  • quantidade de resíduo industrial gerado;
  • principais processos geradores;
  • transporte adequado para esses resíduos conforme ANTT 5232;
  • área de transbordo em caso de derrame;
  • disposição dos resíduos;
  • gastos e investimentos;
  • mão de obra envolvida;
  • equipamentos necessários.

Dica 2: Defina metas e ações

Feito o diagnóstico inicial, a empresa deve estabelecer quais serão as suas metas e ações na gestão de resíduos industriais.

É importante que o plano preveja as prioridades no gerenciamento de resíduos, conforme determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Na rotina industrial, deve haver um trabalho que siga a seguinte ordem de prioridades em relação aos resíduos:

  • não geração;
  • redução;
  • reutilização;
  • reciclagem;
  • tratamento;
  • disposição adequada

Dica 3: Classifique e caracterize os resíduos

gestão de resíduos industriais

É importante, também, fazer uma classificação e caracterização dos resíduos. Essa definição é essencial para o sucesso do Plano de Gestão de Resíduos. Quanto à classificação, no Brasil ela é determinada pela NBR 10.004/04 da ABNT. Por meio dela, sabem-se os riscos potenciais para o meio ambiente e a saúde pública que os resíduos podem causar.

Pela NBR 1004/04 os resíduos são classificados como:

  • Resíduos Classe I – Perigosos:  apresentam periculosidade e características como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade;
  • Resíduos Classe II A Não Inertesnão se enquadram nas classificações de resíduos classe I – Perigosos ou de resíduos classe II B – Inertes. Podem ter propriedades como: biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água;
  • Resíduos Classe II B – Inertes: não se decompõem e não sofrem alteração da sua composição com o passar o tempo. Em contato com solo ou água não são poluentes, já que não liberam substâncias nocivas.

Já em relação à caracterização, os resíduos devem ser diagnosticados quanto:

  • origem: indica o estado físico no qual o resíduo se encontra; o seu aspecto; cor; se possui odor; e o grau de heterogeneidade;
  • estado físico: revela em qual processo originou-se; de qual atividade industrial pertence; e qual o seu principal constituinte;
  • melhor destinação: se deve ser enviado para aterro ou pode ser recuperado por empresas tratadoras.  

Dica 4: Estabeleça critérios de avaliação

Além de metas, caracterização e classificação dos resíduos, é necessário que se estabeleçam critérios de avaliação. Definir indicadores é importante para se mensurar o desempenho do plano.

Para cada objetivo traçado deve existir no mínimo um indicar de avaliação.

Dica 5: Envolva todos os profissionais da organização

gestão de resíduos industriais

O sucesso do Plano de Gestão de Resíduos vai depender muito do comprometimento de todos os colaboradores da organização. É necessário que todos se envolvam e deem sua parcela de contribuição para que a indústria alcance o status de uma organização ecologicamente responsável.

Deve haver uma mudança cultural nas empresas em relação ao manejo de seus resíduos. Todos devem estar empenhados para que as metas do plano sejam alcançadas e a indústria passe a ter uma rotina de estratégias sustentáveis.

Somente com a adesão de todos os colaboradores, o plano vai ter um resultado efetivo e a indústria e alcançará a imagem de ecologicamente correta.

Dica 6: Siga as leis ambientais

Durante todo o processo de elaboração do Plano de gestão de resíduos, as indústrias devem seguir a legislação ambiental.

As empresas que geram resíduos, mas descumprem leis ambientais podem ser seriamente prejudicadas. É inadmissível que as organizações descartem os resíduos de forma negligente. As organizações podem ser multadas, sofrerem embargos e perderem credibilidade no mercado.  

Dica 7: Conte com o Mercado de Resíduos

gestão de resíduos industriais

Uma última dica é aderir ao Mercado de Resíduos. Trata-se de uma plataforma eletrônica que facilita a venda e a compra de resíduos. Depois de montado o Plano de gerenciamento, o software possibilita que as indústrias possam comercializar seus resíduos, mas também contratar fornecedores para transporte e tratamento.

Por meio digital, as indústrias geradoras e as empresas tratadoras podem realizar parcerias. Basta que as geradoras se cadastrem na plataforma e informem qual resíduo produzem. Da mesma forma, tratadoras cadastradas têm acesso aos materiais das geradoras, podendo se interessar pelas sobras.  De maneira totalmente automatizada, a plataforma coloca gerador e tratador em contato, selecionando as melhores propostas para cada negócio.

Como se vê, é possível implantar um plano de gestão de resíduos industriais e diminuir os impactos negativos que as sobras podem causar à natureza e à saúde humana. Seguindo alguns protocolos, a organização pode mudar de status e se tornar uma empresa ecologicamente responsável.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Saiba quais os impactos ambientais de uma má gestão de resíduos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019