×

O que é a Economia Circular e como esse conceito pode beneficiar minha empresa?

Aprenda como os princípios da economia circular podem levar a sua empresa se tornar cada vez mais sustentável e lucrativa

Diante do aquecimento global e da constante poluição ao meio ambiente, tanto a sociedade contemporânea quanto o mercado têm se atentado cada vez mais às práticas sustentáveis e de conservação do meio ambiente. Nesse viés o conceito “Economia Circular” tem se tornado mais conhecido e relevante para a redução das agressões ao meio ambiente.

Imagine se ao invés de descartar celulares quebrados, máquinas de lavar louça, eletrodomésticos em desuso, esses itens de uso do dia a dia retornassem ao ciclo e pudessem ser novamente reutilizados? Não apenas aproveitados, mas reinseridos na cadeia de produção? Essa é uma das ideias que fundamentam o conceito de Economia Circular.

Vejamos mais alguns pontos fundamentais para a compreensão do termo.

O que é Economia Circular?

A Economia Circular é um conceito que repensa as práticas econômicas que ambiciona manter produtos, componentes e materiais em circulação tirando proveito do máximo de valor e utilidade entre ciclos técnicos e biológicos. Ela é semelhante a proposta de metodologia conhecida como “cradle to cradle”, traduzida como do berço ao berço.

Para visualizar melhor a proposta da Economia Circular, basta compreender que ela se inspira nos conceitos cíclicos da natureza onde todos os materiais como plantas, água ou alimentos são totalmente reaproveitados pelo meio ambiente. Um dos exemplos é o clico da água, em que nada é perdido ou descartado. A água é utilizada e retorna ao uso, com 100% de reaproveitamento.

A ideia da Economia Circular vai além do conceito dos três “R”s – reduzir, reutilizar e reciclar, isso porque ela reúne, pelo menos na teoria, o modelo sustentável com o ritmo tecnológico e comercial do mundo atual.

Para entender melhor o termo, é preciso saber que a Economia Circular é superior também a ideia que possuímos e praticamos no que diz respeito a reciclagem. O que praticamos hoje é na verdade uma ‘subciclagem’, ou downcycle, de materiais que não foram projetados com o reaproveitamento em mente.

O projeto de economia circular inclui também a criação de sistemas de reparo, reuso e remanufatura, além de uma reciclagem efetiva, em que matérias-primas mantém ou mesmo aumentam seu valor – a definição do termo upcycle, que poderia ser traduzido como uma ‘superciclagem’, em oposição à ‘subciclagem’ atual.

O termo surgiu a partir da união de outros conceitos já existentes como: design regenerativo, economia de performance, cradle to cradle – do berço ao berço, ecologia industrial, biomimética, blue economy e biologia sintética. A junção de tantos termos criados no último século foi com o intuito de desenvolver um modelo estrutural para a regeneração da sociedade.

A economia circular atua em oposição à economia linear, baseada nos processos “extrair – produzir – descartar”. Até então, essa era a prática mais vista e utilizada tanto pelas empresas quanto pela sociedade. O conceito fundamentado no processo circular onde os resíduos são insumos para produção de novos produtos tem se propagado com um interesse para um mundo mais sustentável.

Para entender melhor o conceito da economia circular, veja o gráfico abaixo:

Quando surgiu o conceito de Economia Circular?

Não se sabe ao certo a origem exata da expressão “Economia Circular”. Todavia alguns acadêmicos alegam que o economista britânico Kenneth Boulding é o pai do termo. Isso porque ele publicou um artigo no ano de 1966, “The economics of coming spaceship earth”. Neste texto, Boulding defendia que “o Homem tem de encontrar o seu lugar num sistema ecológico cíclico capaz de reprodução contínua de formas materiais desde que haja o necessário input energético”.

Há também outra linha de pensamento que o termo surgiu na China. Deve-se ao fato do país asiático ter incorporado nos 11º e 12º planos quinquenais como base do futuro crescimento econômico. Certo é que o lugar de destaque dado pelo maior país do mundo à ideia de economia circular contribuiu consideravelmente para a atenção que a “Economia Circular” tem merecido no Ocidente.

Embora não saiba ao certo a origem, é fato que o conceito possui ideias oriundas de diferentes escolas de pensamento e é possível traçar as suas raízes até ao século XVIII e às primeiras teorias econômicas surgidas nessa altura.

Benefícios da adoção da Economia Circular

São claras as vantagens em ter uma economia fundamentada no princípio de Economia Circular, um dos principais benefícios consiste na conservação do meio ambiente e dos recursos naturais. No Brasil há em torno de 190 milhões de pessoas gerando resíduos diariamente. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cada brasileiro produz cerca de um quilo de lixo por dia, ou seja mais de 180 mil toneladas são geradas todos os dias. Tanto resíduo sólido sendo produzido é necessário fazer algo urgente para transformação consciente de todo esse material. A economia circular se dá como uma ótima resposta para esse problema agravante.

Outro ponto importante a ser destacado é que contar com um sistema industrial intencionalmente reparador ou regenerativo, traz benefícios operacionais e estratégicos e um enorme potencial de inovação, geração de empregos e crescimento econômico.

Uma vantagem que vale ser informada é que a partir da Economia Circular o crescimento econômico se dissocia do consumo crescente de novos recursos, possibilitando o aproveitamento inteligente dos recursos que já se encontram em uso no processo produtivo, ou seja evitando novos gastos ou investimentos em produtos.

A economia de gastos das empresas é também outro ponto relevante na adoção desse conceito. Com a reutilização dos produtos, deixa-se de gastar com a aquisição de novos materiais para a produção, além de ganhos que a organização pode obter a partir da venda dos materiais que não são utilizados pela organização, mas talvez possam ser aproveitados por outras empresas.

Há também a valorização da marca perante a sociedade e o mercado, tendo em vista que é muito bem quistas empresas sustentáveis e ecologicamente corretas. Muitas marcas atualmente agregam o conceito de empresa limpa a sua identidade como é o caso da Natura, Mundo Verde, entre outras que somam esse valor como parte do marketing do empreendimento.

Para finalizar, vale lembrar que no Brasil foi aprovado em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que visa garantir a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, operação reversa e o acordo setorial. Assim, todos os agentes do ciclo produtivo, os consumidores e os serviços públicos devem minimizar o volume de resíduos sólidos e adotar práticas que assegurem que os produtos sejam reintegrados ao ciclo produtivo.

Nesse sentido para estar de acordo com a legislação brasileira é válido adotar o conceito de Economia Circular na empresa.

Como iniciar a prática da Economia circular no meu negócio?

É importante destacar que para manter o ciclo do produto em total reutilização é necessário que não apenas as empresas, mas todos envolvidos em alguma etapa de vida do produto estejam comprometidos com a Economia Circular. Haja vista que os materiais passam tanto do consumidor para a empresa e por aí se segue. As organizações precisam repensar a maneira como o produto é construído desde o design para que seja possível o ciclo se tornar completo.

Uma forma de adotar medidas inteligente ligadas ao sistema de gestão ambiental é a adoção dos requisitos da ISO 14001, norma criada pela Organização Internacional ISO, reconhecida no mundo inteiro. A ISO 14001 traz uma série de princípios e itens que as empresas devem adotar para melhorar a forma de atuação da empresa com o meio ambiente. A Consultoria Online Verde Ghaia auxilia grandes e pequenas empresas na implantação das normas de gestão, inclusive na ISO 14001 e oferece garantia de 100% na certificação.

Outra estratégia que pode ser utilizada para alcançar o conceito de economia circular é a utilização da ferramenta mercado de resíduos. Criada pela VG Resíduos, o Mercado de Resíduos é uma plataforma online de oferta e busca de resíduos e serviços. Ela cria oportunidades e otimiza a gestão das organizações para melhor aproveitamento e destinação dos resíduos.

A plataforma gera valor transformando o resíduo em insumo que possa ser aproveitado no processo produtivo de outras empresas e, ainda, estimula a destinação correta dos resíduos, minimizando impactos ambientais.

Utilizando-a a empresa terá como vender, trocar e comprar resíduo, além de contratar fornecedores para transporte e tratamento. Tudo isso com facilidade, economia e segurança!

 

 

 

 

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2018