×

Como sua empresa pode gerar renda reciclando lâmpadas?

gerar renda reciclando lâmpadas

As tratadoras de resíduos estão descobrindo como gerar renda reciclando lâmpadas, ampliando assim o seu negócio. Muito se deve pela reciclagem de lâmpadas ser o meio mais seguro para tratar e eliminar os elementos químicos perigosos. Por meio desse processo é possível separar os materiais que podem ser reutilizados como matéria prima para outros produtos.

Reciclagem de lâmpadas fluorescentes — as maios consumidas — se comparada com as lâmpadas incandescentes pode ser uma opção eficiente e econômica. Contudo, pela presença de mercúrio e chumbo em sua composição, metais extremamente prejudiciais ao meio ambiente e a saúde, elas precisam ser descartadas corretamente.

Anualmente, mais de 40 milhões de lâmpadas são descartas no Brasil e desse total menos da metade tiveram o destino adequado. Diante disso, empregar tecnologia no adequado tratamento das lâmpadas é mais que necessário para eliminar os seus riscos. Vamos saber como gerar renda reciclando lâmpadas, bem também das vantagens desse processo para o meio ambiente.

Leia também: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Logística Reversa aliada à reciclagem das lâmpadas

 

gerar renda reciclando lâmpadas

A Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, obriga os fabricantes a implantarem um sistema de logística reversa para as lâmpadas. Além disso, determina que após recolhida às lâmpadas inutilizáveis deve-se dá a destinação final ambientalmente adequada.

Com essa determinação surgiu uma problemática a serem solucionadas pelas fabricantes: o que fazer com as lâmpadas recolhidas? A solução seria destinar esses resíduos para as tratadoras realizarem a reciclagem.

A logística reversar trouxe as empresas especializadas em tratamento de resíduos à alternativa de gerar renda reciclando resíduos. Contudo, considerando o âmbito ambiental, elimina o risco do descarte incorreto desses resíduos.

Saiba mais: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Como gerar renda reciclando lâmpadas?

Existem diversos tipos de tecnologias de reciclagem de lâmpadas. A escolha da melhor opção deve ser baseada na preservação ambiental e na mais econômica. A maioria das tecnologias hoje funciona em um sistema de pressão negativa para garantir que não ocorram emissões de gases tóxicos durante o processo.

Vejamos alguns das principais tecnologias

O processo de separação centrífuga

gerar renda reciclando lâmpadas

Este método pode ser usado para a reciclagem de lâmpadas que não possuem forma de bastonete.

Em uma centrifuga, as lâmpadas são inicialmente separadas em vidro ou metal ou plástico.

A recuperação do mercúrio presente acontece através do aquecimento do vidro e do soquete.

O vidro é submetido a um tratamento térmico para eliminar poluente e em seguida, é devolvido ao ciclo de produção. Os componentes de metal e plástico são triturados em um triturador Shredder. Já as partes que contenham metais são retiradas por um separador magnético.

Confira: Como obter lucro utilizando restos de alimentos para fazer adubo?

O processo de separação Kapp

Este método pode ser usado para a reciclagem de lâmpadas que possuem forma de bastonete.

O processo se inicia separando primeiramente as lâmpadas a mão.

Depois as lâmpadas vão para um equipamento que faz um reconhecimento das substâncias utilizadas para a iluminação. Essas substâncias são selecionadas para tratamento e posterior reutilização na fabricação de novas lâmpadas.

Já as extremidades das lâmpadas são removidas, e os componentes de metal e de vidro que contenham chumbo são recuperados.

O material contendo mercúrio é succionado restando somente o metal e o vidro que são triturados e separados através do uso de um selecionador de metais.

O processo de lavagem de vidros quebrados

gerar renda reciclando lâmpadas

Esse processo permite reciclar qualquer tipo de lâmpada e tamanho.

Os metais ferrosos são extraídos com o uso de um separador magnético. O material restante cai em uma esteira vibratória onde os materiais contendo fósforo e mercúrio são separados dos cacos de vidro.

O mercúrio é separado do fósforo após um processo de sedimentação e destilação O mercúrio recuperado possui um grau de pureza de até 99,9% e pode ser utilizado, por exemplo, na indústria química.

Já o restante dos materiais podem ser utilizados como matéria prima para a fabricação de novas lâmpadas.

O processo Shredder

Este método também é pode ser empregado para todos os tipos de lâmpadas. E acontece em três etapas.

Na primeira etapa as lâmpadas são trituradas e separadas em função do tamanho das frações. A fração maior contem as extremidades ou bases das lâmpadas, a média contem vidros e plásticos com frações de cerca de 5 mm. Na fração menor encontra-se o pó de fósforo e vidro.

Extração do mercúrio

O mercúrio é um dos componentes mais perigosos que as lâmpadas contem. A sua separação pode ser através de processos de sedimentação seguidos de destilação ou mesmo através do processo de aquecimento.

O vaporizado a partir desse processo é condensado e coletado em decantadores. O mercúrio obtido passa por nova destilação para se removerem impurezas.

Leia também: Que compromissos determinam a obtenção da licença ambiental?

Como gerar renda reciclando lâmpadas

gerar renda reciclando lâmpadas

Uma empresa pode gerar renda reciclando lâmpadas. Há empresas especializadas neste tipo de serviço que lucra até R$60 mil por mês processando em média 80 mil lâmpadas por mês.

Além disso, a empresa pode lucrar com a venda dos materiais que sobra, como vidro e metais.

A reciclagem é uma excelente oportunidade das micro e pequenas empresas gerar renda reciclando lâmpadas.

A reciclagem de lâmpadas ainda é um processo pouco explorado e gera renda para as empresas especializadas neste tipo de serviço.  É importante para a preservação ambiental dá uma nova finalidade para cada um dos seus componentes, evitando assim o descarte em aterros. As inovações na reciclagem e gestão ambiental dão vantagem às pequenas empresas, que são mais flexíveis para esses tipos de processos. A cadeia geradora é ampla, o que tem permitido as tratadoras gerar renda reciclando lâmpadas.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

 

Como obter lucro utilizando restos de alimentos para fazer adubo?

restos de alimentos para fazer adubo

As empresas que manejam resíduos orgânicos da indústria alimentícia, como as cascas de frutas, podem fazer renda utilizando restos de alimentos para fazer adubo. Obtém-se o fertilizante natural pela compostagem, tratamento biológico no qual os micro-organismos fazem a decomposição dos resíduos orgânicos.

O resultado da compostagem é o adubo orgânico, que pode ser comercializado como fertilizante para plantas e solos. As tratadoras que investem na reciclagem de restos alimentícios podem vender o adubo, ideal para agricultura, jardins, pomares e hortas.

Além do ganho financeiro, a produção de adubo a partir da compostagem demonstra que a tratadora é ecologicamente correta. O tratamento biológico dos resíduos orgânicos evita que as sobras sejam abandonadas irregularmente no meio ambiente ou depositadas em aterros. A compostagem que gera o adubo é um método simples, podendo ser implantado pelas tratadoras sem grandes investimentos financeiros.

A seguir, vamos tratar em detalhes das vantagens de reciclar os restos de alimentos para fazer adubo. Acompanhe!

lucre comprando ou vendendo resíduos

Produza adubo e seja ecologicamente correto

As sobras da indústria alimentícia estão entre os chamados resíduos orgânicos. No conjunto de resíduos do setor alimentício que podem passar pela compostagem, virando adubo, estão:

  • cascas de batata
  • legumes
  • hortaliças
  • restos e cascas de frutas
  • borras de café
  • restos de pão
  • arroz
  • massa
  • cereais
  • restos de comida cozida

Quando as tratadoras de resíduos optam por reciclar essas sobras transformando-as em adubo orgânico, demonstram que são ecologicamente corretas. Com a implantação da Política Nacional de Resíduos, as empresas precisam fazer a gestão adequada das sobras. Tratar os resíduos com responsabilidade diminui os riscos para o meio ambiente e os indivíduos.

Durante a compostagem, ocorre somente a formação de CO2, H2O e biomassa (húmus). O sistema de compostagem que gera o adubo é um processo de fermentação que ocorre na presença de oxigênio (aeróbico). Sendo assim, com a compostagem não há formação de CH4 (gás metano), que é altamente nocivo ao meio ambiente. Sua agressividade é 23 vezes maior que o gás carbônico, impactando enormemente os efeitos do aquecimento global.

As leis ambientais recomendam que os resíduos sejam reduzidos e uma das soluções é retorná-los à cadeia de produção. Isso pode ser obtido quando se implanta a Política dos 3R´s: Redução, Reutilização e Reciclagem. A produção de adubo via compostagem é uma aplicação dessa política, pelo método da reciclagem.

Leia: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Saiba como a compostagem resulta em adubo

restos de alimentos para fazer adubo

As sobras de alimentos transformam-se em adubo por meio da compostagem. É um tratamento biológico que se inicia quando as sobras alimentícias são acumuladas em pilhas de orgânicos. A partir daí, microrganismos, como bactérias, fungos e actinomicetos, na presença de oxigênio, decompõem a matéria orgânica dos resíduos, transformando-os. O resultado é o composto orgânico chamado húmus, um adubo repleto de nutrientes que fortalecem as raízes das plantas.

O adubo orgânico torna o solo poroso, facilitando a aeração das raízes, a retenção de água e nutrientes. Os minerais compõem 6% do composto e são formados de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e ferro. Por essa riqueza de nutrientes, o adubo orgânico tem excelente resultado na agricultura, na jardinagem, em pomares e hortas.

As tratadoras podem comercializar esse adubo e com um diferencial importante. Por serem gerados por método natural, o húmus não é nocivo aos solos e às plantas, como o adubo químico. Os fertilizantes químicos são poluentes, pois podem deteriorar o solo e contaminar os lençóis freáticos. Podem, ainda, oferecer riscos à pessoa que o aplica, especialmente na ausência de Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s).

Entenda as regras para a produção do adubo

restos de alimentos para fazer adubo

A transformação dos restos de alimentos em adubo, por meio da compostagem,  precisa ser feita com critérios. Em outubro de 2017, o Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA),  estabeleceu a Resolução Nº 481, tratando desse assunto. Segundo o Artigo 10 da resolução, é preciso seguir diretrizes durante a compostagem, para evitar impactos ambientais:

Art. 10. As unidades de compostagem devem atender aos seguintes requisitos mínimos de prevenção e controle ambiental:

I – adoção das medidas de controle ambiental necessárias para minimizar lixiviados e emissão de odores e evitar a geração de chorume;

II – proteção do solo por meio da impermeabilização de base e instalação de sistemas de coleta, manejo e tratamento dos líquidos lixiviados gerados, bem como o manejo das águas pluviais;

III – implantação de sistema de recepção e armazenamento de resíduos orgânicos in natura garantindo o controle de odores, de geração de líquidos, de vetores e de incômodos à comunidade;

IV – adoção de medidas de isolamento e sinalização da área, sendo proibido o acesso de pessoas não autorizadas e animais;

V – controle dos tipos e das características dos resíduos a serem tratados;

VI – controle da destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e líquidos gerados pela unidade de compostagem.

Confira: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Tenha rendimentos produzindo o adubo orgânico

restos de alimentos para fazer adubo

Além de lucrar com a comercialização do adubo orgânico, as tratadoras que seguem as diretrizes do CONAMA podem ter rendimentos por outros fatores. A compostagem que gera o adubo é um método simples e econômico, que não demanda alto investimento para ser implantado. As tratadoras podem reservar um local de sua estrutura física para a compostagem e produzir o adubo com relativa facilidade.

Produzir adubo orgânico tem uma vantagem econômica adicional. A reciclagem das sobras alimentícias não passa por nenhum tratamento industrial, o que significa mais economia.

Para formar uma clientela, pode-se contratar uma consultoria capaz de indicar empresas alimentícias que possam destinar seus resíduos às tratadoras.  Por meio de uma  plataforma tecnológica é possível colocar em contato geradores e tratadores de resíduos alimentícios, formando uma parceria.

Ao usar os restos de alimentos para fazer adubo, além do ganho financeiro, a tratadora mostra que é ambientalmente responsável. O tratamento biológico dos resíduos orgânicos evita que as sobras sejam descartadas incorretamente, diminuindo o impacto ambiental. O adubo gerado pela compostagem é um método simples de ser implantado e que não demanda grandes investimentos financeiros.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

Mercado de Resíduos: lucre comprando ou vendendo resíduos

 

Qual a importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos?

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

Se sua empresa trata resíduos, deve saber importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos. Por meio desse documento, o  gerador  de  resíduos  químicos  disponibiliza informações importantíssimas para o tratador.

Logo, a FDSR permite assim que o tratador tenha a possibilidade de tomar as medidas cabíveis para o adequado tratamento desse tipo de resíduos.

Vamos saber mais da importância da FDSR para o tratamento de resíduo químico? Confira!

Saiba mais: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

O que é FDSR?

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

FDSR é a sigla de Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos. É um documento normalizado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), conforme NBR 16725:2014.

Esta norma brasileira foi criada para padronizar o sistema de informação e estabelecer regras no preenchimento da Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos.

O seu objetivo é comunicar os perigos a todos aqueles expostos a agente químicos. Principalmente aos tratadores que os manipulam nas mais diversas etapas do tratamento de resíduos. A finalidade é de minimizar os efeitos agressivos imediatos (corrosivos e toxicológicos) e os que se manifestam em longo prazo, tais como os teratogênicos, carcinogênicos e mutagênicos.

Cabe a empresa geradora dos resíduos disponibilizar o FDSR para os tratadores contratados por ela. Na ficha deve conter informações sobre as propriedades específicas dos resíduos químicos, as quais devem ser consideradas nas etapas do tratamento, inclusive seu correto gerenciamento. Além disso, detalha medidas de manuseio, transporte, armazenamento, os riscos associados, ações de segurança e de proteção ao meio ambiente, dentre outras.

Legislações que fundamentam a FDSR

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

A FDSR se aplica aos resíduos químicos perigosos e materiais contaminados por eles, classificados conforme norma ABNT NBR 10004 (Classificação de resíduos sólidos) e/ou Regulamentações de Transporte de Produtos Perigosos (Resolução ANTT 5232).

Dentre as legislações que fundamentam a FDSR para o tratamento de resíduos químico, temos:

  • decreto 2.657 de 03/07/1998: promulgou a Convenção 170 da Organização Internacional do Trabalho – OIT. Este decreto prevê a existência de um sistema de classificação, rotulagem e fichas com dados de segurança para os tratadores que tratam resíduos químicos;
  • NR 25 do Ministério do Trabalho e Emprego: estabelece que os trabalhadores envolvidos em atividades de tratamento de resíduos químicos devem ser capacitados sobre os riscos envolvidos e as medidas de eliminação e controle adequado dos mesmos.

Leia também: leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio.

A importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

A FDSR deve conter 13 seções que trazem informações importantes para serem seguidas no tratamento de resíduos químicos. Nessas seções são dispostas informações sobre segurança e composição dos resíduos químicos.

Informações referente à composição

São elas:

  • identificação do resíduo químico e da empresa geradora: através dessa informação a empresa que trata resíduos saberá quais tipos de tratamento o resíduos deve passar para eliminar e neutralizar seus riscos;
  • composição básica e identificação de perigos: não é necessário informar a composição completa do resíduo químico, no entanto, as informações devem ser claras e necessárias para a eficiência do tratamento empregado;
  • propriedades físicas e químicas: as informações sobre as propriedades físicas e químicas influenciam no tratamento de resíduos químicos. Por exemplo, o tratamento de resíduo químico aquoso exige a aplicação dos conhecimentos básicos de equilíbrio químico, tais como: neutralização ácido-base; escolha do agente precipitante de metais pesados e/ou de ânions presentes no resíduo; aplicação de reações de oxirredução para oxidar/reduzir espécies presentes no resíduo. Caso não identificado a composição química dos resíduos tais medidas não serão aplicadas e as propriedades perigosas não serão neutralizadas;
  • informações toxicológicas: informações de substâncias tóxicas presentes no resíduo químico são importantes para evitar contaminação;

Confira: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

Informações referente à segurança

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

São elas:

  • medidas de primeiros-socorros: caso haja contato com o resíduo químico os empregados que realizam o tratamento devem ter conhecimento de quais medidas serão necessárias para evitar danos a sua saúde;
  • medidas de controle para derramamento ou vazamento e de combate a incêndio: para evitar danos a saúde do homem e ao meio ambiente é necessário que a tratadora tenha informações das medidas a serem adotadas para mitigar o perigo. Bem como, é necessário que a tratadora tenha conhecimento do tipo de resíduo químico para tomar medidas necessárias de combate a incêndio, assim como determina a NR 23;
  • manuseio e armazenamento: informações especificas sobre como deve ser realizado o manuseio e armazenamento são importantes para evitar acidentes;
  • controle de exposição e proteção individual: quais equipamentos de proteção individual – EPI’s são necessários para realizar o manuseio sem que cause risco a saúde do homem;
  • informações ecológicas: nessa seção deve ser apresentado quais os problemas ambientais que o resíduo pode causar ao meio ambiente caso não seja tratado e descartado de forma correta;
  • considerações sobre tratamento e disposição: qual a melhor forma de descartar esse resíduo evitando assim os impactos negativos sobre o meio ambiente e a saúde pública. Nessa seção encontramos informações sobre possibilidade do reaproveitamento dos resíduos;
  • informações sobre transporte: a ANTT 5232 regula o transporte de resíduos químicos. Na FDSR a tratadora encontra informações sobre a maneira correta de transporte dos resíduos;
  • regulamentações: leis e normas importantes sobre o tratamento de resíduos químicos;
  • outras informações: nesta seção será incluso outras informações pertinentes que a geradora julgue como importante.

A ausência de tratamento dos resíduos químicos pode levar à contaminação do meio ambiente, comprometendo assim a saúde pública. A FDSR influencia no gerenciamento de resíduos, tendo em vista que as formas corretas de tratamento é um processo importante. A Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos têm o intuito de disponibilizar informações sobre os aspectos essências dos resíduos químicos quanto à proteção, segurança, saúde e ao meio ambiente. Se tornando, um meio do gerador de resíduos químicos transferir informações essenciais sobre os seus perigos ao seu tratador, possibilitando que eles tornem as medidas necessárias relativas à segurança, saúde e meio ambiente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Quatro dicas eficientes para localizar geradores de resíduos químicos.

 

 

Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Se você é uma empresa tratadora certamente se interessa em ter diferenciais como tratador de resíduos perigosos para se destacar no mercado.

Os resíduos perigosos são provenientes de lâmpadas fluorescentes, baterias, pilhas, remédios vencidos, pneus e outros. e os tratadores lidam com materiais que exigem extremo cuidado.

Assim, ao apostar no tratamento de resíduos perigosos, além de ser ecologicamente viável e correto, poupa a saúde humana e o meio ambiente. Vamos conhecer mais esse assunto?

Leia também: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Saiba os diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

As tratadoras de resíduos perigosos, quando conhecem e praticam as melhores técnicas de manejo desse tipo de material, podem ser decisivas para a saúde humana e o meio ambiente.  A empresa tratadora lida com um tipo de material com grande potencial de risco e que é gerado principalmente pelas indústrias.

É considerado um resíduo perigoso aquele que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas, pode gerar:

  • risco à saúde pública, provocando mortalidade, incidência de doenças ou acentuação de seus índices;
  • riscos ao meio ambiente, quando o resíduo for gerenciado de forma inadequada, podendo contaminar cursos d´água, solos e atmosfera.

A tratadora se destaca no mercado ao fazer o manejo correto desses resíduos perigosos que podem conter metais pesados. Substâncias como mercúrio, chumbo, cádmio e níquel podem se acumular nos tecidos vivos, colocando em risco a saúde.

Mais do que isso, a empresa tratadora pode ser vista como diferenciada no mercado ao reaproveitar os resíduos perigosos, evitando que esses materiais sejam descartados e ameacem a saúde do homem e o meio ambiente.

Como tratar corretamente os resíduos perigosos

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

As tratadoras precisam conhecer a fundo a composição dos resíduos perigosos, o quanto eles podem ser nocivos ao homem e à natureza e as formas corretas de trata-los. As cinco propriedades a seguir indicam que um resíduo é perigoso e necessita de gerenciamento adequado:

  •  Inflamabilidade: os resíduos que possuem essa característica podem entrar em combustão facilmente ou até de forma espontânea;
  • Corrosividade: devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos;
  • Reatividade: reagem com outras substâncias de forma violenta e imediata, podendo liberar calor e energia;
  • Toxicidade: agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros.
  • Patogenicidade: apresentam características biológicas infecciosas, contendo microorganismos ou suas toxinas, capazes de produzir doenças em homem e animais.

Além de conhecer as propriedades, as tratadoras devem pesquisar as soluções possíveis para o manejo desse tipo de material, o que pode ser feito com mais assertividade com a consultoria de uma empresa especializada no assunto.

Essas alternativas devem ser capazes de processar os resíduos para reduzir ou eliminar sua periculosidade ou imobilizar seus componentes perigosos, fixando-os em materiais insolúveis.

Este estudo apresenta algumas opções corretas para o tratamento dos resíduos perigosos, entre elas:

  • Incineração: é a destruição dos resíduos, transformando-os em cinzas. No caso de incineração de resíduos combustíveis há a geração de energia. Uma vantagem é que a área requerida para a instalação de um incinerador é bastante reduzida, se comparada com aterros. Os investimentos, entretanto, são caros, pois é necessária a depuração de gases e a destinação das cinzas;
  • Coprocessamento: é o uso de fornos de cimento que substituem, em parte, o uso de incineradores. Os resíduos perigosos, após passarem pela queima, podem ser reutilizados, substituindo parcialmente o combustível que alimenta a chama do forno que transforma calcário e argila em clínquer, matéria-prima do cimento. Outro diferencial é que os fornos de cimento destroem grandes volumes de resíduos de forma segura, poupando o uso de combustível.

Saiba mais: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

Reciclagem faz tratadora se destacar da concorrência

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

O ato de reciclar significa refazer um ciclo e isso, em relação aos resíduos, permite que as sobras, após serem reprocessados, voltem à a origem sob a forma de matéria-prima, mantendo suas características básicas.

Ao apostar em soluções de reciclagem para os resíduos perigosos, a tratadora sai em vantagem em relação às concorrentes. Isso porque ela se posiciona como organização ecoficiente e alinhada à política de gestão de resíduos sólidos.

O conjunto de leis brasileiras sobre o gerenciamento dos resíduos defende que as sobras sejam reduzidas, pois há um excesso de geração, fruto do aumento do consumo e do uso predatório dos recursos naturais para a fabricação de produtos. Na impossibilidade de diminuir os resíduos, eles devem ser reciclados ou reutilizados.

Um bom exemplo é a reciclagem de lâmpadas, consideradas um resíduo perigoso. Há diferentes tipos de tecnologias para a reciclagem delas: processo de separação centrífuga, separação Kapp, de lavagem de vidros quebrados, o processo Shredder e de extração do mercúrio.

No processo de reciclagem é feita a separação dos componentes e substâncias para que esses possam ser utilizados como matéria-prima na fabricação de outros produtos como, por exemplo, outras lâmpadas.

Confira: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Elimine riscos e custos do tratamento de resíduos perigosos

diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Quando o tratamento de resíduos perigosos não é feito de maneira criteriosa, desrespeitando as leis ambientais, a empresa cuidadora pode colocar sua reputação em risco e até sofrer prejuízos com multas ou punições.

Por isso, uma estratégia acertada é buscar empresas como a Verde Ghaia, grupo especializado em consultoria em gerenciamento de resíduos. Essa é uma opção que garante que a tratadora cumprirá todas as leis ambientais e saberá manejar corretamente os resíduos perigosos.

O empreendedor que cuida dos materiais nocivos pode se tornar referência, ao demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos. As tratadoras criteriosas podem se destacar no mercado, sendo reconhecidas como empresas de credibilidade e condutas ecologicamente responsáveis.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

 

 

 

Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

Vamos saber a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos? A certificação ISO 14001 é uma das ferramentas mais procuradas por empresas que atuam de forma sustentável, uma vez que as auxiliam na identificação e gerenciamento dos riscos ambientais inerentes ao seu negócio, como os riscos no tratamento de resíduos.

A implementação do Sistema de Gestão Ambiental vem aumentando exponencialmente nos últimos anos nas empresas que atuam com o tratamento resíduo. Isso indica o reconhecimento da importância das questões ambientais como fator de sobrevivência empresarial.

A norma ISO 14001, da ABNT, detalha os requisitos que estabelecem os objetivos e metas a serem atingidos, propondo que a organização estruture e planeje o atendimento a legislação ambiental e condicionantes de licença . E, também, a adote controles ambientais mais assertivos em todas as atividades da empresa. Confira!

Saiba mais: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Certificação ISO 14001

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A norma ISO 14001 trata do gerenciamento ambiental, indicando às empresas tratadoras de resíduo o que devem fazer para minimizar os impactos ambientais de suas atividades e melhorar continuamente seu desempenho ambiental.

A implementação da ISO 14001 trás como benefícios no tratamento de resíduos a redução do uso de matérias-primas, de energia e utilização de recursos renováveis.

A ISO 14001 exige que as tratadoras de resíduos se comprometam com a prevenção da poluição e com melhorias contínuas preservando o meio ambiente, como parte do ciclo normal de gestão empresarial. Basicamente, empregar técnicas de tratamento de resíduos que elimine todos os seus potenciais riscos de contaminação de forma assertiva e seguindo toda a legislação aplicável, bem como ter um sistema padronizado.

A empresa que busca a certificação na ISO 14001 demonstra preocupação com as causas ambientais e, se corretamente implementada, é importante instrumento para a preservação ambiental e para o desenvolvimento sustentável.

Os passos para tratadora obter a certificação ISO 14001

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

Seis passos devem ser cumpridos para a obtenção do certificado:

  1. Desenvolver uma política ambiental: este é o principal requisito do sistema de gestão ambiental, que estabelece a estratégia ambiental da organização;
  2. Identificar nas atividades de tratamento dos resíduos ou em outras atividades da empresa, o residual do tratamento (no caso o resíduo tratado) e serviços que possuam interação com o meio ambiente
  3. Identificar requisitos legais e regulatórios: quais leis que influenciam o tratamento de resíduos e o negócio e a necessidade de licenciamento ambiental;
  4. Identificar as prioridades da empresa e definir objetivos e metas de redução de impacto ambiental;
  5. Ajustar a estrutura organizacional da empresa para atingir estes objetivos, atribuindo responsabilidades, realizando treinamentos, comunicando e documentando;
  6. Checar e corrigir o Sistema de Gestão Ambiental, buscando a melhoria continua.

Leia mais: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

A influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A ISO 14001 em empresas que prestam serviços de tratamento de resíduos possibilita um cuidado maior com a responsabilidade ambiental. Entre as ações temos:

  • a utilização racional da água e o reuso em atividades menos restritivas;
  • o uso e ocupação do solo, bem como suas implicações;
  • a conscientização ambiental dos colaboradores;
  • o aprimoramento dos sistemas de tratamento existentes;
  • a melhoria contínua dos processos da empresa.

A empresa tratadora certificada na ISO 14001 segue, em toda a sua estrutura, estratégias e planos de ação para diminuir os impactos ambientais. É mais uma garantia de que todo o serviço de tratamento de resíduos segue os padrões legais e melhores práticas do mercado.

Com a certificação ISO 14001 a tratadora garante tranquilidade aos seus clientes, para confiarem seus resíduos à empresa sem que se exponham aos riscos impostos pelas leis aplicáveis. Inclusive a cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos que determina a responsabilidade compartilhada entre geradores e empresas terceirizadas que realizam o tratamento dos resíduos.

Além disso, o Sistema de Gestão Ambiental propiciona novos ganhos comerciais para a tratadora. Uma vez que amplia o mercado, pois se torna uma marca ambientalmente correta .

Principais benefícios para as tratadoras de resíduos

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A norma ISO 14001:2015 fornece às organizações de serviços de tratamento de resíduos a base para um sistema de gestão ambiental eficaz e eficiente.

A implementação da ISO 14001 permite que as organizações:

  • respeite a Lei nº 12.305/10, que determina diretrizes para o correto gerenciamento de resíduos;
  • sistematize atividades ambientais existentes;
  • melhore a comunicação ambiental com o clientes e partes interessadas;
  • identifique potenciais reduções de custos;
  • consolide a inovação, uma vez que alternativas eficientes de tratamento de resíduos são desenvolvidas;
  • contribua para processos de sustentabilidade global;
  • minimize o risco ambiental, evitando assim que os residuais do tratamento polua o meio ambiente;
  • melhore o posicionamento no mercado, uma vez que empresas certificadas na ISO 14001 são bem vistas pelos clientes.
  • melhore a fidelização dos clientes atuais e aumenta a chance de adquirir novos clientes;
  • motive a equipe que trabalha na organização;
  • tenha acesso a benefícios financeiros e de seguros.

Sendo assim, a implantação da ISO 14001, em empresas que prestam serviço de tratamento de resíduos, é uma experiência que envolve toda a organização. Além disso,  amplia a visão da importância de todo o sistema de tratamento, desde a entrada dos resíduos, insumos, tratamento, saída do resíduo tratado, gestão dos resíduos gerados no processo e gerenciamento dos riscos inerentes ao negócio. Utilizar corretamente a ISO 14001 é um passo fundamental para o desenvolvimento sustentável e o cumprimento de legislações ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Em um cenário cada vez mais competitivo, é fundamental se posicionar e se destacar para obter melhores resultados. Logo, separamos abaixo algumas dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado e captar mais clientes.

Nos últimos anos, a legislação ambiental passou a ficar cada vez mais rigorosa, bem como a fiscalização por parte dos clientes das indústrias que passaram a exigir que o processo delas fosse ambientalmente adequado. Com isso, um grande número de empresas ingressou no mercado de tratamento de resíduos, oferecendo soluções para o acondicionamento e destinação dos materiais descartados pelas empresas.

Mas, devido a este aumento, a concorrência no mercado de tratadores também aumentou vertiginosamente, forçando às empresas competidoras a adotarem alguns diferenciais para a captação de novos clientes geradores de resíduos. Confira!

Leia também: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Dica 1: Mantenha as licenças da empresa atualizadas

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

O primeiro passo para não fazer feio na hora de captar novos clientes é manter todas as licenças ambientais e operacionais em dia. Uma empresa com licenças vencidas ou com vencimento próximo, porém sem protocolo de renovação, dificilmente conseguirá se destacar no mercado de resíduos.

Isso ocorre porque os geradores de resíduos precisam comprovar aos órgãos ambientais responsáveis, que eles estão destinando seus materiais para locais devidamente licenciados e caso isso não esteja sendo feito, são passiveis de alguma sanção ou até mesmo responsabilidade solidária em caso de ocorrências que envolvam seus materiais.

Este item não é um grande “diferencial”, afinal de contas, todas as empresas estão obrigadas a atendê-lo, contudo, sem ele a empresa será imediatamente descartada de qualquer possibilidade de contratação, por isso o colocamos logo na primeira dica para um tratador de resíduos que quer se destacar no mercado.

Dica 2: Utilize as redes sociais 

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Uma excelente maneira para captar clientes é a utilização das redes sociais. Sua empresa pode se destacar ao compartilhar conteúdo relevante sobre a atividade prestada e também ao exibir suas características inovadoras para o mercado.

É possível postar conteúdos em texto, foto e vídeo, que demonstrem a operação de tratamento de resíduos, bem como o emprego de novos equipamentos e tecnologias modernas, sempre dando destaque às vantagens para os possíveis clientes.

Através das redes sociais é possível também fazer contato direto e ativo com possíveis geradores de resíduos, os quais poderão ter uma boa primeira impressão da empresa ao visitarem seu perfil.

Hoje em dia, as principais redes para este tipo de ação são o Linkedin e o Facebook, contudo, outras redes como o Instagram têm ganhado muito espaço. O que é ótimo para que a empresa deixe de usar apenas a tradicional divulgação por e-mail.

Saiba mais: Cinco vantagens de se realizar o tratamento biológico de resíduos orgânicos

Dica 3: Invista em novas tecnologias

Aliado às constantes divulgações nas redes sociais, deverá estar o investimento em novas tecnologias que representem vantagem para o gerador de resíduos. Isso aumentará muito as chances de um tratador se destacar.

Por exemplo: se as empresas de reciclagem de fios elétricos de uma região, realizam a separação manual entre o plástico e o cobre, sua empresa pode adquirir uma máquina de separação automática e repassar a vantagem de sua utilização para o gerador, sejam em divulgação de processo ambientalmente adequado, seja em melhores preços para a compra dos materiais.

Todo investimento em novas tecnologias deve ser tratado como destaque nas campanhas de divulgação da empresa, pois os geradores de resíduos considerarão os diferenciais do tratador na hora de contratar o serviço.

Dica 4: Utilize uma plataforma para mostrar seus diferenciais

A melhor maneira de se destacar como tratador no mercado de resíduos é, sem dúvida, aparecer justamente para as empresas que estão precisando do serviço logo de imediato. Assim, a empresa pode utilizar plataformas que conectem geradores a tratadores e que mostrem quais os resíduos estão disponíveis para tratamento.

Neste sentido, a plataforma Mercado de Resíduos tem se destacado no Brasil, uma vez que reúne milhares de tratadores e indústrias de todos os portes, permitindo que os geradores façam leilões de seus materiais e que os tratadores deem lances nos resíduos cadastrados, assim, os geradores conseguem destinar corretamente seus descartes e os tratadores alcançam novos clientes.

A plataforma Mercado de Resíduos tem sido um diferencial muito grande para tratadores de vários tipos de resíduos na hora de conseguir novos clientes ou serviços.

Dica 5 : Informatize todo o processo

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Algo que é realmente um grande diferencial para tratadores de resíduos no cenário atual do mercado brasileiro, é a informatização da gestão do processo. Quase todas as empresas utilizam o velho Excel para gerenciar o que entra e sai da operação, bem como para gerar documentos de controle e manifestos de transporte.

Um software como o VG Resíduos pode ajudar muito a empresa e ainda se sair como um diferencial no mercado de tratadores, pois é possível que todos os clientes sejam cadastrados, cada um com seu acesso privado.

Desta maneira, todos os resíduos destinados por cada gerador serão acessíveis online e poderão ter seus comprovantes baixados a qualquer momento, gerando muito mais confiabilidade para os clientes.

Dica 6: Garanta a rastreabilidade dos resíduos tratados

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Grande parte das indústrias brasileiras já é certificada pela ISO 14001, muitas outras que não são certificadas já procuram atender aos requisitos da norma, um deles é a rastreabilidade dos resíduos, isto é, a organização deve saber exatamente o que foi feito com o material, mesmo após ele ter deixado sua planta produtiva.

Assim, se o tratador garante a rastreabilidade dos resíduos –através de um software como o VG Resíduos por exemplo-, ele terá muito mais chances de se destacar no mercado de destinação industrial.

Em um cenário cada vez mais competitivo, é ideal que cada tratador de resíduos saiba se posicionar e destacar aquilo que o diferencia dos demais na tentativa de atrair os clientes. Fatores como custo do serviço e qualidade da prestação são fundamentais, uma vez que estamos falando de organizações com processos bem estabelecidos quanto à seleção de fornecedores. Assim, esperamos que as dicas dadas neste artigo possam ajudar a sua empresa a obter destaque no mercado de tratadores de resíduos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Precisa se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

especialista no tratamento de resíduos

Como se destacar como especialista no tratamento de resíduos no mercado brasileiro? É sabido, conforme determina a Lei 12.305/2010, Política Nacional dos Resíduos Sólidos, que o reaproveitamento dos resíduos tem sido uma realidade mais presente pelas empresas. Assim, tem-se aumentado cada vez mais o número de empresas especialistas em tratamento de resíduos.

Muito além dos tradicionais metais, papéis, plásticos e borrachas, os tratamentos têm atingido cada vez mais resíduos químicos, orgânicos, efluentes diversos e materiais de alta complexidade. Neste artigo, vamos ajudar você a tornar um especialista como tratador de resíduos. Saiba mais!

O mercado de resíduos no Brasil

especialista no tratamento de resíduos

O mercado de resíduos sólidos já é bastante desenvolvido em alguns países de alta produtividade industrial. Alemanha e Japão, contudo, há ainda um enorme espaço a ser ocupado pelas mais diversas empresas nas nações em desenvolvimento, como é o caso do Brasil.

Estima-se que do total de resíduos produzidos pelas empresas e famílias brasileiras, apenas 8% sejam submetidos ao processo de reciclagem. O restante ainda vai para aterros e lixões. O interessante é que para resíduos mais tradicionais, como alumínio, papel, ferro e plásticos limpos, as taxas de reciclagem podem chegar a 90%. Mas existem milhares de resíduos não explorados pelas empresas, como é o caso dos orgânicos, eletrônicos e materiais contaminados com gordura.

O mercado de reciclagem e destinação de resíduos brasileiro, apesar de pequeno quando comparado ao dos países mais avançados, já movimenta mais de R$10 bilhões de reais todos os anos. Em situação hipotética, se 100% dos resíduos passassem pelo processo de destinação adequada, este valor poderia facilmente passar dos R$100 bilhões.

Leia também: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

As oportunidades abertas no mercado de resíduos brasileiro

especialista no tratamento de resíduos

Há muito espaço para ser explorado no mercado de resíduos brasileiro. Uma parte desprezível do lixo doméstico é submetida à coleta seletiva e destinada corretamente.

Há oportunidades também para resíduos complexos, como sucata eletrônica, da qual se pode extrair materiais nobres como ouro e platina. Neste caso, a maior parte deste material é exportada por não haver oferta suficiente de empresas no Brasil que se especialistas em reciclar este tipo de sucata.

Outro resíduo pouco explorado é o químico. Há muitas oportunidades para materiais descartados por operações industriais e de mineração, em geral lubrificantes, ácidos e materiais contaminantes em geral. Ainda há poucas empresas se destacando como especialistas no tratamento destes resíduos.

Exemplos de outros países

especialista no tratamento de resíduos

Há países que hoje se destacam em tecnologias de reciclagem, tendo muitas empresas especialistas no tratamento de resíduos.

Um caso emblemático é o da Alemanha, que hoje trata quase a totalidade de seus resíduos de forma sustentável.  E, ainda, chega a importar sucata para suas usinas de reciclagem eletrônica. Essas agregam valor os produtos, retiram os metais preciosos e transformam lixo em bilhões de euros anualmente.

Outro país que precisou aprender a reciclar é o Japão. Com um território tão pequeno, precisou providenciar formas de acondicionar seus resíduos que não se reduzissem a aterros e lixões. Hoje o Japão processa quase 100% do lixo doméstico e industrial, passando por várias etapas de separação e reciclagem. O material contaminado ou que não pode ser aproveitado por nenhum processo é encaminhado às usinas de incineração. Essas produzem energia elétrica através de caldeiras que utilizam lixo como combustível.

Saiba mais: Cinco vantagens de se realizar o tratamento biológico de resíduos orgânicos

Como se destacar como especialista no tratamento de resíduos?

especialista no tratamento de resíduos

O mercado de resíduos brasileiro ainda carece se especialistas para tratar todos os materiais que geramos por aqui. Mas algumas iniciativas têm possibilitado este avanço e o crescimento desse mercado. Saiba algumas dicas importantes para se destacar como especialista no tratamento de resíduos:

1- Consiga as licenças ambientais obrigatórias

A primeira coisa que uma empresa deve fazer para se destacar como uma especialista é conseguir as licenças ambientais obrigatórias para seu funcionamento. Assim ela poderá ofertar todos os seus serviços com garantia jurídica e isenta de problemas com a fiscalização.

2 – Alcance licenças operacionais para atuar no Brasil

Como especialista no tratamento de resíduos, a empresa precisará obter todas as licenças operacionais obrigatórias. As licenças ambientais são concedidas pelos estados, que possuem regras específicas para a concessão dos documentos. Em geral, as empresas contratam consultorias para ajudá-las no processo de licenciamento ambiental.

No caso das empresas que geram resíduos com algum nível de relevância ambiental, é necessária também a licença federal concedida pelo IBAMA. Semelhantemente ao processo das secretarias estaduais irá requerer alguma consultoria ou experiência da equipe da empresa para a liberação do documento.

3 – Encontre clientes no mercado de resíduos 

Uma boa dica é encontrar clientes — empresas geradoras — para conseguir resíduos de acordo com seu negócio. O ideal é encontrar resíduos pelos melhores valores possíveis e com fonte geradora mais próxima.

Uma solução é utilizar algumas plataformas já existentes no mercado de oferta e busca de resíduos. A exemplo temos a VG Resíduos, ou Mercado de Resíduos, que permite aos tratadores de resíduos a fácil localização de novos clientes. Assim, pode-se ter uma maior geração de lucro e ampliação do negócio para empresas tratadoras.

4 – Manter uma boa prestação de serviços

Como último passo é importante manter uma boa prestação de serviço às empresas geradoras, mantendo em ordem todo o gerenciamento da operação. O VG Resíduos, permite que todas as destinações sejam documentadas e comprovadas tanto para o gerador quanto para o tratador, fazendo que que o processo seja seguro e legalmente válido.

O tratamento de resíduos no Brasil é um setor ainda pouco explorado e repleto de oportunidades lucrativas. Embora alguns setores estejam mais saturados — alumínio, papéis, plásticos — há outros pouco trabalhados por empresas tratadoras de resíduos.

Sendo assim, com a Lei da Política Nacional dos Resíduos Sólidos, o reaproveitamento dos resíduos tem aumentado pelas empresas. Assim, como tem crescido o número de empresas tratadoras de resíduos, torna-se útil saber como se destacar nesse mercado. E esperamos ter ajudado você a tornar um especialista no tratamento de resíduos!

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Precisa se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: É possível tratar e reciclar embalagens de aerossol e spray?

 

Tecnologia e inovação no tratamento de resíduos: Preparado para o futuro?

Atualmente os resíduos sólidos são a parte indesejável de toda cadeia da produtividade. Mas como seria se, em vez de indesejáveis, os resíduos fossem absolutamente necessários para outros processos?

Não estamos falando simplesmente de reciclagem, mas de reaproveitamento com alta tecnologia.  Acompanhe o que algumas mentes brilhantes têm pensando para nosso futuro:

“Lixo” e perfume combinam?

Em um primeiro momento, a ideia de fazer produtos cheirosos com insumos que vêm daquilo que é considerado “lixo”, não parece boa. Não é mesmo? Mas com a tecnologia certa. Por que não?

Uma “Startaup” americana promete transformar sobras de madeira em um tipo de açúcar que pode substituir o petróleo na fabricação de combustíveis, plásticos e embalagens, ou químicos de alto valor agregado, como os usados em perfumes.

O processo usa água em alta pressão e temperatura para dissolver a celulose presente em materiais orgânicos. O açúcar que resultante é fermentada para produzir etanol e outros químicos.

A iniciativa que começou com sobras de madeira, hoje prossegue as pesquisas procurando ampliar a sua técnica para resíduos urbanos como papel, papelão e entulhos.

Couro de vinho?

O “Wineleather é uma espécie de “couro vegetal”. E é uma proposta inovadora para a produção de revestimentos, com a utilização de subprodutos do vinho.

Esse “couro ecológico” é produzido por compostos de fibras e óleos contidos no bagaço da uva: “peles”, sementes e caule. Com essa técnica qualquer um pode revestir seu sofá, por exemplo, com resíduos do seu vinho favorito.

Desde 2014 vários centros de pesquisa especializada italianos vêm realizando pesquisas para encontrar as físicas e mecânicas de várias fibras vegetais, para aproveitar aquilo que seria considerado apenas resíduo do processo de fabricação do vinho.

Segundo os cientistas que desenvolveram a técnica, outra vantagem do método é que não utiliza água, ácido ou metais pesados. Além, é claro, de ser livre de qualquer sofrimento animal.

Lixotanol?

Uma empresa americana de bioenergia tem buscado uma solução interessante para o lixo urbano. Ela promete produzir etanol, utilizável como biocombustível, por meio do processamento do lixo urbano.

Com o processo, a empresa não promete apenas dar um destino rentável para o lixo, como também reduzir em 75% as emissões de gás carbônico (quando comparado com as emissões com o uso da gasolina). Em breve a empresa estima produzir 7 milhões de litros de etanol por ano usando 90.000 toneladas de lixo.

Técnicas semelhantes já estão sendo usadas em Estocolmo, na Suécia, onde metade da frota de ônibus municipal circula com combustível gerado a partir do lixo orgânico e esgoto.

Tinta de isopor, sim!

Nesse mundo de inovações no tratamento de resíduos não existem apenas boas ideias estrangeiras. Como exemplo de inovação brasileira no tratamento de resíduos, temos a Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A UFRS tem realizado pesquisas para transformar isopor em solventes utilizados em tinta.

O poliestireno expandido (EPS), popularmente conhecido pela marca Isopor, é de difícil decomposição quando submetidos a condições naturais do ambiente. Por isso a inovação traz um grande potencial de ganho ambiental.

O acúmulo de isopor podem causar diversos prejuízos ambientais. Além é claro de gerar custos com sua destinação final, com aterros especiais, que são exigidos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2001).

Para tentar amenizar esse quadro, duas alunas de engenharia química no Rio Grande do Sul buscaram uma solução inovadora: transformar em um novo produto um material amplamente utilizado e descartado, mas pouco reciclável.

Com a tinta desenvolvida, um volume muito grande de Isopor se converte em um filme fino de tinta.

Outra inovação, desse produto com patente brasileira, é a substituição de solventes comuns, por solventes naturais.

Esses solventes naturais são extraídos da casca de frutas cítricas, e tem a vantagem de serem biodegradável; o que não agride nem o meio ambiente, nem a saúde humana. O que achou da ideia?

Cupom para construir um futuro sustentável

Além de tratamentos de resíduos inovadores, um futuro sustentável será construído pela boa gestão de resíduos. Não adianta ter ótimas ideias para os resíduos se ninguém se mobilizar para fazer a separação do lixo, por exemplo. Não é verdade?

Por isso, uma empresa americana tem apostado na ideia do RecycleBank”: Um banco virtual de cupons.

Esses cupons são conquistados por práticas como economia de energia ou reciclagem e valem descontos em lojas que assumiram um compromisso socioambiental.

Em alguns casos, é utilizada uma tecnologia que o MIT acredita que será rotina em nosso futuro: A utilização de chips biodegradáveis, que acompanham todo o ciclo de vida do produto.

Esse tipo de tecnologia com certeza será um grande ganho para a conscientização e ampliação de práticas de logística reversa. Atualmente o serviço de cupons ecológicos está disponível somente nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Ficção ou realidade?

Outra tecnologia que promete estar presente no nosso futuro é um “botão milagroso” que parece ter sido tirada de filmes de espiões; onde mensagens são autodestruídas em segundos.

Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, criaram um mecanismo de autodestruição, que faz com que os aparelhos desapareçam quase instantaneamente – o “botão” de autodestruição pode ser acionado por calor ou por controle remoto. Essa poderia ser uma ideia para lixos tecnológicos?

Bem, embora já existam várias medidas para redução de resíduos; incluindo setor chave da econômica, como a construção civil. E medidas de venda e compra de resíduos em mercados de resíduos. Um empreendedor é ser um visionário, enxergar a frente do seu tempo. É essa característica que faz com que uma empresa estar a frente dos concorrentes e tenha a preferencia do consumidor.

Se sua empresa ainda não utiliza práticas sustentáveis, corra! Ela está ficando no passado.

O primeiro passo, para atender a nova tendência do mercado, é conquistar a certificação ISO 14001.

O segundo passo é buscar novas tecnologias e alternativas para o “problema dos resíduos” vivarem solução. Para que seus riscos e passivos ambientais se tornem oportunidade.

O grupo Verde Ghaia está a sua disposição, para ajudar você a trazer o futuro para sua empresa. Entre em contato e tire suas dúvidas

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2018