Quais tipos de papel são mais lucrativos para sua empresa tratar?

tipos de papel são mais lucrativos

Diversos tipos de papéis podem ser reciclados, mas alguns tipos de papel são mais lucrativos. Transformar papéis usados em novas matérias-primas gera não só lucros para as tratadoras, mas contribui para a sustentabilidade, reduz o acúmulo de resíduos e poupa a natureza.

A recuperação de papéis provenientes dos resíduos sólidos urbanos tem sido uma prática cada vez mais comum e se transformado em fonte de renda para empresas tratadoras. A reciclagem de aparas de papéis usados ou velhos, reaproveitando fibras de celulose, geram papel novo ou diferentes matérias-primas.

Mas para gerar renda com o tratamento de papéis é preciso conhecer bem o assunto.  Acompanhe!

Entenda o mercado de tratamento de papéis

tipos de papel são mais lucrativos

A matéria-prima do papel comum são as fibras de celulose, substância (polissacarídeo), existente dentro das células da maioria das plantas. No Brasil, essa matéria-prima vem de árvores como o pinheiro e o eucalipto, que possuem alta concentração de celulose.

As tratadoras que manejam as sobras de papel, conhecidas como aparas, contam com vantagens e devem aproveitar esses diferenciais. O Brasil se destaca na produção de celulose, tendo atingido volume recorde em 2017, segundo esta matéria da Reuters.  A produção brasileira de celulose subiu 3,8 por cento no ano passado e atingiu o volume recorde anual de 19,5 milhões de toneladas, de acordo com a Indústria Brasileira de Árvores (Ibá).

O mercado de reciclagem de papel no Brasil também é aquecido. Segundo levantamento da Associação Nacional dos Aparistas de Papel (ANAP), no ano passado o país atingiu o recorde de recuperação do papel, evoluindo de 64,5% para 66,2%.

Cerca de 50% do papel consumido no Brasil é reciclado, o que também é interessante para as tratadoras.   Há uma demanda grande pelo papel reciclado que pode originar diferentes produtos e materiais, entre eles:

  • produtos de papel sanitários (papel higiênico, toalhas de papel e toalhas de chá, dentre outros);
  • papel não revestido;
  • papel de cópia;
  • papel de jornal;
  • revistas;
  • livros;
  • cadernos;

Que compromissos determinam a obtenção da licença ambiental?

Conheça os papéis mais lucrativos para reciclar

O papel está entre os resíduos mais vantajosos para reciclar. No entanto, nem todos os tipos de papel são lucrativos para a reciclagem. Dão menos renda aqueles papéis que, quando fabricados, recebem grande carga mineral para terem acabamento nobre, como o papel couchê. Esse tipo de papel, para ser produzido, sofre grande desgaste em suas fibras, o que o desvaloriza para a reciclagem.

Papéis muito impregnados de tintas e vernizes, como os de capas de revista e cartões de visita, também são desvantajosos. Isso porque esses tipos de papéis possuem impurezas que impedem a formação de uma matéria-prima de qualidade.

Também não são ideais para reciclagem:

  • papéis sulfurizados;
  • papéis encerados;
  • papéis parafinados;
  • papel higiênico usado, por conter gordura e contaminantes.

As empresas tratadoras devem, portanto, ficarem atentas à composição das aparas de papel ao adquirir os resíduos para reciclagem. O conjunto de aparas que pode ser lucrativo para a reciclagem é formado pelos seguintes tipos, segundo a ANAP:

  • aparas marrons (como os do papelão ondulado e do kraft);
  • aparas brancas (como os de jornais e revistas);
  • aparas de papel cartão (como as caixas e cartuchos não ondulados produzidos para embalagens de remédios, pastas de dentes e outros).

Confira: Quais prejuízos pode ter o tratador sem licença ambiental?

Saiba por que reciclar papelão é vantajoso

Entre os tipos de aparas que podem ser mais lucrativas para a reciclagem está o papelão. Em primeiro lugar, há grande oferta de caixas de papelão pelo país, que acondicionam mercadorias de indústrias, supermercados e estabelecimentos comerciais. Esse material pode ser reciclado pós-uso para evitar a poluição ambiental, transformando-se em lucro para as tratadoras.

Um segundo motivo é que o papelão é um tipo de apara que tem um tratamento mais econômico. Diferentemente de outros materiais, para a reciclagem do papelão não é preciso aplicar técnicas de limpeza fina. Esse tipo de apara não demanda retirada de tintas, branqueamento do material e lavagens especiais.

Leia também: Seis dicas para sua empresa lucrar reciclando canudos plásticos

Recicle papéis e seja ecologicamente responsável

Os benefícios trazidos pela reciclagem de papel são impressionantes. Cada tonelada do material reciclado economiza-se:

  • 2,5 barris de petróleo
  • 98 mil litros de água
  • 500 kw/h de energia elétrica

A responsabilidade com o meio ambiente é amplamente reforçada quando as organizações optam pela reciclagem das sobras de papel. Neste estudo, os pesquisadores demonstraram que a prática poupa enormemente o uso de recursos naturais. Entre os anos de 2009 e 2013, calculou-se o quanto o meio ambiente foi preservado com a reciclagem de papel:

  • Em 2009, foram 139.286 hectares de florestas preservadas, já em 2013, o número saltou para 164.286;
  • Em 2009, foram 117.000.000 árvores preservadas, saltando para 138.000.00 em 2013;
  • Em 2009, a energia economizada foi de 9.750.000 kW/h, em 2013, 11.500.000.000;
  • Em 2009, foram economizados 382.200.000.000 litros de água, em 2013, 450.800.000.000.

Amplie o seu negócio e saia na frente

Para alcançar ainda mais retorno com a reciclagem de papéis, é interessante que as tratadoras tenham o suporte de uma consultoria.  A recuperação das sobras de papéis é um negócio de grande potencial no Brasil, mas é preciso calcular os passos. Empresas com expertise no tratamento de resíduos, como a Verde Ghaia, podem indicar as melhores estratégias para as tratadoras. Podem, também, orientar como fazer o tratamento correto das aparas, seguindo as leis ambientais.

Além disso, para lucrar com a reciclagem, o ideal é que sua empresa tenha acesso a milhares de tratadores espalhados pelo Brasil. Assim certamente o melhor preço pago pelo resíduo aparecerá e você poderá fazer a destinação com uma empresa próxima à sua localidade.

Uma plataforma que vem ganhando espaço no Brasil é o Mercado de Resíduos. Ela permite que as empresas tenham acesso a uma rede de milhares de tratadores, todos com suas licenças validadas e disponíveis para dar lances nos resíduos das empresas cadastradas na plataforma.

Sendo assim, como vimos, é preciso mapear que tipos de papéis são mais lucrativos para a reciclagem. Cientes disso, as tratadoras podem descobrir uma fonte de renda com o manejo dos papéis usados. Somado a isso, as empresas podem ser modelo de sustentabilidade no ramo de reciclagem, preservando pessoas e o meio ambiente.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Seis dicas para sua empresa lucrar reciclando canudos plásticos

lucrar reciclando canudos plásticos

Muitas empresas tratadoras têm procurado lucrar reciclando canudos plásticos. Por isso, daremos a seguir seis dicas fundamentais para sua empresa.

O canudo plástico se tornou tema de notícias recentes. Este produto tem sido acusado de causar danos profundos à vida marinha, especialmente aos animais que acabam confundindo-o com comida e morrem após tê-lo preso ao seu sistema digestório.

Por isso, muitas cidades ao redor do mundo têm adotado medidas contra o uso de canudos plásticos, desde o incentivo ao abandono do material até a proibição por lei de sua utilização nos estabelecimentos comerciais.

O artigo de hoje falará especificamente sobre como lucrar reciclando canudos plásticos. Vamos lá?

Leia também: Como obter lucro utilizando restos de alimentos para fazer adubo?

1 – Faça parcerias com grandes eventos

lucrar reciclando canudos plásticos

Como dissemos na introdução, coletar manualmente os canudos plásticos não é uma boa ideia. São necessárias muitas horas de trabalho para recolher apenas um único quilo do material, uma vez que ele é muito leve. Por isso, o ideal é partir para locais de grande concentração do uso de canudos, um bom exemplo são as festas e grandes shows.

O ideal é que sua empresa, ao fazer a parceria com a organização do evento, disponibilize recipientes específicos para receber os canudos. De preferência, faça uma sinalização bem chamativa e, em conjunto com a organização do evento, procure informar que naquele local existe preocupação com o dano ambiental causado pelo descarte dos canudos na natureza.

Assim, as pessoas irão voluntariamente depositar os canudos usados no recipiente, o que eliminará boa parte do trabalho de coleta manual. Mas nada impede que ela seja feita, pois em geral no fim dos eventos a equipe de limpeza vem recolhendo os materiais recicláveis deixados no chão.

Portanto peça a sua equipe que colete também os canudos que sobraram e deixe-os no recipiente adequado, porque certamente os frequentadores do evento não deixarão 100% do resíduo nos recipientes adequados.

2 – Faça parcerias com grandes estabelecimentos

lucrar reciclando canudos plásticos

Grandes estabelecimentos alimentícios são uma ótima fonte de canudos, lembre-se que coletar em grandes quantidades é ideal para que sua empresa possa lucrar reciclando canudos plásticos. Locais com grande concentração de pessoas consumindo bebidas que, em geral utilizam canudos são uma excelente oportunidade de conseguir o material.

Um bom exemplo são os shoppings centers, estes locais recebem milhares de pessoas diariamente, boa parte delas concentram-se em praças de alimentação e cinemas, isso faz com que haja um grande consumo de canudos, pois uma parte significativa desta utilização é feita em fast-foods e nas lanchonetes que atendem ao cinema. Boa parte destes estabelecimentos fornecem canudos em suas bebidas.

Confira: Quais prejuízos pode ter o tratador sem licença ambiental?

3 – Realize compactação e trituração

Uma dica fundamental para que sua empresa possa lucrar com a reciclagem de canudos plásticos é a compactação do material. Uma vez recolhido ele pode ser compactado em fardos mais densos, o que eleva a capacidade de armazenamento do seu galpão e do caminhão e possibilita que o material seja vendido aos centros de reciclagem química de plástico.

Sem a compactação, dificilmente os canudos plásticos poderão ser vendidos, pois seu baixo peso unitário dificulta o armazenamento, transporte e condicionamento final do produto.

Já as empresas que vão fornecer os canudos para centros de reciclagem química, os quais transformarão os canudinhos em matéria prima nova e pronta para uso nas indústrias, poderão também triturar o resíduo antes da compactação, assim o rendimento do enfardamento é maior ainda e o aproveitamento final do material é mais aproveitado, pois os detritos são mais fáceis de serem absorvidos pelo processo químico do que materiais inteiros.

Saiba mais: 4 passos para localizar geradores de resíduos inertes

4 – Destine o material para fazer artesanato

lucrar reciclando canudos plásticos

Uma dica para sua empresa lucrar mais com a reciclagem de canudos plásticos é a destinação do resíduo para centros de artesanato. Estes locais são excelentes para a destinação porque podem agregar muito valor aos canudos em poucas horas de trabalho.

Por exemplo, cada canudo será vendido por uma fração de centavos à indústria recicladora, contudo, para os centros de artesanato, menos de 1 kg de canudos equivalerá, em poucas horas de trabalho, dezenas de reais.

Os centros de artesanato também têm a vantagem de poder receber os canudos de estabelecimentos menores, uma vez que seu consumo é grande, mas nem chega perto dos números necessários à viabilização do processo em uma indústria. Pois nestas, só é viável reciclar os canudos plásticos na casa das toneladas.

5 – Destine o material para confecção de bijuterias

Uma opção bastante similar aos centros de artesanato são os centros de bijuterias, estes adornos ficaram famosos após a divulgação na internet do trabalho de artistas que usam, dentre suas matérias primas, os canudos plásticos.

O caso dos centros de bijuterias é bastante similar ao dos centros de artesanato, em poucas horas eles podem transformar materiais que valem uma fração de centavos em produtos que podem ser vendidos por um valor significativamente maior.

6 – Saiba como lucrar reciclando canudos plásticos

lucrar reciclando canudos plásticos

Para lucrar com a reciclagem de canudos plásticos, o ideal é que sua empresa tenha acesso a milhares de tratadores espalhados pelo Brasil. Assim certamente o melhor preço pago pelo resíduo aparecerá e você poderá fazer a destinação com uma empresa próxima à sua localidade.

Uma plataforma que vem ganhando espaço no Brasil é o Mercado de Resíduos. Ela permite que as empresas tenham acesso a uma rede de milhares de tratadores, todos com suas licenças validadas e disponíveis para dar lances nos resíduos das empresas cadastradas na plataforma.

Certamente ganhar dinheiro com a reciclagem de canudos plásticos é um desafio enorme, dadas as dificuldades impostas pela própria natureza do resíduo. Contudo, é também uma excelente oportunidade, visto que muitas organizações ignoram este material e simplesmente não se dão conta de que é possível lucrar com ele. Quem souber aproveitar esta oportunidade agora, sairá na frente em sua região.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

Como sua empresa pode gerar renda reciclando lâmpadas?

gerar renda reciclando lâmpadas

As tratadoras de resíduos estão descobrindo como gerar renda reciclando lâmpadas, ampliando assim o seu negócio. Muito se deve pela reciclagem de lâmpadas ser o meio mais seguro para tratar e eliminar os elementos químicos perigosos. Por meio desse processo é possível separar os materiais que podem ser reutilizados como matéria prima para outros produtos.

Reciclagem de lâmpadas fluorescentes — as maios consumidas — se comparada com as lâmpadas incandescentes pode ser uma opção eficiente e econômica. Contudo, pela presença de mercúrio e chumbo em sua composição, metais extremamente prejudiciais ao meio ambiente e a saúde, elas precisam ser descartadas corretamente.

Anualmente, mais de 40 milhões de lâmpadas são descartas no Brasil e desse total menos da metade tiveram o destino adequado. Diante disso, empregar tecnologia no adequado tratamento das lâmpadas é mais que necessário para eliminar os seus riscos. Vamos saber como gerar renda reciclando lâmpadas, bem também das vantagens desse processo para o meio ambiente.

Leia também: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Logística Reversa aliada à reciclagem das lâmpadas

 

gerar renda reciclando lâmpadas

A Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS, obriga os fabricantes a implantarem um sistema de logística reversa para as lâmpadas. Além disso, determina que após recolhida às lâmpadas inutilizáveis deve-se dá a destinação final ambientalmente adequada.

Com essa determinação surgiu uma problemática a serem solucionadas pelas fabricantes: o que fazer com as lâmpadas recolhidas? A solução seria destinar esses resíduos para as tratadoras realizarem a reciclagem.

A logística reversar trouxe as empresas especializadas em tratamento de resíduos à alternativa de gerar renda reciclando resíduos. Contudo, considerando o âmbito ambiental, elimina o risco do descarte incorreto desses resíduos.

Saiba mais: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Como gerar renda reciclando lâmpadas?

Existem diversos tipos de tecnologias de reciclagem de lâmpadas. A escolha da melhor opção deve ser baseada na preservação ambiental e na mais econômica. A maioria das tecnologias hoje funciona em um sistema de pressão negativa para garantir que não ocorram emissões de gases tóxicos durante o processo.

Vejamos alguns das principais tecnologias

O processo de separação centrífuga

gerar renda reciclando lâmpadas

Este método pode ser usado para a reciclagem de lâmpadas que não possuem forma de bastonete.

Em uma centrifuga, as lâmpadas são inicialmente separadas em vidro ou metal ou plástico.

A recuperação do mercúrio presente acontece através do aquecimento do vidro e do soquete.

O vidro é submetido a um tratamento térmico para eliminar poluente e em seguida, é devolvido ao ciclo de produção. Os componentes de metal e plástico são triturados em um triturador Shredder. Já as partes que contenham metais são retiradas por um separador magnético.

Confira: Como obter lucro utilizando restos de alimentos para fazer adubo?

O processo de separação Kapp

Este método pode ser usado para a reciclagem de lâmpadas que possuem forma de bastonete.

O processo se inicia separando primeiramente as lâmpadas a mão.

Depois as lâmpadas vão para um equipamento que faz um reconhecimento das substâncias utilizadas para a iluminação. Essas substâncias são selecionadas para tratamento e posterior reutilização na fabricação de novas lâmpadas.

Já as extremidades das lâmpadas são removidas, e os componentes de metal e de vidro que contenham chumbo são recuperados.

O material contendo mercúrio é succionado restando somente o metal e o vidro que são triturados e separados através do uso de um selecionador de metais.

O processo de lavagem de vidros quebrados

gerar renda reciclando lâmpadas

Esse processo permite reciclar qualquer tipo de lâmpada e tamanho.

Os metais ferrosos são extraídos com o uso de um separador magnético. O material restante cai em uma esteira vibratória onde os materiais contendo fósforo e mercúrio são separados dos cacos de vidro.

O mercúrio é separado do fósforo após um processo de sedimentação e destilação O mercúrio recuperado possui um grau de pureza de até 99,9% e pode ser utilizado, por exemplo, na indústria química.

Já o restante dos materiais podem ser utilizados como matéria prima para a fabricação de novas lâmpadas.

O processo Shredder

Este método também é pode ser empregado para todos os tipos de lâmpadas. E acontece em três etapas.

Na primeira etapa as lâmpadas são trituradas e separadas em função do tamanho das frações. A fração maior contem as extremidades ou bases das lâmpadas, a média contem vidros e plásticos com frações de cerca de 5 mm. Na fração menor encontra-se o pó de fósforo e vidro.

Extração do mercúrio

O mercúrio é um dos componentes mais perigosos que as lâmpadas contem. A sua separação pode ser através de processos de sedimentação seguidos de destilação ou mesmo através do processo de aquecimento.

O vaporizado a partir desse processo é condensado e coletado em decantadores. O mercúrio obtido passa por nova destilação para se removerem impurezas.

Leia também: Que compromissos determinam a obtenção da licença ambiental?

Como gerar renda reciclando lâmpadas

gerar renda reciclando lâmpadas

Uma empresa pode gerar renda reciclando lâmpadas. Há empresas especializadas neste tipo de serviço que lucra até R$60 mil por mês processando em média 80 mil lâmpadas por mês.

Além disso, a empresa pode lucrar com a venda dos materiais que sobra, como vidro e metais.

A reciclagem é uma excelente oportunidade das micro e pequenas empresas gerar renda reciclando lâmpadas.

A reciclagem de lâmpadas ainda é um processo pouco explorado e gera renda para as empresas especializadas neste tipo de serviço.  É importante para a preservação ambiental dá uma nova finalidade para cada um dos seus componentes, evitando assim o descarte em aterros. As inovações na reciclagem e gestão ambiental dão vantagem às pequenas empresas, que são mais flexíveis para esses tipos de processos. A cadeia geradora é ampla, o que tem permitido as tratadoras gerar renda reciclando lâmpadas.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

 

Qual é o tempo de vida útil ideal de um aterro sanitário?

aterro sanitário

O aterro sanitário é o local de destino final de resíduos sólidos gerados em residências, indústrias, hospitais, construções e outros. É a forma mais comum de destinação desses resíduos não reaproveitáveis, mas o aterro sanitário tem uma vida útil limitada. Esse tempo máximo de uso do aterro sanitário é algo sério deve ser respeitado pelo tratador.

A opção pelos aterros sanitários pode ser vantajosa, conforme aponta este estudo. É uma solução de engenharia de baixo custo operacional, se comparado às alternativas existentes, e amplamente conhecida. Porém, podem trazer também transtornos, como a geração de odores e a possibilidade de emissão de gases de efeito estufa. Pode ocorrer, ainda, a resistência das comunidades de seu entorno.

O aterro sanitário deve ser construído e mantido segundo as normas e leis vigentes, do contrário pode haver sanções. É preciso atentar para a construção do local, os benefícios do negócio e as diretrizes legais para o seu funcionamento. Outro ponto fundamental é entender qual a vida útil ideal de um aterro sanitário. Esses são alguns dos temas abordados a seguir. Acompanhe!

Leia também: Porque aplicar a política dos 5R´s para reduzir a geração de resíduos?

Saiba como construir o aterro sanitário

aterro sanitário

Para o funcionamento de um aterro sanitário não basta um terreno grande e vazio de depósito de camadas de lixo. Sua operação é bem mais complexa do que parece a princípio. O primeiro passo é selecionar o local ideal do aterro e ter um estudo de impacto ambiental. Todo projeto de aterro sanitário deve seguir as diretrizes da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Descumpri-las pode resultar em punição.

A base para a construção do aterro inclui algumas etapas:

  • escavação: o aterro começa com a escavação de um grande buraco. Mas, antes dessa fase, o solo é perfurado até o lençol freático para verificar se não é arenoso demais. Também se calcula o limite da escavação, pois o fundo não pode ficar a menos de 2 metros do lençol;
  • impermeabilização: a terra do fundo do buraco é, então, compactada por tratores. Sobre o solo compactado é colocada uma espécie de manta de polietileno e, sobre ela, uma camada de brita. Nessa camada passarão os líquidos e gases liberados pelos resíduos. A cada 5 metros de resíduos é feita uma camada de impermeabilização;
  • vegetação: plantação de um cinturão verde no entorno do aterro

Veja como funciona o aterro sanitário

aterro sanitário

Um dos objetivos principais do aterro sanitário é confinar os resíduos e reduzi-los ao menor volume possível. Também é necessário que o local seja ambientalmente correto, com tratamento dos resíduos tóxicos. Por isso, o funcionamento do aterro sanitário exige, além da preparação do terreno:

  • obras de drenagem para captação e tratamento do chorume ou percolado. Trata-se de um resíduo líquido, com grandes concentrações de metais pesados e substâncias tóxicas. Para drená-lo a cada 20 metros devem ser instaladas calhas de concreto, que levarão;
  • separação dos resíduos de acordo com suas características, pesagem (para acompanhamento da quantidade de suporte do aterro) e disposição separadamente;
  • monitoramento  das áreas do aterro. Medida necessária para se detectar quando um setor atingiu sua capacidade de disposição.  Quando chega ao tempo de uso máximo, cada área deve ser coberta com vegetação, recuperando a paisagem.

Saiba mais: Como implementar a produção mais limpa na minha empresa?

Entenda as vantagens do aterro sanitário

aterro sanitário

Desde que seus operadores cumpram as leis ambientais, os aterros sanitários podem ser vantajosos. Os locais podem ser, por exemplo, a solução para o excesso de resíduos sólidos gerados nas grandes cidades.

 

Outro benefício é que dos aterros sanitários podem surgir soluções ecoefientes, como a produção do biogás. Trata-se de fonte de energia renovável, que pode ser produzida com a drenagem dos gases dos aterros, como o metano. Por meio da combustão em um equipamento chamado biodigestor anaeróbico, obtém-se o biogás. Essa fonte de energia pode substituir o petróleo, evitando o gás metano na atmosfera e o risco de aquecimento global.

Confira: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Conheça as normas válidas para os aterros

aterro sanitário

A Lei nº 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), defende a diminuição da geração de resíduos. Deve haver um esforço conjunto de cidadãos, empresas e poder público para reduzir o volume de resíduos gerados. Em primeiro lugar, diz a lei, deve-se investir em coleta seletiva, reciclagem e o reaproveitamento de resíduos.

Para os aterros sanitários, segundo a legislação vigente, devem ir apenas os rejeitos que não puderem passar pelas soluções acima. Quando os resíduos são destinados aos aterros, esses devem ter sido criados segundo as normas técnicas da ABNT. Além disso, os operadores dos aterros devem investir em tecnologias para diminuir danos ambientais e criar soluções como a do biogás.

A lei assinala que os aterros só podem funcionar se estiverem licenciados por órgão competente. Em caso de descumprimento das leis, os operadores de aterros sanitários podem ser multados e o local interditado.

A PNRS também determinava que lixões, ainda muito comuns nas cidades brasileiras, deveriam ser extintos até 2014. Mas, apesar dos riscos aos indivíduos e a natureza , os lixões podem ser encerrados entre 2018 e 2021.

Para evitar sanções, uma medida acertada é contar com uma consultoria que irá apontar os procedimentos exatos a serem seguidos. Empresas como a Verde Ghaia têm expertise no assunto e podem ser aliadas para que aterros sanitários cumpram as leis.

Aterro sanitário tem tempo máximo de operação

aterro sanitário

Normalmente, a vida útil ideal de um aterro sanitário é 10 anos, mas alguns não chegam a durar esse tempo. Quando o aterro esgota sua capacidade, é preciso fechá-lo e providenciar medidas como o reflorestamento, para diminuir os impactos ambientais.

Mesmo depois de encerradas as operações, gás e chorume continuam sendo gerados por pelo menos 15 anos. Sendo assim, não se recomenda que o terreno seja usado, por exemplo, para construções.

Mesmo sendo a destinação mais comum das sobras não reaproveitáveis, o aterro sanitário tem uma vida útil limitada. Esse tempo máximo de uso do aterro é um prazo importante e deve ser respeitado pelo tratador.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Saiba a diferença entre reciclagem primária, secundária e terciária

 

 

 

 

Qual a importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos?

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

Se sua empresa trata resíduos, deve saber importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos. Por meio desse documento, o  gerador  de  resíduos  químicos  disponibiliza informações importantíssimas para o tratador.

Logo, a FDSR permite assim que o tratador tenha a possibilidade de tomar as medidas cabíveis para o adequado tratamento desse tipo de resíduos.

Vamos saber mais da importância da FDSR para o tratamento de resíduo químico? Confira!

Saiba mais: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

O que é FDSR?

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

FDSR é a sigla de Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos. É um documento normalizado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), conforme NBR 16725:2014.

Esta norma brasileira foi criada para padronizar o sistema de informação e estabelecer regras no preenchimento da Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos.

O seu objetivo é comunicar os perigos a todos aqueles expostos a agente químicos. Principalmente aos tratadores que os manipulam nas mais diversas etapas do tratamento de resíduos. A finalidade é de minimizar os efeitos agressivos imediatos (corrosivos e toxicológicos) e os que se manifestam em longo prazo, tais como os teratogênicos, carcinogênicos e mutagênicos.

Cabe a empresa geradora dos resíduos disponibilizar o FDSR para os tratadores contratados por ela. Na ficha deve conter informações sobre as propriedades específicas dos resíduos químicos, as quais devem ser consideradas nas etapas do tratamento, inclusive seu correto gerenciamento. Além disso, detalha medidas de manuseio, transporte, armazenamento, os riscos associados, ações de segurança e de proteção ao meio ambiente, dentre outras.

Legislações que fundamentam a FDSR

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

A FDSR se aplica aos resíduos químicos perigosos e materiais contaminados por eles, classificados conforme norma ABNT NBR 10004 (Classificação de resíduos sólidos) e/ou Regulamentações de Transporte de Produtos Perigosos (Resolução ANTT 5232).

Dentre as legislações que fundamentam a FDSR para o tratamento de resíduos químico, temos:

  • decreto 2.657 de 03/07/1998: promulgou a Convenção 170 da Organização Internacional do Trabalho – OIT. Este decreto prevê a existência de um sistema de classificação, rotulagem e fichas com dados de segurança para os tratadores que tratam resíduos químicos;
  • NR 25 do Ministério do Trabalho e Emprego: estabelece que os trabalhadores envolvidos em atividades de tratamento de resíduos químicos devem ser capacitados sobre os riscos envolvidos e as medidas de eliminação e controle adequado dos mesmos.

Leia também: leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio.

A importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

A FDSR deve conter 13 seções que trazem informações importantes para serem seguidas no tratamento de resíduos químicos. Nessas seções são dispostas informações sobre segurança e composição dos resíduos químicos.

Informações referente à composição

São elas:

  • identificação do resíduo químico e da empresa geradora: através dessa informação a empresa que trata resíduos saberá quais tipos de tratamento o resíduos deve passar para eliminar e neutralizar seus riscos;
  • composição básica e identificação de perigos: não é necessário informar a composição completa do resíduo químico, no entanto, as informações devem ser claras e necessárias para a eficiência do tratamento empregado;
  • propriedades físicas e químicas: as informações sobre as propriedades físicas e químicas influenciam no tratamento de resíduos químicos. Por exemplo, o tratamento de resíduo químico aquoso exige a aplicação dos conhecimentos básicos de equilíbrio químico, tais como: neutralização ácido-base; escolha do agente precipitante de metais pesados e/ou de ânions presentes no resíduo; aplicação de reações de oxirredução para oxidar/reduzir espécies presentes no resíduo. Caso não identificado a composição química dos resíduos tais medidas não serão aplicadas e as propriedades perigosas não serão neutralizadas;
  • informações toxicológicas: informações de substâncias tóxicas presentes no resíduo químico são importantes para evitar contaminação;

Confira: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

Informações referente à segurança

importância da FDSR para o tratamento de resíduos químicos

São elas:

  • medidas de primeiros-socorros: caso haja contato com o resíduo químico os empregados que realizam o tratamento devem ter conhecimento de quais medidas serão necessárias para evitar danos a sua saúde;
  • medidas de controle para derramamento ou vazamento e de combate a incêndio: para evitar danos a saúde do homem e ao meio ambiente é necessário que a tratadora tenha informações das medidas a serem adotadas para mitigar o perigo. Bem como, é necessário que a tratadora tenha conhecimento do tipo de resíduo químico para tomar medidas necessárias de combate a incêndio, assim como determina a NR 23;
  • manuseio e armazenamento: informações especificas sobre como deve ser realizado o manuseio e armazenamento são importantes para evitar acidentes;
  • controle de exposição e proteção individual: quais equipamentos de proteção individual – EPI’s são necessários para realizar o manuseio sem que cause risco a saúde do homem;
  • informações ecológicas: nessa seção deve ser apresentado quais os problemas ambientais que o resíduo pode causar ao meio ambiente caso não seja tratado e descartado de forma correta;
  • considerações sobre tratamento e disposição: qual a melhor forma de descartar esse resíduo evitando assim os impactos negativos sobre o meio ambiente e a saúde pública. Nessa seção encontramos informações sobre possibilidade do reaproveitamento dos resíduos;
  • informações sobre transporte: a ANTT 5232 regula o transporte de resíduos químicos. Na FDSR a tratadora encontra informações sobre a maneira correta de transporte dos resíduos;
  • regulamentações: leis e normas importantes sobre o tratamento de resíduos químicos;
  • outras informações: nesta seção será incluso outras informações pertinentes que a geradora julgue como importante.

A ausência de tratamento dos resíduos químicos pode levar à contaminação do meio ambiente, comprometendo assim a saúde pública. A FDSR influencia no gerenciamento de resíduos, tendo em vista que as formas corretas de tratamento é um processo importante. A Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos têm o intuito de disponibilizar informações sobre os aspectos essências dos resíduos químicos quanto à proteção, segurança, saúde e ao meio ambiente. Se tornando, um meio do gerador de resíduos químicos transferir informações essenciais sobre os seus perigos ao seu tratador, possibilitando que eles tornem as medidas necessárias relativas à segurança, saúde e meio ambiente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Quatro dicas eficientes para localizar geradores de resíduos químicos.

 

 

Como aumentar sua renda com o tratamento de resíduos industriais?

tratamento dos resíduos industriais

De maneira estruturar uma empresa dedicada ao tratamento dos resíduos industriais? E como aumentar sua renda com esses resíduos?

A área industrial é uma das grandes responsáveis pela geração dos resíduos sólidos. Atualmente, empreendedores especializados em receber os resíduos das atividades industriais e dar um destino correto a esses materiais podem, dessa forma, encontrar uma fonte de lucro. Com isso, existe potencial para a abertura de empresas que saibam receber, tratar e transformar os resíduos.

Claro, é preciso seguir alguns protocolos, obedecer algumas leis, providenciar documentos e avaliar vantagens e riscos do negócio. Por isso, vamos entender como aumentar sua renda com o tratamento de resíduos industriais? Acompanhe!

Leia agora: Quatro dicas eficientes para localizar geradores de resíduos químicos

Faça um inventário dos resíduos industriais

tratamento dos resíduos industriais

Os resíduos industriais, também conhecidos pela sigla RSI (resíduos sólidos industriais), são sobras de produção, muitas vezes com composição mista, que não devem ser descartados de qualquer maneira devido aos impactos negativos que podem causar.  Sobras industriais despejadas diretamente no ambiente podem, por exemplo, degradar e contaminar solos, além de afetar a saúde humana.

Pelas especificidades desse tipo de resíduo, o tratamento das sobras industriais deve seguir a legislação ambiental e todas as diretrizes nela contidas. O ponto de partida é a elaboração de um plano de gestão de resíduos, documento no qual deve constar:

  • identificação e classificação dos tipos de resíduos industriais existentes na empresa;
  • discriminação dos resíduos perigosos ou não perigosos;
  • apontamento dos resíduos recicláveis;
  • listagem de qual a destinação ambientalmente correta para os resíduos industriais.

Esse panorama dos resíduos industriais é essencial porque o descarte incorreto poderá afetar a reputação da empresa, resultando em perdas de clientes ou punições legais.

Conheça alguns tratamentos de resíduos industriais

tratamento dos resíduos industriais

Feito esse inventário, é necessário conhecer as melhores soluções para tratar os resíduos industriais. Essa escolha está relacionada a alguns fatores, tais como o grau de periculosidade do material e o potencial de recuperação do resíduo.

No Brasil, entre os métodos de tratamento dos resíduos industriais estão:

1. Incineração

A incineração consiste na oxidação total da matéria com temperaturas variando entre 850 a 1300º C. Um aspecto interessante é que as cinzas resultantes do processo estão sendo estudadas para uso como agregado em concreto e em mistura para asfalto.

2. Coprocessamento

Essa técnica também usa a incineração e é mais frequentemente realizada em fornos fabricantes de cimento. No coprocessamento são eliminados tanto resíduos industriais sólidos, quanto resíduos pastosos, que são utilizados como combustíveis para os fornos de clinquerização. O curioso é que a indústria cimenteira também sai ganhando. Os resíduos perigosos, após passarem pela queima, podem ser reutilizados, substituindo parcialmente o combustível que alimenta a chama do forno que transforma calcário e argila em clínquer, matéria-prima do cimento. Outro diferencial do coprocessamento é que os fornos de cimento destroem grandes volumes de resíduos de forma segura, poupando o uso de combustível e eliminando riscos aos trabalhadores e às comunidades que vivem em torno das indústrias.

3. Aterros industriais

São terrenos preparados para receber os resíduos provenientes das fábricas. Dependendo da característica dos resíduos, eles necessitam passar por um tratamento prévio antes de serem enterrados, podendo ser usadas as técnicas de estabilização, solidificação, encapsulamento ou neutralização.

Saiba mais: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Busque licença ambiental para atuar

tratamento dos resíduos industriais

Entrar para o ramo do tratamento de resíduos industriais pode ser uma opção acertada. Neste estudo sobre o tratamento de resíduos industriais no estado do Rio de Janeiro, Darlan Pereira afirma que o Brasil possui um ritmo acelerado de industrialização, em vista do aumento do consumo e do contingente populacional. Há regiões do país com produção industrial intensa e ausência de unidades de tratamento e destinação final para os RSI.

O ideal é que a empresa que se dispõe a cuidar dos resíduos tenha uma consultoria sobre os melhores passos a seguir. Isso envolve, entre outros aspectos, cumprir alguns protocolos e o primeiro deles é obter uma licença ambiental tanto para transportar quanto para tratar os resíduos industriais.

IBAMA é o órgão que emite o licenciamento das empresas de transporte e tratamento de resíduos que atuam em mais de um estado e cujos impactos ambientais ultrapassam os limites territoriais. Se a empresa só atuar dentro do próprio Estado, cabe ao órgão ambiental daquele Estado licenciar as atividades.

Os principais documentos exigidos para adquirir a licença são:

  • memorial descritivo do processo industrial da empresa;
  • formulário de requerimento preenchido e assinado pelo representante legal;
  • cópia do CPF e Identidade do representante legal que assina o requerimento;
  • cópias dos CPFs e Registros nos Conselhos de Classe dos profissionais responsáveis pelo projeto, construção e operação do empreendimento;
  • cópias do CPF e Identidade de pessoa encarregada do contato entre a empresa e o órgão ambiental;
  • cópias da Procuração, do CPF e da Identidade do procurador, quando houver;
  • cópia da Ata da eleição da última diretoria, quando se tratar de sociedade anônima, ou contrato social registrado, quando se tratar de sociedade por cotas de responsabilidade limitada;
  • cópia do CNPJ- Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica;
  • cópias do registro de propriedade do imóvel ou de certidão de aforamento ou cessão de uso;
  • cópia da Certidão da Prefeitura indicando que o enquadramento do empreendimento está em conformidade com o a Lei de Zoneamento Municipal;
  • cópia da Licença ambiental anterior se houver;
  • guia de Recolhimento (GR) do custo de Licença;
  • planta de Localização do empreendimento;
  • croquis ou planta hidráulica, das tubulações que conduzem os despejos industriais, esgotos sanitários, águas de refrigeração, águas pluviais etc.

Confira: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

Seja ecologicamente responsável e lucre

tratamento dos resíduos industriais

Como se vê, há potencial para se abrir um negócio voltado para o tratamento de resíduos industriais. Seguindo os preceitos legais e tendo uma orientação especializada é possível empreender nessa área, aumentando seus lucros. O fundamental é atuar de forma idônea e ecologicamente responsável ao fazer a gestão das sobras industriais.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

 

Quatro dicas eficientes para localizar geradores de resíduos químicos

Como localizar geradores de resíduos químicos? Os resíduos químicos podem ser uma dor de cabeça para uma empresa que gera esses materiais e não sabe como gerenciá-los. No entanto, é possível solucionar esse impasse, realizando parcerias com organizações tratadoras e transferindo a elas as atribuições do transporte e da destinação correta dos resíduos químicos.

A vantagem das empresas especializadas em resíduos químicos é que elas possuem uma estrutura adequada para transportar e fazer o manejo correto desses materiais considerados perigosos. Isso permite que as geradoras tirem o foco dos resíduos e concentrem em seu negócio principal, aumentando assim sua produtividade e lucratividade.

Mas como buscar esses materiais, quais normais ambientais devem ser seguidas e os diferenciais que as empresas transportadoras e tratadoras podem oferecer? Acompanhe!

Leia também: Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Dica 1: Conheça as geradoras de resíduos químicos

A gestão dos resíduos sólidos é um compromisso que não pode ser ignorado pelas empresas. Uma organização sustentável é aquela que está atenta aos resíduos que são gerados em seus processos de fabricação. Não basta mais amontoar as sobras em uma área da empresa. Desde a criação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), toda empresa é obrigada a fazer a gestão correta dos materiais provenientes das atividades corporativas ou entregar o gerenciamento a uma empresa especializada.

A desatenção às normas da política de resíduos traz riscos ao meio ambiente e a saúde humana, podendo resultar em multas, punições severas e até mesmo paralisação das atividades empresariais. Existe, ainda, a possibilidade de denúncias e boicote por parte de comunidades do entorno, especialmente quando se trata dos resíduos químicos, que são altamente poluentes.

A geração desses resíduos com potencial poluidor pode se tornar um transtorno para as empresas, por isso vale apostar na contratação de uma empresa que tem know-how no manejo desse tipo de material.

E com quais geradoras de resíduos químicos as tratadoras podem trabalhar? As indústrias e o setor farmacêutico são os geradores desse tipo de material, que é dividido em nove classes:

  • explosivos;
  • gases;
  • líquidos inflamáveis;
  • sólidos inflamáveis;
  • substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos;
  • substâncias tóxicas e substâncias infectantes;
  • materiais radioativos;
  • substâncias corrosivas;
  • substâncias e artigos perigosos diversos.

Dica 2: Consulte o mercado de resíduos

Para chegar de forma mais eficiente às geradoras de resíduos químicos uma alternativa é consultar o mercado de resíduos. Há plataformas digitais como a da VG Resíduos ou Mercados de Resíduos que aproximam geradoras e tratadoras.

De forma totalmente eletrônica, a plataforma tem um cadastro de geradores de resíduos, com o tipo de material e a quantidade produzida. As empresas tratadoras podem consultar esse banco de dados, ofertando às geradoras seus serviços de gestão ou mesmo a compra dos resíduos. Na sequência, a plataforma seleciona a melhor oferta. A partir daí, gerador e a empresa tratadora passam a manter contato pela plataforma e iniciam a parceria.

A eficiência desse serviço do grupo Verde Ghaia está na praticidade e comodidade. A plataforma integra milhares de empresas brasileiras interessadas em soluções para os resíduos e estrutura uma rede de contatos para que essas organizações se tornem parceiras.

O sistema é totalmente digitalizado e compradores, vendedores, transportadores e tratadores podem acessar a plataforma a qualquer momento, 24 horas por dia, de qualquer lugar do mundo.

Conheça: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Dica 3: Transporte cuidadosamente os resíduos químicos

Firmada a parceria, é essencial o cuidado com o transporte dos resíduos químicos. A empresa deve ter um cuidado extremo ao buscar os materiais porque eles têm características de alta periculosidade, como:

  • Inflamabilidade: são resíduos que podem entrar em combustão facilmente ou de maneira espontânea;
  • Toxicidade: são materiais que agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros;
  • Corrosividade: são resíduos que devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) é o órgão responsável pela regulamentação de normas para o transporte de materiais perigosos no Brasil. A Resolução ANTT nº 5232/2016 é que indica quais os cuidados devem ser seguidos pela transportadora que assume os resíduos químicos.

Um aspecto que merece atenção é que empresa geradora também é corresponsável pelo transporte dos resíduos perigosos. Sendo assim, pode ser punida juntamente à transportadora se foram desrespeitadas as normas da ANTT.

O primeiro requisito para estar em dia com as normas de transporte é obter uma licença ambiental. Essa autorização vale tanto para o transporte quanto para o tratamento. Para obter tal documentação uma consultoria é uma medida que acelera o processo e evita equívocos.

Saiba: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

Dica 4: Recicle os resíduos químicos

De acordo com a política de gestão de resíduos sólidos, deve haver um esforço para que as sobras sejam reduzidas, visto que há um excesso de materiais gerados, fruto do aumento do consumo e do uso predatório dos recursos naturais nos processos de fabricação de produtos. Na impossibilidade de diminuir os resíduos, eles devem ser reciclados ou reutilizados.

Para as empresas tratadoras de resíduos químicos é importante investir na reciclagem, pois isso demonstra que a organização é ecoficiente. Além disso, transformar os resíduos químicos poupa o meio ambiente e pode gerar lucros.

A reciclagem por meio do coprocessamento é um exemplo. A empresa tratadora pode usar esse método para transformar o resíduo químico em um produto que gere renda com a produção de uma matéria prima secundária.

Outro exemplo da transformação dos resíduos químicos vem do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba. O Cena tem conseguido reciclar resíduos químicos como chumbo, prata, mercúrio, zinco e de outros elementos tóxicos gerados em laboratório.

Como se vê, há várias soluções sustentáveis quando se opta por localizar geradores de resíduos químicos. Alternativas de reciclagem e de geração de lucro podem surgir a partir de parcerias com organizações especializadas, desde que essas sigam os requisitos para o transporte e manejo adequado dos resíduos químicos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

Como demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos?

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Se você é uma empresa tratadora certamente se interessa em ter diferenciais como tratador de resíduos perigosos para se destacar no mercado.

Os resíduos perigosos são provenientes de lâmpadas fluorescentes, baterias, pilhas, remédios vencidos, pneus e outros. e os tratadores lidam com materiais que exigem extremo cuidado.

Assim, ao apostar no tratamento de resíduos perigosos, além de ser ecologicamente viável e correto, poupa a saúde humana e o meio ambiente. Vamos conhecer mais esse assunto?

Leia também: 6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Saiba os diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

As tratadoras de resíduos perigosos, quando conhecem e praticam as melhores técnicas de manejo desse tipo de material, podem ser decisivas para a saúde humana e o meio ambiente.  A empresa tratadora lida com um tipo de material com grande potencial de risco e que é gerado principalmente pelas indústrias.

É considerado um resíduo perigoso aquele que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas, pode gerar:

  • risco à saúde pública, provocando mortalidade, incidência de doenças ou acentuação de seus índices;
  • riscos ao meio ambiente, quando o resíduo for gerenciado de forma inadequada, podendo contaminar cursos d´água, solos e atmosfera.

A tratadora se destaca no mercado ao fazer o manejo correto desses resíduos perigosos que podem conter metais pesados. Substâncias como mercúrio, chumbo, cádmio e níquel podem se acumular nos tecidos vivos, colocando em risco a saúde.

Mais do que isso, a empresa tratadora pode ser vista como diferenciada no mercado ao reaproveitar os resíduos perigosos, evitando que esses materiais sejam descartados e ameacem a saúde do homem e o meio ambiente.

Como tratar corretamente os resíduos perigosos

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

As tratadoras precisam conhecer a fundo a composição dos resíduos perigosos, o quanto eles podem ser nocivos ao homem e à natureza e as formas corretas de trata-los. As cinco propriedades a seguir indicam que um resíduo é perigoso e necessita de gerenciamento adequado:

  •  Inflamabilidade: os resíduos que possuem essa característica podem entrar em combustão facilmente ou até de forma espontânea;
  • Corrosividade: devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos;
  • Reatividade: reagem com outras substâncias de forma violenta e imediata, podendo liberar calor e energia;
  • Toxicidade: agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros.
  • Patogenicidade: apresentam características biológicas infecciosas, contendo microorganismos ou suas toxinas, capazes de produzir doenças em homem e animais.

Além de conhecer as propriedades, as tratadoras devem pesquisar as soluções possíveis para o manejo desse tipo de material, o que pode ser feito com mais assertividade com a consultoria de uma empresa especializada no assunto.

Essas alternativas devem ser capazes de processar os resíduos para reduzir ou eliminar sua periculosidade ou imobilizar seus componentes perigosos, fixando-os em materiais insolúveis.

Este estudo apresenta algumas opções corretas para o tratamento dos resíduos perigosos, entre elas:

  • Incineração: é a destruição dos resíduos, transformando-os em cinzas. No caso de incineração de resíduos combustíveis há a geração de energia. Uma vantagem é que a área requerida para a instalação de um incinerador é bastante reduzida, se comparada com aterros. Os investimentos, entretanto, são caros, pois é necessária a depuração de gases e a destinação das cinzas;
  • Coprocessamento: é o uso de fornos de cimento que substituem, em parte, o uso de incineradores. Os resíduos perigosos, após passarem pela queima, podem ser reutilizados, substituindo parcialmente o combustível que alimenta a chama do forno que transforma calcário e argila em clínquer, matéria-prima do cimento. Outro diferencial é que os fornos de cimento destroem grandes volumes de resíduos de forma segura, poupando o uso de combustível.

Saiba mais: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

Reciclagem faz tratadora se destacar da concorrência

Diferenciais como tratador de resíduos perigosos

O ato de reciclar significa refazer um ciclo e isso, em relação aos resíduos, permite que as sobras, após serem reprocessados, voltem à a origem sob a forma de matéria-prima, mantendo suas características básicas.

Ao apostar em soluções de reciclagem para os resíduos perigosos, a tratadora sai em vantagem em relação às concorrentes. Isso porque ela se posiciona como organização ecoficiente e alinhada à política de gestão de resíduos sólidos.

O conjunto de leis brasileiras sobre o gerenciamento dos resíduos defende que as sobras sejam reduzidas, pois há um excesso de geração, fruto do aumento do consumo e do uso predatório dos recursos naturais para a fabricação de produtos. Na impossibilidade de diminuir os resíduos, eles devem ser reciclados ou reutilizados.

Um bom exemplo é a reciclagem de lâmpadas, consideradas um resíduo perigoso. Há diferentes tipos de tecnologias para a reciclagem delas: processo de separação centrífuga, separação Kapp, de lavagem de vidros quebrados, o processo Shredder e de extração do mercúrio.

No processo de reciclagem é feita a separação dos componentes e substâncias para que esses possam ser utilizados como matéria-prima na fabricação de outros produtos como, por exemplo, outras lâmpadas.

Confira: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Elimine riscos e custos do tratamento de resíduos perigosos

diferenciais como tratador de resíduos perigosos

Quando o tratamento de resíduos perigosos não é feito de maneira criteriosa, desrespeitando as leis ambientais, a empresa cuidadora pode colocar sua reputação em risco e até sofrer prejuízos com multas ou punições.

Por isso, uma estratégia acertada é buscar empresas como a Verde Ghaia, grupo especializado em consultoria em gerenciamento de resíduos. Essa é uma opção que garante que a tratadora cumprirá todas as leis ambientais e saberá manejar corretamente os resíduos perigosos.

O empreendedor que cuida dos materiais nocivos pode se tornar referência, ao demonstrar seus diferenciais como tratador de resíduos perigosos. As tratadoras criteriosas podem se destacar no mercado, sendo reconhecidas como empresas de credibilidade e condutas ecologicamente responsáveis.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

 

 

 

Qual a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos?

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

Vamos saber a influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos? A certificação ISO 14001 é uma das ferramentas mais procuradas por empresas que atuam de forma sustentável, uma vez que as auxiliam na identificação e gerenciamento dos riscos ambientais inerentes ao seu negócio, como os riscos no tratamento de resíduos.

A implementação do Sistema de Gestão Ambiental vem aumentando exponencialmente nos últimos anos nas empresas que atuam com o tratamento resíduo. Isso indica o reconhecimento da importância das questões ambientais como fator de sobrevivência empresarial.

A norma ISO 14001, da ABNT, detalha os requisitos que estabelecem os objetivos e metas a serem atingidos, propondo que a organização estruture e planeje o atendimento a legislação ambiental e condicionantes de licença . E, também, a adote controles ambientais mais assertivos em todas as atividades da empresa. Confira!

Saiba mais: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Certificação ISO 14001

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A norma ISO 14001 trata do gerenciamento ambiental, indicando às empresas tratadoras de resíduo o que devem fazer para minimizar os impactos ambientais de suas atividades e melhorar continuamente seu desempenho ambiental.

A implementação da ISO 14001 trás como benefícios no tratamento de resíduos a redução do uso de matérias-primas, de energia e utilização de recursos renováveis.

A ISO 14001 exige que as tratadoras de resíduos se comprometam com a prevenção da poluição e com melhorias contínuas preservando o meio ambiente, como parte do ciclo normal de gestão empresarial. Basicamente, empregar técnicas de tratamento de resíduos que elimine todos os seus potenciais riscos de contaminação de forma assertiva e seguindo toda a legislação aplicável, bem como ter um sistema padronizado.

A empresa que busca a certificação na ISO 14001 demonstra preocupação com as causas ambientais e, se corretamente implementada, é importante instrumento para a preservação ambiental e para o desenvolvimento sustentável.

Os passos para tratadora obter a certificação ISO 14001

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

Seis passos devem ser cumpridos para a obtenção do certificado:

  1. Desenvolver uma política ambiental: este é o principal requisito do sistema de gestão ambiental, que estabelece a estratégia ambiental da organização;
  2. Identificar nas atividades de tratamento dos resíduos ou em outras atividades da empresa, o residual do tratamento (no caso o resíduo tratado) e serviços que possuam interação com o meio ambiente
  3. Identificar requisitos legais e regulatórios: quais leis que influenciam o tratamento de resíduos e o negócio e a necessidade de licenciamento ambiental;
  4. Identificar as prioridades da empresa e definir objetivos e metas de redução de impacto ambiental;
  5. Ajustar a estrutura organizacional da empresa para atingir estes objetivos, atribuindo responsabilidades, realizando treinamentos, comunicando e documentando;
  6. Checar e corrigir o Sistema de Gestão Ambiental, buscando a melhoria continua.

Leia mais: Como demonstrar que sua empresa trata corretamente resíduos hospitalares?

A influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A ISO 14001 em empresas que prestam serviços de tratamento de resíduos possibilita um cuidado maior com a responsabilidade ambiental. Entre as ações temos:

  • a utilização racional da água e o reuso em atividades menos restritivas;
  • o uso e ocupação do solo, bem como suas implicações;
  • a conscientização ambiental dos colaboradores;
  • o aprimoramento dos sistemas de tratamento existentes;
  • a melhoria contínua dos processos da empresa.

A empresa tratadora certificada na ISO 14001 segue, em toda a sua estrutura, estratégias e planos de ação para diminuir os impactos ambientais. É mais uma garantia de que todo o serviço de tratamento de resíduos segue os padrões legais e melhores práticas do mercado.

Com a certificação ISO 14001 a tratadora garante tranquilidade aos seus clientes, para confiarem seus resíduos à empresa sem que se exponham aos riscos impostos pelas leis aplicáveis. Inclusive a cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos que determina a responsabilidade compartilhada entre geradores e empresas terceirizadas que realizam o tratamento dos resíduos.

Além disso, o Sistema de Gestão Ambiental propiciona novos ganhos comerciais para a tratadora. Uma vez que amplia o mercado, pois se torna uma marca ambientalmente correta .

Principais benefícios para as tratadoras de resíduos

influência da ISO 14001 no tratamento de resíduos

A norma ISO 14001:2015 fornece às organizações de serviços de tratamento de resíduos a base para um sistema de gestão ambiental eficaz e eficiente.

A implementação da ISO 14001 permite que as organizações:

  • respeite a Lei nº 12.305/10, que determina diretrizes para o correto gerenciamento de resíduos;
  • sistematize atividades ambientais existentes;
  • melhore a comunicação ambiental com o clientes e partes interessadas;
  • identifique potenciais reduções de custos;
  • consolide a inovação, uma vez que alternativas eficientes de tratamento de resíduos são desenvolvidas;
  • contribua para processos de sustentabilidade global;
  • minimize o risco ambiental, evitando assim que os residuais do tratamento polua o meio ambiente;
  • melhore o posicionamento no mercado, uma vez que empresas certificadas na ISO 14001 são bem vistas pelos clientes.
  • melhore a fidelização dos clientes atuais e aumenta a chance de adquirir novos clientes;
  • motive a equipe que trabalha na organização;
  • tenha acesso a benefícios financeiros e de seguros.

Sendo assim, a implantação da ISO 14001, em empresas que prestam serviço de tratamento de resíduos, é uma experiência que envolve toda a organização. Além disso,  amplia a visão da importância de todo o sistema de tratamento, desde a entrada dos resíduos, insumos, tratamento, saída do resíduo tratado, gestão dos resíduos gerados no processo e gerenciamento dos riscos inerentes ao negócio. Utilizar corretamente a ISO 14001 é um passo fundamental para o desenvolvimento sustentável e o cumprimento de legislações ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

6 dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Em um cenário cada vez mais competitivo, é fundamental se posicionar e se destacar para obter melhores resultados. Logo, separamos abaixo algumas dicas para o tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado e captar mais clientes.

Nos últimos anos, a legislação ambiental passou a ficar cada vez mais rigorosa, bem como a fiscalização por parte dos clientes das indústrias que passaram a exigir que o processo delas fosse ambientalmente adequado. Com isso, um grande número de empresas ingressou no mercado de tratamento de resíduos, oferecendo soluções para o acondicionamento e destinação dos materiais descartados pelas empresas.

Mas, devido a este aumento, a concorrência no mercado de tratadores também aumentou vertiginosamente, forçando às empresas competidoras a adotarem alguns diferenciais para a captação de novos clientes geradores de resíduos. Confira!

Leia também: Quais leis influenciam o tratamento de resíduos e o seu negócio?

Dica 1: Mantenha as licenças da empresa atualizadas

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

O primeiro passo para não fazer feio na hora de captar novos clientes é manter todas as licenças ambientais e operacionais em dia. Uma empresa com licenças vencidas ou com vencimento próximo, porém sem protocolo de renovação, dificilmente conseguirá se destacar no mercado de resíduos.

Isso ocorre porque os geradores de resíduos precisam comprovar aos órgãos ambientais responsáveis, que eles estão destinando seus materiais para locais devidamente licenciados e caso isso não esteja sendo feito, são passiveis de alguma sanção ou até mesmo responsabilidade solidária em caso de ocorrências que envolvam seus materiais.

Este item não é um grande “diferencial”, afinal de contas, todas as empresas estão obrigadas a atendê-lo, contudo, sem ele a empresa será imediatamente descartada de qualquer possibilidade de contratação, por isso o colocamos logo na primeira dica para um tratador de resíduos que quer se destacar no mercado.

Dica 2: Utilize as redes sociais 

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Uma excelente maneira para captar clientes é a utilização das redes sociais. Sua empresa pode se destacar ao compartilhar conteúdo relevante sobre a atividade prestada e também ao exibir suas características inovadoras para o mercado.

É possível postar conteúdos em texto, foto e vídeo, que demonstrem a operação de tratamento de resíduos, bem como o emprego de novos equipamentos e tecnologias modernas, sempre dando destaque às vantagens para os possíveis clientes.

Através das redes sociais é possível também fazer contato direto e ativo com possíveis geradores de resíduos, os quais poderão ter uma boa primeira impressão da empresa ao visitarem seu perfil.

Hoje em dia, as principais redes para este tipo de ação são o Linkedin e o Facebook, contudo, outras redes como o Instagram têm ganhado muito espaço. O que é ótimo para que a empresa deixe de usar apenas a tradicional divulgação por e-mail.

Saiba mais: Cinco vantagens de se realizar o tratamento biológico de resíduos orgânicos

Dica 3: Invista em novas tecnologias

Aliado às constantes divulgações nas redes sociais, deverá estar o investimento em novas tecnologias que representem vantagem para o gerador de resíduos. Isso aumentará muito as chances de um tratador se destacar.

Por exemplo: se as empresas de reciclagem de fios elétricos de uma região, realizam a separação manual entre o plástico e o cobre, sua empresa pode adquirir uma máquina de separação automática e repassar a vantagem de sua utilização para o gerador, sejam em divulgação de processo ambientalmente adequado, seja em melhores preços para a compra dos materiais.

Todo investimento em novas tecnologias deve ser tratado como destaque nas campanhas de divulgação da empresa, pois os geradores de resíduos considerarão os diferenciais do tratador na hora de contratar o serviço.

Dica 4: Utilize uma plataforma para mostrar seus diferenciais

A melhor maneira de se destacar como tratador no mercado de resíduos é, sem dúvida, aparecer justamente para as empresas que estão precisando do serviço logo de imediato. Assim, a empresa pode utilizar plataformas que conectem geradores a tratadores e que mostrem quais os resíduos estão disponíveis para tratamento.

Neste sentido, a plataforma Mercado de Resíduos tem se destacado no Brasil, uma vez que reúne milhares de tratadores e indústrias de todos os portes, permitindo que os geradores façam leilões de seus materiais e que os tratadores deem lances nos resíduos cadastrados, assim, os geradores conseguem destinar corretamente seus descartes e os tratadores alcançam novos clientes.

A plataforma Mercado de Resíduos tem sido um diferencial muito grande para tratadores de vários tipos de resíduos na hora de conseguir novos clientes ou serviços.

Dica 5 : Informatize todo o processo

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Algo que é realmente um grande diferencial para tratadores de resíduos no cenário atual do mercado brasileiro, é a informatização da gestão do processo. Quase todas as empresas utilizam o velho Excel para gerenciar o que entra e sai da operação, bem como para gerar documentos de controle e manifestos de transporte.

Um software como o VG Resíduos pode ajudar muito a empresa e ainda se sair como um diferencial no mercado de tratadores, pois é possível que todos os clientes sejam cadastrados, cada um com seu acesso privado.

Desta maneira, todos os resíduos destinados por cada gerador serão acessíveis online e poderão ter seus comprovantes baixados a qualquer momento, gerando muito mais confiabilidade para os clientes.

Dica 6: Garanta a rastreabilidade dos resíduos tratados

tratador de resíduos mostrar seus diferenciais no mercado

Grande parte das indústrias brasileiras já é certificada pela ISO 14001, muitas outras que não são certificadas já procuram atender aos requisitos da norma, um deles é a rastreabilidade dos resíduos, isto é, a organização deve saber exatamente o que foi feito com o material, mesmo após ele ter deixado sua planta produtiva.

Assim, se o tratador garante a rastreabilidade dos resíduos –através de um software como o VG Resíduos por exemplo-, ele terá muito mais chances de se destacar no mercado de destinação industrial.

Em um cenário cada vez mais competitivo, é ideal que cada tratador de resíduos saiba se posicionar e destacar aquilo que o diferencia dos demais na tentativa de atrair os clientes. Fatores como custo do serviço e qualidade da prestação são fundamentais, uma vez que estamos falando de organizações com processos bem estabelecidos quanto à seleção de fornecedores. Assim, esperamos que as dicas dadas neste artigo possam ajudar a sua empresa a obter destaque no mercado de tratadores de resíduos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Precisa se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como se destacar sendo um especialista no tratamento de resíduos

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2019