Todo resíduo eletrônico é classificado como perigoso?

Categoria(s): Gerenciamento de Resíduos /
Todo resíduo eletrônico é classificado como perigoso?
5 (100%) 5 votos

Os resíduos eletrônicos são provenientes dos equipamentos eletroeletrônicos, que são: computadores, celulares, aparelhos de som, dentre outros. Os equipamentos eletroeletrônicos são compostos por: plásticos, vidro, alumínio e outros elementos químicos.

Os resíduos eletrônicos podem ter mais de vinte tipos de componentes que podem ser prejudiciais à saúde e ao meio ambiente, como por exemplo: chumbo, arsênio, mercúrio, cobre, cádmio, zinco e outros metais pesados que podem estar presentes nos aparelhos eletrônicos e podem contaminar ambientes e indivíduos.

Quando os resíduos eletrônicos são perigosos?

Enquanto o equipamento eletrônico estiver vedado, ele não apresenta risco à saúde e nem à natureza. Portanto, computadores, televisões, impressoras e celulares podem ser utilizados em residências e escritórios sem nenhuma preocupação.

O perigo acontece quando esses aparelhos tem seus componentes violados e manipulados de forma incorreta. Inclusive existe o risco de ocorrer descargas elétricas quando violados.

Esse tipo de resíduo precisa ter sua destinação final de forma correta, não podem ser depositados em aterros ou jogados em algum terreno, pois contaminam solo e água e consequentemente animais.

Os resíduos eletrônicos devem ser descartados em locais autorizados ou serem enviados para cooperativas preparadas para fazer sua coleta e manipulação.

Estatística e processamento dos resíduos eletrônicos

A Lei 13.576 atribui a responsabilidade para as empresas fabricantes, importadoras ou comercializadora dos produtos tecnológicos eletroeletrônicos para manterem pontos de coleta para receberem os resíduos dos aparelhos descartados.

A logística reversa deve ser usada a todo tempo para esse tipo de resíduo.

Veja no quadro abaixo a quantidade aproximada de sucatas processadas anualmente:

Tipo de empresa Fornecedor Toneladas processadas
Gerenciadora de resíduos eletrônicos Eletroeletrônicos 500 toneladas
Fabricante Fabricantes e prestadores de serviços 100 toneladas
Empresa de reciclagem Grandes empresas 2400 toneladas

 

Os processos de reciclagem são diversos, vejamos alguns:

  • O material pode ser separado e os resíduos perigosos são enviados para refinarias fora do Brasil.

Os metais provenientes das placas do circuito interno tem maior valor agregado e mais importância para a empresa.

  • Servidores, microcomputadores, notebooks, monitores, impressoras e outros equipamentos passam por processos de revisão, revitalização e atualização tecnológica, sendo recolocados no mercado com garantia de no mínimo um ano. É feita a separação dos materiais.

Os plásticos vão para empresas recicladoras, os tubos dos monitores são cortados em via úmida e geram óxidos metálicos, as placas passam por moagem e separação química e depois banho e separação interna para retirar os metais que estão agregados na matéria-prima. Todo o processo é químico. Após o reprocessamento dos resíduos tecnológicos, são obtidos sais e óxidos metálicos que serão utilizados nas indústrias de colorifício, cerâmicas, refratárias e indústrias químicas.

3 – Separação da sucata eletrônica por classe, moagem e exportação para a usina (fora do Brasil), onde ocorre a desintoxicação (processo de elevação de temperatura em câmara selada a 1200C° e resfriamento em quatro segundos para 700C°), filtragem de dioxinas, liquidificação, separação por densidade, separação por eletrólise, decantação, refinagem, solidificação em barras.

Danos causados por resíduos eletrônicos

Muitas pessoas descartam incorretamente o lixo eletrônico, jogando-o em lixeiras comuns ou até mesmo misturando-o aos outros objetos de consumo. Com isso, gera muitos prejuízos que são aplicados à natureza devido a esta má prática, causando consequências a toda a população e podendo agravar os resultados ao longo do tempo.

Vejamos por exemplo a composição de um computador:

Metal ferroso – 32 %

Plástico – 23%

Metais não ferrosos (chumbo, cádmio, berílio, mercúrio) – 18%

Vidro – 15%

Placas eletrônicas (ouro, platina, prata e paládio) – 12%

Aproximadamente 94% dos materiais contidos nos aparelhos eletroeletrônciso podem ser reciclados.

As substâncias tóxicas dos computadores e celulares
Chumbo – Prejudicial ao cérebro e ao sistema nervoso. Afeta sangue, rins, sistema digestivo e reprodutor
Cádmio – É um agente cancerígeno. Acumula-se nos rins, no fígado e nos ossos, o que pode causar osteoporose, irritação nos pulmões, distúrbios neurológicos e redução imunológica
Níquel – Causa irritação nos pulmões, bronquite crônica, reações alérgicas, ataques asmáticos e problema no fígado e no sangue
Mercúrio – Prejudica o fígado e causa distúrbios neurológicos, como tremores, vertigens, irritabilidade e depressão
Zinco – Produz secura na garganta, tosse, fraqueza, dor generalizada, arrepios, febre, náusea e vômito

A degradação de outros materiais que compõe os equipamentos eletrônicos também faz parte dos prejuízos do descarte incorreto, afetando o meio ambiente e prejudicando a saúde.

Desviando os fatos que ocorrem quanto aos prejuízos do descarte incorreto do lixo eletrônico quanto à natureza, também existem alguns problemas que são causados por jogar equipamentos eletrônicos fora de forma incorreta, aplicados aos próprios indivíduos, sendo que as mesmas substâncias químicas podem trazer uma variedade de doenças, principalmente nas pessoas que frequentam lixões para sustentar-se e sobreviver, estando misturados com o lixo doméstico.

ISO 14001 x resíduos eletroeletrônicos

A responsabilidade em gerar o descarte correto dos resíduos eletrônicos obedecendo as leis é obrigação não apenas do usuário como também das organizações. Caso sua empresa precise de auxílio profissional para gerenciar os materiais eletrônicos que ela gera, a VG Resíduos é uma das empresas destaques no ramo e tem auxiliado dezenas de empreendimentos no gerenciamento adequado cumprindo todas as documentações exigidas pelas autoridades.

A VG Resíduos conta também com o Mercado de Resíduos, uma plataforma que proporciona o contato entre empresas geradoras e compradoras de resíduos. É uma ótima oportunidade para empresas que desejam não apenas resolver o problema com os resíduos, mas lucrar com esse processo.

Outra forma de andar alinhado com a legislação ambiental e não sofrer sanções com multas ou restrições do mercado devido a falta de conformidade legal, é a implementação da norma ISO 14001. Criada pela organização Internacional de Padronização, a ISO 14001 abrange os requisitos do Sistema de Gestão Ambiental e é reconhecida internacionalmente.

Para implementar a ISO 14001 na sua empresa, basta contatar a Consultoria Online Verde Ghaia referência no mercado em implementações das normas ISO. Para entender melhor como funciona o processo de certificação, basta ligar no telefone (31) 2127-9137.

Seguindo as leis

Além de cuidar da fauna, da flora e da saúde das pessoas, as empresas devem classificar seu lixo para o descarte para evitar problemas com a lei. A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) institui normas para o manejo adequado de resíduos e prevê penas para quem descumpre as normas.

Dependendo de fatores como a gravidade do fato, a reincidência do infrator e sua situação econômica, a empresa pode ser punida com multas e o responsável pode, inclusive, ser preso.

A VG Resíduos pode te auxiliar quanto ao descarte correto para todos os tipos de resíduos, indicando cooperativas que possam receber seus resíduos ou até mesmo ajudando na questão da logística reversa.

Compartilhe

        

0 Comentários

Deixe o seu comentário!