A gravimetria dos resíduos sólidos

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

28/04/2021

A gravimetria dos resíduos sólidos

O produto do consumo, popularmente conhecido como lixo, no Brasil ainda é majoritariamente orgânico (restos de alimentos, de jardinagem e madeira), mas os caminhos da economia, processos industriais e novas tecnologias estão modificando os hábitos de consumo, influenciando, dessa forma, na composição de tudo aquilo que é descartado.

A constituição do lixo, tecnicamente chamado de resíduo, pode ser analisada por meio da gravimetria. Este método quantitativo consiste na separação e pesagem dos materiais por tipologia e o cálculo dos percentuais de cada material em relação ao peso total da amostra.

Tal estudo constitui um instrumento de planejamento da gestão dos resíduos sólidos, de modo que seja possível otimizar a aplicação dos recursos e dimensionar toda a estrutura de logística, destinação e/ou disposição final ambientalmente adequada e programas de educação ambiental.

Veja abaixo o que abordaremos neste artigo:

software online de emissão de mtr online

O que é a gravimetria de resíduos sólidos?

É uma característica física do resíduo que traduz o percentual de cada componente em relação ao peso total da amostra de lixo analisada. A sua composição mais simplista indica papel/papelão, plástico, vidros, metais, matéria orgânica e outros.

A determinação da composição gravimétrica pode ser feita da seguinte forma, segundo Monteiro (2001):

  • escolher, de acordo com o objetivo que se pretende alcançar, a lista dos componentes que se quer determinar;
  • espalhar o material dos latões sobre uma lona, sobre uma área plana;
  • separar o lixo por cada um dos componentes desejados;
  • classificar como “outros” qualquer material encontrado que não se enquadre na listagem de componentes pré-selecionada;
  • pesar cada componente separadamente;
  • dividir o peso de cada componente pelo peso total da amostra e calcular a composição gravimétrica em termos percentuais.

O que fala a Política Nacional de Resíduos Sólidos?

O que fala a Política Nacional de Resíduos Sólidos

O plano de resíduos sólidos (PGRS) é um instrumento da PNRS (Lei 12.305/2010) de responsabilidade da União, Estados, Municípios e dos geradores especificados nesta. O diagnóstico da situação atual faz parte do seu conteúdo, sendo assim, faz-se necessário conhecer a composição gravimétrica dos resíduos sólidos urbanos (RSU).

Para atender a essa demanda a União elaborou o plano nacional (Planares) que esteve em consulta pública de 31/07/2020 a 16/11/2020. A proposta tem início com a análise do cenário atual. Dados do Ministério de Meio Ambiente (2012), indicam que a principal fração dos RSU gerados no País é matéria orgânica (51,4%) seguida da fração seca, aproximadamente 32%. Importante ressaltar que, predominantemente, os orgânicos não são beneficiados, sendo descartados em lixões e/ou aterros.

Uma dificuldade evidenciada nesta publicação foi a ausência de padronização metodológica na análise gravimétrica, comprometendo a compilação dos dados pelos estados, prejudicando a comparação e a consolidação de resultados. Por isso, a complexidade de estabelecer a composição em nível nacional e regional.

padronização metodológica na análise gravimétrica

Em Minas Gerais, a título de exemplo, a Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam) enviou, em 2015, um ofício para todos os municípios mineiros solicitando informações da geração per capita, peso específico e composição gravimétrica. A fim de uniformizar as respostas, foi indicada uma metodologia simplificada a ser seguida. Menos da metade dos municípios retornaram com os dados, estes culminaram na publicação “Caracterização gravimétrica dos resíduos sólidos urbanos do Estado de Minas Gerais Volume I – Geração Per capita”.

No Rio de Janeiro, os parâmetros utilizados para estimar a gravimetria dos resíduos foram o consumo aparente dos materiais potencialmente recicláveis e a participação de cada um destes na produção de embalagens, conforme Plano Estadual de Resíduos Sólidos.

Ambas as situações demonstram a discrepância de métodos, enquanto o Estado de Minas Gerais pretendeu dar mais realidade as informações, o Rio de Janeiro optou por estimar os dados. Essa condição vai de encontro com o apontamento da União no Planares.

A gravimetria como um dos instrumentos para elaboração do PGRS

A gravimetria como um dos instrumentos para elaboração do PGRS

O diagnóstico situacional compreende a definição da origem, o volume e a caracterização dos resíduos. Em relação a origem, estes podem ser classificados como domiciliares, de limpeza urbana, sólidos urbanos, de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, dos serviços públicos de saneamento básico, industriais, de serviços de saúde, da construção civil, agrossilvopastoris, de serviços de transportes e de mineração.

O volume é definido por estimativa, a partir de parâmetros comprovados cientificamente. Quanto a caracterização, os resíduos são classificados quanto a sua periculosidade em perigosos e não perigosos (Classe I ou Classe II, consoante a ABNT NBR 10.004:2004).

Ainda na caracterização, é de suma importância identificar o percentual de cada material em relação ao montante gerado, por meio da gravimetria dos resíduos sólidos, a fim de identificar se as metas de minimização da geração são condizentes com a realidade, se as alternativas de destinação são suficientes e os procedimentos estão adequados.

Como um software de gestão de resíduos pode auxiliar?

software de gestão de resíduos

O software da VGR é um sistema integrado de gestão de resíduos que mantém todas as informações em um ambiente único, confiável e interativo. Através deste banco de dados, alimentado pelo usuário, sistematizado e organizado é possível ter informações confiáveis para a elaboração do PGRS.

O software VGR permite controlar todas as informações, desde a geração até a disposição final e, dessa forma, evitar multas e a perda da licença ambiental. O seu acesso é on-line, permite a geração de inventários anuais automaticamente (IBAMA e CONAMA), a emissão de MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos), FDSR (Ficha com Dados de Segurança de Resíduos Químicos), Ficha de Emergência e outros documentos obrigatórios.

Em síntese, a gravimetria de resíduos sólidos é importante na administração dos recursos necessário para o gerenciamento da pasta por órgãos públicos e empresas. Através da sua análise é possível dimensionar os serviços coleta de seletiva de forma estratégica, estabelecer metas visando a sua ampliação, estabelecer ou adequar os programas de educação ambiental, dentre outras atividades.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5