Cinco dicas para evitar multas ambientais pela gestão de resíduos

22/06/2020

evitar multas ambientais

Existem maneiras de evitar multas ambientais, principalmente através de uma gestão de resíduos eficiente e automatizada. A preocupação com questões ambientais e a necessidade de uma produção mais sustentável fez com que as leis ambientais e a fiscalização pelos órgãos ambientais tornassem mais rígidas, gerando um aumento das penalidades.

A legislação, através da Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, que refere aos crimes ambientais, bem como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que estabelece diretrizes para gestão de resíduos, são bem claros quanto à questão do não cumprimento das práticas que garantem um gerenciamento adequado. Muitas vezes, para evitar multas ambientais você precisa cumprir com todas as leis e normas. Veja agora o que abordaremos neste artigo:

Crimes e multas ambientais relacionadas à má gestão de resíduos

Práticas que geram multas na gestão de resíduos

Conheça as dicas para evitar multas ambientais

Saiba como a VG Resíduos facilita a gestão de resíduos

Conheça neste artigo cinco dicas para evitar essas penalidades! Então vamos lá!

ebook passo a passo para encontrar fornecedor qualificado

Crimes e multas ambientais relacionadas à má gestão de resíduos

evitar multas ambientais

A Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS, através da lei 12.305/10, estabelece as diretrizes e os instrumentos para que a empresa evite penalidades pela gestão de resíduos adequada.

Na PNRS fica determinado que a empresa que não cumprir o disposto da lei ficará sujeito a sofrer penalidades fixadas na Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998.

Os crimes ambientais pela má gestão e descarte irregular de resíduos e as penalidades regulamentada pela Lei 9.605/98 são classificados em:

  • crime contra a fauna (art. 29 a 37);
  • crime contra a flora (art. 38 a 53);
  • poluição e outros crimes ambientais (art. 54 a 61);
  • poluição que provoque danos à saúde humana, mortandade de animais e destruição à flora;
  • poluição hídrica que torne necessária a interrupção do abastecimento público;
  • não adoção de medidas preventivas em caso de dano ambiental grave ou irreversível.
  • contra a administração ambiental (art. 66 a 69) – quando a empresa deixa de cumprir a obrigação de relevante interesse ambiental, ou que dificulta a ação fiscalizadora sobre o meio ambiente;
  • qualquer forma de armazenamento, ou abandono de substâncias tóxicas, perigosas ou nocivas à saúde humana ou em desacordo com as leis.

As penalidades previstas pela má gestão e descarte irregular de resíduos são aplicadas conforme a gravidade da infração: quanto mais grave a conduta, mais severa a punição. As penalidades podem ser:

  • suspensão total ou parcial das atividades;
  • pagamento de multas;
  • interdição temporária de estabelecimento, obra ou atividade;
  • a proibição de obter investimento por instituições públicas;
  • a prestação de serviços à comunidades através de custeio de programas e projetos ambientais; execução de obras de recuperação de áreas degradadas; contribuições a entidades ambientais ou culturais.

As práticas que geram multas na gestão de resíduos

evitar multas ambientais

Na gestão de resíduos é necessário o cumprimento de várias práticas que garante a destinação e disposição ambientalmente correta dos resíduos. A inobservância dessas práticas geram multas.

A não elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos, conforme estabelecido na PNRS, é passivo de penalidades. Os geradores de resíduos devem elaborar o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Não ter fornecedor licenciado e qualificado para a gestão de resíduos é uma prática que também pode levar a empresa a sofrer penalidades. A contratação de serviços de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final ou de disposição final, não isenta o gerador da responsabilidade por danos que vierem a ser provocados pela gestão inadequada.

A empresa tem responsabilidade compartilhada pelo resíduo, por isso é importante contratar empresas que possuem licença para realizar a atividade e exigir delas os documentos que garantam a gestão adequada.

Outro prática passiva de multas ambientais é não possuir um sistema de logística reversa implementado nas empresas que são obrigadas a possuir.

Também, para a empresa que opera com resíduos perigosos, em qualquer fase do seu gerenciamento, não possuir o Cadastro Nacional de Operadores de Resíduos Perigosos – CNORP.

Destinação e disposição inadequada dos resíduos é um crime ambiental grave. É proibida por lei a disposição de resíduos sem tratamento em lixões, aterros clandestinos, empresas não licenciada em lotes vagos, no rio ou mar. Também é vedada a queima em céu aberto.

O transporte inadequado de resíduos também é punível. O transporte de resíduos perigosos é regulamentado pela ANTT 5232/2016.

Em fiscalizações se percebido a falta de documentos que comprovem a destinação adequada empresa também sofrerá punições. Na gestão de resíduos é fundamental conhecer quais os documentos importantes na coleta e destinação de resíduos.

Os principais documentos exigidos por lei são: Certificado de Destinação Final de Resíduos; CADRI; MTR – Manifesto de Transporte de Resíduos; Relatório CONAMA 313; entre outros.

Conheça as dicas para evitar multas ambientais

evitar multas ambientais

Listamos cinco dicas para a sua empresa evitar multas ambientais pela gestão de resíduos adequada. Confira!

1º: Faça a gestão dos fornecedores e mantenha os contratos em dia

Você como gerador de resíduos é responsável por dar a destinação final ambientalmente adequada a eles. Isso mesmo quando foi realizada a contratação de um fornecedor para fazer o processo.

A sua empresa neste caso é corresponsável pelo descarte indevido, tratamento incorreto ou transporte do material para tratamento offsite.

Portanto, para evitar multas ambientais provocados por uma má gestão de resíduos de seu fornecedor, certifique-se de que ele tenha o cadastro junto aos órgãos competentes, além do credenciamento em dia e contratos adequados às suas atividades.

2º: Certificado de destinação final - CDF

A destinação final ambientalmente adequada é um dos passos necessários para se evitar sérios impactos ambientais. O método adequado de comprovação da destinação de um resíduo é através do certificado de destinação final (CDF).

Exija sempre o CDF e confira a autenticidade do documento

3º Ateste o transporte adequado dos resíduos

Emita o documento que comprova o transporte adequado dos resíduos da empresa até o local de destinação final. O MTR é um documento obrigatório utilizado para controlar a movimentação dos resíduos de maneira legal e adequada e, também, serve para descrever detalhadamente seu tipo.

4º Fique em dia com o prazo dos certificados de licenciamento ambiental

Muitas empresas são multadas por negligenciar a validade de seus licenciamentos ambientais. Fique atento ao prazo dos licenciamentos ambientais.

5º Obtenha um sistema automatizado para sua gestão de resíduos

Sistemas automatizados de gestão de resíduos podem facilitar o envio das documentações ambientais, afastar multas ambientais, simplificar o trabalho da equipe ambiental, reduzir custos e economizar tempo. Além disso, posso manter todos os documentos exigidos legalmente atualizados e sincronizados com os órgãos ambientais.

biblioteca virtual

Saiba como a VG Resíduos facilita a gestão de resíduos

evitar multas ambientais

Pensando em uma maneira das empresas evitarem multas ambientais e facilitar a gestão de resíduos a VG Resíduos desenvolveu um sistema automatizado. O objetivo é otimizar e agilizar os processos que antes eram realizados de forma manual e passaram a ser automáticos, principalmente o envio e geração de documentos.

O software é uma solução prática e funcional que permite à sua empresa realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios.

As principais vantagens dos softwares são:

  • facilidade no uso;
  • agilidade;
  • facilidade para analisar dos dados;
  • manutenção de informações importantes e dados claros;
  • elaboração automática de documentos;
  • sistema integrado aos órgãos ambientais;
  • alerta de prazo de vencimento das licenças.

Sendo assim, através do gerenciamento de resíduos a empresa estará protegendo o meio ambiente e a saúde de todos, além de garantir o desenvolvimento econômico e social. Portanto, para evitar multas ambientais a empresa deve realizar uma gestão eficiente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

gerenciamento de resíduos

Compartilhe!