Greenwashing: entenda o que é e não pratique!

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

25/11/2021

Greenwashing

Greenwashing é um termo inglês que se refere a estratégias de propaganda enganosa feita por empresas, indústrias, organizações não governamentais (ONGs), ou governos. Organizações que praticam o greenwashing divulgam informações como se fossem engajadas na defesa do meio ambiente, todavia não praticam nenhuma ação que colabora com a minimização dos impactos ambientais. Na verdade, muitas vezes, fazem o contrário do que divulgam.

Algumas empresas já perceberam que o marketing sobre ações de proteção ambiental aumentam a credibilidade sobre a marca e, consequentemente, o lucro.

A estratégia do marketing verde vincula os produtos ou serviços a uma visão ecológica e socialmente consciente, quesitos exigidos hoje por muitos consumidores. Contudo, essas empresas não querem ou não percebem que implementar tais ações são necessárias e importantes para a sustentabilidade, preferem mentir e enganar seus clientes com um marketing falso.

Veja abaixo o que abordaremos neste artigo:

Pensando em como esclarecer sobre essas práticas enganosas e as desvantagens em praticá-las, nós da VGR - Gestão de Resíduos Online explicaremos sobre esse termo. Confira!

Gestão ambiental

Entenda o que é greenwashing!

Greenwashing

Greenwashing é um termo inglês que na tradução literal para o português significa “lavagem verde”, “pintando de verde” ou até “maquiagem verde”.

É um termo muito utilizado por empresas, indústrias, organizações não governamentais (ONGs), ou governos que querem criar uma falsa aparência de sustentabilidade, sem necessariamente aplicá-la na prática.

Ou seja, essas organizações, com intuito de aumentar o engajamento de sua marca e, consequentemente, aumentar o lucro mentem sobre suas práticas ambientais. Em muitas delas não são tomadas medidas efetivas de minimização dos problemas ambientais.

Essas organizações, através de rótulos, certificados ou propagandas utilizam termos que induzem o consumidor a acreditar que ao adquirir um produto ou serviço está contribuindo para a sustentabilidade ambiental. Mas na verdade essa empresa não adota nenhuma prática sustentável em seus processos. Ou aquele determinado produto não trás nenhuma proteção ambiental, pelo contrário, gera sérios impactos negativos ao meio ambiente.

Essa má prática de marketing sustentável surgiu juntamente com o aumento de consumidores preocupados com o meio ambiente. Os que só compram de empresas sustentáveis.

Para conquistar esse mercado consumidor e de grande expressão na economia diversas organizações passaram a utilizar uma comunicação com apelo ecológico em seus rótulos, propagandas, etc..

Como identificar a prática greenwashing?

Greenwashing

Para ser considerado um greenwashing a empresa deve:

  • utilizar informações falsas que dão a entender que praticam ações sustentáveis;
  • ocultar características nocivas de seus produtos e/ou serviços;
  • expor referências de quantidades que não são verdadeiras;
  • utilizar dados incorretos, ambíguos, contraditórios e que não possuam referência ou prova de sua veracidade;
  • usar selos ou certificados ambientais falsos.

Algumas atitudes simples podem ajudar a identificar uma propaganda enganosa do greenwashing.

Os sete sinais do Greenwashing foram definidos pela agência canadense TerraChoice. São eles:

  • sem provas: são apelos ambientais no qual não pode ser comprovado por informações facilmente acessíveis ou por uma certificação de terceiros confiável. Exemplos comuns são empresas que dizem utilizar recicláveis na composição de seus produtos ou reciclam suas embalagens sem fornecimento de evidências;

  • troca oculta: empresas que fazem apelo de que um produto é ecológico porque trocou algo nocivo de sua composição, mas que não levam em consideração os impactos negativos de produção;

  • vagueza e imprecisão: é quando utilizam expressões vagas e mal definidas sem fornecer qualquer detalhe ou explicação de atitudes ambientalmente concretas referentes ao produto, deixando o consumidor em dúvida sobre seu real significado;

  • irrelevância: é um apelo verdadeiro, mas não ajuda os consumidores que procuram produtos ecológicos. É muito utilizado para referir que tal produto não possui uma determinada substância nociva, mas o uso dessas já é proibido por lei;

  • menor dos males: é um apelo verdadeiro, mas que diz que certo produto contém uma quantidade menor de um substância que gera diversos impactos ao meio ambiente. Contudo, mesmo contendo menos esse produto gera impacto negativo. É um apelo que serve para distrair o consumidor de um impacto bem maior. Acontece muito em embalagens de plástico que reduzem o seu peso, mas os impactos gerados são os mesmos;

  • lorota: apelo que a empresa reivindica que pratica ações sustentáveis, mas são reivindicações falsas;

  • adorando falsos rótulos: o uso de rótulos falsos.

Exemplos de greenwashing em alguns setores

Veja alguns exemplos de greenwashing:

  • fósforo para acender fogões: a embalagem informa ser “madeira 100% reflorestada”, mas não tem o selo de certificadora ambiental como o FSC ou Cerflor;
  • detergente lava-louças: rotulagem destaca conter tensoativo biodegradável, como se fosse um diferencial do ponto de vista ambiental. Foi observado que outras marcas possuem o mesmo ativo em sua composição, mas declaram isso sem chamar atenção;
  • esponja de aço: na embalagem é apontado como produto “100% ecológico”, porém, é degradável e, além disso, gera impactos ambientais durante a produção;
  • sacos de lixo: na embalagem o fabricante declara ser feito de material reciclado, mas não informam a porcentagem relativa à quantidade de material reciclado na composição.

Como evitar o greenwashing?

Greenwashing

Para evitar o greenwashing nas suas ações e campanhas de marketing evite palavras ou termos difíceis de entender ou que induzam o consumidor ao erro. Como exemplo “esverdeamento” ou “amigo do verde”.

Ao utilizar imagens ou ícones evite as que levam o consumidor à confusão. Iludindo-o a pensar que aquela imagem sugere uma prática ambiental que não é praticada. Um exemplo, símbolos de reutilização e reciclagem.

Alguns produtos devem ter em seus rótulos informações obrigatórias por lei, então, evite divulgar essas informações como se fosse uma ação que diferencia a sua empresa dos concorrentes.

Algumas empresas ao fazerem marketing de seus produtos divulgam fatos e dados para reafirmar suas práticas. E muitas vezes compraram os dados com os seus concorrentes, porém não conseguem comprovar essas informações. Cuidado! É muito importante conseguir comprovar o que foi dito.

Há também aquelas que divulgam dados que necessitam de comprovação científica e não conseguem comprovar as análises feitas. Não divulgue informações falsas.

Busque implementar na sua empresa sistema de gestão ambiental e selos verde, tais como: FSC, IBD, PROCEL, Ecocert ou ISO 14001.

Como Gestão ambiental e Gestão dos Resíduos interferem e contribuem para causar um efeito contrário?

A gestão ambiental e de resíduos demonstram ser uma aliada das organizações para evitar greenwashing, pois além de eliminarem os impactos negativos que os resíduos causam principalmente os associados à destinação final, contribui no desenvolvimento de processos ecoeficientes. Haja vista, que através da gestão serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão de resíduos deve garantir o máximo de reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos. Práticas essas que reduzem o consumo de recursos naturais. Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Como a VGR pode auxiliar a evitar o greenwashing?

Greenwashing

Como dito nos tópicos anteriores, para ser considerado um greenwashing a empresa utiliza informações falsas, oculta características nocivas de seus resíduos e expõe quantidades não verdadeiras, não conseguem provar a veracidade de seus dados e usam selos e certificados falsos.

Contudo, ao adotar o software de gestão da VGR a sua empresa terá todo o controle sobre os processos de gerenciamento de resíduos evitando o greenwashing.

Com o software a empresa terá o controle da informação documentada, que é um ponto crucial para manter a gestão ativa e funcionando corretamente, além de gerar informações corretas.

É por meio desse controle que informações sobre a geração de resíduos das empresas são registradas e mantidas seguras, assim é possível provar a veracidade de suas informações.

As empresas têm aderido ao VGR como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

Assim sendo, conclui-se que o greenwashing é uma prática enganosa feita por organizações que divulgam informações sobre defesa do meio ambiente. Mas na realidade essas empresas não praticam nenhuma ação que colabora com a minimização dos impactos ambientais. As empresas devem evitar o greenwashing e procurar praticar processos sustentáveis.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

ebook guia para otimizar a gestao de residuos minimizar custos e lucrar

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5