×

6 truques para implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

Como implementar a gestão de resíduos do seu restaurante com eficiência e rapidez? Essa é uma dúvida recorrente, uma vez que a necessidade pela adoção de práticas sustentáveis chegou às empresas pequenas.  Além disso, os resíduos são bastante específicos e costumam diferir daqueles produzidos pelas demais organizações.

Portanto, fique atento a essas importantes dicas sobre a gestão de resíduos no seu restaurante!

Gestão de Resíduos: como controlar toda documentação da sua empresa?

Por que implementar a gestão de resíduos no seu restaurante?

Implementar a gestão de resíduos é importante porque racionaliza o descarte dos materiais e torna a organização mais sustentável. É preciso lembrar que os resíduos orgânicos são os grandes responsáveis pelo acúmulo de ratos e pelo mau cheiro nas vias urbanas.

A gestão de resíduos também pode acabar fazendo com que o restaurante evite custos desnecessários com o descarte.

Para ajudar nossos leitores proprietários de restaurantes, listaremos abaixo 6 truques que podem ser usados para se implementar a gestão de resíduos.

1 – Não misture o lixo

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

O grande vilão da gestão de resíduos é o lixo misturado. O que antes era papel, metal, plástico, material orgânico, etc. quando é misturado vira apenas “lixo”.

É muito difícil tratar resíduos mistos, ou seja, os que se encontram misturados com outros materiais. Isso porque as técnicas de tratamento variam de resíduo para resíduo, o que impossibilita o tratamento de grandes volumes mistos.

Para evitar que o lixo seja misturado, instale pontos de coleta seletiva no máximo de locais possíveis dentro do restaurante. O resíduo orgânico que volta dos pratos deve ser lançado separadamente das latas, vidros, papéis, etc.

Se todos os resíduos estiverem segregados, haverá uma chance muito maior de se localizar tratadores dispostos a coletar e agregar valor ao material.

2 – Consiga tratadores que agreguem valor aos resíduos

Por falar em tratadores, eles são indispensáveis à implementação da gestão de resíduos do seu restaurante. Não há que se falar em gestão de resíduos, sem a figura dos tratadores.

O ideal é que se consiga empresas que estão dispostas a pagar pelo resíduo, mas caso se consiga tratadores que coletem sem custo, isso já ajuda bastante.

O importante é que se obtenha empresas especializadas e legalmente habilitadas para coletar o resíduo regularmente. Para isso, ferramentas especializadas como o Mercado de Resíduos podem ajudar bastante.

O Mercado de Resíduos localiza tratadores próximos ao seu restaurante e seleciona o que oferecer a melhor condição para a coleta.

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

3 – Utilize ferramentas que automatizem a gestão de resíduos

Tão importante quanto obter bons tratadores é possuir um bom processo de gestão. Caso o restaurante tenha que fazer tudo manualmente, pode ser que vários registros passem batido, ou que se perca documentos, etc.

Hoje já existem ferramentas que fazem tudo sozinhas, um exemplo é o VG Resíduos.

O software trabalha online em sincronia com o Mercado de Resíduos e realiza todos os registros da geração de resíduos da empresa.

Ele pode ser programado para lançar ofertas diretamente no Mercado de Resíduos e cria todo o ambiente normativo para gestão de alto nível.

Hoje em dia já existe um grande desenvolvimento metodológico a respeito da gestão de resíduos.

Por isso, é melhor usar ferramentas que já implementam as boas práticas vigentes, do que tentar reinventar a roda. Ferramentas como o VG resíduos podem fazer todo o processo de gestão de resíduos do seu restaurante de forma instantânea.

4 – Verifique se toda a legislação ambiental está sendo seguida

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

Algo importante a ser verificado quando se pretende implementar a gestão de resíduos de qualquer empresa é a parte legal.

O Brasil é um país com alta complexidade nas leis ambientais e por isso, deve-se tomar cuidado com as práticas da empresa. Algumas práticas obrigatórias são bem conhecidas, como a proibição de se descartar lixo nas vias públicas e etc.

Contudo, existem normas que são desconhecidas de grande parte do empresariado e por isso é importante poder contar com profissionais experientes.

Uma maneira de se fazer isso é através de consultorias especializadas, outra maneira é através de ferramentas que já automatizam as boas práticas legais.

Empresas que usam sistemas como o VG Resíduos possuem maior regularidade legal porque as ações de gerenciamento e tratamento disponíveis no sistema já são legalmente validadas.

Este tipo de atribuição ajuda muito no dia a dia da empresa, já que ficar pesquisando leis não agrega valor econômico à firma.

5 – Utilize instrumentos de logística reversa

Outro ponto de extrema relevância para implementar a gestão de resíduos em seu restaurante é a utilização da logística reversa. A logística reversa é o processo de levar novamente à cadeia de valor, itens que chegaram ao fim de sua vida útil.

Assim, pode-se procurar realizar a compostagem com material orgânico, a reciclagem das latas, vidros, papéis, etc. bem como o correto direcionamento dos óleos e gorduras.

Há uma gama enorme de possibilidades de inserção de resíduos de restaurante da logística reversa.

Agindo desta forma, o restaurante poderá se valer de uma imagem positiva, além de conseguir auferir ganhos não operacionais. Ou seja, que não vem da venda de comida.

Descarte de lixo em restaurantes: como fazer da maneira correta?

6 – Ganhe dinheiro com a venda dos resíduos do restaurante

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

Por falar em ganho de dinheiro de forma não operacional, os resíduos de restaurante estão entrando na rota do comércio de lixo.

O crescimento das usinas de compostagem tem possibilitado o tratamento de orgânicos de uma forma nunca antes vista. De igual forma, pode-se ganhar um bom dinheiro vendendo latas, vidros, óleos, papéis, etc.

Para por este plano em prática é necessário recorrer a dica 1 informada neste artigo. Não misture o lixo.

Se tudo estiver separado, a probabilidade de se encontrar tratadores interessados em comprar o resíduo crescerá muito. Desta forma, além de sustentável, o restaurante será ainda mais lucrativo.

Quais resíduos de alimentos podem ser colocados na composteira?

Os benefícios de se praticar gestão de resíduos nos restaurantes

Esperamos que com estes truques, você consiga implementa a gestão de resíduos em seu restaurante.

As possibilidades de ganhos advindos do correto gerenciamento dos descartes são muitas, desde a valorização da imagem, até o aumento das receitas.

Neste sentido, empresas que utilizarem as melhores práticas e mantiverem o melhor relacionamento com tratadores, tenderão a desfrutar de vantagens no mercado.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como a Gestão de Resíduos Auxilia Sua Empresa a Afastar Passivos Ambientais?

implementar a gestão de resíduos do seu restaurante

Como montar um serviço de coleta de resíduos de construção e gerar renda?

 

coleta de resíduos de construção

 

Montar um serviço de coleta de resíduos de construção pode ser uma forma de gerar renda. A existência de empresas de coleta de resíduos da construção e o lucro obtido esta associado à demanda, ou seja, quanto maior a geração de resíduos, maior as possibilidades de ganho das empresas que realizam o serviço. No caso do mercado de resíduos da construção, a demanda só aumenta.

O setor de construção civil possui uma grande importância para o país, como umas das áreas que mais gera riqueza e postos de trabalho. Todavia, o setor não abrange apenas um cenário favorável. Ele é um dos principais geradoras de resíduos que causam impactos significativos quando não descartados de forma correta. O aumento da demanda para uma destinação ambientalmente correta fez com que o serviço de coleta de resíduos de construção se tornasse um modelo de negócio lucrativo.

O que determina o sucesso de uma empresa que presta serviço de coleta de resíduos de construção é ter um sistema eficiente. Fatores como procedimentos de triagem e tratamento dos resíduos é fundamental para aumentar a lucratividade da empresa e conquistar mais clientes. Mas como montar um sistema eficiente? É o que vamos tratar aqui, confira!

Empresa de coleta de resíduos da construção

coleta de resíduos de construção

Uma empresa que presta serviço de coleta de resíduos da construção é responsável por coletar os entulhos gerados em construções, demolições e reformas. O entulho é formado por um conjunto de fragmentos ou restos de tijolos, concreto, pedregulhos, areia, argamassa, e materiais inúteis resultantes da reforma e/ou demolição de estruturas, como prédios, residências e pontes.

Para gerar lucros, a empresa de coleta de resíduos de construção vende seus serviços às organizações que geram entulhos. O mercado de uma empresa de coleta de resíduos de construção civil é extenso. Dentre os potenciais clientes, podemos destacar:

  • órgãos públicos, governo, secretaria de habitação, prefeitura;
  • construtoras e demolidoras;
  • empresas: muitas empresas possuem departamentos de engenharia, para construir suas filiais, agências, estações operacionais, etc.;
  • escritório de arquitetura;
  • administradoras de imóveis e condomínios.

Além disso, este tipo de serviço permite que as organizações lucrem vendendo os resíduos coletados. Os entulhos da construção civil podem ser vendidos através de venda casada com as construtoras e escritório de arquitetura. Ou seja, o resíduo é coletado e em troca a empresa compra o reciclado. O resíduo também pode ser vendido para fabricantes de blocos.

Saiba qual a melhor solução para sobras de madeira da construção civil.

Como montar uma empresa de coleta?

coleta de resíduos de construção

O sucesso de um negócio é o planejamento para evitar riscos que impeçam obter o lucro desejado.

Para montar uma empresa de coleta de resíduos de construção o empreendedor deve ter um plano de negócio que serve como base para gerenciar a organização. Nesse plano será possível encontrar informações detalhadas do negócio, do produto que irá oferecer, futuros clientes, fornecedores, concorrentes. Além disso, devem ser definidos os objetivos que devem ser alcançados e como será alcançado o sucesso.

Confira dicas para montar uma empresa de coleta de resíduos de construção e como gerar renda:

Localização

A melhor escolha de localização para montar uma empresa de serviço de coleta de resíduos de construção é sempre a mais próxima da matéria prima, ou seja, dos entulhos.

Além disso, a empresa deve estar localizada próxima a um aterro de inertes, pois isso reduz significativamente o custo com a disposição final dos resíduos que não são aproveitados.

Vale ressaltar que, antes de decidir onde montar uma empresa de coleta de resíduos de construção o empresário deve verificar as regulamentações do município para abrir um negócio e observar os seguintes detalhes: verifique se o imóvel que será montado à empresa atende as suas necessidades operacionais quanto à localização, capacidade de instalação e característica da região.

Saiba 4 passos para localizar geradores de resíduos inertes.

Exigências legais

coleta de resíduos de construção

É necessário antes de abrir uma empresa de coleta de resíduos fazer uma consulta comercial junto à prefeitura onde será aberta a empresa. A consulta serve para verificar se é permitido montar uma empresa de coleta.

Além disso, antes de registrar o nome e marca da empresa o empresário deve verificar junto a Junta Comercial ou Cartório e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) se o nome pretendido já é utilizado.

Para montar a empresa também são necessários:

  • solicitação do CNPJ;
  • solicitação da inscrição estadual;
  • alvará de licença;
  • matricula no INSS;

Além do mais, é preciso consultar a legislação para verificar quais leis e normas devem ser seguidas para a atividade exercida.

Estrutura da empresa

Segundo o SEBRAE a estrutura necessária para montar uma empresa de serviço de coleta de resíduos de construção dependerá do porte do negócio. No entanto, basicamente a estrutura deverá conter:

  • local de entrada e saída de caminhões caçambas, com operação de lavagem de rodas dos caminhões, com caixa separadora de areia;
  • locais de armazenagem, de triagem e dos resíduos após triagem;
  • caminhão com caçamba para coleta.

É importante que todo transporte deve prever umectação, impermeabilização e enlonamento da carga. Esses cuidados irá evitar que durante a coleta o resíduo fica exposto causando transtornos.

Lucro obtido com a coleta

O lucro da coleta é estabelecido através dos contratos firmados. E varia em função do volume ou massa coletado.

Os contratos com os parceiros podem levar em consideração o volume ou massa coletada. Ou seja, o cliente só paga pelo volume e massa coletado.

Outro modelo de contrato é através de um valor pago mensalmente a empresa prestadora de serviços. Ou seja, independente do volume a coleta será realizada normalmente.

Como a VG Resíduos auxilia?

coleta de resíduos de construção

VG Resíduos por meio de uma plataforma online de compra e venda de resíduos oferece um serviço de qualidade. O Mercado de Resíduos trás soluções para empresas que lucram com a prestação de serviço de coleta de resíduos de construção.

coleta de resíduos de construção

Com o sistema que conta com módulos ideais para o seu segmento, todo o processo de venda e compra passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

As vantagens do software da VG Resíduos são: auxilia a empresa a cumprir a Política Nacional de Resíduos; facilita a gestão passivos de informações e evita perdas e falhas no processo; padroniza a comunicação com fornecedores e clientes; minimiza a possibilidade de prejuízos para a empresa; permite o controle completo de documentação e licenças; otimiza a elaboração de relatórios e inventários; auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento; sistematiza as informações em gráficos e dashboards para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Assim sendo, montar um serviço de coleta de resíduos de construção é muito lucrativo já que o tema sustentabilidade é o maior incentivador, juntamente com leis especificas sobre a destinação ambientalmente correta de resíduos. A conscientização e a preocupação com o destino de resíduos aumentam e, consequentemente, crescem as oportunidades para trabalhar nesse ramo. O investimento depende da amplitude do negócio e do objetivo traçado, porém o lucro é considerável.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como os resíduos da construção civil podem alavancar seu negócio?

coleta de resíduos de construção

Descubra como pode ser fácil destinar os resíduos da sua empresa

fácil destinar os resíduos

Pode ser fácil destinar os resíduos de sua empresa, conhecendo cada tipo de resíduo gerado e as tecnologias disponíveis para seu tratamento. A legislação brasileira, por meio da lei 12.305/2010, deixa claro que ao descartar os resíduos os mesmos devem receber uma destinação final adequada. A destinação final ambientalmente correta é um dos passos necessários para alcançar o comprometimento sustentável.  

A empresa deve sempre buscar alternativas ambientalmente corretas, ou seja, modelos de destinação que proteja o meio ambiente e a saúde do homem. Sendo assim, descubra como sua empresa pode destinar fácil os resíduos.

Saiba as principais dúvidas e respostas sobre destinação de resíduos sólidos.

O que é destinação ambientalmente correta?

fácil destinar os resíduos

A Política Nacional de Resíduos, em seu artigo 3º, define a destinação de resíduos de forma ambientalmente correta da seguinte forma:

Destinação de resíduos que inclui a reutilização, reciclagem, compostagem, recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações. Estas deverão ser admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final. Para isso, deverá ser observando normas operacionais específicas para evitar danos ou riscos à saúde pública. Como também à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos”.

Assim sendo, os resíduos gerados na empresa podem ser enviados para reutilização, reciclagem, compostagem, recuperação, aproveitamento energético ou outras formas de destinação. O que definirá o modelo de destinação dependerá do tipo de resíduo.

A organização deve sempre seguir a ordem de prioridade na gestão de seus resíduos. A ordem a ser seguida sempre deve iniciar como a preocupação de evitar o máximo a geração. Não sendo possível não gerar, a empresa deve procurar formas de reduzir, reutilizar ou reciclar. Após, o restante dos resíduos devem ser tratados para minimizar os seus impactos ao sofrerem a disposição final ambientalmente adequada.

Saiba qual a forma mais indicada para destinação de resíduos inertes.

Como destinar fácil os resíduos?

fácil destinar os resíduos

Uma grande vantagem para uma empresa destinar fácil os resíduos é implantar um sistema de gestão de resíduos. A gestão de resíduos é uma questão estratégica e de obrigação legal que as empresas devem realizar. Com a gestão é possível criar metas para prevenção, redução, reciclagem, reutilização e destinação adequada. Além de melhorar seu controle da geração de resíduos.

Para facilitar o gerenciamento dentro das organizações, a Verde Ghaia Consultoria, criou o software VG RESÍDUOS. Esse software vislumbra as necessidades dos clientes que demandam de controle total de todos os processos de gerenciamento de resíduos. A principal funcionalidade do software é promover a gestão, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF, documentos em Word.

Com o software a organização realiza a gestão completa em uma única plataforma, totalmente online. Além disso, a organização tem a oportunidade de ganhar dinheiro com a compra e venda de resíduos.

Com o auxilio do software a empresa identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável. Identifica quais os tipos de resíduos gerados e assim determina qual o melhor modelo de destinação final ambientalmente adequada.

destinar fácil os resíduos

Modelos de destinação final ambientalmente correta

fácil destinar os resíduos

Conheça alguns modelos de destinação final ambientalmente correta:

Incineração – aproveitamento energético

A incineração consiste na queima do lixo ou resíduo em fornos desenvolvidos especificamente para essa finalidade. É um tipo de tratamento do resíduo que através da combustão gera energia térmica, que posteriormente pode ser transformada em energia elétrica.

Ao incinerar os resíduos é gerado vapor. Este vapor movimenta as pás ligadas a uma turbina. Os movimentos giratórios das turbinas altera o fluxo do campo magnético dentro do gerador e, com a alternância no fluxo do campo magnético, é produzida a energia elétrica que podem ser utilizadas pelas indústrias, residências e etc..

Não há geração de efluentes líquidos, pois as águas de lavagem são neutralizadas e novamente utilizadas. Os gases poluentes gerados são tratados no sistema de lavagem e de purificação de gases.

Os materiais resultantes da queima ainda podem ser reutilizados na produção de artesanato, cerâmica e até borracha.

A incineração é um método seguro e reduz significativamente o volume de lixo, mas a sua grande desvantagem é o seu alto custo. No entanto, o lucro com a venda de energia e do subproduto da queima é uma grande fonte de lucro para o negócio. Em longo prazo o investimento para aquisição dos fornos é pago.

Descubra como empreender ao transformar lixo ou resíduo em energia.

Compostagem

Existem várias possibilidades de destinação do resíduo orgânico, e a mais comum é através da compostagem.

Compostagem é descrito como um processo de decomposição biológica da matéria orgânica contida em resíduos orgânicos. Os microorganismos e animais invertebrados que em presença de umidade e oxigênio, se alimentam dessa matéria e propiciam que seus elementos químicos e nutrientes voltem a terra.

A decomposição do resíduo envolve processos físicos e químicos. Os processos físicos são realizados por invertebrados como ácaros, centopéias, besouros, minhocas, lesmas e caracóis.  Esses animais transformam os resíduos em pequenas partículas. O processo químico é realizado por bactérias, fungos e alguns protozoários que degradam os resíduos orgânicos em partículas menores, dióxido de carbono e água.

Conheça as seis dicas para sua empresa lucrar com a compostagem de resíduos.

Reciclagem

fácil destinar os resíduos

Reciclagem é um tipo de destinação onde o que não serve mais é reaproveitado, com mudanças em seus estados físico, físico-químico ou biológico. Desta forma é atribuído características para que se torne novamente matéria-prima ou produto.

Aplicando um conjunto de técnicas esses resíduos dão origem a um novo produto ou a uma nova matéria-prima com o objetivo de diminuir a produção de rejeitos e o seu acúmulo na natureza, reduzindo o impacto ambiental.

Esses conjuntos de técnicas vão desde a separação dos resíduos por material (plástico, papel, metal e vidro são alguns exemplos) até a sua transformação final em outro produto.

A reciclagem é uma das alternativas de destinação de resíduos mais vantajosos, uma vez que reduz o consumo de recursos naturais, poupa energia e água, diminui o volume de lixo e gera emprego a milhares de pessoas.

Assim sendo, para cumprir com as leis vigentes e aplicáveis aos resíduos, deve-se analisar e pesquisar o melhor método para destinar fácil os resíduos. O objetivo maior da destinação final ambientalmente correta é diminuir o impacto negativo no meio ambiente e para a saúde humana, além de, em alguns casos, gerar retorno financeiro.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como comprovar que você realiza a destinação correta do resíduo

destinar fácil os resíduos

O que é considerado entulho e como descartar corretamente?

Entulho

Entulho são os resíduos provenientes da construção civil ou de demolições. São formados por um conjunto de fragmentos ou restos de tijolo, concreto, argamassa, aço, madeira e etc..

A ABRECON (Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição) classifica os resíduos da construção civil como entulho de construção e entulho de demolição. O entulho de construção é formado por restos e fragmentos de materiais. Enquanto o de demolição é formado apenas por fragmentos.

A grande questão é o que fazer com o entulho produzido na construção civil ou demolição? Como reduzir a geração de entulho? Ou como realizar o descarte correto? Confira e descubra como dar a destinação ambientalmente do entulho!

Saiba como o entulho pode gerar novas oportunidades.

Entulho

Entulho

Entulho é comumente conhecido como caliça ou metralha. É formado por um conjunto de fragmentos ou restos de tijolos, concreto, pedregulhos, areia, argamassa, e materiais inúteis resultantes da reforma e/ou demolição de estruturas, como prédios, residências e pontes.

Tecnicamente, é resíduo de construção civil, demolição ou todo resíduo gerado no processo construtivo, de reforma, escavação ou demolição.

entulho

Esse resíduo tem sido muito reaproveitado para aterrar, nivelar depressão de terreno, vala e etc.. Porém, há outras formas de descarte correto, contribuindo assim para minimizar ou eliminar os impactos ambientais provocados pela incorreta destinação.

Contudo, há outras empresas que não se preocupam com esses impactos e quase sempre os restos vão parar em ruas ou terrenos. Ou então, simplesmente, depositam em caçambas sem garantia que o material será descartado de maneira ecologicamente correta.

No entulho são encontrados diversos materiais, muitos deles podem ser reciclados para a produção de agregados.

Leia mais: Entulho: Do Problema à Solução.

Classificação do entulho

Entulho

Os procedimentos necessários para gestão de resíduos da construção civil foram estabelecidos pela Resolução CONAMA nº 307/2002.

De acordo com a resolução existem quatro diferentes classes possíveis de classificação do entulho. São elas:

  • Classe A: resíduos recicláveis e passíveis de reutilização tais como: tijolos, blocos, telhas, placas de revestimento, argamassa e concreto;
  • Classe B: resíduos recicláveis formados por plásticos, papéis, metais, vidros e madeiras em geral, incluindo gesso;
  • Classe C: resíduos que não são passiveis de reciclagem ou recuperação por não possuir tecnologia desenvolvida para isso;
  • Classe D: resíduos perigosos, tais como: tintas, solventes, óleos, amianto, produtos de demolições, reformas e reparos em clínicas radiológicas, instalações industriais e outras.

Conheça sete dicas para evitar danos ambientais ao destinar resíduos inertes.

Uma oportunidade inexplorada

Entulho

Muito se fala em sustentabilidade e como devemos agir para alcançá-la. No entanto, não é só proteger a biodiversidade, mas também oferecer soluções práticas que atendam necessidades. E, reciclar ou reaproveitar o entulho são soluções práticas para reduzir a quantidade do resíduo enviado para aterros ou evitar o descarte incorreto.

Hoje, a Política Nacional de Resíduos Sólidos exige que as empresas reciclem ou crie soluções para reduzir ou não gerar entulho.

Dessa maneira, as empresas geradoras passam a ser responsáveis pela destinação final do entulho quando não há possibilidade de reuso ou reciclagem na própria obra. Sendo assim, são responsáveis por todos os resíduos que são retirados e manuseados. Em caso de deposição e descarte irregular, podem ser aplicadas multas.

O descarte incorreto de entulho além de gerar um problema ambiental e um desperdício de dinheiro. Algumas cidades do país utilizam o entulho para aterrar os resíduos domésticos nos aterros sanitários, um exemplo, a cidade de Belém. Economizando assim recursos públicos e contribuindo para solucionar o problema do descarte incorreto.

Outras reutilizam o entulho em obras, como: base para asfalto, para a manutenção de estradas rurais, piso que não empoça água, ou na construção de praças, parques e jardins. A economia que o entulho reutilizado gera é de até 80% mais baratas caso tivesse utilizando material novo na obra.

entulho

Descarte correto do entulho

Entulho

O entulho deve ser reciclado ou reutilizado. A reutilização e reciclagem de entulhos são consideradas uma pratica sustentável das empresas, pois além de diminuir o impacto ambiental e reduz custos.

As empresas geradoras de entulho devem implantar planos para gerenciamento de resíduos em suas obras, reduzir a geração e o desperdício de materiais. E ainda reutilizar, reciclar, e quando necessário, descartar os restos de forma adequada.

Para o descarte correto do entulho é necessário consultar a prefeitura e verificar quais são os locais adequados para recolhimento do resíduo. As prefeituras que são responsáveis por estabelecer áreas adequadas para o descarte de entulho.

Importante que a geradora certifique-se que a empresa contratada para recolher os entulhos é regularizada e que irá destinar os restos de materiais em locais adequados.

Algumas geradoras viram que instalarem usinas móveis no próprio canteiro de obra são interessantes financeiramente, pois não precisaram pagar pela disposição do entulho.

A VG Resíduos possui uma plataforma, o Mercado de Resíduos que conecta as geradoras, transportadoras e compradoras de entulho. Através do Mercado de Resíduos as empresas terão a chance de negociar os entulhos obtendo vantagens financeiras com a compra/venda de resíduo.

Esta plataforma trata-se de um ambiente virtual idealizado para oferecer comodidade, praticidade e segurança as empresas que buscam lucratividade, sem perder de vista o cumprimento das legislações ambientais.

Além do Mercado de Resíduos, a VG Resíduos possui um software para gestão de resíduos. Ferramenta ideal para empresas, pois todo o processo de gestão dos resíduos da construção civil passa a ser automatizado e on-line, viabilizando uma gestão completa, dinâmica e eficiente.

Assim sendo, as empresas deve ter a consciência que buscar pelo descarte correto do entulho não é uma despesa extra, mas sim uma forma de investimento. Isso pode ser comprovado com algumas vantagens que a reciclagem e reutilização de entulho trás as empresas, como: a simpatia dos clientes; melhor reputação no mercado; geração de receitas; e diminuição da poluição.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: O que fazer com os entulhos gerados na construção civil?

entulho

Sete dicas para montar um plano de gestão de resíduos industriais

gestão de resíduos industriais

Com o aumento do consumo de produtos e do ritmo de fabricação industrial muitas empresas têm se preocupado com a gestão de resíduos industriais. Há um acúmulo de resíduos industriais, que muitas vezes são despejados no meio ambiente colocando em risco a saúde humana e a conservação da natureza.

Diante disso, as indústrias precisam ser ambientalmente responsáveis, adotando medidas para evitar os impactos ao homem e ao meio ambiente. Uma das formas de se alinhar a favor da saúde humana e da natureza é adotar um plano de gestão de resíduos.

Implantar esse plano demonstra que a indústria está empenhada em eliminar os impactos negativos dos resíduos. A seguir, você entende como montar um plano de gestão de resíduos industriais. Por meio de sete dicas, informa-se como esse plano colabora para que a organização atenue os problemas ambientais e seja ecologicamente responsável.

gestão de resíduos industriais

Dica 1: Faça um estudo dos resíduos gerados

gestão de resíduos industriais

Tudo começa com um diagnóstico dos resíduos industriais gerados. Para elaborar o Plano de Gestão de Resíduos Industriais, PGRI, é necessário que a organização faça um amplo estudo sobre os resíduos que gera

Por meio desse estudo é possível identificar os pontos fortes e o mais deficientes. O diagnóstico também apontará onde são necessárias as implantações de melhorias no gerenciamento de resíduos industriais.

Para realização de um diagnóstico representativo, a empresa deverá levantar dados em relação a:

  • quantidade de resíduo industrial gerado;
  • principais processos geradores;
  • transporte adequado para esses resíduos conforme ANTT 5232;
  • área de transbordo em caso de derrame;
  • disposição dos resíduos;
  • gastos e investimentos;
  • mão de obra envolvida;
  • equipamentos necessários.

Dica 2: Defina metas e ações

Feito o diagnóstico inicial, a empresa deve estabelecer quais serão as suas metas e ações na gestão de resíduos industriais.

É importante que o plano preveja as prioridades no gerenciamento de resíduos, conforme determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). Na rotina industrial, deve haver um trabalho que siga a seguinte ordem de prioridades em relação aos resíduos:

  • não geração;
  • redução;
  • reutilização;
  • reciclagem;
  • tratamento;
  • disposição adequada

Dica 3: Classifique e caracterize os resíduos

gestão de resíduos industriais

É importante, também, fazer uma classificação e caracterização dos resíduos. Essa definição é essencial para o sucesso do Plano de Gestão de Resíduos. Quanto à classificação, no Brasil ela é determinada pela NBR 10.004/04 da ABNT. Por meio dela, sabem-se os riscos potenciais para o meio ambiente e a saúde pública que os resíduos podem causar.

Pela NBR 1004/04 os resíduos são classificados como:

  • Resíduos Classe I – Perigosos:  apresentam periculosidade e características como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade;
  • Resíduos Classe II A Não Inertesnão se enquadram nas classificações de resíduos classe I – Perigosos ou de resíduos classe II B – Inertes. Podem ter propriedades como: biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água;
  • Resíduos Classe II B – Inertes: não se decompõem e não sofrem alteração da sua composição com o passar o tempo. Em contato com solo ou água não são poluentes, já que não liberam substâncias nocivas.

Já em relação à caracterização, os resíduos devem ser diagnosticados quanto:

  • origem: indica o estado físico no qual o resíduo se encontra; o seu aspecto; cor; se possui odor; e o grau de heterogeneidade;
  • estado físico: revela em qual processo originou-se; de qual atividade industrial pertence; e qual o seu principal constituinte;
  • melhor destinação: se deve ser enviado para aterro ou pode ser recuperado por empresas tratadoras.  

Dica 4: Estabeleça critérios de avaliação

Além de metas, caracterização e classificação dos resíduos, é necessário que se estabeleçam critérios de avaliação. Definir indicadores é importante para se mensurar o desempenho do plano.

Para cada objetivo traçado deve existir no mínimo um indicar de avaliação.

Dica 5: Envolva todos os profissionais da organização

gestão de resíduos industriais

O sucesso do Plano de Gestão de Resíduos vai depender muito do comprometimento de todos os colaboradores da organização. É necessário que todos se envolvam e deem sua parcela de contribuição para que a indústria alcance o status de uma organização ecologicamente responsável.

Deve haver uma mudança cultural nas empresas em relação ao manejo de seus resíduos. Todos devem estar empenhados para que as metas do plano sejam alcançadas e a indústria passe a ter uma rotina de estratégias sustentáveis.

Somente com a adesão de todos os colaboradores, o plano vai ter um resultado efetivo e a indústria e alcançará a imagem de ecologicamente correta.

Dica 6: Siga as leis ambientais

Durante todo o processo de elaboração do Plano de gestão de resíduos, as indústrias devem seguir a legislação ambiental.

As empresas que geram resíduos, mas descumprem leis ambientais podem ser seriamente prejudicadas. É inadmissível que as organizações descartem os resíduos de forma negligente. As organizações podem ser multadas, sofrerem embargos e perderem credibilidade no mercado.  

Dica 7: Conte com o Mercado de Resíduos

gestão de resíduos industriais

Uma última dica é aderir ao Mercado de Resíduos. Trata-se de uma plataforma eletrônica que facilita a venda e a compra de resíduos. Depois de montado o Plano de gerenciamento, o software possibilita que as indústrias possam comercializar seus resíduos, mas também contratar fornecedores para transporte e tratamento.

Por meio digital, as indústrias geradoras e as empresas tratadoras podem realizar parcerias. Basta que as geradoras se cadastrem na plataforma e informem qual resíduo produzem. Da mesma forma, tratadoras cadastradas têm acesso aos materiais das geradoras, podendo se interessar pelas sobras.  De maneira totalmente automatizada, a plataforma coloca gerador e tratador em contato, selecionando as melhores propostas para cada negócio.

Como se vê, é possível implantar um plano de gestão de resíduos industriais e diminuir os impactos negativos que as sobras podem causar à natureza e à saúde humana. Seguindo alguns protocolos, a organização pode mudar de status e se tornar uma empresa ecologicamente responsável.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Saiba quais os impactos ambientais de uma má gestão de resíduos.

 

Como descartar lixo eletrônico para evitar impactos ambientais?

lixo eletrônico

O lixo eletrônico, também chamado de e-lixo, tem potencial de transformação e pode até ser lucrativo para as empresas geradoras. Resíduos de aparelhos eletroeletrônicos como televisores, tablets, notebooks e smartphones, quando manejados corretamente, ganham vida nova. Isso pode significar faturamento para as geradoras e menos degradação ambiental.

Por outro lado, quando descartado de qualquer maneira, o lixo eletrônico pode ser extremamente prejudicial à saúde pública e ao meio ambiente. As geradoras precisam ter uma postura responsável em relação a esses materiais, já que eles podem conter metais pesados. Entre as substâncias que podem ser danosas estão, por exemplo, chumbo, arsênio, mercúrio, cobre, cádmio, zinco, entre outros.

A seguir, você se informa como é formado o lixo eletrônico, como destinar corretamente esse material e as leis ambientais para o manejo. Conhece, também, como as geradoras podem transformar e lucrar com o e-lixo. Acompanhe!

lixo eletrônico

Entenda por que se gera tanto e-lixo no Brasil

lixo eletrônico

A necessidade de gerenciar corretamente o lixo eletrônico é cada vez mais premente devido, entre outros fatores, ao excesso de material gerado. O grande volume de lixo eletrônico no Brasil é consequência da grande demanda pelos aparelhos eletrônicos.

Segundo esta reportagem, o volume de vendas de eletroeletrônicos representa cerca de 3,34% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. O comércio de aparelhos cresceu 14,6% no primeiro semestre deste ano. Em comparação ao mesmo período de 2017, houve um salto de 45,5 milhões de unidades vendidas para 52,1 milhões.

Isso faz o Brasil liderar a produção de e-lixo na América Latina.  Em estudo da Organização das Nações Unidas (ONU), o país gera, anualmente, 1,5 mil tonelada. É classificado como o sétimo maior produtor de lixo eletrônico do mundo, ficando atrás apenas de China, Estados Unidos, Japão, Índia, Alemanha e Reino Unido, respectivamente.

Poluição marinha: como a gestão de resíduos afasta tais impactos?

Conheça a composição do lixo eletrônico

lixo eletrônico

Todos os aparelhos que dependem do uso de corrente elétrica ou de campos eletromagnéticos são chamados de eletrônicos. Eles são classificados em quatro grupos:

  • linha branca: refrigeradores e congeladores, fogões, lavadoras de roupa e louça, secadoras, condicionadores de ar;
  • linha marrom: monitores e televisores de tubo, plasma, LCD e LED, aparelhos de DVD e VHS, equipamentos de áudio, filmadoras;
  • linha azul: batedeiras, liquidificadores, ferros elétricos, furadeiras, secadores de cabelo, espremedores de frutas, aspiradores de pó, cafeteiras;
  • linha verde: computadores desktop e laptops, acessórios de informática, tablets e telefones celulares.

Como afastar sanções aplicando a logística reversa de resíduos?

Os resíduos são formados quando esses aparelhos perdem seu tempo de vida útil ou se tornam ultrapassados. Entre a sucata eletrônica estão materiais como plásticos, vidro e alumínio. Podem estar presentes, também, metais pesados com risco de contaminação da natureza e de indivíduos.

lixo eletrônico

Recolha corretamente o lixo eletrônico

lixo eletrônico

Devido ao potencial tóxico, o lixo eletrônico não pode ser descartado diretamente no meio ambiente ou em aterros sanitários. A Política Nacional de Resíduos Sólidos é categórica quanto ao gerenciamento do e-lixo. Por meio da  Lei 13.576 a determinação é que os diversos setores envolvidos com a geração do lixo eletrônico adotem a logística reversa.

O método reverso se baseia no recolhimento dos produtos depois de usados pelo consumidor. Deve haver um esforço conjunto de empresas fabricantes, importadoras ou comercializadoras dos produtos para coletar esse material.  A implantação de Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) é fundamental para que o consumidor deposite o produto pós-uso.

O passo seguinte é o lixo eletrônico ser recolhido e ter seu manejo realizado corretamente.

Resíduos avícolas: saiba como destinar e lucrar com eles

Recicle o lixo eletrônico e lucre

Entre as opções mais acertadas para o manejo do lixo eletrônico está a reciclagem. A vantagem desse método é que ele dá vida nova aos resíduos, transformando-os em matéria-prima ou subproduto com valor comercial.

A transformação do e-lixo é fundamental para poupar o meio ambiente, evitando a contaminação de solos, mananciais e o surgimento de doenças. Com a reciclagem, menos recursos naturais vão ser explorados e menos resíduos são gerados.

Além disso, o que era sucata eletrônica vira renda para a geradora, com a implantação de tratamentos e comercialização dos novos materiais obtidos.

Entre a sucata eletrônica, existem materiais que podem ganhar vida nova e gerarem renda, como os abaixo:

  • plásticos: podem ser reciclados por processo mecânico, químico ou energético;
  • estanho e cobre: podem ser obtidos a partir de placas de circuito eletrônico microcomputadores, pelo processo de  lixiviação;
  • alumínio: o processo de reciclagem inclui retirada de impurezas, picotagem e fundição. O material é derretido e transformado em alumínio líquido, base para lingotes ou chapas de alumínio.

lixo eletrônico

Divulgue seus materiais no Mercado de Resíduos

lixo eletrônico

Para fazer a gestão correta do lixo eletrônico, os conhecimentos de uma consultoria podem ser decisivos. O grupo Verde Ghaia possui profissionais capazes de orientar sobre a legislação pertinente ao e-lixo, implantação de logística reversa e tratamentos da sucata eletrônica.

Depois de aplicadas as formas corretas de manejo do e-lixo é importante divulgar os materiais transformados. Um ambiente ideal para isso é o Mercado de Resíduos. Trata-se de uma plataforma da VG Resíduos onde geradoras e tratadoras negociam seus resíduos.

De forma simplificada, as geradoras se cadastram na plataforma e informam qual resíduo podem disponibilizar. Da mesma maneira, tratadoras cadastradas têm acesso aos materiais das geradoras, podendo se interessar pelas sobras.  Gerador e tratador entram em contato, firmando as melhores propostas para cada negócio.

O software cria uma rede de contatos entre quem produz resíduos, transforma-os, deseja comprar ou precisa transportá-los. Todas as empresas cadastradas na plataforma são orientadas quanto à legislação pertinente aos resíduos, evitando os passivos ambientais.

O banco de dados está acessível 24 horas por dia, facilitando as negociações entre compradores, vendedores e fornecedores.

Como se vê, o lixo eletrônico tem manejos ecologicamente corretos e que podem evitar a degradação ambiental. O e-lixo tem potencial de transformação, começando pelo recolhimento via logística reversa. Com a implantação de tratamentos, resíduos eletrônicos podem ganhar vida e serem lucrativos para as empresas geradoras.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog:  Seis vantagens na promoção do descarte sustentável.

lixo eletrônico

 

Poluição marinha: como a gestão de resíduos afasta tais impactos?

poluição marinha

Um dos grandes impasses ambientais da atualidade é conter a poluição marinha, formada principalmente por embalagens plásticas. A poluição afeta o ecossistema marinho e espécies como tartarugas e peixes, podendo gerar doenças prejudiciais também ao homem.

A poluição que chega aos mares está diretamente ligada à gestão de resíduos sólidos urbanos. Quanto menos estruturado for o gerenciamento dos resíduos produzidos, maior o risco de impactos ao ecossistema marinho. Um exemplo extremo do que os resíduos dos mares podem causar está no Oceano Pacífico. Entre a Califórnia e o Havaí, um grande depósito de lixo reúne 87 mil toneladas de plástico. Chamada de a Grande Ilha de Lixo do Pacífico, um dos problemas é que os plásticos se desintegram em partículas minúsculas, muitas delas sendo ingeridas por peixes.

A seguir, você entende por que é essencial conter essa poluição marinha e como a gestão de resíduos pode preservar a qualidade das águas. Informa-se sobre a necessidade de poupar o ecossistema marinho, o maior e mais importante da terra. Acompanhe!

poluição marinha

Entenda por que conter a poluição marinha é essencial

poluição marinha

A poluição dos mares e oceanos tem gerado debates, nos quais especialistas discutem alternativas para atenuar o problema. O mar é o maior e mais importante ecossistema do planeta.

Segundo o Instituto Oceonográfico da USP, o ecossistema marinho é fundamental para o equilíbrio da vida na terra. Conter sua poluição é essencial, já que os oceanos:

  • regulam a circulação atmosférica;
  • distribuem umidade;
  • controlam as temperaturas;
  • são maiores produtores de oxigênio da Terra;
  • amenizam o efeito estufa, retirando carbono e metano da atmosfera;
  • reúnem um imenso patrimônio de biodiversidade.

Saiba quais resíduos formam a poluição marinha

poluição marinha

De acordo com este vídeo do Ministério do Meio Ambiente (MMA), o lixo marinho é todo resíduo sólido processado, utilizado e descartado pelo homem no mar. Na parte emersa, 90% dos resíduos são os plásticos. Já para o fundo do mar vão os resíduos compostos principalmente por metais, vidros e materiais mais densos.

Estima-se que 80% do lixo marinho seja de origem terrestre, vindo de indústrias, comércios, residências e hospitais, entre outros estabelecimentos. O restante pode ser formado no próprio ambiente marinho, originário de embarcações, plataformas de extração de óleo e gás, entre outros.

O que agrava a poluição marinha é o excesso de resíduos gerados em função do elevado consumo nos centros urbanos. Em todo o mundo, 1 milhão de garrafas de plástico são compradas a cada minuto. Todos os anos são usadas até 500 bilhões de sacolas plásticas descartáveis.

incineração de resíduos

Conheça os problemas decorrentes da poluição marinha

poluição marinha

Quando não há um gerenciamento correto dos resíduos eles podem chegar até o mar, causando graves consequências. Entre os problemas estão:

  • desequilíbrio no ecossistema;
  • morte de animais por envenenamento;
  • morte de animais por asfixia ou ingestão de material sólido;
  • contaminação de animais que serão consumidos pelo homem;
  • inutilização das águas para banho;
  • degradação de corais e mangues;
  • alteração de habitats naturais;
  • surgimento de espécies marinhas exóticas.

poluição marinha

Veja soluções para conter a poluição marinha

poluição marinha

Um ponto crucial para conter a poluição marinha é evitar que os resíduos gerados sejam despejados no ambiente sem tratamento e acabem alcançando o mar. A Política Nacional de Resíduos Sólidos determina que os grandes geradores de resíduos, como as indústrias, gerenciem corretamente suas sobras. Uma das diretrizes é a adoção de soluções como a logística reversa, o que evita que as sobras cheguem aos mares.

No processo de logística reversa, os materiais, pós-venda ou pós-consumo, voltam para o ciclo de negócios ou ciclo produtivo. Isso acontece quando a mercadoria, pós-uso, vem do consumidor de volta ao fabricante. Com a instalação de pontos de coleta, os consumidores depositam os resíduos, depois de utilizarem os produtos.

Uma dos grandes benefícios da logística reversa é que os materiais coletados podem passar por processos de reciclagem. É um método que diminui custos com a compra de nova matéria-prima. Além disso, reduz o acúmulo de resíduos, que são reinseridos no ciclo produtivo, e a degradação do ambiente marinho que fica imune aos dejetos.

Em junho deste ano, o Ministério do Meio Ambiente lançou uma portaria criando uma comissão de elaboração do 1º Plano de Ação para Combate ao Lixo no Mar. Por meio da Portaria Nº 188, de 4 e junho de 2018,  o Plano será desenvolvido por gestores do MMA e da ONU Meio Ambiente. Participarão, também, representantes de outros órgãos federais, Ministério Público, universidades, organizações não governamentais e associações da sociedade civil.

Ao comentar sobre o Plano, o ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, ressaltou a importância do reaproveitamento dos resíduos: “É preciso incentivar a reciclagem e o reuso como forma de minimizar o volume de lixo descartado erradamente, boa parte composta por embalagens não recicláveis que acabam indo parar nos nossos rios e mares”.

poluição marinha

Mercado de Resíduos orienta geradores e tratadores

poluição marinha

Como se vê, a poluição dos mares não é problema de fácil solução, por isso a ajuda de uma consultoria pode ser eficaz tanto para geradores quanto tratadores de resíduos. Os profissionais do Grupo Verde Ghaia podem auxiliar como fazer o gerenciamento correto das sobras, adotando a logística reversa ou a reciclagem. Para as tratadoras, a consultoria pode orientar sobre os tratamentos capazes de evitar a poluição marinha.

Além disso, com a plataforma Mercado de Resíduos, tanto geradoras quanto tratadoras podem ficar imunes aos impactos ambientais causados aos mares. Trata-se de um software onde se pode comercializar todo tipo de resíduo. As geradoras podem disponibilizar os resíduos que produzem e as tratadoras comprar as sobras ou oferecerem tecnologias para recuperá-las. De forma totalmente automatizada, a plataforma seleciona as melhores ofertas, colocando gerador e tratador em contato.

Diminuir a poluição marinha é um dos grandes impasses ambientais de hoje. Porém, há soluções capazes de amenizar esse problema, principalmente quando os geradores manejam corretamente os resíduos. Isso evita que os dejetos cheguem ao mar e impactem negativamente o mais importante ecossistema do planeta

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Quais os riscos dos resíduos sem tratamento para o meio ambiente?

poluição marinha

 

Resíduos avícolas: saiba como destinar e lucrar com eles

resíduos avícolas

Os resíduos avícolas são passíveis de serem reaproveitados e comercializados, gerando lucro para granjas. A avicultura é um dos grandes expoentes do agronegócio brasileiro e até mesmo seus resíduos podem ser transformados e vendidos. As sobras geradas pela avicultura de corte, compostas da cama de aviário e de carcaças de animais mortos, têm potencial.

Uma das atividades mais importantes do agronegócio brasileiro, a avicultura se beneficia pela grande demanda do público consumidor. A carne de frango é a mais consumida no Brasil.  Outra vantagem do setor avícola é que o ciclo de criação de aves é rápido. No entanto, na mesma medida em que é aquecido, é um ramo que gera excessivo volume de resíduos. Por isso, as granjas precisam dar uma destinação correta aos resíduos, evitando os impactos ambientais.

A seguir, você se informa sobre as sobras geradas pela avicultura e como o setor deve manejá-las. Conhece as formas de reaproveitamento dos resíduos avícolas e como lucrar comercializando-os.  Acompanhe!

Quais técnicas de tratamento do lixo mais lucrativas no Brasil?

Conheça os resíduos gerados pela avicultura

resíduos avícolas

O setor avícola brasileiro tem números expressivos, já que a carne de frango é a preferida dos consumidores.  A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) realiza estudos sobre o setor regularmente. De acordo com esta estatística, o desempenho da produção de aves entre 2016 e 2017 foi:

  • 524.652 matrizes de corte alojadas [em 2016];
  • 13,1 milhões de toneladas produzidas [2º lugar mundial];
  • 4,32 milhões de toneladas exportadas [1º lugar mundial];
  • 1,7% de aumento na produção nacional [em relação a 2016];
  • 0,01% de queda na exportação [em relação a 2016];
  • consumo de 44,8 Kg de carne per capita.

Com alta produtividade, o setor também é responsável por grande quantidade de resíduos. Isso exige um manejo adequado para que as sobras das granjas não comprometam o meio ambiente e a saúde pública.

De acordo com a agência de informação tecnológica da EMBRAPA, os resíduos da avicultura de corte são compostos pela cama de aviário e as carcaças de animais mortos. Essa cama é constituída de:

  • excretas das aves;
  • material absorvente (que pode ser, maravalha, serragem, sabugo de milho triturado, capins e restos de culturas);
  • penas;
  • restos de alimento;
  • secreções.

O ideal, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, é que se diminua ao máximo a geração das sobras. Deve haver um esforço conjunto de vários setores – poder público, cidadãos e empresas – para a redução dos resíduos. No caso das granjas, a EMBRAPA destaca que, quanto mais eficiente for a produção, menores serão os índices de mortalidade. Consequentemente, haverá uma menor quantidade de resíduo referente às carcaças de animais mortos.

resíduos avícolas

Veja como resíduos da avicultura podem ser danosos

resíduos avícolas

A destinação correta das sobras das granjas é essencial para a proteção do meio ambiente e da saúde pública. Um dos grandes problemas de não se tratar os resíduos é que as sobras animais são altamente putrescíveis.  Segundo a Associação Brasileira de Reciclagem Animal (ABRA), a decomposição de somente uma carcaça animal pode liberar, por exemplo, toneladas de gás carbônico.

De acordo com este estudo, os resíduos de origem animal que apodrecem sem tratamento sofrem as seguintes consequências:

  • destruição das substâncias colágenas;
  • destruição das proteínas;
  • destruição dos aminoácidos, com formação de amônia, gás sulfídrico, aminas e diaminas.

A geradora deve ficar atenta e seguir toda a legislação ambiental, com pena de colocar natureza e indivíduos em risco. As granjas precisam seguir normas sanitárias e elaborar um Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Saiba quais produtos vêm dos resíduos avícolas

resíduos avícolas

É essencial ser ecologicamente correto no manejo dos resíduos avícolas, seguindo as diretrizes da Política Nacional de Resíduos. A legislação recomenda que, além de gerar menos sobras, deve haver um esforço para o reaproveitamento das sobras. Investir nisso transforma resíduos em novos produtos, reduzindo a necessidade de fabricação e a extração de recursos naturais.

E existe potencial para reutilização e lucratividade com os resíduos das granjas. Segundo a EMBRAPA, a cama de aviário pode se transformar em fonte de nutrientes para plantas. Por meio da compostagem ou da biodigestão anaeróbica é possível obter composto orgânico e biofertilizante.

Sucata: 7 dicas para empreender e lucrar reciclando esse resíduo

As carcaças dos animais também podem ser tratadas e a técnica ideal também é a compostagem. No entanto, o uso dos substratos gerados nesses processos, alerta a EMBRAPA, só deve ser para adubação de florestas e jardins.

Pode-se, ainda, produzir farinha com a reciclagem dos resíduos avícolas. Com o cozimento dos resíduos originados no abate das aves, chega-se à farinha de víscera. É um produto triturado, em pó, semi desengordurado. Rico em minerais como fósforo e cálcio, a farinha é ingrediente para fabricação de ração para aves, suínos, peixes, crustáceos e pets.

resíduos avícolas

Mercado de Resíduos potencializa os negócios

resíduos avícolas

Para tratar de forma adequada os resíduos avícolas a ajuda de uma consultoria pode ser fundamental. O grupo Verde Ghaia possui profissionais especializados na gestão de resíduos. A equipe pode orientar sobre as melhores técnicas de tratamento de resíduos avícolas e como seguir rigorosamente as leis ambientais.

Além disso, o grupo mantém uma plataforma digital que aproxima geradores e fornecedores. O Mercado de Resíduos é um software por meio do qual geradores podem divulgar suas sobras ou os resíduos já tratados. A aproximação com os interessados em adquirir ou fornecer os resíduos é toda feita pela plataforma, de maneira prática e rápida.

Como se vê, a avicultura é um ramo importante do agronegócio brasileiro e suas sobras podem ser fonte de renda. Apesar de ser grande geradora de resíduos, as sobras das granjas podem ser reaproveitadas e vendidas. Os resíduos avícolas podem ser tratados, transformando-se em novos produtos. As granjas que seguem as diretrizes ambientais podem se tornar sustentáveis e lucrativas, com o reaproveitamento e a comercialização de seus resíduos.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Se quiser aprofundar mais sobre o assunto leia este outro artigo do blog: Como comprar e ampliar seu negócio ao negociar resíduos online?

resíduos avícolas

Descarte de lixo em restaurantes: como fazer da maneira correta?

descarte de lixo em restaurantes

O descarte de lixo em restaurantes é um assunto que vem sendo abordado, pois há dúvidas se esses resíduos podem ser destinados ou reaproveitados.

Muito do que vai às mesas não é consumido pelos clientes, ademais, na cozinha se produz restos orgânicos de alimentos, resíduos que frituras, latas, vidros, papéis sujos, enfim. Uma infinidade de resíduos que não podem ser destinados à reciclagem.

Nos próximos tópicos, vamos ensinar como deve ser feito o descarte de lixo em restaurantes da maneira correta, qual processo deve ser seguido e como tirar vantagem econômica desta atividade. Acompanhe!

negociação online de resíduos

Os desafios do descarte de lixo em restaurantes

descarte de lixo em restaurantes

As leis ambientais brasileiras dizem que os resíduos de relevância ambiental não podem ser descartados junto ao lixo comum. Isso significa que, os restaurantes precisam destinar os resíduos através de processos adequados, separando o que pode ser reciclado e o que deve ser levado aos aterros.

A fiscalização em geral, não cobra o descarte individualizado nos restaurantes pequenos, uma vez que seus resíduos em muitos dos casos, assemelham-se ao lixo doméstico. Geralmente, apenas restaurantes que produzem uma quantidade mais significativa de resíduos são fiscalizados quanto ao descarte adequado do lixo produzido.

As maiores dificuldades estão na separação, uma vez que, em meio ao lixo orgânico também há papéis, embalagens, vidros, óleos e etc. Após o lixo separado, o problema passa a ser a destinação, tendo em vista que cada tipo de material deve ser enviado a um meio de tratamento diferente. O ideal é que se tenha um parceiro que possa se encarregar de todo este trabalho.

Saiba mais: como ganhar dinheiro com a reciclagem de resíduos

Problemas decorrentes do descarte inadequado

descarte de lixo em restaurantes

O descarte inadequado do lixo, em primeiro lugar pode trazer um problema com as autoridades fiscais. Empresas que estejam descarregando materiais contaminantes junto às rede fluviais e pluviais podem acabar sofrendo com multas e outros tipos de sanções. Ademais, é necessário, em alguns casos, possuir o comprovante de destinação adequada do material.

O descarte de lixo orgânico nas ruas também traz problemas à comunidade local e até mesmo ao próprio estabelecimento, uma vez que ele atrai ratos, moscas, gera mal cheiro e etc.

A melhor maneira de lidar com este problema é a destinação através de empresas especializadas. Elas, muitas das vezes conseguem agregar valor aos materiais e reduzir os custos para ambos os lados.

A maneira correta de se realizar o descarte de lixo de restaurantes

Empresas de destinação especializadas podem melhorar muito os resultados da gestão ambiental de restaurantes. Elas podem se encarregar da instalação dos equipamentos e acessórios de segregação do material, bem como da coleta e encaminhamento para o tratamento adequado. Caso o próprio restaurante queira fazer este trabalho, os custos podem acabar não compensando.

Os materiais de relevância ambiental, especialmente os óleos e gorduras, devem ser destinados com empresas especializadas neste tipo de coleta. Elas deixarão no estabelecimento, um comprovante de coleta que deverá ser apresentado à fiscalização quando esta visitar a empresa. Os demais materiais precisam ser alocados em sacos especiais e mantidos em uma área específica.

As leis sanitárias impedem que o lixo seja armazenado, ainda que temporariamente, junto aos locais de preparo dos alimentos. Então, o restaurante deve manter uma área específica para guardar os resíduos que estão aguardando a coleta.

Mercado de Resíduos: obtenha mais clientes e amplie o seu negócio agora!

Como obter melhores resultados 

descarte de lixo em restaurantes

O ideal é que os resíduos sejam controlados através de ferramentas que permitam o monitoramento da quantidade gerada, destinada e que confira o andamento legal de toda a operação.

O VG Resíduos possui todas estas funcionalidades e permite que a operação de resíduos seja feita de forma automática, controlando as gestões interna e externa destes materiais.

Saiba como a VG Resíduos pode ajudar na gestão de resíduos da sua empresa

A ferramenta do VG Resíduos também fornece toda documentação necessária à regularização da operação. Assim, cada material que é gerado e retirado da empresa passa pelo processo de registro e possui seus documentos legais e normativos emitidos.

Assim, muito além daquilo que é exigido pela legislação, o sistema provê para seus usuários, de forma a aumentar o nível de controle.

Os indicadores de geração, destinação, formas de tratamento, custo ou receitas auferidas e todas as outras variáveis necessárias à uma gestão de resíduos de alto nível, são fornecidos pelo software. O sistema também auxilia na localização de formas mais vantajosas de destinação dos resíduos.

negociação online de resíduos

Como ganhar dinheiro com lixo de restaurantes?

descarte de lixo em restaurantes

Boa parte do lixo produzido nos restaurantes é reciclável (latas, vidros, potes). Contudo, os papéis usados e restos de alimentos não podem ser reciclados, gerando custo para a destinação.

Pensando nisso, algumas empresas começaram a trabalhar com a compostagem ou biodigestão de resíduos orgânicos. Elas coletam os materiais nos restaurantes das áreas atendidas e os levam à centros com composteiras ou biodigestores, os quais neutralizarão a carga orgânica do lixo e o transformam em adubo orgânico e até em energia elétrica.

A melhor maneira de localizar as empresas de compostagem na região do restaurante é utilizando o Mercado de Resíduos. O sistema é online e permite que o lixo da empresa seja cadastrado, de forma que os tratadores possam dar lances sobre o quanto cobrariam ou até quanto pagariam para obter o material.

Em grande parte dos casos, as empresas de tratamento de lixo orgânico coletam o material sem custo algum, de maneira que o custo de destinação para o restaurante acaba sendo zero. O Mercado de Resíduos localiza os tratadores por região, de forma a viabilizar questões de frete e outros custos.

O descarte de lixo em restaurantes é um dos principais desafios da gestão sustentável de resíduos exigida por nossa época. O despejo destes materiais em locais impróprios acarreta na emissão de gás metano, além do mau cheiro e da criação de ambiente propício à animais indesejados. Destinar corretamente é parte do papel social que todas as empresas precisam cumprir.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Saiba as sete dicas para vender resíduos e lucrar no Mercado de Resíduos.

negociação online de resíduos

 

 

 

7 dicas importantes para tornar sua empresa sustentável

Um empreendedor pode tornar a sua empresa sustentável com a adoção de algumas práticas simples, como: reduzir o consumo, inovar e compartilhar ideias.

Nos últimos anos muito se tem falado sobre a sustentabilidade no mundo corporativo. Para alcançá-la é preciso que a organização adote atitudes e estratégias sustentáveis. Essas ações sustentáveis é que consegue garantir a manutenção das empresas e da própria natureza.

A principio o conceito de sustentabilidade pode parecer bastante complexo, porém tornar a empresa sustentável é muito menos complicado.  Confira agora 7 dicas importantes para tornar sua empresa sustentável!

negociação online de resíduos

O conceito de empresa sustentável

Para tornar a empresa sustentável muitas organizações incorporaram internamente práticas sociais e ambientais, visando atender as necessidades da sociedade, a valorização da imagem e da marca.

Classificar uma empresa como sustentável apenas com pequenos esforços nos escritórios ou linhas de produção, incentivando os funcionários a terem suas pró­prias canecas ou fazer uma ampla campanha de gestão de resíduos deixou de ser um diferencial e passou a serem prerrogativas básicas.

Uma empresa sustentável é motivo de orgulho para clientes e para os próprios colaboradores.

O conceito de empresa sustentável está baseado em três pilares: econômico, ambiental e social. Esse termo é definido como sendo um conjunto de ações adotadas pelas empresas com o objetivo de atuar de maneira consciente e com atitudes éticas. O que ela mais visa é o respeito ao ambiente e à sociedade em que está inserida.

Saiba como a Indústria 4.0 pode impactar na gestão de resíduos da sua empresa.

Como implementar processos sustentáveis na organização?

Existem diferentes maneiras de uma empresa implementar processos sustentáveis. As ações vão desde a utilização de coleta seletiva até a instalação de máquinas e equipamentos mais econômicos e com menor nível de emissões.

A organização, também, pode optar pela implantação da ISO 14001, que define os padrões para o sistema de gestão ambiental das organizações. A ISO 14001 ajudará a tornar a empresa sustentável ao redesenhar seus processos com base nos principais padrões de sustentabilidade.

Outro ponto de atenção é utilizar tecnologias modernas que permitam o reaproveitamento e destinação correta dos resíduos. A gestão eficiente dos resíduos é fundamental para se tornar uma empresa sustentável

Neste aspecto, o VG Resíduos pode ajudar muito a empresa. Com a VG Resíduos a empresa mapeia 100% dos resíduos gerados, realiza gestão integrada das unidades, aplica metas de redução, monitora e destina adequadamente os resíduos.

Mercado de Resíduos: obtenha mais clientes e amplie o seu negócio agora!

Saiba as 7 dicas para tornar a empresa sustentável:

1. Crie processos com transparência

Umas das preocupações da empresa sustentável é o impacto social que suas atividades causam. Por isso, é fundamental que essa empresa mantenha seus processos transparentes para o publico. O que isso significa? Que a empresa mostrara aos envolvidos os resultados de seus processos e como são realizados e monitorados.

Quando as pessoas sabem o que acontece dentro da organização elas passam a ter mais empatia, confiança e entendimento sobre os valores e a missão da empresa.

Adotar essa prática acaba aumentando consideravelmente as taxas de fidelização de clientes em longo prazo.

negociação online de resíduos

Exemplo de transparência são os relatórios de sustentabilidade que muitas organizações disponibilizam para o publico. Nestes relatórios são informados pontos importantes, como a gestão de resíduos da empresa.

Saiba como VG Resíduos pode ajudar na gestão de resíduos da sua empresa.

2. Evite muito papel adotando a documentação eletrônica

Na gestão de resíduos são exigidos pelos órgãos ambientais várias licenças e documentos que comprovam a destinação correta dos resíduos. Consequentemente, são gerados vários papéis com as informações pertinentes.

Saiba como a VG Resíduos pode ajudar na gestão de resíduos da sua empresa

O grande empecilho é o que fazer com esses papéis após o fim de sua legalidade. Se a organização quer se tornar uma empresa sustentável o primeiro passo é eliminar essa papelada.

Ao adotar um sistema online de controle de documentos, é possível, reduzir o consumo de papel, economizar espaço de arquivamento, aumentar a segurança de documentos importantes e confidenciais, agilizar a busca economizando tempo.

3. Verifique a infraestrutura da empresa

Verifique os desperdícios da empresa. Se a existência de vazamentos de água, instalações elétricas mal feitas e sistemas de ar-condicionado.

Além disso, podem ser empregadas atitudes simples, tais como: pintar as paredes de branco para refletir melhor a luz; trocar as lâmpadas fluorescentes por modelos de LED; instalar sensores de presença em locais com pouca circulação de pessoas; e fazer a manutenção ou a substituição de equipamentos. Essas atitudes podem significar uma economia de energia elétrica.

4. Gerencie os resíduos

Para se tornar uma empresa sustentável é essencial criar um gerenciamento de resíduos eficiente e efetivo.

A organização deve se preocupar em separar os resíduos, buscar parcerias com cooperativas de reciclagem locais e criar campanhas de redução do uso de descartáveis.

Saiba como implantar um projeto de coleta seletiva eficiente nas empresas.

5. Busque parceiros sustentáveis

Toda cadeia produtiva do negócio, desde a compra de insumos até a forma que o produto final e distribuído aos clientes deve ser considerado para definir a empresa como sustentável.

Por isso é importante buscar fornecedores que praticam a sustentabilidade em suas atividades.

6. Treine a equipe

Para a organização se tornar uma empresa sustentável é necessário que toda a equipe tenha conhecimento sobre práticas sustentáveis. Por isso, os colaboradores devem estar plenamente convencidos do valor e da efetividade das ações sustentáveis. Além disso, deve saber da relevância do retorno trazido para a empresa.

Por isso é importante investir em treinamento, principalmente para quem ocupa cargos estratégicos dentro da corporação.

7. Envolva a equipe

Para implantar ações sustentáveis dentro da empresa a equipe deve se sentir parte atuante na implementação.

Essa é uma oportunidade única de melhorar o relacionamento entre todos e promover educação e engajamento dos colaboradores.

Ao tornar uma empresa sustentável, os benéficos para a organização, para o meio ambiente e para a sociedade são imensuráveis. É importantíssimo desenvolver dentro da empresa, com a equipe, uma mentalidade corporativa voltada para as evoluções sociais e ambientais. Além do mais, Viabiliza a manutenção dos recursos naturais e assegura uma boa qualidade de vida para as futuras gerações.

Gostou desse assunto ou acha relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo em nosso blog: Saiba as sete dicas para vender resíduos e lucrar no Mercado de Resíduos.

negociação online de resíduos

 

 

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2018