Como a tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos?

A tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos, pois permitem a empresa acompanhar os resíduos desde o local de sua geração até a destinação final, a examinar o tratamento dado a eles sempre buscando meios de destinação limpa, além disso, facilita o monitoramento e o controle na geração.

Essas ferramentas são ótimas aliadas para aumentar a produtividade da organização e renovar as práticas sustentáveis em seus processos. Confira mais como a tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos!

Digitalizando a gestão de resíduos

tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos

A tecnologia e a inovação permitem a gestão eficiente de resíduos através do incentivo a uma destinação ambientalmente correta e, também, do monitoramento e controle na geração. Além disso, desenvolve meios de todas as informações sobre gestão de resíduos seja reunida em um ambiente de fácil acesso e seguro, tanto pela empresa quanto pelo poder publico, a fins de fiscalização.

Com o advento da tecnologia muitas empresas inovaram buscando meio de ter controle sobre a geração e destinação de seus resíduos. Além disso, buscam tecnologias para um tratamento limpo dos resíduos, ou outras que reduzam ou eliminem a sua geração.

Muitas organizações digitalizaram a gestão de resíduos com objetivo de ter uma ferramenta de controle e manutenção de um gerenciamento eficiente.

Uma da maneira de utilizar tecnologia e inovação na gestão de resíduos é através de plataformas tecnológicas. Essas plataformas permite reunir todas as informações de gestão de resíduos para o acesso da empresa ou poder publico. Além disso, incentivam meios de destinação limpos.

Investir em tecnologia na sua gestão de resíduos, principalmente na digitalização, otimiza todo processo, além de reduzir significativamente o desperdício e custos dentro da empresa. A tecnologia auxilia no controle total do gerenciamento, a gerar automaticamente os documentos e relatórios exigidos por lei, a encontrar o melhor preço para destinação, a realizar a gestão de seus fornecedores, entre outros benefícios.

Por que a tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos?

tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos

Na gestão de resíduos são gerados um número grande de informações que a empresa deve registrar e uma serie de etapas que devem ser seguidas. Por isso é importante aplicar a tecnologia para uma gestão assertiva.

A tecnologia na sua gestão de resíduos busca alternativas para otimizar o trabalho do gestor, evitar erros que podem prejudicar a organização financeiramente e ambientalmente e, ter controle sobre cada etapa. Uma vez que ao realizar a gestão de resíduos a empresa esta adotando um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Tais atividades envolvem uma relação entre aspectos administrativos, financeiros, legais e de planejamento.

Sendo assim, a utilização da tecnologia auxilia a organização a promover a gestão de resíduos e a garantir que esteja sendo seguida à legislação referente ao gerenciamento (Lei 12.05/2010).

Motivos para investir em tecnologia e inovação

tecnologia e a inovação melhoram a gestão de resíduos

Veja alguns motivos para investir em tecnologia e inovação para melhoria da sua gestão de resíduos.

Controle total da gestão de resíduos

Na gestão de resíduos é essencial ter controle total sobre todo o resíduo produzido dentro da empresa. Haja vista que somente assim serão tomadas decisões assertivas sobre a destinação ambientalmente correta de resíduos.

Contudo, pela grande quantidade de informações que é gerado o controle acaba ficando difícil. Imagine se esse controle fosse realizado manualmente? O risco de dados incertos ou perda de informações seria muito grande. Aumentando assim a chances de não ser compridos todos os requisitos legais.

Para facilitar esse controle surgiram no mercado softwares especializados em integrar essas informações, de forma que toda quantidade de resíduo gerado e em qual fonte geradora foram produzidos é armazenado, bem como o destino desses resíduos.

Essa tecnologia facilita a gestão de resíduos permitindo localizar e identificar cada resíduo gerado nos processos da organização. Permite o acesso ao histórico do material até seu destino final, fornecendo, de modo estruturado e organizado, informações detalhadas referentes à coleta, ao transporte, ao recebimento, ao tratamento e o descarte final.

Geração automática de documentos e relatórios

Para gestão de resíduos é exigido que as empresas disponibilizem aos órgãos ambientais uma serie de documentos e relatórios, tais como: CADRI, CDF, MTR, Inventário de Resíduos, entre outros.

Coma tecnologia é possível gerar automaticamente esses documentos e relatórios. Através dela todas as informações e registros de destinação do resíduo, bem como os dados dos transportadores e tratadores dos resíduos são sincronizados gerando os documentos necessários exigidos pelos órgãos ambientais que comprovam o gerenciamento correto dos resíduos.

O uso da tecnologia facilita na elaboração desses documentos e relatórios.

Facilidade para encontrar fornecedores qualificados

 Encontrar fornecedor qualificado para destinar resíduos é ponto importante na gestão de resíduos. É necessário que os fornecedores estejam alinhados com á estratégica da empresa, principalmente com a política voltada para preservação ambiental.

Utilizando a tecnologia, como paginas de pesquisa da internet ou plataformas especializadas em gestão de resíduos, a empresa encontra quem fornece o serviço que precisa. Sempre observando o menor preço e a qualidade na prestação do serviço.

A tecnologia trouxe um processo de contratação de fornecedores mais rápido acabando com a perda de tempo.

Sendo assim, percebe-se que a tecnologia e inovação melhoram a gestão de resíduos. A tecnologia evita que erros sejam cometidos, como não cumprimento de requisitos legais, a contratação de fornecedores não qualificados, a perda de informações pertinentes. Além disso, com ela o gestor ganha mais tempo e consegue encontrar alternativas mais lucrativas para a destinação do resíduo. A VG Resíduos possui toda a tecnologia necessária para uma gestão de resíduos eficiente. Contamos com um software de gestão que controla e gera documentos e relatórios automaticamente. Além disso, a plataforma de compra e venda de resíduos contribui para o crescimento econômico.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

 

 

Como um software online facilita preencher e emitir o inventário de resíduos?

Para preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos corretamente o software da VG Resíduos é a ferramenta ideal. Uma vez que a plataforma coleta automaticamente todas as informações e registros de destinação do resíduo, bem como os dados dos transportadores e tratadores dos resíduos gerando o documento já nos moldes exigidos pela legislação.

Ao elaborar o inventário de resíduos é necessário dispor informações corretas e concretas sobre a geração, características, armazenamento, transporte, tratamento, reutilização, reciclagem, recuperação e disposição final dos resíduos gerados no ano pela empresa. É somente através de um software é possível conseguir essas informações de forma segura.

Confira neste post como coletar as informações referentes à geração de resíduos de sua empresa e, como o software auxilia a preencher e emitir o inventário de resíduos corretamente!

Por que preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos?

preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos

O inventário de resíduos é uma obrigação definida na resolução CONAMA 313.  Nele encontramos a identificação da empresa seguida de informações sobre a geração, características, armazenamento, transporte, tratamento, reutilização, reciclagem, recuperação e disposição final dos resíduos gerados no ano.

O seu preenchimento e emissão é de fundamental importância, não só para a organização, mas também para o setor publico, uma vez que através dele o poder público terá conhecimento da real situação dos resíduos gerados em cada estado. Através dessas informações são elaboradas as diretrizes corretas para o controle e gerenciamento dos mesmos.

O inventário de resíduos auxilia as empresas no cumprimento da legislação e ainda na realização da gestão interna de seus resíduos, controle das entradas e saídas de material em um processo.

Com o inventário, as empresas conhecem as potencialidades e pontos fracos do processo produtivo, reduzem custos desnecessários de produção e aumentam a produtividade.

Traz a possibilidade de conhecer a quantidade e natureza dos resíduos gerados, bem como as tecnologias disponíveis. Permite o planejamento de estratégias, que possam efetivamente intervir nos processos de geração, transporte, tratamento e disposição final.

Como o software permite o envio de informações corretas?

preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos

As informações que devem estar contidas no inventário de resíduos são as solicitadas pela resolução CONAMA 313. São elas:

  • Informações gerais da empresa;
  • Razão social;
  • Endereço da unidade industrial;
  • Endereço para correspondência;
  • Característica da atividade industrial;
  • Responsável pela empresa;
  • Informações sobre o processo de produção desenvolvido pela empresa;
  • Lista de matérias primas e insumos utilizados;
  • Identificação da produção anual da empresa;
  • Apresentação da relação das etapas do processo industrial;
  • Descrição de todas as etapas do processo de produção;
  • Informações sobre resíduos sólidos gerados nos últimos doze meses;
  • Formas de armazenamento;
  • Formas de tratamento na empresa e fora dela;
  • Formas de armazenamento (fora ou dentro da empresa);
  • Forma de disposição final;
  • Informações sobre resíduos sólidos gerados nos anos anteriores.

Pelo software de gestão de resíduos essas informações são inseridas uma única vez, facilitando a empresa gerar automaticamente o inventário. As informações não se perdem e são incluídas por um único usuário, evitando assim que erros cometidos quando mais de uma pessoa preenche os dados.

O arquivamento digital é uma ótima solução para evitar que as informações pertinentes sobre a gestão de resíduos seja perdido devido aos percalços, como extravio do documento, manuseio ou mesmo acondicionamento inadequados.

Existe um modelo de inventário de resíduos?

preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos

Em alguns estados existe um modelo adequado e também uma forma correta de se preencher. Em geral, o relatório possui todos os registros de saída de resíduos, a forma como cada lote foi tratada, qual empresa fez o tratamento, bem como os números de registro e licença ambiental do tratador.

O preenchimento e emissão do inventário requer a compilação de um grande número de dados com dito no tópico anterior.

O software da VG Resíduos  permite a geração do inventário já nos moldes exigidos pela legislação e com toda a informação atualizada.

O gerador de relatórios do sistema é sincronizado ao banco de dados que possui todos os dados de geração de resíduos ao longo do ano, quem tratou, para onde foi, quanto custou e etc. O sistema possui capacidade para gerar relatórios até mais completos do que os que são exigidos pela legislação.

Vantagens de automatizar o inventário de resíduos

preencher e emitir o inventário de resíduos sólidos

Para automatizar o preenchimento e a emissão do inventário de resíduos, reduzir custo, manter os dados de destinação e evitar sanções pelo não cumprimento das legislações ambientais, as empresas devem  eliminar as planilhas na gestão de resíduos.

Os dados para emissão do inventário de resíduos podem ser mantidos em softwares de gestão. Desenvolvidos especialmente para simplificar todo o processo.

As principais vantagens dos softwares são:

  • facilidade no uso : nem todas as pessoas que estão envolvidas no processo de gestão de resíduos tem facilidade em manusear as planilhas em excel, pois possuem fórmulas complexas. Contudo os softwares são mais simplificados e tem vários tutoriais de uso;
  • agilidade: alimentar as informações referente aos resíduos gerados e destinados levam muito menos tempo. São mantidos históricos referentes aos resíduos gerados, facilitando a atualização de dados;
  • facilidade para analisar dos dados: a quantidade de informações que são alimentadas referente a destinação de resíduos são elevadas. Porém, o software da VG Resíduos permite uma coleta de dados simplificada evitando assim, o risco de interpretação equivocada;
  • manutenção de informações importantes: com os software de gestão de resíduos a o risco de se perder informações sobre os resíduos são eliminados;
  • manutenção de dados claros: caso a empresa receba alguma fiscalização, é necessário apresentar as informações solicitadas de forma ágil e clara. O software de gestão trazem os dados de forma clara e objetiva para a interpretação de um fiscal.

Assim sendo, conclui-se que os softwares de gestão são ferramentas ideias para que a empresa preencher e emitir o inventário de resíduos. Através dos softwares a informações necessárias para elaborar o inventário são coletados automaticamente.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

 

Gera muitos resíduos? Lei impõe responsabilidade sobre destinação e multa

Sua empresa gera muitos resíduos? Fique atento à nova lei que determina a responsabilidade sobre a destinação de seus resíduos. O estabelecimento que gera mais de 200 litros de resíduos por dia e não cumprir a lei ficará sujeito a multas.

Essa nova lei trata de uma exigência que atende preceitos da Política Nacional de Resíduos Sólido. Além disso, desonera o poder público de custos e ações inerentes aos empreendimentos privados, que geram resíduos em quantidade superior a determinado volume diário. Esses geradores ficam responsáveis pelo custeio total do tratamento e disposição final dos resíduos. Saiba mais sobre essa lei!

Sua empresa gera muitos resíduos? Conheça a Lei

Neste artigo abordaremos a Lei Nº 7.124 do município de Bauru, do estado de São Paulo. Essa lei foi promulgada em 10 de outubro de 2010. No entanto, somente após a publicação de decreto, em junho de 2019, que a lei começou a valer definitivamente.

Conforme a lei os estabelecimentos que geram muitos resíduos são responsáveis pelo gerenciamento adequado dos resíduos sólidos, arcando com todos os custos da gestão de resíduos.

Fica determinado que tanto os grandes geradores bem como os fornecedores contratados por eles para fazerem a destinação dos resíduos são responsáveis igualmente pelo tratamento e disposição final dos resíduos.

Além disso, os grandes geradores deverão separar os resíduos orgânicos dos recicláveis, dando a destinação adequada a ambos.

Para cumprimento da lei o gerador deve seguir as seguintes regras:

  • cadastrar-se junto ao órgão Municipal responsável pela gestão dos resíduos sólidos no município, dentro do prazo do regulamento, e informar o prestador de serviços responsável por cada uma das etapas do gerenciamento dos resíduos gerados. Neste caso, os prestadores podem ser tratadores, transportadores, ente outros;
  • elaborar e disponibilizar o plano de gerenciamento de resíduos sólidos, nos termos da PNRS (Lei Federal nº 12.305, de 02 de agosto de 2.010);
  • informar à natureza, o tipo, às características e o gerenciamento dos resíduos produzidos;
  • permitir o acesso de agentes do Poder Público às suas instalações para verificar o atendimento aos requisitos da lei;
  • promover a segregação na origem dos resíduos sólidos similares aos resíduos domiciliares;
  • cumprir as normas para acondicionamento de resíduos sólidos para coleta;
  • destinar os resíduos sólidos recicláveis às cooperativas legalmente instituídas no Município.

Quem deve cumprir a lei?

muitos resíduos

A nova lei estabelece que quem deve cumprir suas determinações são os geradores de muitos resíduos.

Conforme definição é considerada grande geradores os proprietários, possuidores ou titulares de estabelecimentos de prestação de serviços, comerciais, industriais, instituições e promotores de evento, entre outros, que geram mais de 200 litros diários de resíduos.

Os resíduos gerados por eles devem ser caracterizados como não perigosos e não inertes, que em razão de sua natureza, composição ou volume, não se equiparam aos resíduos sólidos domiciliares.

Além das empresas, estão incluso ao cumprimento da lei os eventos que gerarem mais de 200 litros de resíduos sólidos.

Fica isento da nova regra os condomínios residenciais, pois, produzem apenas resíduos domiciliar.

Fica atento ao tempo!

muitos resíduos

O prazo para que os grandes geradores de resíduos cadastrem junto ao município e assumam a responsabilidade sobre a gestão dos resíduos que produzem foi divida com o objetivo de amenizar o impacto da nova lei sobre s processos internos das organizações.

Para os geradores que destinam acima de 400 litros por dia o prazo venceu em 30 de novembro de 2019.

Já para os geradores de 300 a 399 litros de resíduo por dia, o prazo é até 5 de junho de 2020.

Para os geradores que descartam acima de 200 até 299 litros o prazo é até 30 de novembro de 2020.

Os geradores que descumprirem a lei estarão sujeitos à multa diária limitada a R$ 2.000,00 até que comprove que foram tomadas as devidas medidas para o seu cumprimento. Ou uma multa de até R$ 20.000,00 por infração. Além de embargo e suspensão de atividade.

Os valores das multas podem ser duplicados em caso de reincidência de infração.

Leis ambientais de outros estados

muitos resíduos

Desde 1994 no município de Maceió que surgiu a atribuição de fazer o gerenciamento, a coleta, o transporte e a disposição final de muitos resíduos pelos grandes geradores.

Abaixo listamos as leis ambientais sobre a responsabilidade da destinação de resíduos por grandes geradores:

Como ter auxílio para cumprir a lei?

muitos resíduos

Para cumprir a lei os grandes geradores devem conhecer a quantidade de resíduos gerados, bem como a característica e classificação do mesmo. Para isso é necessário ter uma gestão de resíduos eficiente e eficaz.

A plataforma de gestão de resíduos da VG Resíduos é a ferramenta ideal haja vista que melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos. Além disso, através do software o gerador consegue informações da quantidade de resíduos gerados diariamente.

Com o software é possível disponibilizar todas as informações pertinentes referentes à destinação de resíduos para os órgãos ambientais, como documentos e relatórios.

Através dele também é possível ter controle da informação documentada. É por meio desse controle que informações sobre a geração de resíduos e destinação são registradas e mantidas seguras. Manter tudo atualizado e acessível é importante uma vez que a organização deve comprovar o transporte e destinação final dos resíduos.

Outra vantagem do software é que através da gestão eficiente a organização identifica quais os resíduos gerados facilitando assim a tomada de decisão de qual meio de destinação é mais adequado e lucrativo para ela.

Sendo assim, a nova lei para quem gera muitos resíduos é destinada para quem gera mais de 200 litros por dia de resíduos. Essa lei trata de uma exigência que da Política Nacional de Resíduos Sólido. Através dela, o poder publico não fica mais responsável para destinação e pelos custos com o resíduo gerado por empreendimentos privados. Toda a responsabilidade pela destinação fica a cargo do gerados.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

 

 

 

Créditos de reciclagem: o que são e como lucrar com seus resíduos?

Os créditos de reciclagem são documentos que comprovam que certa massa de resíduo teve destinação final ambientalmente adequada. Se tornaram uma ferramenta para aplicar e comprovar a logística reversa.

O seu objetivo é diminuir o impacto ambiental provocado pelos resíduos, e também é uma estratégia de competição. Além disso, aumenta o lucro do negócio, uma vez que o mercado exige mais uma gestão baseada no desenvolvimento sustentável.

Saiba mais sobre créditos de reciclagem e como utilizá-los para obter mais sustentabilidade e economia!

O que são créditos de reciclagem?

Os créditos de reciclagem são documentos que comprovam que certa quantidade de resíduos teve destinação final ambientalmente adequada. Esses créditos são adquiridos pelas empresas após as mesmas fazerem a compensação ambiental de suas atividades através da reciclagem dos produtos pós-consumo, diminuindo o impacto ambiental dos mesmos.

Basicamente, créditos de reciclagem é um documento que comprova que a empresa realizou a reciclagem de resíduos recicláveis e implantou um sistema de logística reversa.

O sistema de logística reversa de resíduos é uma forma das empresas conseguirem o retorno de produtos para que possam ser destinados de forma segura ou reinseridos em novos ciclos produtivos, afastando assim os danos ambientais que esses resíduos possam causar.

Foi somente com a promulgação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que determina o manejo de resíduos, que as empresas foram obrigadas a serem responsáveis pela logística reversa. Ou seja, terem a responsabilidade compartilhada sobre o manejo e retorno de resíduos.

O objetivo é neutralizar o impacto ambiental. Geralmente este processo é feito a partir da coleta dos produtos inutilizáveis por parte da empresa que os produziu.

No Brasil, a prática da logística reversa ainda não e obrigatória para todas as empresas. Contudo, algumas organizações possuem a obrigatoriedade de implementar o sistema para seus produtos, principalmente os que causam significativo impacto ambiental.

A logística reversa deve ser cumprida para fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes. Para cumprir a lei, são feitos acordos setoriais entre eles e o poder público para implantar um sistema de logística reversa.

Os créditos de reciclagem foram criados para viabilizar a realização da logística reversa pelas empresas fabricantes de produtos embalados.

Como obter de créditos através da logística reversa?

A obtenção de créditos de reciclagem através da logística reversa funciona da seguinte forma:

1º A indústria produz e comercializa um bem de consumo. Assim ela contrai um débito de reciclagem.

2º O consumidor descarta esse bem, embalagem, etc. após o consumo. Esse descarte deve ser feito de forma consciente. Por isso a importância da empresa criar canais de distribuição, no qual o consumidor pode destinar os resíduos recicláveis adequadamente. Esses canais podem ser através de pontos de coleta voluntária, ou de incentivos financeiros, como por exemplo, um custo menor no produto adquirido se for devolvido o resíduo.

3º A organização coleta e destina os resíduos recicláveis a tratadoras, que realizam a triagem e reciclagem dos resíduos.

4º O resíduo é reciclado e retorna ao processo produtivo da própria organização ou de outros como insumo.

5º Comprovando essa reciclagem, através de notas fiscais e outros documentos que comprovem a destinação do resíduo as recicladoras, a empresa recebe os creditos de reciclagem das certificadoras quitando, assim, seu débito.

Créditos de reciclagem em busca do desenvolvimento sustentável

Os créditos de reciclagem auxiliam na gestão de resíduos já que ela é uma ferramenta de destinação ambientalmente correta dos recicláveis. Evitando assim, que esses materiais vão parar em aterros.

Esses créditos vêm junto com outro instrumento utilizado atualmente para a aplicação da sustentabilidade nas empresas, que é a logística reversa.

O crédito de reciclagem busca a sustentabilidade, pois incentiva financeiramente a formalização da cadeia de reciclagem, ou seja, de recicladoras. Aumentando assim, a geração de empregos e o desenvolvimento econômico das tratadoras. Além disso, protege o meio ambiente evitando o descarte incorreto dos resíduos e diminui a extração de matéria prima da natureza.

Como lucrar com os créditos de reciclagem?

O lucro com os creditos de reciclagem é obtido através da venda dos materiais dos materiais recicláveis. É umas das formas mais rentáveis de lucro.

Essa venda pode ser feita a empresas tratadoras ou cooperativas de reciclagem.

Para encontrar parceiros para obtenção dos creditos de reciclagem a sua empresa pode associar ao Mercado de Resíduos.

O Mercado de Resíduos é uma plataforma eletrônica da VG Resíduos de oferta e busca de resíduos. Utilizando-a você terá como vender seus resíduos, mas também poderá contratar fornecedores para transporte e tratamento.

A plataforma gera valor transformando o resíduo em matéria-prima que possa ser aproveitada no processo produtivo de outras empresas e, ainda, estimula a destinação correta dos resíduos, minimizando impactos ambientais.

Com o Mercado de Resíduos, o processo de negociação de resíduos é facilitado e estruturado, viabilizando as negociações de forma prática, rápida e eficiente.

Além dessa, dessa plataforma a VG Resíduos possui um software de gestão onde é possível operacionalizar a logística reversa.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o sistema de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Assim, conclui-se que os créditos de reciclagem são uma importante ferramenta de busca ao desenvolvimento sustentável e destinação ambientalmente correta de resíduos. Haja vista, que esses créditos são documentos que comprovam que os resíduos recicláveis foram enviados as recicladoras, contribuindo assim para a manutenção e preservação ambiental. Os créditos de reciclagem são importantíssimos para o sistema de logística reversa.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Greenwashing: o que é e por que sua empresa deve evitar?

Você já ouviu falar em greenwashing? Esse é um termo em inglês, que na tradução para o português significa lavagem verde. A definição do termo é bem literal e corresponde a uma propaganda enganosa feita por organizações que divulga informações sobre defesa do meio ambiente. Mas na realidade essas empresas não praticam nenhuma ação que colabora com a minimização dos impactos ambientais. Na verdade muitas vezes essas organizações fazem o contrário do que divulgam.

O greenwashing pode ser praticado por empresas públicas ou privadas, organizações não governamentais (ONGs), governos ou políticos. E deve ser evitado para não manchar a reputação da empresa. Confira mais sobre esse assunto!

Greenwashing

Greenwashing é um termo inglês que na tradução para o português significa lavagem verde.

É um termo muito utilizado pelas empresas que querem criar uma falsa aparência de sustentabilidade, sem necessariamente aplicá-la na prática.

Essas organizações, através de rótulos, certificados ou propagandas utilizam termos que o levam o consumidor a acreditar que ao comprar um produto está contribuindo para a sustentabilidade ambiental. Mas na verdade essa empresa não adota nenhuma prática sustentável em seus processos. Ou aquele determinado produto não trás nenhuma proteção ambiental, pelo contrário, gera sérios impactos negativos ao meio ambiente.

Essa má pratica de marketing sustentável surgiu juntamente com o aumento de consumidores preocupados com o meio ambiente, que só compram de empresas sustentáveis.

Para conquistar esse mercado consumidor e de grande expressão na economia diversas organizações passaram a utilizar uma comunicação com apelo ecológico em seus rótulos.

Para ser considerado um greenwashing a empresa deve:

  • utilizar informações falsas que dão a entender que praticam ações sustentáveis;
  • ocultar características nocivas de seus produtos e/ou serviços;
  • expor referências de quantidades que não são verdadeiras;
  • utilizar dados incorretos, ambíguos, contraditórios e que não possuam referência ou prova de sua veracidade;
  • usar selos ou certificados ambientais

Sete sinais para identificar Greenwashing

Os sete sinais do Greenwashing foram definidos pela agência canadense TerraChoice. São eles:

  • sem provas: são apelos ambientais no qual não pode ser comprovado por informações facilmente acessíveis ou por uma certificação de terceiros confiável. Exemplos comuns são empresas que dizem utilizar recicláveis na composição de seus produtos ou reciclam suas embalagens sem fornecimento de evidências;
  • troca oculta: empresas que fazem apelo de que um produto é ecológico porque trocou algo nocivo de sua composição, mas que não levam em consideração os impactos negativos de produção;
  • vagueza e imprecisão: é quando utilizam expressões vagas e mal definidas sem fornecer qualquer detalhe ou explicação de atitudes ambientalmente concretas referentes ao produto, deixando o consumidor em dúvida sobre seu real significado;
  • irrelevância: é um apelo verdadeiro, mas não ajuda os consumidores que procuram produtos ecológico. É muito utilizado para referir que tal produto não possui uma determinada substância nociva, mas o uso dessas já é proibido por lei;
  • menor dos males: é um apelo verdadeiro, mas que diz que certo produto contém uma quantidade menor de um substância que gera diversos impactos ao meio ambiente. Contudo, mesmo contendo menos esse produto gera impacto negativo. É um apelo que serve para distrair o consumidor de um impacto bem maior. Acontece muito em embalagens de plástico que reduzem o seu peso, mas os impactos gerados são os mesmos;
  • lorota: apelo que a empresa reivindica que pratica ações sustentáveis, mas são reivindicações falsas;
  • adorando falsos rótulos: o uso de rótulos falsos.

Gestão de resíduos em busca da sustentabilidade

A gestão de resíduos demonstra ser uma aliada das organizações para evitar greenwashing, pois a gestão além de eliminar os impactos negativos que os resíduos causam principalmente os associados à destinação final, contribui no desenvolvimento de processos ecoeficientes. Haja vista, que através da gestão serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

Fazer gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão de resíduos deve garantir o máximo de reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos. Praticas essas que reduz o consumo de recursos naturais.

Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Uma organização que não realiza a gestão dos seus resíduos sólidos perde muitas oportunidades, principalmente de realizar negócio com novos clientes.

Como a VG Resíduos pode auxiliar a evitar o greenwashing?

Como dito nos tópicos anteriores, para ser considerado um greenwashing a empresa utiliza informações falsas, oculta características nocivas de seus resíduos e expõe quantidades não verdadeiras, não conseguem provar a veracidade de seus dados e usa selos e certificados falsos.

Contudo, ao adotar o software de gestão da VG Resíduos a sua empresa terá todo o controle sobre os processos de gerenciamento de resíduos evitando o greenwashing.

Com o software a empresa terá o controle da informação documentada, que é um ponto crucial para manter a gestão ativa e funcionando corretamente, além de gerar informações corretas. É por meio desse controle que informações sobre a geração de resíduos das empresas são registradas e mantidas seguras, assim é possível provar a veracidade de suas informações.

Na gestão de resíduos, o controle de documentos é muito importante por causa da imensa gama de obrigações ambientais e das normas estabelecidas pela legislação ambiental. Manter tudo atualizado e acessível é importante uma vez que a organização deve comprovar o transporte e destinação final dos resíduos.

As empresas têm aderido ao VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

Assim sendo, conclui-se que o greenwashing é uma prática enganosa feita por organizações que divulga informações sobre defesa do meio ambiente. Mas na realidade essas empresas não praticam nenhuma ação que colabora com a minimização dos impactos ambientais. As empresas devem evitar o greenwashing e procurar praticar processos sustentáveis.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

ecologia industrial contribui para gestão de resíduos

 

Como a otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável?

A otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável, já que busca trazer mais eficiência para a operação, além de garantir a destinação adequada para todos os tipos de resíduos. Além disso, reduz significativamente o desperdício e custos dentro da organização.

Otimizar a gestão de resíduos trás várias oportunidade para as empresas, como: ganhar dinheiro com a compra e venda de resíduos, cumprir a legislação ambiental, reduzir custos com aquisição de matéria prima e com o descarte final de resíduos.

Identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável. Saiba mais!

Otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável

A otimização da gestão de resíduos contribui para que a sua gestão seja eficiente. Ela reduz os impactos ambientais produzidos pelos resíduos, considera sua relação com a saúde humana e o meio ambiente e garante maior e melhor aproveitamento deles.

Conheça algumas contribuições que a otimização da gestão de resíduos trás, tornando a empresa mais sustentável:

Redução dos custos

Ao otimizar a gestão de resíduos a empresa preverá metas de redução de resíduos. Com a otimização da gestão de resíduos a quantidade de resíduos reduz consideravelmente. Consequentemente os custos associados para destinação final ambientalmente correta se reduzem também.

A PNRS determina que os resíduos sejam armazenados e acondicionados de forma correta, evitando assim os seus impactos negativos. Para se adequar não é raro empresas alugarem ou construírem novos espaços exclusivos para o armazenamento dos resíduos. O que pode significar grande parcela dos custos. Outro gasto oneroso é com o descarte em aterros. Assim, reduzir os resíduos promove redução dos custos no armazenamento e no descarte promoção da organização e liberação de espaço;

Contribuição com a limpeza e evita proliferação de animais

Para manter o local de armazenamento dos resíduos organizado e limpo, evitando assim a proliferação de animais é importante ter um bom planejamento de disposição dos resíduos. Com a gestão de resíduos é criado procedimento para que evite o acúmulo de resíduos contribuindo para a limpeza e organização da organização.

Promoção na melhoria e aumento da produtividade

otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável

Ao otimizar a gestão de resíduos são identificados processos falhos que geram muitos resíduos. Assim são feitas melhorias nos processos reduzindo a geração de resíduos e, consequentemente, aumentando a produtividade.

Melhoria da imagem da empresa

otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável

Uma empresa que otimiza a gestão de resíduos melhora a imagem da marca da empresa perante seus clientes, acionistas e população. Pois, uma gestão realizada de forma assertiva demonstra que a organização se preocupa com o meio ambiente e com a saúde do homem.

Evita multas e autuações

A PNRS obriga as empresas a fazerem a gestão de seus resíduos. O não cumprimento da lei faz com que a organização pague multas por crimes ambientais ou até mesmo fechem as portas. Os valores das multas podem variar de R$ 50,00 a 50.000,00.

Otimizar a gestão de resíduos evita que a organização sofra essas penalidades e sanções.

Contribuição no processo de regularização do licenciamento ambiental

Como a gestão de resíduos é um processo legal que as empresas devem realizar, no processo de renovação da licença ambiental é exigido evidencias que a organização realiza o gerenciamento.

A otimização da gestão de resíduos facilita a obtenção da licença, pois é garantido que todo o processo é realizado de forma eficiente.

Uso de software online para otimizar a gestão de resíduos

otimização da gestão de resíduos faz a empresa sustentável

O uso da tecnologia digital surge com grande aliada para a otimização da gestão de resíduos. Todos os envolvidos no gerenciamento podem trabalhar de forma sistematizada e organizada, aumentando eficácia da gestão. Os acompanhamentos podem ser feitos em um ambiente virtual. Isso aumenta a agilidade dos processos e a segurança das informações.

A gestão de resíduos é uma questão estratégica e de obrigação legal que as empresas devem realizar. Com a gestão é possível criar metas para prevenção, redução, reciclagem, reutilização e destinação adequada. Além de melhorar seu controle da geração de resíduos.

Para facilitar o gerenciamento dentro das organizações, a Verde Ghaia Consultoria, criou o software VG RESÍDUOS. Esse software vislumbra as necessidades dos clientes que demandam de controle total de todos os processos de gerenciamento de resíduos. A principal funcionalidade do software é promover a gestão, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF, documentos em Word.

A plataforma VG Resíduos realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

A empresa possui um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

Os benefícios em ter controle de documentos na gestão de resíduos são inúmeros, entre eles:

·      auxilia no cumprimento da Política Nacional de Resíduos, pois são geridos todos os documentos necessários para o cumprimento da legislação ambiental;

·      facilita a gestão de informações e evita perdas dos documentos comprobatórios;

·      padroniza a comunicação com fornecedores;

·      minimiza a possibilidade de passivos ambientais e prejuízos para a empresa;

·      permite o controle completo de documentação, licenças e CADRI’s;

·      otimiza a elaboração de relatórios e inventários;

·      auxilia no cumprimento de prazo, evitando o atraso.

Assim, conclui-se que a otimização da gestão de resíduos torna a empresa mais sustentável, pois busca trazer mais eficiência para a operação, além de garantir a destinação adequada para todos os tipos de resíduos. Além disso, reduz significativamente o desperdício e custos dentro da organização.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

Passivos ambientais: por que é importante conhecer, gerir e evitar?

Você sabe o que são passivos ambientais? E qual a sua relação com as finanças da empresa? De maneira bem objetiva, quando falamos em passivos ambientais nos referimos aos resíduos produzidos por meio da atuação empresarial e de todo o capital utilizado exclusivamente para minimização ou extinção dos impactos ambientais gerados por eles.

Os passivos ambientais são visto como algo negativo para a imagem da empresa, já que, na maioria das vezes, junto a eles vêm as multas e penalidades, além dos danos significativos ao meio ambiente.

Então, vamos aprofundar mais nesse conceito e saber como é importante conhecer, gerir e evitá-los. Confira!

Passivos ambientais

Os passivos ambientais são considerados como toda agressão praticada contra o meio ambiente, bem como de um valor de investimento para reabilitar ou recuperar esse meio ambiente. Geralmente, esse valor de investimento esta associado às multas e indenizações aplicadas. Por isso, falamos que os passivos ambientais são negativos para o negócio de uma empresa. E que é preciso evitá-los.

Resumidamente, passivo ambiental são danos causados ao meio ambiente por empresas no decorrer de suas atividades, principalmente com os resíduos gerados.  De acordo com a legislação, são partes integrantes da responsabilidade socioambiental das empresas que originaram os resíduos gerirem esses passivos.

Já financeiramente, os passivos ambientais são obrigações que exigem a entrega de ativos ou prestações de serviços, em decorrência das transações passadas ou presentes e que envolveram a empresa e o meio ambiente.

Os passivos ambientais podem se materializar de diferentes maneiras, como:

  • recuperação de áreas degradadas;
  • indenizações por danos ao meio ambiente;
  • reflorestamento;
  • destinação correta de resíduos;
  • criação e execução de projetos para amenizar danos;
  • pagamento de multas em razão de danos ambientais.

Por que é tão importante conhecer esse conceito?

Se preocupar como a atividade empresarial afeta o equilíbrio ambiental é necessário para evitar e minimizar ao máximo os impactos de sua atuação. Sendo assim, percebemos como é importante conhecer o conceito de passivo ambiental.

Preocupar com o passivo é imprescindível para a sobrevivência do negócio, bem como para o meio ambiente.

Quando você conhece os passivos ambientais automaticamente são adotadas atitudes ambientalmente corretas. Essas atitudes além de reduzir os prejuízos financeiros provocados preservam o meio ambiente e consolida a imagem da organização como consciente e responsável.

Como gerir os passivos ambientais?

Para evitar passivos ambientais na gestão de resíduos é necessário definir estratégias de redução da geração de resíduos, no reuso e reciclagem. Bem como nos meios de descarte, manejo e transporte. Além da avaliação e gestão dos fornecedores, buscando preços melhores.

Além disso, a empresa é persuadida a reduzir o descarte em aterros sanitários e aumentar a recuperação de materiais para otimizar o uso de recursos naturais.

Para gerir passivo ambiental a empresa deverá seguir o seguinte roteiro:

– realizar inspeção ambiental da empresa ou processo a ser analisado;

– realizar documentação fotográfica dos itens dos passivos encontrados;

– identificar os processos de transformação ambiental que deram origem aos itens de passivo identificados;

– caracterizar ambientalmente os itens dos passivos e seus processos causadores, colocando representatividade dos seus processos causadores.

– estabelecer as ações corretivas e preventivas para cada item de passivo identificado;

– orçar as ações propostas, considerando recursos humanos, técnicos e logísticos necessários, assim como eventuais serviços de terceiros.

Como a gestão de resíduos afasta os passivos ambientais?

A gestão de resíduos demonstra ser uma aliada das organizações para evitar passivos ambientais que os resíduos causam principalmente os associados à destinação final. Além disso, contribui para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável. Haja vista, que através da gestão serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

Fazer gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação final e disposição final ambientalmente adequada. Objetivando a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão de resíduos deve garantir o máximo de reaproveitamento e reciclagem e a minimização dos rejeitos. Praticas essas que reduz o consumo de recursos naturais.

Além disso, identifica deficiências do processo produtivo, reduzindo desperdícios e custos, aumentando a lucratividade dos negócios e contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Uma organização que não realiza a gestão dos seus resíduos perde muitas oportunidades, principalmente de realizar negócio com novos clientes.

Como a VG Resíduos auxilia no controle de passivos ambientais?

Um passivo ambiental poderá decorrer de uma má gestão de resíduos, por exemplo, que causou uma poluição de uma área.

Com a gestão dos resíduos a empresa estará amparada no que se referente à poluição ou degradação referente à má gestão dos resíduos sólidos.

Utilizando a plataforma VG Resíduos a empresa afasta os passivos ambientais, pois o software realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

A empresa possui um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, passivos ambientais são a somatório dos aspectos negativos causado pela atividade da empresa com custos para recuperar ou restaurar o meio ambiente. O passivo ambiental pode ser evitado com a gestão adequada de resíduos. Buscando alternativas ambientalmente corretas de destinação.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

O que dizem as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos?

As leis ambientais sobre fornecedor de resíduos dizem a respeito da segurança na armazenagem, transporte, destinação ambientalmente correta e a otimização das operações envolvidas na gestão de resíduos. Além disso, contribuem para a sustentabilidade do serviço e ou produto oferecido e determinam regras para evitar passivos ambientais.

Os fornecedores impactam diretamente na gestão de resíduos da sua empresa. Por isso é importante conhecer essas leis ambientais sobre fornecedor de resíduos. Confira!

Escolha o fornecedor adequado para gestão de resíduos

Encontrar fornecedor qualificado é ponto importante para as organizações que desejam ser reconhecidas pelo seu nível de excelência na gestão de resíduos. Além disso, evita que os impactos negativos da má gestão denigram sua imagem perante os clientes, uma vez que o mercado exige mais delas em relação à gestão ambiental e a sustentabilidade.

É importante certifica-se que o fornecedor cumpre as leis ambientais, como a emissão de documentos que comprovem a destinação dada aos resíduos e se possuem licença ambiental.

O fornecedor precisa seguir uma série de normas e regras para que o serviço ofertado seja realizado de forma adequada e segura, uma vez que muitos resíduos são perigosos, com altas concentrações de poluentes, que representam riscos à saúde das pessoas e ao meio ambiente.

Cumprir as leis ambientais é fator determinante para uma gestão de resíduos eficiente, além de se isentar da penalidade por negligenciar o cumprimento da lei.

A VG Resíduos, através da plataforma Mercado de Resíduos, permite que geradores tenham contato e acesso com os fornecedores de resíduos que garantam um serviço de confiança e legal.

Leis ambientais sobre fornecedor de resíduos

O fornecedor de resíduos precisa conhecer e praticar as leis que influenciam a gestão de resíduos. Ter domínio dessas diretrizes e aplicá-las corretamente evita punições.

É essencial conhecer as leis, pois cada uma influencia no processo de gestão dos resíduos. A seguir, veremos quais leis são essenciais, acompanhe!

Lei 12.305

A lei 12.305, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instaurada em 2010, é sem dúvida o marco da gestão ambiental.

A PNRS estabelece que todo resíduo deve receber destinação final adequada, postulando que eles devem reduzidos, reciclados e reutilizados.

Os fornecedores devem observar  tecnologias que devem ser utilizadas para neutralizar as características negativas dos resíduos. Essas tecnologias podem também transformar o resíduo em um produto que gere renda com a produção de uma matéria prima secundária.

A PNRS assinala que essas tecnologias de recuperação dos resíduos têm que ter sua viabilidade técnica e ambiental comprovadas e deve-se implantar um programa de monitoramento de emissão de gases tóxicos aprovado por órgão ambiental.

Lei 11.445

A Lei 11.445/2007 – Política Nacional de Saneamento Básico regulamenta o abastecimento de água, coleta, tratamento e disposição final de esgotos e drenagem pluvial. Aborda, também, sobre coleta, tratamento e disposição final de resíduos e efluentes líquidos industriais.

Lei 6.938

A Lei 6.938/1981 – Política Nacional do Meio Ambiente define que o poluidor é obrigado a indenizar pelos danos ambientais que os resíduos causar, independentemente da culpa. Além disso, permite que o Ministério Público proponha ações de responsabilidade civil por danos ao meio ambiente, como a obrigação de recuperar e/ou indenizar prejuízos causados.

Lei 9.605/1998

Lei de Crimes Ambientais que institui sanções penais e administrativas para condutas e atividades ilegais em relação ao meio ambiente.

As autuações podem variar de acordo com a intenção do autor — com culpa (sem intenção) ou dolosa (com intenção).  Logo, as pena serão:

1) reclusão de 1 a 4 anos se:

  • causar intencionalmente poluição de qualquer natureza;
  • transportar, armazenar, guardar, ter em depósito ou abandonar resíduos tóxicos, perigosos ou nocivos à saúde humana ou ao meio ambiente em desacordo com a lei;
  • manipular, acondicionar, armazenar, coletar, transportar, reutilizar, reciclar ou dá destinação final a resíduos perigosos de forma diversa da estabelecida em lei ou regulamento;

2) detenção de 6 meses a 1 ano se causar sem intenção (com culpa) poluição de qualquer natureza;

3) reclusão de 1 a 5 anos se causar poluição atmosférica ou hídrica ou lançar resíduos em desacordo com a lei ou deixar de adotar medidas de precaução, exigidas legalmente, para evitar dano ambiental grave ou irreversível;

4) as penas são aumentadas:

  • de um sexto a um terço: se o produto ou a substância for nuclear ou radioativa;

5) as penas são aumentadas nos crimes dolosos:

  • de um sexto a um terço, se resulta dano irreversível à flora ou ao meio ambiente em geral;
  • de um terço até a metade, se resulta lesão corporal de natureza grave;
  • até o dobro, se resultar a morte.

Gestão de resíduos consoantes às leis ambientais

A sua gestão de resíduos é eficiente quando ela reduz os impactos ambientais produzidos pelos resíduos, considera sua relação com a saúde humana e o meio ambiente e garante maior e melhor aproveitamento deles. Além disso, segue todas as diretrizes das leis ambientais.

Após a instituição da Lei 12.305/2010 a gestão de resíduos tornou-se obrigatória tanto para o poder público, como para iniciativa privada e o consumidor, ou seja, a responsabilidade pelo ciclo de vida dos resíduos é compartilhada por todos.

A organização que não realizar o gerenciamento estará cometendo crime ambiental, com pena de reclusão de um a cinco anos.

Seguir o que determina as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos permite que a empresa reduza os custos, uma vez que evita as punições pelo pagamento de multas. Além de buscar alternativas corretas de destinação de resíduos, que muitas vez são mais baratas que o descarte em aterros.

A geradora pode terceirizar algumas etapas do processo de gestão, como o transporte e o tratamento. Contudo, cabe a ela realizar uma gestão eficaz sobre seus fornecedores. O intuito é evitar que eles cometam crimes ambientais, uma vez que a lei determina a responsabilidade compartilhada pela destinação de resíduos.

Para melhorar a gestão de fornecedores dentro das organizações, o uso de softwares pode ser o ideal. Com eles é possível o controle total de todos os processos de gerenciamento de resíduos, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF, documentos em Word. Com o software a organização realiza a gestão completa em uma única plataforma, totalmente online.

As empresas têm aderido ao VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

A plataforma propicia o controle total da gestão de resíduos, com todas as informações em um ambiente único e confiável. Além disso, gera documentos automaticamente (MTR, FDSR, Ficha de Emergência etc.), ajuda a promover destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Sendo assim, conclui que é de suma importância conhecer as leis ambientais sobre fornecedor de resíduos. Essas leis determinam diretrizes para a correta gestão de resíduos. O seu cumprimento evita sanções as empresas. A VG Resíduos pode auxiliar no cumprimento das leis, uma vez que a plataforma incentiva destinações limpas e melhora a eficiência das empresas na gestão dos seus resíduos.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

Por que a Logística Reversa é uma ferramenta para sustentabilidade?

A logística reversa é uma ferramenta para sustentabilidade, pois é um instrumento de desenvolvimento econômico e social que viabiliza a coleta e a restituição dos resíduos ao setor empresarial. Esses resíduos são reaproveitados em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou são enviados para outra destinação final ambientalmente adequada.

A logística reversa demonstra ser uma aliada das organizações para eliminar os impactos negativos que os resíduos causam. Além disso, contribui para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável. Haja vista, que através dela serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental. Saiba mais!

Como a logística reversa é uma ferramenta para sustentabilidade?

A logística reversa, desde a instituição da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS se destaca como um dos instrumentos mais determinantes para garantir o descarte correto e a reciclagem de resíduos.

Consistem em um processo que planeja, opera e controla o fluxo e as informações logísticas referentes ao retorno dos materiais após o consumo para as empresas fabricantes de tal produto.

Para o melhor entendimento de como a logística reversa é uma ferramenta para sustentabilidade, é necessário abordar sobre o que venha a ser desenvolvimento sustentável.

O conceito surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Essa comissão foi criada pelas Nações Unidas para discutir e propor meios de desenvolver a economia ao mesmo tempo em que conserva o meio ambiente.

Desenvolvimento sustentável é definido como sendo:

“o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro.”

Sendo assim, a logística reversa contribuiu para o desenvolvimento sustentável, pois integra as suas três dimensões: econômica, social e ambiental. As dimensões social e econômica tem relação, por exemplo, com a reciclagem, uma vez que muitas pessoas sobreviverem do reaproveitamento do resíduo, ou seja, a reciclagem é uma forma de criar oportunidades de trabalho para as pessoas e fonte de renda.

Na dimensão ambiental, a logística reversa minimiza e/ou elimina o descarte dos resíduos em locais inadequados que causam fortes impactos no ambiente. Além disso, o tratamento dos resíduos contribuirá positivamente para a sustentabilidade.

Lei ambiental sobre a obrigação da logística reversa

A lei ambiental sobre a obrigação da logística reversa vigora desde 2010, porém somente em 2017 foi regulamentada através do decreto nº 9177.

A lei 12.305/2010 regulamenta o manejo adequado dos resíduos e estipula outros dois instrumentos para viabilizar a logística reversa: o termo de compromisso e o acordo setorial.

O intuito da lei ambiental é instituir instrumentos para a gestão de resíduos, permitindo que o país enfrente os principais problemas ambientais, sociais e econômicos causados pelo manejo incorreto dos resíduos.

A PNRS determina que para a implantação do sistema de logística reversa tanto os fabricantes, quanto os importadores, distribuidores, comerciantes, cidadãos e prefeitura tenham a responsabilidade compartilhada no manejo dos resíduos e embalagens pós-consumo.

Em 2012, foi assinado um acordo de logística reversa com o setor de embalagens plásticas de óleos lubrificantes. Para implantar o sistema nos setores de lâmpadas e embalagens em geral, o governo assinou acordos em 2015.

Outros acordos setoriais para implantação da logística reversa nos setores das cadeias produtivas de embalagens e resíduos de medicamentos, produtos e componentes eletrônicos estão sendo estudados.

Em São Paulo, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) regulamentou que a partir de outubro de 2018 para as organizações obterem a licença ambiental terão a obrigatoriedade de implantaram o sistema de logística reversa. Com essa decisão fica determinada a responsabilidade da empresa apresentar um plano de coleta dos resíduos resultante de seus produtos ou embalagens e qual foi à destinação dada a esse resíduo.

Setores prioritários para implantar a logística reversa

Devem possuir um sistema de logística reversa os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de:

Como operacionalizar a logística reversa?

A operação do sistema de logística reversa pode ser realizada por meio de um software de gestão de resíduo ou mesmo por uma empresa especializada neste tipo de serviço.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o sistema de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Já na plataforma Mercado de Resíduos o gerador encontrar empresas que tem interesse em adquirir o resíduo coletado através da logística reversa. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

A VG Resíduos é um software que pode auxiliar a gestão de resíduos e no descarte correto dos mesmos, auxiliando a empresa crescer adotando práticas sustentáveis.

Assim sendo, conclui-se que a logística reversa é uma ferramenta para sustentabilidade, pois viabiliza o desenvolvimento econômico e social ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente. Através da logística reversa são desenvolvidos meios de inserir no ciclo produtivo os resíduos que seriam descartados.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

 

 

 

Como automatizar processos gestão de resíduos para reduzir custos

gestão de resíduos para reduzir custos

O uso da tecnologia digital para automatizar processos de gestão de resíduos para reduzir custos surge como grande aliada para as empresas. Com a automatização o monitoramento pode ser realizado de forma sistematizada e organizada. Além disso, aumenta a agilidade dos processos, a segurança das informações e é uma ferramenta muito eficiente para comprovação de evidências para os órgãos ambientais.

A automatização de processos na gestão de resíduos é realizada a partir de dispositivos eletrônicos ou software de gestão. O objetivo é otimizar e agilizar os processos que antes eram realizados de forma manual e passaram a ser automáticos, principalmente na elaboração de documentos de destinação de resíduos (MTR, CDF, CADRI, etc.).

Automatizar processos na gestão de resíduos reduz custos, aumenta a produtividade e o controle de geração de resíduos. Saiba mais!

O que consiste automatização de processos de gestão de resíduos?

gestão de resíduos para reduzir custos

Fazer gestão de resíduos significa que a empresa adota um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação e disposição final ambientalmente adequada. Seu principal objetivo é a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), a gestão deve garantir o máximo de reaproveitamento, reciclagem e a minimização dos rejeitos.

Coma automatização dos processos de gestão de resíduos as organizações obtém aumento de controle nas informações, padronização, redução de custos e melhoria na gestão de fornecedores.

Para automatizar os processos é preciso eliminar as antigas planilhas manuais da gestão de resíduos, substituindo-as por software de gestão.

Vantagens da automatização

gestão de resíduos para reduzir custos

Ao automatizar a empresa consegue:

  • consultar às pastas/documentos digitais no computador ou internet de forma mais rápida;
  • diminuir a geração de resíduos, principalmente de papel;
  • aumentar o controle da documentação que evidenciar a destinação ambientalmente correta de resíduos;
  • monitorar a quantidade de resíduos armazenados e transportados;
  • controlar licenças e demais documentos necessários dos fornecedores, gerando automaticamente documentos como: manifesto de transporte do resíduo; ficha de emergência; ficha de segurança do resíduo químico de acordo com a legislação vigente; relatórios com gráficos; inventários; e indicadores gerenciais;
  • implantar um sistema de logística reversa;
  • efetuar a comparação entre as situações anteriores e posteriores das metas estabelecidas – o objetivo é ter percepção se as ações adotadas na gestão de resíduos busca o desenvolvimento sustentável;
  • avaliar condições do sistema em relação às metas e objetivos – verifica se as metas e os objetivos são alcançados. Se não devem ser desenvolvidos ações para o seu alcance;
  • prover informações de advertência, ou seja, identifica os riscos ou falhas do sistema ineficiente;

Como automatizar a gestão de resíduos?

Para automatizar os processos de gestão de resíduos da sua empresa, a forma mais rápida e fácil é ter um software de gestão. São vários benefícios que lhe darão a chance de deixar tarefas burocráticas e focar no que é mais importante para no gerenciamento.

O VG Resíduos é uma solução prática e funcional que permite à sua empresa realizar a gestão completa do processo, monitorar históricos e tomar decisões estratégicas baseadas em gráficos e relatórios.

As empresas têm aderido ao VG RESÍDUOS como uma ferramenta capaz de centralizar as informações e possibilitar uma gestão mais estratégica do processo.

Os benefícios em ter o software da VG Resíduos são inúmeros, entre eles:

  • auxilia no cumprimento da Política Nacional de Resíduos;
  • facilita a gestão de informações e evita perdas e falhas no processo;
  •  padroniza a comunicação com fornecedores;
  •  minimiza a possibilidade de passivos ambientais e prejuízos para a empresa;
  • permite o controle completo de documentação e licenças;
  • otimiza a elaboração de relatórios e inventários;
  • auxilia no cumprimento de prazo, com lembretes e alertas de vencimento;
  • sistematiza as informações em gráficos para orientar a tomada de decisões estratégicas.

Como usar a gestão de resíduos para reduzir custos

gestão de resíduos para reduzir custos

Ao automatizar a gestão de resíduos a empresa preverá metas de redução de resíduos. Com os processos automatizados a geração de resíduos é monitorada e como consequência a quantidade reduz consideravelmente. Consequentemente os custos associados para destinação final ambientalmente correta se reduzem também.

Com a automatização da gestão de resíduos os processos falhos que geram muitos resíduos são identificados. Assim são feitas melhorias nos processos reduzindo a geração de resíduos e, consequentemente, aumentando a produtividade.

Até a negociação de resíduos pode ser automatizada, facilitando o encontro com parceiros ideias.

A negociação online de resíduos tem a função de servir como guia para promoção de oportunidades de negócios, conciliando ganhos econômicos com ganhos ambientais. Tudo isso através do anúncio de resíduos para compra e venda.

Nas plataformas de negociação, como o Mercado de Resíduos da VG Resíduos, os resíduos são classificados por categorias de procedência e subdivididos em função da sua qualidade, acondicionamento, uso ou negociação pretendida. O principal foco é a reutilização ou reciclagem desses resíduos.

A negociação online de resíduos é um importante instrumento de gerenciamento de resíduos.

Sendo assim, conclui-se que automatização de processos na gestão de resíduos para reduzir custos é realizada a partir de dispositivos eletrônicos ou software de gestão. Com o uso da tecnologia é possível realizar o monitoramento da geração de resíduos de forma sistematizada e organizada. Além disso, aumenta a agilidade dos processos, a segurança das informações e é uma ferramenta muito eficiente para comprovação de evidências para os órgãos ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

 

 

 

Algumas matérias que podem te interessar

© VG Residuos Ltda, 2019