Como a logística reversa de resíduos perigosos afasta danos ambientais?

16/01/2020

A logística reversa de resíduos perigosos é uma forma das empresas conseguirem o retorno de produtos perigosos para que possam ser destinados de forma segura ou reinseridos em novos ciclos produtivos, afastando assim os danos ambientais que esses resíduos possam causar.

Foi somente com a promulgação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que determina o manejo de resíduos perigosos, que as empresas foram obrigadas a serem responsáveis pela logística reversa. Ou seja, terem a responsabilidade compartilhada sobre o manejo e retorno de resíduos perigosos.

Saiba como um sistema eficiente de logística reversa de resíduos perigosos afasta danos ambientais!

Logística reversa de resíduos perigosos

Logística reversa de resíduos perigosos é o processo de gerenciamento dos produtos perigosos após o fim do seu ciclo de vida. O objetivo é neutralizar seu impacto ambiental. Geralmente este processo é feito a partir da coleta dos produtos inutilizáveis por parte da empresa que os produziu.

No Brasil, a prática da logística reversa ainda não e obrigatória para todas as empresas. Contudo, algumas organizações possuem a obrigatoriedade de implementar o sistema para seus produtos, principalmente os que causam significativo impacto ambiental.

A logística reversa deve ser cumprida para fabricantes, importadores, distribuidores ou comerciantes. Para cumprir a lei, são feitos acordos setoriais entre eles e o poder público para implantar um sistema de logística reversa.

De acordo com a lei 12.305/2010, a logística reversa de resíduos perigosos é obrigatória para empresas que trabalham com:

  • agrotóxicos, seus resíduos e embalagens;
  • pilhas e baterias;
  • óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens;
  • lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista.

Além de:

  • produtos eletroeletrônicos e seus componentes;
  • pneus;
  • produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro.

Afastando danos ambientais

A logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta que viabiliza a coleta e a restituição dos resíduos ao setor empresarial. Esses resíduos são reaproveitados em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou são enviados para outra destinação final ambientalmente adequada.

A logística reversa demonstra ser uma aliada das organizações para eliminar os impactos negativos que os resíduos causam. Além disso, contribui para alcançar os objetivos do desenvolvimento sustentável. Haja vista, que através dela serão adotadas práticas que contribuem para a preservação ambiental.

A gestão inadequada dos resíduos perigosos pode contaminar o meio ambiente, trazendo impactos muitas vezes irreversíveis. Quando os resíduos perigosos não são destinados corretamente eles agem negativamente na saúde e no meio ambiente.

A logística reversa contribui para afastar esses danos, pois através do sistema é garantido que os resíduos perigosos estão bem alocados e geridos. Sendo assim, contribuirá para a preservação do meio ambiente, evitando os impactos socioambientais e à saúde pública.

Os resíduos perigosos eu não são restituídos através da logística reversa tem grande chances de serem descartados em qualquer lugar causando poluição do solo, do ar e do lençol freático.

Portanto, um sistema de logística reversa eficiente pode parecer complicado, burocrático e até cansativo. Mas é fundamental para garantir o máximo reaproveitamento de todos os resíduos perigosos, mesmo os que possuem pouca viabilidade técnica ou econômica para a reciclagem.

Ainda é possível considerar que a logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta essencial para evitar prejuízos financeiros, como o pagamento de multas ou paralisação das atividades por não realizarem o descarte correto de seus resíduos. Além disso, preserva a imagem da organização, uma vez que o mercado consumidor exige a cada dia mais que as empresas adotem práticas sustentáveis.

Saiba quais estados já regulamenta a logística reversa

Os estados que já instituíram a prática da logística reversa como obrigatoriedade são Rio de Janeiro e São Paulo. Contudo, nem todos os produtos precisam passar pelo processo, assim como é exigido pela legislação federal, os itens que relevância ambiental é que se enquadram na obrigatoriedade deste tipo de processo.

No caso de São Paulo, ficam obrigados a apresentar o plano de logística reversa, os fabricantes de lubrificantes automotivos, baterias automotivas, pilhas e baterias portáteis, lâmpadas fluorescentes, pneus, agrotóxicos, tintas imobiliárias, óleos comestíveis, produtos alimentícios, bebidas, produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos, produtos de limpeza, produtos eletroeletrônicos de uso domésticos e medicamentos domiciliares.

No Rio de Janeiro a obrigatoriedade se entende aos fabricantes de embalagem.

As empresas deverão elaborar e executar um plano de logística reversa. Durante uma fiscalização o plano será exigido, bem como as evidências de que suas diretrizes estão sendo cumpridas pela organização.

Como operacionalizar a logística reversa?

A operação do sistema de logística reversa de resíduos perigosos pode ser realizada por meio de um software de gestão de resíduo ou mesmo por uma empresa especializada neste tipo de serviço.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o sistema de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Já na plataforma Mercado de Resíduos o gerador encontrar empresas que tem interesse em adquirir o resíduo coletado através da logística reversa. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

A VG Resíduos é um software que pode auxiliar a gestão de resíduos e no descarte correto dos mesmos, auxiliando a empresa crescer adotando práticas sustentáveis.

Assim sendo, conclui-se que a logística reversa de resíduos perigosos é uma ferramenta para sustentabilidade, pois viabiliza o desenvolvimento econômico e social ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente. Através da logística reversa são desenvolvidos meios de inserir no ciclo produtivo os resíduos perigosos que seriam descartados, evitando assim os danos ambientais.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Compartilhe!