Como um software online pode facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos?

Como um software online pode facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos?
Avalie este post

facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

É importante facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos, pois são gerados diversos resíduos com componentes químicos que necessitam de cuidado especial para a sua disposição final. Por isso é necessário ter um gerenciamento eficaz.

O software de gestão de resíduos da VG Resíduos abrange desde a geração até a destinação.             Controlando qual o resíduo e quantidade que foi gerada, os períodos e as formas como foi destinado. Além disso, gera automaticamente alguns documentos que são necessários no processo e exigidos pela legislação ambiental. Saiba mais como isso é possível!

Saiba como um software pode melhorar seu controle da gestão de resíduos.

Resíduos farmacêuticos

facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

Conforme dados do Guia da Farmácia, o Brasil tornou-se o sexto maior mercado farmacêutico do mundo, atrás dos Estados Unidos, da China, do Japão, da Alemanha e da França. O alto consumo de medicamentos nos leva a uma preocupação com a gestão dos resíduos farmacêuticos gerados.

Mas quais são os resíduos gerados pelo setor farmacêutico? A indústria farmacêutica, em seus processos, manipula diversos componentes químicos. Desse modo os resíduos gerados nos processos, bem como os do produto final (embalagens, medicamentos vencidos, etc.) necessitam de especial cuidado quanto a sua disposição final.

Em todo esse processo são gerados resíduos provenientes de:

  • devolução e recolhimento de medicamentos do mercado;
  • descarte de medicamentos rejeitados pelo controle de qualidade;
  • perdas inerentes ao processo;
  • embalagens que transportam insumos e matérias-primas para a fabricação.

Os resíduos farmacêuticos são classificados como classe I, conforme a NBR 10.004/2004, principalmente pelas substâncias ativas e reagentes utilizados em sua fabricação. Sendo assim, significa que são resíduos perigosos, e o tipo de periculosidade pode ser identificado por meio de características como:

  • inflamabilidade: resíduos que podem entrar em combustão facilmente ou de maneira espontânea;
  • toxicidade: resíduos que agem sobre organismos vivos, provocando danos a suas estruturas biomoleculares, podem incluir aspectos carcinogênicos, teratogênicos, mutagênicos, entre outros;
  • corrosividade: resíduos que devido a sua característica ácida atacam materiais e organismos vivos;

Os resíduos farmacêuticos não são caracterizados como resíduos industriais, mesmo se forem oriundos de uma indústria. São resíduos de serviço de saúde tendo em vista que sua utilidade é voltada para tal, de acordo com a NBR 10.004/2004. E devem seguir regras imposta pela ANVISA.

Os resíduos farmacêuticos, em sua maioria são resíduos químicos. Porém a gestão deles se difere de acordo com sua finalidade, como explicado acima. Os resíduos químicos serão caracterizados conforme o seu segmento.

Você sabe a diferença entre classificação e caracterização dos resíduos?

A gestão de resíduos de empresas de segmento farmacêutico

facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

A correta gestão de resíduos de origem farmacêutica é normatizado tanto pelo Ministério da Saúde quanto pelo do Meio Ambiente. Esses ministérios fornecer instrumentos para que as empresas envolvidas em atividades que geram resíduos dessa natureza possam dar a disposição final adequada.

As ações do Ministério da Saúde em descarte de resíduos farmacêuticos são realizadas através da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

É responsabilidade dos geradores de resíduos farmacêuticos fornecerem informações documentadas referentes ao risco que os resíduos podem apresentar em seu manejo e disposição final.

Além disso, deve exigir das empresas prestadoras de serviços terceirizados a apresentação de licença ambiental para o tratamento ou a disposição final dos resíduos.

VG Resíduo pode facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

Para melhorar a gestão de resíduos farmacêuticos, o uso de softwares pode ser o ideal. Com eles é possível o controle total de todos os processos de gerenciamento de resíduos, eliminando as antigas planilhas de Excel, licenças em PDF, documentos em Word. Com o software a organização realiza a gestão completa em uma única plataforma, totalmente online.

A gestão de resíduos é uma questão estratégica e de obrigação legal que as empresas farmacêuticas devem realizar. Com a gestão é possível criar metas para prevenção, redução, reciclagem, reutilização e destinação adequada. Além de melhorar seu controle da geração de resíduos.

software VG Resíduos realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

Com a tecnologia a empresa possuirá um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

Com o software a organização consegue:

  • realizar a gestão de resíduos;
  • monitorar a quantidade de resíduos armazenados;
  • controlar licenças e demais documentos necessários dos fornecedores, gerando automaticamente documentos como: manifesto de transporte do resíduo; ficha de emergência; ficha de segurança do resíduo químico de acordo com a legislação vigente; relatórios com gráficos; inventários; e indicadores gerenciais.

Diretrizes legais sobre resíduos farmacêuticos

facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos

As principais leis pertinentes ao gerenciamento de resíduos farmacêuticos são a RDC 306, de 7 de Dezembro de 2004, da ANVISA e a Resolução CONAMA 357, de 17 de março de 2005.

A RDC 306 foca a saúde pública e prevenção de acidentes, a CONAMA 357 foca o meio ambiente e controle da poluição aquática.

Outras normas de referência incluem:

  • NBR 12807 – Resíduos de serviços de saúde;
  • NBR 12808 – Resíduos de serviços de saúde – Classificação;
  • NBR 12809 – Manuseio de Resíduos de serviços de saúde – Procedimentos;
  • NBR 12810 – Coleta de Resíduos de serviços de saúde – Procedimentos;
  • NBR 9190 – Sacos plásticos para acondicionamento de Lixo – Classificação;
  • NBR 9191 – Sacos plásticos para acondicionamento de Lixo – Especificação;
  • NBR 10004 – Resíduos Sólidos – Classificação;
  • NBR 7500 – Símbolos de risco e manuseio para o transporte e armazenamento de material – Simbologia;
  • Resolução CNEN-NE–6.05 – Gerência de rejeitos radioativos em instalações;
  • NBR 12235 – Armazenamento de Resíduos Sólidos Perigosos – Procedimento;
  • NBR 13221 – Transporte de Resíduos – Procedimento

Importante conhecer todas essas normas para realizar o correto gerenciamento dos resíduos farmacêuticos.

Conclui-se, que a gestão de resíduos farmacêuticos é necessária para a sua correta disposição final. E contar com o software da VG Resíduos para facilitar a gestão de resíduos farmacêuticos é o ideal.  O software facilita todo o processo e evita que a empresa geradora do resíduo sofra sanções pelo não cumprimento da legislação.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo

Mas quer se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Como descartar resíduos da indústria farmacêutica?

 dados de destinação de resíduos ordenados e confiáveis

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019