Lixo eletrônico e logística reversa: qual a relação entre eles

Você sabe qual a relação entre lixo eletrônico e logística reversa? O lixo eletrônico é composto por vários materiais que tem certo valor agregado e por outros que são altamente contaminantes inviabilizando o descarte em aterros. A logística reversa é a solução para que esses materiais sejam destinados de maneira ambientalmente correta. Neste post explicaremos melhor essa relação e como esse processo pode ser vantajoso para a sua empresa. Confira!

Lixo eletrônico

O lixo eletrônico, também chamado de e-lixo, é derivado de todos os equipamentos eletrônicos ao fim de sua vida útil. São compostos por materiais diversos como plásticos, vidros, componentes eletrônicos, metais pesados, entre outros. Esses componentes têm um alto valor agregado.

Eles podem ser divididos em quatro categorias:

  • linha branca: refrigeradores e congeladores, fogões, lavadoras de roupa e louça, secadoras, condicionadores de ar;
  • linha marrom: monitores e televisores de tubo, plasma, LCD e LED, aparelhos de DVD e VHS, equipamentos de áudio, filmadoras;
  • linha azul: batedeiras, liquidificadores, ferros elétricos, furadeiras, secadores de cabelo, espremedores de frutas, aspiradores de pó, cafeteiras;
  • linha verde: computadores desktop e laptops, acessórios de informática, tablets e telefones celulares.

De acordo com a ABNT NBR 10004:2004, o lixo eletrônico em sua maioria é classificado como:

  • Resíduos classe I: Perigosos, que são aqueles que apresentam periculosidade em razão de suas propriedades físicas, químicas ou infecto-contagiosas. Esse tipo de resíduo pode apresentar:
  1. a) risco à saúde pública, provocando mortalidade, incidência de doenças ou acentuando seus índices;
  2. b) riscos ao meio ambiente, quando gerenciado de forma inadequada. Apresentando assim uma das seguintes características: Inflamabilidade, Corrosividade, Reatividade, Toxicidade, Patogenicidade.

Vários materiais encontrados nesse lixo são metais pesados como alumínio, arsênio, cádmio, bário, cobre, chumbo, mercúrio, cromo, entre outros. Essas substâncias químicas são potencialmente tóxicas, podendo levar a contaminação do meio ambiente e das pessoas.

Devido às características dos materiais que compõem o lixo eletrônico é necessário que a empresa realize processos específicos de gerenciamento de resíduos para evitar os danos que podem causar se destinados de maneira incorreta.

Leia também: O que é lixo especial e como deve ser descartado?

Logística reversa

A logística reversa é um importante instrumento para gestão de resíduos. É definida na Política Nacional dos Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) como “instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada.”.

Foi somente com a promulgação da PNRS, que as empresas foram obrigadas a serem responsáveis pela logística reversa. Ou seja, terem a responsabilidade compartilhada sobre o manejo e retorno de resíduos.

O objetivo é neutralizar o impacto ambiental. Geralmente este processo é feito a partir da coleta dos produtos inutilizáveis por parte da empresa que os produziu.

São obrigados a estruturar e implementar sistemas de logística reversa os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de: agrotóxicos, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso, constitua resíduo perigoso; pilhas e baterias; pneus; óleos lubrificantes, seus resíduos e embalagens; lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista; produtos eletroeletrônicos e seus componentes;  produtos comercializados em embalagens plásticas, metálicas ou de vidro, e aos demais produtos e embalagens.

Logística Reversa e Crédito de Reciclagem: qual relação entre eles?

Relação entre lixo eletrônico e logística reversa

O lixo eletrônico tem potencial de transformação e pode até ser lucrativo para as empresas geradoras. Esses resíduos quando manejados corretamente, ganham vida nova. Isso pode significar faturamento para as geradoras e menos degradação ambiental.

Por outro lado, quando descartado de qualquer maneira, o lixo eletrônico pode ser extremamente prejudicial à saúde pública e ao meio ambiente. As empresas que geram lixo eletrônico precisam ter uma postura responsável em relação a esses materiais.

Devido ao potencial tóxico e os custos de seus componentes, o lixo eletrônico não pode ser descartado diretamente no meio ambiente ou em aterros sanitários. É preciso que as organizações adotem a logística reversa.

Através da logística reversa esse lixo é enviado a reciclagem. A vantagem desse método é que ele dá vida nova aos resíduos, transformando-os em matéria-prima ou subproduto com valor comercial.

A relação entre lixo eletrônico e logística reversa é fundamental para poupar o meio ambiente, evitando a contaminação de solos, mananciais e o surgimento de doenças.

Além disso, o que era sucata eletrônica vira renda para a geradora, com a implantação de tratamentos e comercialização dos novos materiais obtidos.

Mercado de Resíduos faz reduzir custos em momento de crise

Operacionalização da logística reversa

Para operacionalização do sistema de logística reversa do lixo eletrônico deverá ser respeitado às seguintes etapas:

– descarte dos produtos eletrônicos em pontos de recebimento definido pela empresa;

– recebimento e armazenamento temporário do lixo eletrônico descartado em pontos de recebimento;

– transporte dos produtos eletrônicos descartados dos pontos de recebimento até os pontos de destinação;

– destinação final ambientalmente adequada.

A operação do programa de logística reversa de lixo eletrônico pode ser realizada por meio de um software de gestão de resíduo.

No software de gestão de resíduos da VG Resíduos a empresa pode implementar o programa de forma individual. A plataforma traz funcionalidades específicas para o controle das áreas geradoras, dos processos, dos prestadores de serviços e dos documentos, tudo com metodologia baseada na Política Nacional de Resíduos e demais legislações pertinentes ao assunto.

Já na plataforma Mercado de Resíduos o gerador encontrar empresas que tem interesse em adquirir o lixo eletrônico coletado através da logística reversa. A plataforma serve para integrar interessados em resíduos e, sobretudo, estruturar uma rede de contatos que garanta o oferecimento de soluções para compra, venda, tratamento e transporte de resíduos em escala nacional.

A VG Resíduos é um software que pode auxiliar a gestão de resíduos e no descarte correto dos mesmos, auxiliando a empresa crescer adotando práticas sustentáveis.

Sendo assim, existe uma relação entre lixo eletrônico e logística reversa para a redução dos resíduos que serão descartados em aterros ou em locais inadequados, além da contaminação. O lixo eletrônico coletado pela logística reversa são enviados a reciclagem. Esse manejo contribui, também, para a geração de renda para as empresas.

Contribuiem para Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Mas se você quiser se aprofundar mais leia também outro artigo do nosso blog: Como descartar lixo eletrônico para evitar impactos ambientais?

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019