Manual completo sobre resíduos inertes (Classe II B)

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

09/11/2020

Manual completo sobre resíduos inertes (Classe II B)

Os resíduos inertes, ou Classe II B, são um tipo de material que quando em contato com água, não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas, mantendo-se inalterados por um longo período de tempo. Neste artigo faremos um apanhando geral sobre os resíduos inertes, Classe IIB. Confira!

A geração de resíduos acontece naturalmente pela sociedade, uma vez que o resultado do consumo é justamente a geração de restos de materiais, ou seja, resíduos.

Como a quantidade de resíduos tem aumentado consideravelmente nos últimos anos devido ao crescimento populacional e ao aumento do consumismo, é necessário compreender a sua correta classificação e a forma ambientalmente correta para destiná-los sem agredir o meio ambiente para manter o equilíbrio na natureza.

Os resíduos Classe II – B são os resíduos inertes, que podem ser disponibilizados em aterros sanitários, pelo fato de não sofrem modificações nas suas características.

Veja abaixo o que abordaremos neste artigo:

  • o que é resíduo inerte
  • como saber quais são os resíduos inertes
  • como classificar e destinar os resíduos inertes
  • outros materiais que são classificados como Classe II B

O que é resíduo inerte (Classe II B)?

A NBR 10.004 dividiu os resíduos em duas classes. A classe I de resíduos perigosos e a classe II de resíduos não perigosos não inertes e inertes, para que sejam gerenciados corretamente.

Os resíduos inertes são um tipo de material que quando em contato com água, não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas, mantendo-se inalterados por um longo período de tempo.

Alguns exemplos de resíduos inertes são os entulhos de demolição, pedras, areia e sucata de ferro. Esses materiais possuem a característica de não se decomporem e sofrerem qualquer alteração em sua composição com o passar do tempo.

Como saber quais são os resíduos inertes?

Como saber quais são os resíduos inertes?

Para saber quais são os resíduos inertes, deve-se classificá-los de acordo com a NBR 10.004 (classificação dos resíduos sólidos), conforme o anexo G.

Deve-se pegar uma amostra representativa (NBR 10007) e realizar os procedimentos para classificação (NBRs: 10005 e 10006), que são:

  • contato dinâmico e estático com água destilada ou deionizada, e;

  • em temperatura ambiente não ter alteração nos seus:

  1. componentes;
  2. padrões de potabilidade;
  3. aspecto;
  4. cor;
  5. turbidez;
  6. dureza;
  7. sabor.

Portanto, são os resíduos que não terão seus componentes solubilizados na água e manterá a sua potabilidade.

Alguns exemplos de resíduos inertes são os entulhos de demolição, pedras, areia e sucata de ferro. Esses materiais possuem a característica de não se decomporem e sofrerem qualquer alteração em sua composição com o passar do tempo.

O setor da construção civil é responsável pela geração de uma grande quantidade de resíduos inertes. Esse tipo de resíduo provoca um grande impacto ao meio ambiente e a sociedade quando não é destinado de forma correta.

Resumindo…

Os resíduos inertes, Classe II B, são os que mantêm suas características durante o processo de decomposição.

Alguns exemplos de resíduos classificados nessa categoria: entulhos de demolição, pedras, areia, sucatas de ferro. Também são inertes: madeiras, isopor, borrachas, latas de alumínio e vidros.

Esses resíduos podem ser dispostos em aterros sanitários e podem também ser reciclados. Esses resíduos não causam poluição devido ao fato de não alterarem as características do solo e nem das águas, mesmo quando em contato com ambos não são liberadas substâncias que prejudicam o meio ambiente.

Como classificar e destinar os resíduos inertes?

Sabe-se que o descarte incorreto pode trazer sérias consequências ambientais e isto não é diferente para os resíduos inertes. Mesmo sendo inertes, estes resíduos devem ter sua destinação final correta.

Portanto, é importante saber distinguir todos os resíduos. Daremos os exemplos abaixo quanto ás possíveis origens:

  • resíduos domiciliares: são os originados nas residências. Exemplos: vidros, madeiras, latas de alumínio, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos de limpeza urbana: são originados na limpeza das vias públicas. Exemplos: vidros, latas, isopor, madeiras, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos de estabelecimentos comerciais: resíduos gerados em escritórios, restaurantes, etc. Exemplos: vidros, latas, isopor, madeiras, areia, sucatas de ferro, alguns tipos de plásticos.

  • resíduos industriais: gerados nos processos produtivos industriais e em suas instalações. Exemplos: pedras, tijolos, vidros, isopor, madeiras, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos de serviços de saúde: gerados nos serviços de saúde. Exemplos: todos os resíduos devem ser separados desde o início do processo no estabelecimento da saúde, tendo em vista a patogenicidade. Após a separação correta, os resíduos inertes precisam ser destinados apropriadamente conforme legislação.

Exemplos: vidros, isopor, sucatas de ferro, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos da construção civil: gerados nas construções, reformar demolições de obras. A grande maioria destes resíduos são inertes. Exemplos: pedras, tijolos, vidros, areia, sucatas de ferro, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos de serviços de transporte: gerados nos portos, aeroportos, terminais rodoviários e ferroviários. Exemplos: pedras, tijolos, vidros, sucatas de ferro, areia, madeiras, isopor, alguns tipos de plásticos, borrachas que não são facilmente decompostos.

  • resíduos de mineração: gerados nas atividades de pesquisa, exploração e beneficiamento de minérios. Exemplos: rochas, areia,

Os resíduos inertes podem ser depositados em aterros sanitários.

Os outros resíduos para serem dispostos em aterros sanitários deverão ser tratados para eliminar radioatividade, patogenicidade, e algumas vezes podem ser incineradas.

Com a destinação final adequada, surgem os seguintes benefícios:

  • não haverá passivo ambiental;

  • terá respaldo perante a fiscalização ambiental e de saúde;

  • controle interno de ativos e passivos;

  • ação ambientalmente correta.

O passo a passo para ter controle e destinar corretamente é:

  • relacionar os resíduos a serem descartados (nome, lote, validade e quantidade);

  • enviar a relação para empresa contratada que coleta e dispõe corretamente os seus resíduos;

  • caso não possua terceirização, a VG Resíduos te ajuda a encontrar uma empresa licenciada para realizar esse tipo de serviço.

O aterro sanitário é a melhor destinação para os resíduos inertes. Trata-se de um processo para a disposição final no solo, permitindo um confinamento seguro em termos de controle e proteção ambiental e proteção à saúde pública.

O aterro sanitário não contamina o solo, o lençol freático, as águas superficiais e a atmosfera. Controle ainda a proliferação de vetores de doenças e não apresenta riscos de desabamento.

Podendo serem dispostos, os resíduos inertes, em aterros classe IIB: este aterro deverá possuir sistema de drenagem em águas pluviais e um programa de monitoramento ambiental.

Gestão ambiental

Outros materiais que são classificados como Classe II B

Os resíduos da construção civil também são considerados inertes, Classe II B. Tendo em vista que estes materiais não são solúveis, nem inflamáveis, não sofrem com reação química, nem física. E não alteram outras substâncias que entram em contato.

Estes resíduos têm uma representatividade de 60% do total dos resíduos gerados no país. Por isso é muito importante que as empresas cumpram com a Lei da Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS), devido à grande quantidade gerada no contexto geral dos resíduos.

Em relação ao descarte destes resíduos, como são em grande quantidade, devem ser realizados gerenciamento destes resíduos, para que sejam destinados para usinas de reciclagem de entulho, triagem e destinação final correta.

A equipe da VG Resíduos, empresa do grupo Verde Ghaia, conta com toda expertise no assunto, e pode te auxiliar no gerenciamento dos seus resíduos.

A VG Resíduos auxilia as organizações em todo o processo de gerenciamento de resíduos a partir de um software desenvolvido pela própria organização que gera toda a documentação necessária conforme exigência das leis e normas brasileiras. Desse modo, a empresa não precisa se preocupar em não estar cumprindo alguma exigência ambiental.

Todo o processo é automatizado, o que economiza tempo e dinheiro. Além de proporcionar também o Mercado de Resíduos, ambiente onde empresas geradoras podem encontrar organizações tratadoras de resíduos. Desse modo, as empresas transformam o que seria prejuízo em lucro.

O VG Resíduos permite:

  • o controle total de todos os processos de gestão de resíduos;
  • a agilidade na emissão dos documentos;
  • a redução de custos;
  • a segurança dos dados;
  • o controle de documentos.

ISO 14001 e PGRS auxiliam empresas na gestão de resíduos

A ISO 14001 traz vários requisitos com padrão internacional para o sistema de gestão ambiental, como também para gestão de resíduos sólidos. A equipe da Verde Ghaia pode te dar auxílio na implementação desta norma e outras normas ISOs a partir da Consultoria Online Verde Ghaia.

Com um sistema de gestão implementado com padrão internacional, a implantação do Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) fica mais prático e simples. A consultoria Online te auxilia desde a implementação da norma até a conquista da certificação.

Portanto, os resíduos inertes são aqueles que quando em contato com água, não sofrem transformações físicas, químicas ou biológicas, mantendo-se inalterados por um longo período de tempo.

Gostou desse assunto ou acha ele relevante? Compartilhe nas redes sociais ou deixe seu comentário abaixo.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5