Chorume: entenda o que é, tipos, cuidados e tratamento!

Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5

21/01/2021

Legislação ambiental brasileira: objetivos, princípios e reflexões!

O chorume é um tipo de resíduo resultante da decomposição orgânica do lixo em aterros sanitários. É um liquido de aspecto escuro e cheiro forte, além disso, possui grande concentração de substâncias tóxicas e metais pesados. Devido a sua composição não pode ser despejado diretamente no meio ambiente, pois possui um alto nível de poluição, podendo contaminar o solo, as águas e até mesmo o lençol freático. Por isso, é grande a importância do tratamento de chorume. Neste artigo entenderemos melhor sobre o que é, tipos e quais os cuidados e tratamento para evitar o seu impacto sobre o meio ambiente. Confira!

A norma ABNT NBR 8419/1992 serviu de base técnica para a regulamentação de aterros sanitários. Ela estabelece que todo projeto de aterro deverá conter um sistema para captação, drenagem e disposição de líquidos percolados (chorume).

O chorume deve ter tratamento prioritário no aterro, porque uma vez que este material entra em contato com o lençol freático, não há mais como reparar a contaminação e milhões de litros de água serão perdidos.

Gerenciamento de resíduos

Nenhum aterro consegue licença para operar, caso esteja com problemas no projeto de drenagem e captação de chorume.

Veja abaixo o que abordaremos neste artigo:

O que é chorume?

O que é chorume?

O chorume, também conhecido como lixiviado ou líquido percolado, é um líquido proveniente da decomposição da matéria nos aterros sanitários.

O chorume é um liquido de aspecto escuro, viscoso e cheiro forte e desagradável. Além disso, possui grande concentração de substâncias tóxicas e metais pesados.

Por ser altamente poluente não pode ser disposto diretamente no meio ambiente, pois pode provocar a contaminação do solo, do lençol freático e de corpos d’água. Também atrai vetores de doenças, como moscas e roedores.

O chorume é formado naturalmente quando há acúmulo de matéria orgânica, água e a presença de bactérias decompositoras, tornando o processo acelerado.

O processo ocorre através da decomposição da matéria orgânica em duas etapas. A primeira etapa ocorre na presença de oxigênio, sendo que a decomposição é feita por bactérias aeróbicas, que consomem o gás, fermentando o resíduo e liberando gás carbônico.

Na segunda parte, a decomposição ocorre na presença de bactérias anaeróbicas e sem o oxigênio disponível no sistema. Essas bactérias quebram gordura, amido e proteína, transformando essas substâncias em ácido acético. O pH do chorume é ácido devido a isso.

Novas diretrizes para emisssão do MTR online baseado na portaria 280 do MMA / Sinir

Tipos de chorume

Os tipos de chorume podem ser:

  • Chorume de Aterro Classe 1: chorume gerado em aterros Classe 1. O liquido proveniente da decomposição de resíduos perigosos é composto por componentes tóxicos, contaminantes, reativos, patogênicos, inflamáveis, corrosivos, poluidores ou que sejam prejudiciais ao meio ambiente e aos seres humanos;

  • Chorume de Aterro Classe 2: chorume proveniente da decomposição de resíduos sólidos que não oferecem riscos ao meio ambiente e à saúde;

  • Necrochorume: chorume produzido por meio da decomposição de cadáveres enterrados em cemitérios, sendo que é composto por duas substâncias altamente tóxicas: a cadaverina e a putrescina;

  • Biochorume: chorume resultante da decomposição dos resíduos nas composteiras, sendo muito rico em nutrientes e utilizados como biofertilizante.

Tipos de tratamento do chorume

Tipos de tratamento do chorume

Devido à sua composição, o chorume deve receber tratamento adequado para neutralizar as agressões, muitas vezes irreversíveis, ao meio ambiente!

Veja abaixo os tipos de tratamento do chorume:

Tratamento biológico

O tratamento biológico é o mais comum e eficiente. É de baixo custo, se comparado aos demais tratamentos.

O tratamento biológico é realizado em três etapas: lagoa anaeróbica, lagoa aeróbica e lagoa de estabilização.

Na lagoa anaeróbica, o chorume recebe o tratamento por um período de sete dias. Na ausência de oxigênio a matéria orgânica é decomposta.

A lagoa anaeróbica possui uma profundidade entre dois e quatro metros.

Posteriormente, o chorume é enviado às lagoas aeróbicas. Nesta lagoa o chorume recebe uma oxigenação forçada. Essa segunda etapa dura entre três e cinco dias. Sendo que nesta etapa os metais pesados são retirados.

Depois de passar na lagoa aeróbica o chorume é enviado a lagoa de estabilização, se transformando em lodo. Depois disso, ele é colocado em um leito de secagem. Após ficar seco, ele poderá ser descartado. A água restante estará livre da matéria orgânica, podendo ser descartada ou reutilizada.

Tratamento de chorume por substâncias químicas

Esse tipo de tratamento consiste na adição de substâncias químicas ao chorume.

Primeiro é realizada a precipitação dos sais orgânicos contidos no chorume através da alcalinização utilizando cal para isso. Depois é inserido cálcio para reduzir a concentração da cal, porém nesse processo são gerados precipitação do fósforo e amônia. É importante fazer a remoção dessas duas substâncias.

É nesta primeira etapa que ocorre a redução da matéria orgânica contida no chorume.

Tratamento bioquímico

É um tipo de tratamento que utiliza plantas como agentes de despoluição. Esse tratamento também é chamado de fitorremediação.

Esse tratamento utiliza-se barreiras bioquímicas com o intuito de remover, isolar e degradar as substâncias tóxicas contidas no chorume. Os contaminantes são absorvidos pelas plantas e depois podem ser transportados.

Cuidados com o chorume

Cuidados com o chorume

A forma de disposição de resíduos, mais comum no Brasil, é o aterro sanitário. O aterro sanitário é um local destinado à disposição final de resíduos domésticos, comerciais, da indústria, de construção e também dos rejeitos retirados do esgoto (lodo).

O aterro utiliza princípios de engenharia para confinar os resíduos sólidos à menor área possível e reduzi-los ao menor volume possível. Esses resíduos são cobertos com uma camada de terra na conclusão da jornada de trabalho ou a intervalos menores, se necessário.

O aterro sanitário deve ter para um funcionamento adequado e ambientalmente correto elementos para captação, armazenamento e tratamento do chorume e biogás, além de sistemas de impermeabilização superior e inferior.

Se o aterro não for instalado e mantido de forma adequada à decomposição da matéria orgânica existente na massa de resíduos descartados produz uma quantidade significativa de chorume e biogás. O chorume e o biogás não tratado contamina o meio ambiente.

Gerenciamento dos resíduos

Gerenciamento dos resíduos

A produção de chorume é um dos maiores problemas ambientais enfrentados pela disposição dos resíduos em locais inadequados. Seu tratamento é essencial para a preservação do meio ambiente.

Por isso, é mais que importante que nossos resíduos sejam destinados a lixões aterros sanitários, onde o chorume naturalmente produzido pelo acúmulo de matéria orgânica possa ser tratado e realocado.

Para destinar ambientalmente correta os resíduos é preciso fazer a gestão dos mesmos. A gestão de resíduos significa adotar um conjunto de ações adequadas nas etapas de coleta, armazenamento, transporte, tratamento, destinação e disposição final ambientalmente adequada. Seu principal objetivo é a minimização da produção de resíduos, visando à preservação da saúde pública e a qualidade do meio ambiente.

O software VG Resíduos realiza toda a gestão de resíduos de uma organização. O seu objetivo é gerar resultados positivos para seus clientes e atender a legislação ambiental. Além do mais, presta serviços de elaboração e implantação de planos de gerenciamento de resíduos e monitora a eficiência das ações.

Com a tecnologia a empresa possuirá um sistema online com módulos diferenciados conforme a necessidade do seu segmento: gerador, gerenciador, transportador ou tratador.

Portanto, o chorume é um liquido escuro proveniente da decomposição da matéria orgânica. Há, presente nele também, concentração de substâncias tóxicas e metais pesados. Devido a sua composição não pode ser despejado diretamente no meio ambiente, pois possui um alto nível de poluição, podendo contaminar o solo, as águas e até mesmo o lençol freático.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Gerenciamento de resíduos

Compartilhe!


Curtiu este post?

Avaliação: 0.0/5