Cinco vantagens de se realizar o tratamento biológico de resíduos orgânicos

Cinco vantagens de se realizar o tratamento biológico de resíduos orgânicos
Avalie este post

tratamento biológico de resíduos orgânicos

As bactérias, fungos e outros microrganismos podem ser bastante úteis para solucionar um grande problemas do descarte incorreto dos resíduos. O tratamento biológico de resíduos orgânicos reaproveita os resíduos orgânicos , que, além de evitar um descarte inadequado, minimiza a degradação do meio ambiente.

A reciclagem das sobras orgânicas por tratamento biológico é uma solução sustentável para as fontes geradoras.  Evita o em lixões e o incremento da poluição, além de outras vantagens. É, por exemplo, uma alternativa econômica, pois não requer necessariamente uma tecnologia sofisticada para produção de um bom composto.

A seguir, vamos conhecer mais detalhadamente os benefícios do tratamento biológico de resíduos orgânicos. Acompanhe!

Leia também: Como destinar e tratar efluentes e resíduos orgânicos da indústria alimentícia?

Conheça os resíduos orgânicos

tratamento biológico de resíduos orgânicos

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, os resíduos orgânicos representam metade dos resíduos sólidos urbanos gerados no Brasil. Apesar do grande volume, o país ainda tem iniciativas tímidas de reaproveitamento desses resíduos, pois só 13% dos orgânicos é reciclado.

E de onde vêm esses resíduos? As sobras orgânicas são todos os resíduos de origem animal ou vegetal, como por exemplo:

  • restos de frutas, raízes, legumes e verduras;
  • restos de comida, incluindo pão, ossos e cascas de ovos;
  • esterco de animais e outros resíduos;
  • aparas de madeiras, palha e folhas.

Todas essas sobras que vêm dos restaurantes de empresas, dos estabelecimentos comerciais, de creches, dos sacolões, dos jardins e pomares, não podem mais ser utilizadas, não têm mais a serventia de origem. Porém, são resíduos que podem ser reaproveitados usando o tratamento biológico.

Entenda como os microrganismos transformam os orgânicos

tratamento biológico de resíduos orgânicos

Antes da aprovação de leis ambientais, como a Política Nacional de Resíduos, os materiais orgânicos iam parar em aterros sanitários. No entanto, surgiram maneiras mais ecoeficientes para a gestão desses resíduos e uma delas é a reciclagem por meio de tratamento biológico.

Uma das formas se reciclar os resíduos orgânicos é a compostagem, realizada em pilhas de sobras orgânicas. Trata-se de um processo no qual microrganismos, como bactérias, fungos e actinomicetos, na presença de oxigênio, decompõem a matéria orgânica dos resíduos, transformando-os. O resultado é o composto orgânico chamado húmus, um adubo repleto de nutrientes que fortalecem as raízes das plantas.

O processo de compostagem dos resíduos orgânicos acontece em três fases:

  • fase 1 (decomposição): etapa da degradação ativa, na qual proteínas, aminoácidos, lipídios e carboidratos são rapidamente decompostos em água, gás carbônico e nutrientes (compostos de nitrogênio, fósforo, etc.) pelos microrganismos, liberando calor. É a fase na qual também são eliminadas as bactérias patogênicas, como por exemplo, as salmonelas e as ervas daninhas.
  • fase 2 (semimaturação): etapa intermediária entre o final da degradação ativa e a fase de maturação;
  • fase 3 (maturação ou cura): etapa na qual formam-se substâncias húmicas, e após a maturação do composto ele está humificado/umidificado/úmido e viável para uso.

Saiba mais: Como as empresas podem resolver o problema para gerar menos resíduos?

Tratar biologicamente os resíduos exige atenção

tratamento biológico de resíduos orgânicos

Para o sucesso da compostagem é necessário controlar três fatores, a temperatura, a umidade e o oxigênio:

  • a temperatura na pilha de compostagem deve ser controlada a cada fase do processo, podendo variar de 45°C a 65°C nas primeiras etapas, caindo para 25°C a 30°C na fase final. Porém, se houver elevação extrema de calor, como a 75°C, o processo pode ter um efeito inverso e retardar ou até anular a atividade microbiana;
  • a umidade na pilha de compostagem deve ser mantida, pois os microrganismos precisam dela para se movimentarem e decomporem a matéria orgânica;
  • a presença de ar é imprescindível para a decomposição, por isso, a pilha de compostagem deve estar sempre arejada, o que se consegue revolvendo os resíduos com uma forqueta de arejamento ou um ancinho.

Tratamento biológico de resíduos orgânicos é vantajoso

tratamento biológico de resíduos orgânicos

São muitos os benefícios do processo biológico da compostagem para a reciclagem dos resíduos orgânicos. Entre as vantagens, podemos destacar:

  1. Implante um método simples e econômico

O tratamento biológico é natural e não demanda alto investimento para ser implantado. As empresas podem reservar um local de sua estrutura física para o processo de compostagem. Também se pode contratar uma consultoria capaz de indicar empresas que recolhem os orgânicos e os tratam pelo método da compostagem. Até mesmo em casa é possível para qualquer um realizar a reciclagem dos orgânicos, adquirindo uma composteira.

  1. Gere menos poluição atmosférica

No processo biológico da compostagem ocorre somente a formação de CO2, H2O e biomassa (húmus). Por ser um processo de fermentação que ocorre na presença de oxigênio (aeróbico), não há formação de CH4 (gás metano), que é altamente nocivo ao meio ambiente. Sua agressividade é 23 vezes maior que o gás carbônico em termos de aquecimento global.

  1. Produza um composto rico em nutrientes

Os resíduos orgânicos tratados biologicamente produzem um húmus de excelente qualidade. Ele torna o solo poroso, facilitando a aeração das raízes, a retenção de água e nutrientes. Os minerais compõem 6% do composto e são formados de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio, magnésio e ferro, que são absorvidos pelas raízes das plantas.

  1. Evite o chorume

O tratamento biológico dos resíduos orgânicos evita que as sobras sejam abandonadas de qualquer forma no meio ambiente, produzindo o líquido chamado chorume, capaz de poluir cursos d´água, reduzindo o oxigênio e matando organismos.

  1. Desenvolva um fertilizante natural

Resíduos orgânicos tratados em compostagem biológica produzem um fertilizante natural, sem aditivos químicos. O húmus é um adubo natural com excelentes resultados na agricultura, paisagismo, jardinagem e hortas.

Como se vê, há muitas vantagens em se investir no tratamento biológico de resíduos orgânicos. As bactérias, fungos e outros microrganismos podem ser uma solução sustentável para a gestão de resíduos. E tudo realizado por meio da reciclagem, que poupa o meio ambiente e ainda gera um composto capaz de recuperar solos e fortalecer as plantas.

Gostou desse tema ou achou o assunto relevante? Deixe seu comentário abaixo ou compartilhe o conteúdo nas redes sociais.

Precisa se aprofundar um pouco mais a respeito? Leia outro artigo do nosso blog: Compostagem x aterro sanitário: como destinar resíduos orgânicos?

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© VG Residuos Ltda, 2019